A Cuca Recomenda: Garota Replay

“Thizi é uma garota do bem, apaixonada pela vida. Mas, após uma madrugada trágica, sente que tudo à sua volta desmorona. Descobre que Tadeu, seu namorado, beijou uma garota em uma noitada e quebrou o nariz de Tito, melhor amigo de Thizi, quando soube que ele fotografou a prova da traição. Na mesma noite, Tadeu dirigiu bêbado e causou grave acidente, que deixou o amigo Gabiru em coma. Em meio a tanta decepção, Thizi encontra uma Replay de si mesma, uma igual. Agora, não mais a única do planeta, ela se sente a pessoa mais solitária do mundo e precisa entender que só o amor tem o poder de provocar as melhores mudanças. Garota Replay trará reflexões para desvendar os segredos da vida de Thizi. E da sua também…” Fonte

Resolvi ler esse livro por dois motivos: eu o ganhei e queria uma leitura leve e rápida. Depois de ler “A Menina que Roubava Livros“, vamos combinar que eu precisava de algo leve. Quem já leu o livro ou pelo menos leu resenhas ou ouviu falar sobre esse ele, sabe que no final você fica em pedaços. Então eu queria me divertir, botar um sorriso no rosto e relaxar. O escolhido foi o livro recém-lançado pela autora brasileira Tammy Luciano.

Devo confessar que demorei para progredir nessa leitura que deveria ser bem rápida (o livro tem apenas 144 páginas, e as letras não são pequenas). Isso é porque o começo é repleto de lamentações da protagonista, Thizi. O livro é em primeira pessoa (o que eu acho ótimo, eu mesma adoro escrever em primeira pessoa), mas o problema está no fato de que Thizi reclama, reclama e reclama, sempre sobre as mesmas coisas, repetidamente. No começo você fica “puxa, que droga que isso aconteceu na sua vida, amiga”, mas depois da milésima vez que ela está abrindo a boca para lamuriar sobre o mesmo assunto, lá pelo capítulo seis ou sete, ou sei lá, você fica “puxa, que droga, amiga, que você AINDA está falando sobre a MESMA coisa que já SEI).

O chato dessa reclamação sem fim é que você começa a pegar birra pela protagonista (e isso não é bom, definitivamente; você pode até gostar mais de outra personagem, mas pegar birra do protagonista faz o leitor perder o interesse pela história, já que esta é a história do protagonista). Eu fiquei com a péssima impressão, nos primeiros capítulos, que Thizi era uma garota fútil e mimada, que reclamava de tudo, fraca, que não conseguia se erguer de seus problemas, e que apesar de ter seus vinte anos (ou quase), comportava-se como uma adolescente histérica (pelo menos em seus pensamentos).

As coisas ficam interessantes quando surgem os questionamentos sobre quem seria a Garota Replay. Aliás, foi isso que manteve minha leitura. Eu queria saber porque aquela garota igual a Thizi aparecia, e como assim ela era uma pessoa tão mais legal que a Thizi que conhecíamos. Cheguei a fazer teorias sobre tempo e espaço (eu sou meio viajante assim mesmo), mas jamais pensei na explicação que a autora deu, e foi aí que meu sorriso finalmente se abriu lendo o livro. A explicação para o mistério que envolve o livro, bem como o seu final, foram maravilhosos. Esses capítulos eu li bem depressa, pois queria saber como a história terminava. E a moral que é passada no final, bem, fez jus à ideia do livro, e além de muito fofa, é um ensinamento de vida.

Terminei o livro com uma visão melhor da Thizi. Ela cresceu como personagem, o que é sempre ótimo. Até entendi porque no começo ela reclamava tanto (mas ainda não gosto dessa parte). Fez sentido, mas continuo não gostando do começo. Sobre as outras personagens, não há muita evolução; a maioria já é “maravilhosa” – algo que eu também não gostei muito, porque não existem pessoas perfeitas, e bem, tinha gente perfeita no livro.

A capa é uma graça, bem diferente, meio estilo mangá ou desenho animado, achei que ficou bacana. Não gostei de alguns erros que passaram batidos na revisão (como repetição de palavras, eco em frases, alguns erros gramaticais), mas isso é um lapso da editora, não da autora.

Recomendo para quem queira realmente uma leitura bem leve e não se incomode com a falação do começo do livro. Talvez seja um título melhor aproveitado por adolescentes, que, acredito, vão se identificar com as roubadas que a Thizi se envolve do começo ao fim do livro.

Ficha Técnica:

Título: Garota Replay
Autor: Tammy Luciano
Editora: Novo Conceito (selo Jovem)
Páginas: 144
Onde comprar: Livraria Cultura
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Melissa disse:

    Definitivamente não é meu tipo de livro. Eu acho complicado escrever chick-lit ou livro pra adolescentes justamente por ser tão difícil sair do cliché. Quer dizer, as chances de criar personagens perfeitos lindos e maravilhosos e sair pro final feliz são muito grandes. É uma empreitada muito difícil, viu.

  • Carolina disse:

    Bom dia!! Esse livro ainda não tive a oportunidade de ler, mas tenho lido muitas resenhas positivas sobre ele. Algumas delas reclamaram do mesmo ponto, a infinita reclamação da personagem. Não sei se faz muito o meu gênero, porque esses livros de garota não são todos que eu adoro. O fato de ser uma autora nacional ganhou pontos comigo, então vou colocar na minha listinha de aquisições futuras. Adorei a resenha. Beijos

  • Karen disse:

    Mel, pois é. É difícil sair do clichê… Todos os amigos da protagonista são super, ultra, mega perfeitos e legais. ¬¬’ E ela também é a super bacanérrima. Isso enche um pouco. Mas eu tive outra impressão dela, e achei muito chato a reclamação infinita. Porém, o tema que a autora propôs foi muito bom e passou uma mensagem bacana no final. Foi o que valeu pra mim.

    Carolina, então a reclamação infinita da personagem quase me fez largar o livro, mas o final valeu a pena. Passou uma mensagem muito legal. Acho que vale a pena dar uma chance por isso, por ser nacional, e é super rapidinho de ler. Se cair nas suas mãos, leia! ^^

  • Lucy disse:

    Kakazinha, vc não falou o final. o.o Eu quero saber a moral da história e pq aparecia a garota replay. rsrs Me empresta seu livro? hahaha
    Ah, eu sei sobre esse lance de reclamar da vida. O Julieta Imortal foi parecido. A Julieta não parava de se lamuriar por ter sido burra e ter confiado no Romeu, etc… rsrs

  • Karen disse:

    Dona Lucy, como tu ama um spoiler hein?! hahahaha
    Não vou contar aqui, contei no MSN! =D
    É, eu ainda não li Julieta Imortal… tá lá na estante esperando. Fico meio desanimada depois dessas.

  • Jeh Asato disse:

    *-*
    Realmente, “A menina que roubava livros” é uma leitura que exige uma próxima mais leve, para que possamos absorver e abraçar a estória com muito carinho, sem trocá-la por outra favorita.

    Ainda não li Garota Replay e no começo fiquei com receio porque muitos leitores esperavam mais do livro. Mas isso foi no começo, agora encontro resenhas bem positivas que exaltam o livro de uma forma mais positiva, gostei bastante!

    Espero não me encontrar na personagem porque eu também reclamo demais! 😡

    Beijos!

  • Karen disse:

    Jeh, Garota Replay foi uma leitura gostosa, acho que você vai curtir. E eu gostei bastante da mensagem que a autora transmitiu. Se você reclama bastante, vai se identificar com a Thizi!

  • Nivia Fernandes disse:

    Eu reclamo MUITO e detesto isso em mim. Não gosto de me reconhecer nos personagens por causa disso, geralmente são características condenáveis. rs Então, provavelmente ficaria doida da vida com essa parte das lamúrias.
    Nem quando era adolescente gostava muito de livros assim, acho que meu máximo foi Pollyana (e quando já era mais velha, por curiosidade).
    Mas se tem uma mensagem bonita, acho que tentaria dar uma chance se tivesse oportunidade de ler, alguém me emprestasse ou algo assim. Afinal, depois “A menina que roubava livros”, a gente precisa de um descanso é da vida, né? huahuahuahuahua

    Sobre o que falou de erros da editora, depois de pegar alguns livros brasileiros notei que isso é comum. Poxa, um pouquinho de carinho pra leitores pentelhos com português era bom, né? Ainda mais leitura leve assim, pra adolescentes, eles tem que ter bons exemplos de gramática e estrutura de texto também, especialmente por estarem se divertindo lendo. Torna natural e tal.

  • Marcelle disse:

    Eu não conhecia esse livro , mas assim que tiver tem vou ler

  • 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo « Por Essas Páginas disse:

    […] com quem conversamos foi a super simpática, adorável e empolgada Tammy Luciano, autora de Garota Replay. Claro que fui pedir autógrafo e levei comigo meu exemplar. Ela foi simplesmente encantadora, […]

  • Promoção: Aniversário de 2 anos do Por Essas Páginas « Por Essas Páginas disse:

    […] um exemplar de Garota Replay, da autora Tammy Luciano, editado pela Novo Conceito. Leia nossa resenha do […]

  • Notícia: Editora Novo Conceito vende e-books a preços promocionais « Por Essas Páginas disse:

    […] Garota Replay, Tammy Luciano [Resenha] […]

  • Bruu Gonçalves disse:

    Eu vi esse livro quando um site teve uma promoção dele, mas não tinha uma resenha 🙁 agora que vi essa, fiquei esperando que me motivasse a ler, mas não curti não, eu odeio quando o livro começa devagar quase parando. :/

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem