A Cuca Recomenda: Jantar Secreto

Raphael Montes é um dos escritores mais promissores da literatura brasileira atualmente. Cínico e sem medo de chocar, ele aborda temas espinhosos em suas obras. Li todas elas e posso dizer que gostei muito de (quase) todas, exceto, talvez O Vilarejo (resenha aqui), um livro no qual acredito que ele perdeu um pouco da sua essência, procurando fazer apenas um terror tradicional, o que não é seu forte. Não é isso que esse autor escreve. Para mim, ele faz suspense, do tipo que choca, perturba, incomoda. E em Jantar Secreto ele retoma essa essência com o mesmo efeito, ou talvez até mais assustador, de outras de suas obras como Suicidas Dias Perfeitos (resenha aqui).

jantar_secreto“Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.” Fonte

Imagine que você é convidado para um jantar. O evento será fechado, apenas para um grupo seleto de pessoas, a elite do Rio de Janeiro, a nata da sociedade carioca. Tudo é muito refinado. E o prato principal é uma iguaria: carne humana.

Imaginou? Pois bem, é assim que você se sente lendo Jantar Secreto, mas a coisa vai além e não se limita apenas aos pratos, mas também à preparação deles. Muitos de nós, diariamente, vamos ao supermercado e compramos as carnes em bandejas, tudo muito limpo, muito prático. Chegamos em casa, preparamos nossa comidinha e seguimos nossa vida. Mas já parou para pensar em todo o caminho percorrido para que aquela carne chegasse até sua panela?

E se você visse esse caminho? E se, ao invés de bois, carneiros, frangos e perus, a carne fosse de pessoas?

jantar_secretoinsta

Aqui nós conhecemos um grupo de quatro jovens que vieram de uma cidadezinha no interior do Paraná para tentar a vida no Rio de Janeiro, cursar faculdade e terem novas oportunidades. Porém, a situação do país não tá boa pra ninguém, e eles se veem no meio da crise, com um problema enorme em mãos. Endividados, resolvem preparar um jantar para gente cheia da grana e fazer um dinheiro, mas, após uma sucessão de acontecimentos, a carne, que era para ser de carneiro, vira de gaivota… em outras palavras, carne humana (e há uma sacada incrível sobre isso por todo o livro, você vai entender ao ler). E por isso a grana se multiplica monstruosamente. E aí?

Dante, Miguel, Leitão e Hugo são os jovens que acompanhamos nesta história e, para o bem ou para o mal, nos tornamos íntimos deles nessas páginas. Seus segredos mais obscuros são revelados e o mais interessante de tudo é que esses personagens são tão bem construídos que, apesar de horrorizado, você, leitor, não vai conseguir deixar de compreendê-los e talvez até se veja justificando um erro aqui e ali, apesar de quase todos serem, no fundo, horríveis demais para isso. E isso nos faz não apenas observadores de todas aquelas atrocidades, mas também coniventes com tudo aquilo. A sensação que dá é que não somos muito diferentes, no final das contas. E isso é a grande sacada do livro, que transporta o leitor para uma situação desconfortável e cutuca a ferida, mas, mesmo horrorizado, você não consegue parar de ler.

Diga-me o que tu comes
Que te direi quem és” Página 248

A sequência de acontecimentos vai se amontoando e você se vê levado pela corrente. É terrível, mas você não consegue parar, assim como os personagens do livro. A narrativa é tensa e asfixiante, frenética e dinâmica, intercalada por capítulos fantásticos como as receitas e as conversas de WhatsApp. Aos poucos, você vai descobrindo mais daqueles personagens e daquele cenário horrível em que se meteram. É completamente perturbador.

Esse foi o primeiro livro que li em 2017. Foi uma leitura alucinada, como se eu fosse incapaz de respirar enquanto não terminasse de ler. A edição é confortável e caprichosa, com um ótimo trabalho de edição e diagramação, especialmente nas páginas mais atípicas, como a da conversa de WhatsApp. As bordas das páginas são pintadas em vermelho, dando um aspecto ainda mais macabro ao livro; na sua imaginação, poderiam muito bem ser todas manchadas, pois é assim que você se sente ao virar cada página, como se seus dedos estivessem também sujos de sangue. É como eu já disse: a sensação é que você é conivente com tudo aquilo. A bílis chega a subir na garganta. Não é um livro para fracos. Você está preparado?

Recomendadíssimo. Raphael Montes voltou com tudo e mal posso esperar para poder manchar meus dedos de sangue novamente em novas histórias.

Livro gentilmente cedido para resenha pela Companhia das Letras.

Ficha Técnica

Título: Jantar Secreto
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 376
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon / Saraiva / Livraria da Folha / Livraria da Travessa
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Jackie Nowinski disse:

    Olá Karen!
    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, eu estava bastante curiosa desde que vi a
    sinopse. Não conheço o autor, mas parece uma trama bastante instigante e frenética. É muito bom quando o autor transporta o leitor para as sensações daquela situação, mas nesse caso, tenho minhas dúvidas… Mas estou super curiosa para ler esse livro.
    Acredito que a muitas pessoas não iriam querer comer a carne comprar embalada e bonitinha do supermercado se soubessem realmente como é a produção dela, mas vou deixar de bancar a vegetariana chata aqui!
    Embora, dizem que canibais relatam que carne humana tem um sabor muito
    semelhante a carne de porco :-P.
    Beijos!

  • Karen disse:

    Oi Jackie!
    Mas você interpretou certíssimo; apesar de não ser vegetariana (ainda não consigo =/), foi exatamente essa a mensagem que entendi que o livro quer passar, pra gente pensar sobre a origem da carne e como os animais são tratados… O Raphael Montes, aliás, é vegetariano também.
    Beijos!

  • Marília Sena disse:

    Jantar Secreto foi, sem sombra de dúvidas, uma das minhas melhores leituras de 2016. Que livro genial e que autor fantástico! Espero ansiosamente pela próxima obra.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem