A Cuca Recomenda: Dias Perfeitos

Confesso: eu já estava com uma pilha enorme de livros quando a Companhia das Letras enviou a newsletter do mês e até pensei em deixar passar, afinal, sempre tem tanta coisa pra ler. Mas aí li a sinopse de Dias Perfeitos e pensei na hora: “tenho que ler esse livro”. Somente a sinopse já me impressionou imensamente, mas isso não chega nem perto do sentimento que tive ao ler esse livro. Devorei-o em menos de dois dias, de um sábado para um domingo. Extremamente perturbador, invasivo, inquietante: Dias Perfeitos é um livro que você tem que conhecer – e não vai se esquecer dele tão cedo.

“Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.” Fonte

A minha primeira impressão logo ao iniciar a leitura de Dias Perfeitos foi que sua narração era bastante impessoal. De extrema qualidade, mas impessoal. Isso me segurou um pouco no início da leitura; porém, para minha satisfação, isso acontece apenas bem no comecinho, nos dois primeiros capítulos, e se deve totalmente ao ponto de vista do personagem, Téo, um homem extremamente metódico e gelado como um cadáver. Portanto, no começo, a narração é quase maquinal, porém isso logo muda quando Clarice entra em cena.

“Se pudesse, ele mataria Clarice naquele segundo. Mataria e jogaria seus membros no mar sem qualquer remorso. Teria até algum prazer nisso.” Página 186

Clarice é uma jovem independente e espirituosa que conquista Téo imediatamente em uma festa. Porém, esse “imediatamente” é muito natural: a gente logo vê que o personagem é um homem obcecado, que só estava esperando um gatilho para libertar sua loucura reprimida. Estudante de medicina, solitário, cuidador de uma mãe deficiente e possessiva, ausente de emoções e desesperado por controle: esse é Téo. E Clarice, com sua fonte abundante de espontaneidade, é o gatilho que faltava para despertar toda essa loucura reprimida. Para “conquistá-la”, Téo aproveita uma oportunidade e sequestra a moça, em uma sequência de suspense tirar o fôlego.

dias_perfeitos (1)

Aliás, todo o livro é de tirar o fôlego: a partir desse momento ele é repleto de tensão em todas as páginas – e quando digo todas, são todas mesmo. Não há pausas para respirar. E sabe aquele tipo de história onde você vai lendo e pensa “bem, não pode dar mais errado que isso, certo?”. Errado. Pode, pode sim, tudo pode ficar muito pior. E Raphael Montes conduz o leitor de maneira excepcional através dessas páginas, construindo uma teia complicada de suspense, tensão e horror. À medida que o livro vai passando, conhecemos melhor os personagens, passamos a entendê-los – mas não aceitá-los – e os acontecimentos vão se sobrepondo até culminarem em um final perturbador e surpreendente. Sério, mesmo que você leia a última página do livro antes de começar, você ainda assim vai se surpreender com o final (mas não faça que nem a Lucy e leia spoilers, certo? É um livro para se ter a surpresa – e que surpresa!).

“Quando um homem tem tanta vergonha de si mesmo e se vê desmascarado, não restam muitos caminhos, Clarice. O suicídio é a única saída.” Página 94

É incrível como o autor penetra profundamente no personagem de Téo. É como se entrássemos na cabeça desse assassino perturbadíssimo. Ele realmente acredita no que faz e o autor nos passa essa crença do personagem de maneira transparente e coerente, o que espanta a nós mesmos, que quanto mais lemos, mais queremos distância desse homem horrível – mas não dá, ele está ali, respirando no nosso cangote (e no de Clarice). Chega a ser asqueroso e, com certeza, extremamente desesperador. É um livro de muitas sensações, um livro que penetra profundamente em seu coração, em sua mente, e fica lá por muito, muito tempo. Talvez para sempre. Ele deixa marcas profundas no leitor. É isso que livros e autores habilidosos fazem: marcam-nos para sempre.

dias_perfeitos (2)

Apenas discordo da classificação do livro como literatura policial, acredito que isso possa dar uma ideia errada do enredo. Para mim, ele é muito mais um thriller de suspense e horror. Sim, porque fiquei horrorizada – no bom sentido literário, no mau sentido emocional – especialmente com o final. Devorei o livro, ávida por mais e mais, mas à medida que lia sentia um mal estar aumentando cada vez mais no peito, assolando-me com uma sensação pegajosa e escura que me perseguiu mesmo após fechar a última página. Terminei o livro com o queixo caído, indignada com a crueldade final, mas ainda assim, satisfeita e impressionada com a capacidade do autor de penetrar tão fundo nas minhas emoções. Raphael Montes, oficialmente tenho medo de você. E não digo isso para qualquer um, mas sua mente é perturbada, meu caro. Obrigada por essa leitura incrível.

Mesmo assim, não consigo dar 5 estrelas para o livro, por mais que ele mereça. É essa sensação terrível que o final me deixou, que é brilhante, mas ao mesmo tempo, horrorosa demais, que não me deixa dar a última estrela. E a frase final… bem, ela não me impactou (talvez porque eu já estivesse impressionada demais com os fatos anteriores). E o começo teve aquele pequeno problema de não me envolver, de ser um pouco destoante do resto do livro. Na verdade, o livro merecia um 4,5. Precisamos fazer um sistema de meias estrelas por aqui.

dias_perfeitos (3)

O exemplar veio autografado e com dedicatória no meu nome, o que achei uma enorme gentileza tanto do autor, quanto da editora. Obrigada!

Enfim, o que importa mesmo é: simplesmente leiam e se espantem tanto quanto eu. Aliás, vale lembrar que os direitos do livro já foram vendidos para o cinema – e eu estarei na primeira fila para ver esse filme. A outra boa notícia é que os direitos de tradução também foram vendidos para Penguin Books! Sério, a Cuca fica tão feliz de ver a boa literatura brasileira valorizada assim! Que venham mais Dias Perfeitos e mais Raphaéis Montes por aí na nossa literatura!

Livro gentilmente cedido para resenha pela Editora Companhia das Letras.

Ficha Técnica

Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 280
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book)/ Amazon (e-book)
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Shadai disse:

    adoro livros nesse tema, e esse por estar sendo lançado pela companhia das letras e também pela sua resenha deve ser mesmo excelente, melhor até que No Escuro e A Lista do Nunca que são os 2 que já li nessa linha chocante.
    com certeza também assistirei o filme, mas se não for feito com muito cuidado pode sair um filme bem fraco.
    parabéns ao Raphael, que ele venha a conseguir mais sucesso com essa e outras obras.

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu adoro livros assim, com muita tensão, realmente deixa a gente sem fôlego… hahahahaa
    Adoro me surpreender no final do livro.. *-*
    Opaaa eu tbm ja estou com meu lugar marcado la no cinema pra ver esse filme, vamos torcer pra que seja bom né… :D

  • Nayara disse:

    Estava esperando muito por essa resenha!!! :D
    E está perfeita! Se eu estava curiosa para ler esse livro, agora estou desesperada! Desde que foi citado no TTT fiquei super empolgada só com a pequena nota.
    E que lindo seu exemplar autografado! Mto fofo xD
    Beijos!

  • Fabiana Strehlow disse:

    Uau!
    Sério que esse livro é assim tão tenso?
    Eu não fazia ideia, Karen!
    Muito obrigada por nos presentear com sua resenha e com estas novidades tão boas sobre o livro!

  • Gustavo disse:

    Nossa, que sinopse maravilhosa mano. Depois dessa sinopse até se você falasse que o livro é infantil eu ia querer kkkk amo esses livros com tortura psicológica, alguns dão até aquele delicioso frio na espinha *-*. Nossa, já estou super entusiasmado em ler.
    Essa resenha está me matando. Não posso comprar mais livros mano, tenho muitos pra ler kkk mas eu preciso ter esse livro, mesmo que demore anos, eu preciso dele. Amo livro que deixa horrorizado, resenha de tirar o fôlego, pegar a pessoa pelo cangote e gritar com ela pra obter o livro kkkk. Mesmo que o autor não seja tudo isso ele já me conquistou por você e sua resenha kkkk

  • Lucy disse:

    Mas Kakazinha, eu só li a última página (mais ou menos), porque eu queria saber o tipo de desfecho que teria e que eu já desconfiava antes. XD
    Em compensação, pra experimentar todas essas sensações, eu teria que ler. Então, ele vai entrar na lista de “livros para pegar emprestado”. hahahaha
    Resenha maravilhosa, fiquei com medo… u__u’
    Bjos

  • Marília Sena disse:

    Thrilles psicológicos são simplesmente viciantes! É o tipo de livro que fica rondando na sua mente mesmo depois que você termina. E uma coisa é fato: os autores têm que ser muito bons para nos deixar tão compenetrados e não perderem o fio da meada, principalmente quando são dois narradores. Já vi que vou odiar profundamente o Téo e adorar a Clarice. Não fazia ideia de que o livro é tão bom assim e ele vai para a lista agora mesmo! Autores nacionais que têm talento e escrevem de forma encantadora, nada mais gratificante para a nossa literatura.
    Adorei a resenha, me deixando curiosa como sempre. Um grande beijo.

  • Michelli Santos Prado disse:

    Desde que vi a sinopse desse livro, fiquei muito curiosa por essa história. Já vi muitos comentários positivos e fico ainda mais empolgada pelo fato de ser nacional e por tua resenha!!Apesar do livro parecer bem perturbador eu me interessei em conhecer esta história.
    Beijos!!

  • Lais Cavalcante disse:

    Adoooro livros desse gênero, tanto do policial [como foi enquadrado], quanto do thriller/suspense/horror [como você o classificou]. Adorei a premissa do livro e já está na minha lista de desejados, porque né? ((:

  • A Cuca Recomenda: Os Viúvos « Por Essas Páginas disse:

    […] ler algo mais leve, com humor, para desanuviar das (várias!) leituras tenebrosas que faço (sim, Dias Perfeitos, eu fiquei tão traumatizada com você que procurei um livro de humor depois da leitura!). Mas […]

  • Promoção: Dias Perfeitos « Por Essas Páginas disse:

    […] que foi capaz de dar calafrios até mesmo na Cuca, que é durona. Quer se arrepiar também? Então leia a resenha e as regras e participe […]

  • Vinicius Oliveira disse:

    Adorei a resenha… Gosto de finais impactantes. Confesso que estou com muito vontade de ler :3

  • Aline Ramos Costa disse:

    Eu podia jurar que era um romance, afinal com essa capa, é o que dá a entender..mas, ao ler sua resenha vi que estava totalmente enganada…Esse livro parece ser um suspense de tirar o fôlego…Sem sombra de dúvida quero lê-lo.
    Arrasou na resenha.
    bjs

  • Giovanna territsen disse:

    Eu simplesmente adoro livros desse tipo, thriller psicologicos, e tudo mais que esse livro oferece. Eu só li elogios nas resenhas que ja li desse livro mas fiquei muito curiosa com o que vc falou do final, e pq vc deu 4,5 e não 5. Eu quero ler esse livro muito muito muito!

  • Silvia Cristina disse:

    Eu adoro leitores brasileiros e esse ainda está fazendo bonito. Gostei muito da resenha e adorei saber que o livro tem uma parte em Teresópolis, cidade que amo!!!! adorei

  • Cris Aragão disse:

    Esse livro tem tudo que eu gosto, suspense e muita tensão, e o melhor, ou pior dependendo do ponto de vista, é que eu nem me sinto muito ultrajada por um final ultrajante, eu aprovo totalmente que o final abale as minhas estruturas e convicções. Abaixo o final feliz!

  • Luciana Campos disse:

    Tenho muito interesse nesse livro, o tenho entre os meus desejados no skoob!
    Da última vez que fui na Saraiva ele estava em falta, por isso acabei não comprando… Mas vou dar mais um tempinho e vou atrás dele de novo, com certeza vai ter e o preço vai estar melhor (quando vi estava por R$ 34,90!!!).
    Acho a premissa do livro muuuuito boa, faz muito o meu estilo de leitura.

  • camila rosa disse:

    Oi, tudo bem?
    Eu adorei a resenha, quero muito ler esse livro, e que coisa hein, ele ser classificado como um gênero e se parecer com outro, mas isso acontece, eu imagino que ele deve dar medo, nunca li algo do tipo, espero gostar.
    Beijos!!!

  • sabrina caparros disse:

    Amo livros de suspense e esse parece ser muito bom!
    Quero muito ler esse, e essa capa muito bonita!
    Beijos

  • Adriana M. disse:

    Adorei a resenha…quero ler!

  • Drielly S. disse:

    Já ouvi muitos elogios sobre ele livro e sobre esse autor, mas depois dessa resenha fiquei ate com um medo rs. Mas, apesar desse medinho do final mencionado os comentários positivos falam mais forte. Esse genero sempre vai me chamar atenção.

  • Andressa Nunes disse:

    Resenha muito boa, abordando o conteúdo do livro, de forma simples e inteligente, facilitando o entendimento, despertando o interesse dos leitores

  • Sabrina Nunes Finoti disse:

    WoW – O que será que acontece no final pra ser assim tão horroroso? :P
    Adorei, adoro livros com tensão do inicio ao fim, e ainda mais livros que como vc disse “Não pode dar mais errado que isso, e dá”.

  • Resenha: Inferno a bordo « Por Essas Páginas disse:

    […] lido Georges Simenon, aclamado escritor do gênero. Autores que admiro, como o Raphael Montes (Dias Perfeitos) o têm em alta estima e inclusive dizem serem influenciados por sua obra. Pois bem, eu precisava […]

  • Top Dez: As melhores leituras de 2014 | Eu, Papel e Palavras disse:

    […] Dias Perfeitos, Raphael Montes (leia a resenha) […]

  • Top Dez – Quotes inspiradores de livros | Eu, Papel e Palavras disse:

    […] Resenha aqui. […]

  • Shadai disse:

    Voltando a comentar aqui após pouco mais de 1 ano pois finalmente li essa obra.
    Eu havia recomendado uma amiga comprar esse livro, mesmo eu sem tê-lo lido, e ela gostou bastante! Finalmente, meses depois dela, eu o li e gostei também. Se fosse para resumir em uma palavra seria: sinistro! Tem umas cenas doentias, e há todo um clima de “isso não pode estar acontecendo” – tanto que ao longo da obra há referências de contos de fadas.
    Bom, para finalizar: faço parte do grupo que não gostou do final.
    E ainda tenho receio do filme que será feito, pois acho que será bem censurado.

  • Top Ten Tuesday: 10 Livros que estariam no meu curso básico de horror « Por Essas Páginas disse:

    […] Porque preciso ensinar vocês a valorizar e apreciar o horror tupiniquim crianças! Leiam e releiam, devorem, saboreiem e se lambuzem de Dias Perfeitos e principalmente lembrem-se – você também pode ser como o Téo. Resenha aqui. […]

  • A Cuca Recomenda: O Vilarejo | Por Essas Páginas disse:

    […] terror; 2. Ainda fico perturbada só de pensar no fantástico Dias Perfeitos, de Raphael Montes (leia a resenha); 3. Essa edição de O Vilarejo da Suma de Letras é de […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem