A Cuca Recomenda: Neon Azul

Há escritores que são assim: você lê uma única linha deles e sabe que aquele é um autor excepcional. Em Sobre a Escrita, Stephen King diz que existem três tipos de escritores: os fracos, os competentes (que você pode se tornar se trabalhar duro) e os talentosos, poucos, que já nasceram assim, com o dom. Eric Novello é do terceiro tipo de escritor, e basta um parágrafo para perceber isso. Quando você termina um livro todo dele, você tem certeza.

capa_neon“Neon Azul é uma boate onde habitam os seus mais sombrios desejos e tentações. É um lugar diferente, repleto de acontecimentos estranhos, mas que poderia estar na esquina da sua casa ou no caminho entre o trabalho e o metrô. Enquanto acompanha a história do bar e de funcionários e clientes peculiares, descubra que realizar seus desejos pode ter efeitos colaterais imprevisíveis.

Homens de negócio, prostitutas, artistas e boêmios imersos em uma solidão que só quem passeia pela noite já experimentou, um sentimento comum aos que vivem cercados de gente, com um sorriso no rosto e um copo na mão.

Nesse jogo de luzes e sombras que revelam a fantasia e encobrem a realidade, está nas mãos do leitor a decisão de acreditar ou não no que lê e decidir quem conta as verdades e as mentiras ao longo da história.

Assim como o insone gerente do bar, o leitor terá muito o que lembrar quando deitar na cama e fechar os olhos por própria conta e risco.” Fonte

Neon Azul é um romance fix-up. Não sou especialista literária, mas, para quem não sabe, um romance fix-up é, em uma explicação simples, um livro de contos, com histórias interligadas entre si, geralmente com um tema em comum que interlaça todos os textos. Aqui o tema é a boate – na falta de uma palavra melhor, é muito mais que isso – Neon Azul. Como as histórias são interligadas, é capaz de você encontrar aqui e ali um personagem que já encontrou em outra história – e isso é incrível!

Ok, já falei em outra resenha aqui no blog como é importante, nesse tipo de romance, que o tema central seja vivo, vibrante, enfim, seja de fato um personagem – mesmo que não seja uma pessoa (e exitem diversos personagens que não são pessoas, certo?). Pois é, aqui, Eric Novello faz isso com maestria; Neon Azul está longe de ser apenas um cenário e o título do livro: ele pulsa como um organismo vivo e é ele quem dá brilho (azul) a todas as histórias. Você realmente sente, lendo todos os contos, que o bar é o personagem principal, um elemento vivo que não só está presente em todos os contos, como todos as histórias são, de fato, sobre ele e de como ele age sobre os outros personagens com essa sinistra e quase mágica fascinação.

“Nesse império de mendigos, é impressionante que ainda haja um teto disponível na cidade. Seguindo sombras nas paredes, arrumei uma vaga numa rua movimentada do centro, dessas que ninguém mora, ninguém vive, e só servem de caminho.”

A sensação que dá, ao terminar o livro, não é que você leu uma série de contos, mas sim que leu, de fato, um romance, completamente interligado, com começo, meio, fim, que pode ser lido em várias ordens, que você poderia jamais parar de ler: Neon Azul é como um drinque no qual você fica viciado e sempre quer experimentar novamente.

A escrita de Eric Novello é embriagante e potente; com naturalidade, ele nos conduz por corredores azuis e fantásticos, por vidas de personagens inesquecíveis e tão diferentes entre si. Um mendigo por opção, um pianista apaixonado pela música, uma dançarina misteriosa e tantos outros. Não consigo dizer qual conto gostei mais, não consigo separá-los, para mim todos fazem sentido juntos, num grande e incrível romance de fantasia urbana. Simplesmente arrebatador.

“Aqui vendemos medos e tentações. Despertamos sentimentos, sejam puros ou não. Aqui é o lugar ideal para o seu coração bater distante da monotonia do dia a dia. É o lugar ideal para se descansar longe dos aborrecimentos. Aqui você pode querer nascer ou morrer, mudar de casca sem precisar de novas encarnações.”

Li em e-book, mas mesmo no formato digital é possível perceber que a edição está bastante caprichada: cada capa de conto é com a página toda preta, o título em branco e uma imagem minimalista, também em traços brancos de neon, representando a história.

Esse é o tipo de livro – e de autor – que você termina e fica pensando: como assim as pessoas ainda não leram? Como assim tantas pessoas ainda não o conhecem? Por favor, mundo: leia Eric Novello, depressa, depressinha, agora mesmo, já.

Ficha Técnica

Título: Neon Azul
Autor: Eric Novello
Editora: Draco
Páginas: 168
Onde comprar: Saraiva / Travessa / Amazon (e-book) / Livraria Cultura (e-book)
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Helio de Oliveira e Souza disse:

    Misterioso este livro te leva a querer descobrir os segredos deste bar e seus personagens .

  • Nayara disse:

    A melhor coisa do blog é descobrir livros e autores novos para mim! <3
    Fiquei curiosa pelo livro e pelo autor que vou procurar algo a mais sobre ele.
    Adorei a resenha, como sempre!
    Beijos

  • Douglas Fernandes disse:

    Primeira vez que vejo sobre o autor, e já me deixou muito curioso e empolgado pra ler qualquer coisa dele…. hahahaha
    gostei da capa e adorei o que li na resenha, acho que se tivesse o livro aqui ele seria minha proxima leitura e é um livro bem fininho, vc deve pegar e rapidinho ler. Espero poder ler logo esses contos.

  • Fran Ferreira disse:

    Olá Karen.
    Sabe, pra ser sincera não me chamou muito atenção (não que não tenha gostado), mas tenho outros que me prenderam mais. Mais um autor que nem nunca tinha ouvido falar seu nome. Gostei da resenha, mas neste momento tenho outras preferencias, quem sabe mais para frente eu consiga ver essas interligações e o pegue para ler.

    Bjss

  • Shadai disse:

    não conhecia autor, livro, e nem o gênero fix-up, mas logo me veio a mente os filmes Sin City.
    gostei muito da resenha e da premissa do livro e seus vários personagens, parece muito bom!
    vou esperar estar mais barato em algum site para comprar.

  • Sexta do Sebo #147 | Por Essas Páginas disse:

    […] autor eu conheci esse ano e me apaixonei? Foram dois: Eric Novello (leia a resenha de Neon Azul) e Josh Mallerman (leia a resenha de Caixa de Pássaros). São dois favoritos pra […]

  • A Cuca Recomenda: Exorcismos, amores e uma dose de blues « Por Essas Páginas disse:

    […] Azul, de Eric Novello, foi uma das minhas melhores leituras do ano passado (leia a resenha). Fui conquistada logo nas primeiras linhas e, a cada conto, via minha admiração crescer pela […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem