A Cuca Recomenda: O Castelo das Águias


Dessa vez a Cuca mergulhou em um mundo fantástico chamado Athelgard nesse livro da Ana Lúcia Merege, que saiu pela Editora Draco. Em O Castelo das Águias, primeiro livro de uma série, conhecemos um mundo com humanos, elfos, magia e águias guerreiras. Com uma narrativa leve e uma trama despretensiosa, Ana Lúcia Merege nos conduz por uma história deliciosa e com uma bela mensagem. ‘Bora lá saber se a Cuca recomenda?

“O Castelo das Águias, romance fantástico de Ana Lúcia Merege, é um lugar especial. Localizado nas Terras Férteis de Athelgard, região habitada por homens e elfos, abriga uma surpreendente Escola de Magia, onde os aprendizes devem se iniciar nas artes dos bardos e dos saltimbancos antes de qualquer encanto ou ritual. Apesar de sua juventude, Anna de Bryke aceita o desafio de se tornar a nova Mestra de Sagas do Castelo. Aprende os princípios da Magia da Forma e do Pensamento e tem a oportunidade de conhecer pessoas como o idealizador da Escola, Mestre Camdell; Urien, o professor de Música; Lara, uma maga frágil e enigmática, e o austero Kieran de Scyllix, o guardião das águias que mantêm um forte elo místico com os moradores do Castelo. Enquanto se habitua à nova vida e descobre em Kieran um poço de sentimentos confusos e turbulentos, uma exigência do Conselho de Guerra das Terras Férteis põe em risco a vida e a liberdade das águias Com o apoio de Kieran, Anna lutará para preservá-las,desvendando uma trama de conspiração e segredos que envolvem importantes magos do Castelo.” Fonte

O livro começa com um prólogo e a cena rápida de uma batalha e uma situação angustiante que, pelo que se percebe quando o livro realmente começa, é algo que acontecerá somente no final, o que já nos deixa com a pulga atrás da orelha. Depois disso, conhecemos Anna de Bryke, uma moça muito jovem que foi convidada a dar aulas na escola de aprendizes do Castelo das Águias. Anna, que vivia em uma tribo distante, cercada pela avó, amigos, elfos, tradições e costumes de sua terra, muda-se, completamente sozinha, para Vrindavahn, um lugar distante e muito diferente do que ela estava acostumada a viver. Só aí o leitor já percebe que Anna, apesar de ser uma personagem tranquila, é também uma moça corajosa à sua própria maneira.

A história é narrada pelo ponto de vista de Anna e, à medida que o livro avança, percebemos que uma das suas funções como personagem é exatamente essa: narrar a história. Ela se instala no castelo e começa a dar aulas de sagas que, pelo que interpretei, é algo equivalente a literatura (coerente ela ser a narradora, não?). No castelo, os aprendizes têm várias aulas e desenvolvem suas habilidades, inclusive mágicas. Aqui achei bastante criativo que os protagonistas da história são os professores, não os alunos; geralmente nas sagas o herói é alguém jovem, com um mundo a descobrir e muito o que aprender. Aqui, no entanto, temos os mestres como protagonistas, mas apesar disso eles também tem muito a descobrir, aprender e evoluir.

O mundo de Athelgard é ocupado por humanos e elfos, bem como a mistura dos dois. Anna é humana, o que por si só surpreende os habitantes do castelo, já que ali há vários mestres elfos e magos. Nos primeiros capítulos, Anna está tentando se habituar à sua nova vida e, apesar do livro mostrar essa trajetória, senti falta de mais algumas páginas nesse começo, principalmente para mostrar essa nova ambientação de Anna e conhecermos melhor os personagens. Em alguns momentos, achei que ela foi aceita com facilidade pelos outros mestres – não digo os aprendizes, porque o mestre anterior deles era muito chato e Anna traz novas técnicas de ensino que realmente os encantam. Tanto que achei isso que, quando acontece uma cena de conflito entre Anna e outra pessoa, uma divergência de opiniões, foi quando me interessei mais pela história e grudei no livro.

Anna é ainda é bastante jovem, recém-saída da adolescência, e apesar de já demonstrar certa maturidade, algumas das suas atitudes são bastante coerentes com a sua idade e com o seu passado, criada em um local afastado, com outros costumes. Ela não é perfeita: tem suas inseguranças, medos e orgulho, mas também é uma pessoa calma, observadora, criativa e de bom coração. Em outras palavras, ela é real: nada de uma personagem perfeitinha. Também não esperem uma heroína que destrói tudo pelo caminho; Anna é forte e corajosa, sim, mas com outro tipo de audácia, um tipo que às vezes as pessoas não interpretam como coragem. Porém, em várias cenas, ela demonstra ousadia, não pelo uso da força ou de armas, mas utilizando inteligência e palavras. É legal encontrar personagens femininas que pegam em armas e chutam bundas malvadas? É sim. Mas não é só isso que significa uma personagem forte: há vários outros tipos de mulheres, que demonstram sua força e coragem de maneiras diversas. E gostei dessa diferença em Anna.

E por trás disso tudo, como um fio condutor que guiasse magos e artistas, estava o que mais me fascinava: as histórias. Sem elas, tudo o mais seria desprovido de sentido.

O Castelo das Águias é assim chamado por abrigar em seus terrenos águias especiais: devido a uma fonte mágica e usando os encantamentos corretos, elas podem se transformar em águias guerreiras. Porém, há algumas pessoas que desejam utilizar as águias para propósitos errados, como armas de guerra, arriscando sua vida e liberdade. Essa situação conduz e permeia todo o livro, trazendo um pouco de política e conspiração para a trama. Além disso, é também devido a essa trama que conhecemos aqui e ali outros fatos de Athelgard. Aqui, Ana joga a semente de outras coisas que virão nos próximos livros.

No castelo, Anna conhece Kieran de Scyllix, um outro mestre, mago, guardião das águias e alguns anos mais velho que ela. Gradualmente, Anna e Kieran se interessam um pelo outro. No entanto, esse não é um romance arrebatado, com idas, vindas e cheio de turbulentas emoções. Aliás, essa nem parecia ser a intenção da autora. O romance entre Anna e Kieran é tranquilo, simples e bonito, bastante verossímil de acordo com a situação e a época que a história se passa. O relacionamento fugiu também daquela batida situação de “amor impossível” e coisas do tipo. Não há dramas desnecessários. Gostei muito disso porque não estava lendo o livro em busca de um romance, mas sim de uma aventura de fantasia, e foi isso que encontrei. A autora manteve o foco, apesar de claramente ter carinho pelo relacionamento dos dois.

(…) pois nossas falhas e talentos eram complementares… como tinham de ser, se pretendíamos que houvesse harmonia em nossa vida a dois.

No entanto, preciso abrir um parêntesis aqui, quase um desabafo pessoal. Não consigo gostar do Kieran! Como pessoa, não como personagem, que fique claro. Ele é antipático, rabugento, autoritário, teimoso, às vezes grosseiro e até meio machão. Lendo-o, lembrei muito do Snape, de Harry Potter. E eu também não gosto do Snape – mas reconheço que ele é o melhor e mais complexo personagem da Rowling. Um ótimo personagem nem sempre precisa ser querido e amável e Kieran certamente não é. Na verdade, acho que o mais me irrita nele é o pouco caso que ele faz de Doron, um cara incrível, adorável, ótima pessoa e personagem, que é devotado ao amigo Kieran e, no entanto, ele só faz tratá-lo com desprezo. Sinceridade? Eu quero um Doron para mim. E a Anna é uma heroína mesmo por aguentar o Kieran! Pronto, falei!

No entanto, aqui também Anna mostra que tem personalidade. Apesar de estar apaixonada, ela não cede às opiniões de Kieran. Anna tem suas próprias convicções e as defende com energia, mesmo dele. Ela discute e toma suas próprias decisões, ainda que Kieran não concorde e isso leve a mais divergências. Suas escolhas não são tomadas por causa de seu amor. E aí volto no que comentei acima sobre personagens femininas. De nada adianta uma personagem que pega em armas e é durona se chega um cara e ela se derrete, e realmente Anna não é assim. Ela tem sua própria cabeça, ela defende o que acredita e, finalmente, ela tem personalidade. Para mim, isso que faz uma boa personagem.

Além de Kieran, Anna conhece várias pessoas. Há outros personagens no livro e, devido àquela falta de páginas que me referi acima, acho que alguns foram pouco desenvolvidos, apesar de percebemos que eles têm sim suas próprias histórias, apenas não houve tempo para que elas fossem mais aprofundadas. Durante a leitura, percebi que a autora teve um grande cuidado ao criar esse mundo e tem bastante controle sobre seu universo, bem como seus personagens, apesar de nem sempre isso ser mostrado no livro. Acho que a única coisa que eu desejava a mais nesse livro seriam mais páginas, mais tempo para esse desenvolvimento. Ao mesmo tempo que essa narrativa rápida deixa o livro mais leve, de um jeito que você lê e nem percebe o tempo passar, também nos deixa um pouco no escuro sobre alguns personagens, mas acredito que provavelmente eles serão mais desenvolvidos nos próximos livros. Algo legal que descobri foi que, no site da autora e da série, Ana posta contos e fichas dos personagens, contando-nos um pouco mais deles e suas histórias. É uma ótima pedida como complemento do livro.

Apesar O Castelo das Águias ser uma fantasia leve, no final, Ana nos emociona com uma cena bem escrita, brilhante e muito delicada, que traz uma bela mensagem. Acho que foi isso que mais me marcou no livro, essa mensagem que significa basicamente “se você ama alguém, deixe-o livre”, uma citação que vem logo no começo do livro. É isso que a autora mostra com a história narrada pelos olhos sensíveis de Anna e na figura das águias. Foi algo que me fez refletir e muito após a leitura. Já disse várias vezes aqui que, algumas vezes, lemos um livro no momento certo. Quando terminei O Castelo das Águias, sua mensagem me tocou profundamente e, naquele mesmo dia, aconteceu uma situação comigo que me fez lembrar novamente dessa mensagem do livro. Amar é deixar livre, é dar espaço para o ser amado ser livre para ser quem quiser, pensar como quiser, amar quem desejar. É uma imagem bela e verdadeira. Quem não sabe ceder a liberdade infelizmente não sabe amar. Quem não sabe amar, não sabe viver. E isso é triste.

E aí? A Cuca recomenda? 

Com certeza! Para quem curte uma fantasia leve e adora ler sem ver o tempo passar, O Castelo das Águias é uma ótima pedida. E se você não gosta de séries, fique tranquilo: apesar do livro ser o primeiro de uma série, ele tem sim um final convincente e que fecha com o que foi proposto na obra, apesar de algumas pontas soltas que foram deixadas para os próximos livros. Além disso, a Ana mantém um blog, como eu já disse acima, no qual posta outros contos do universo de Athelgard e fala sobre seus personagens. Para visitá-lo, cliquem aqui. Em tempo, a autora também tem vários contos publicados separadamente pela Draco, em versão digital, bem baratinhos. Conheça-os clicando aqui. Se vou lê-los? Claro, e certamente vão estar aqui resenhados em breve.

Ficha Técnica

Título: O Castelo das Águias
Autor: Ana Lúcia Merege
Editora: Draco
Páginas: 192
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) / Amazon (e-book)
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Liége disse:

    Adorei a sua resenha, Karen! Ri alto aqui com o seu desabafo em relação ao Kieran! O meu personagem favorito de O Castelo das Águias foi a própria Anna, o jeito tranquilo, mas assertivo dela me conquistou. Então, o que eu mais gosto em relação ao Kieran é exatamente a relação dele com a Anna, o jeito que ela lida com ele, sabendo que ele tem defeitos, aceitando-os, e sendo ela mesma em uma relação que poderia se tornar complicada se ela não soubesse “se impor”, de certa forma. Mas ela faz isso tão naturalmente que os dois acabam combinando muito. Achei muito legal o que a Ana fez, foi original, foi bonito e foi real, palpável. Os dois são personagens muito bem construídos, e, no final, é isso que sempre me atrai em uma história, os personagens. E olha, não deve ser fácil para a Anna mesmo, hihihi, tenho um amigo que parece o Kieran no quesito mau humor e já rolaram altas rusgas.

    Mas eu também adoro o Doron!! Já falei isso para a Ana, e fiquei de cara com o Kieran na cena em que ele destrata o amigo! Mas também ri porque ele não está nem aí com a rabugice do Kieran XD.

    A mensagem do livro é muito bonita mesmo, e todo o mundo criado pela Ana é sensacional. Pensando bem, eu também gostaria que o livro tivesse mais páginas para aproveitar ainda mais Athelgard, mas o segundo livro está aí chegando para isso!! Eu também recomendo muito O Castelo das Águias!

  • Melissa de Sá disse:

    Eu não tinha pensado nesse lance dos professores. Realmente, é inusitado ter uma história do poonto dos mestres. :)

    Eu gosto muito da Anna também. Ela é uma personagem bastante diferente das que estamos acostumadas. Gosto do jeito que ela enfrenta o Kieran, mesmo tendo sentimentos fortes em relação a ele. E o relacionamento dos dois é tão tranquilo, tão sereno. Sem aqueles arroubos de paixão doida. Eu gostei porque como você falou, ninguém merece uma mocinha chuta bundas mas que depois fica toda idiota porque se apaixona por alguém.

    A cena final é mesmo linda e essa mensagem de amor e liberdade é tocante.

  • Michelle Agda disse:

    Adoro esses livros em que a história é narrada pela primeira pessoa. É como se a gente estivesse no lugar da personagem e vivendo tudo ali ao mesmo tempo…
    Adorei a recomendação desse livro, e estou curiosa para ler as resenhas das próximas edições :)

  • Ana Lúcia Merege disse:

    Muito obrigada pela resenha maravilhosa, Karen! E vocês também, comentaristas! Sempre brinco, dizendo que tenho apenas 7 leitores e meio, e quase a metade disso já está representada aqui. Mas cada uma de vocês vale por uma legião!

    Pois é, como já dissemos, há muito que explorar no universo de Athelgard a partir do blog, mas o livro novo está vindo por aí. Nesse o Doron não aparece, que pena! Mas fiquem tranquilas, que ele ainda vai aparecer bastante nessa saga. :)

  • ana paula ramos disse:

    fiquei interessada tbem… gosto de livros com magia e esses seres misticos, e gostei da personagem principal, ser uma heroina que é inteligente e tem as proprias opiniões. Pena que o Kieran não se assim tão legal como pessoa!
    Oque me interessou tbem é do livro fechar nesse primeiro já… ja falei aqui que não consigo começar uma serie, porque nunca termino, mas assim dá p tentar né!

    vou procurar ler!

    bjos

  • Ana Lúcia Merege disse:

    Bom, Ana Paula, o Kieran é o personagem mais querido pela maioria dos leitores, e tem alguns que não gostam da Anna por achá-la muito insegura e boazinha demais. Então, creio que cada pessoa tem uma opinião. Espero que venha mesmo a ler o livro e que se interesse pela série – se quiser saber mais sobre ela, é só visitar meu blog!

  • Lucas Grima disse:

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, nem da autora. A história é de um gênero fantástico, porém nunca vi algo parecido. Achei super original a ideia dela. Fiquei até curioso pra saber como tem toda essa história em apenas 192 páginas. Concordo quando você diz que um personagem bem construído, necessariamente ele precisa ser amável e aceitável. Um exemplo claro pra mim, é o Kishan da série “Maldição do Tigre” ele tem todos os defeitos, mais não posso negar a importância dele na história.

  • Caroline Centeno disse:

    Olha só! Fiquei impressionada agora (:
    Faz MUITO tempo que não leio um livro de aventura desprendido porque o último que terminei que é Lobos não choram tem aventura,mas é mais ligado com romance. Senti bastante esse peso.
    Agora estou procurando algo de aventura para instigar minha imaginação, sempre que isso acontece desenho uns rabiscos sobre o livro para me divertir e o Castelo das Águias parece estar me chamando para uma aventura.
    Sua resenha foi bem detalhada explicando os pontos do livro por isso fiquei curiosa para conhecer.Ainda que não queira me envolver com uma série porque tenho muitos para terminar,

  • camila rosa disse:

    Eu nunca tinha ouvido falar desse livro ele parece ser muito interessante eu gostei dele, tomara que eu venha a ter oportunidade de ler, amei a capa muito linda. Valeu a dica.
    Beijos

  • Jullyane Prado disse:

    Huuum, bem interessante o livro. A começar pela capa que é bonita e o título bem chamativo. Gostei da personagem Anna, eu concordo com você na parte de que quando uma mulher é durona, mas é só chegar um homem que ela se derrete toda, bem isso é realmente chato, agora quando ela é como Anna é bem legaal!!! Também gosto muito de livros que começa narrado tipo um pedaço do final pra depois ir pro inicio ( meio confuso né kkkkkk, tudo bem acho que deu pra entender o que eu quis dizer rsrsr). Então é isso gostei do livro!

  • A Cuca Recomenda: Expectativas Meu Amor é um Sobrevivente « Por Essas Páginas disse:

    […] antologia é organizada pela Ana Lúcia Merege – autora de O Castelo das Águias (resenha aqui) e organizadora/escritora da antologia Excalibur (resenha aqui) – e também pela […]

  • Lançamento: Meu Amor é um Sobrevivente | Eu, Papel e Palavras disse:

    […] antologia é organizada pela lindona da Ana Lúcia Merege – autora de O Castelo das Águias e também organizadora/escritora da antologia Excalibur – e também pela editora Janaína […]

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Adoro este tipo de romance fantasia. É tão lindo e cheio de charme. Tem um encantamento tão sublime que fico enlevada. Ansiosa pra ler este romance. Adorei conhecer esta linda história.

  • Ana Lúcia Merege disse:

    Muito obrigada pelo interesse de todos! Aproveito para dizer que sim, é uma série, mas a história desse livro 1 “fecha” direitinho, sem deixar interrogações – o próximo leva o leitor a uma nova etapa da vida do casal. Aliás, ele é narrado pelo Kieran, e saberemos de algumas coisas que a Anna não sabe ou ainda não teve tempo de perceber. É só esperar. :)

  • Andressa Nunes disse:

    Resenha muito boa, abordando pontos importantes do livro, despertando o interesse de quem lê.

  • Dâmaris Carvalho Lima disse:

    Adoro livros de fantasia, este me chamou muito minha atenção, fiquei curiosa em ler ele *.*
    Fiquei com uma dúvida, Anna de Bryke ela apenas narra a história ou ela também participa dela?

  • Karen disse:

    A Anna narra e também participa da história, Dâmaris! ;)
    Leia sim, o livro é muito bacana!

  • Nardonio disse:

    Eu gostei bastante dessa ideia de colocar os professores como os protagonistas, pois só assim, conseguimos nos livrar de alguns mimimis chatos adolescentes. Achei legal também colocar personagens mais humanos, cheias de qualidades e defeitos. Fiquei bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

  • Sandy Mayara disse:

    Simplesmente magnifico!!!! adorei, simplesmente necessito dele u-u eu preciso dele antes desse ano acabar pelo menos ehuhueheuh

  • Ana Paula Candido da Silva disse:

    Adoro romance , muito linda a história faz viajarmos como se fossemos o personagem

  • A Cuca Recomenda: Um Estranho Equinócio « Por Essas Páginas disse:

    […] ano passado, li o ótimo e encantador O Castelo das Águias, da autora Ana Lúcia Merege (conheça mais sobre ela na nossa página de autores parceiros). Esse […]

  • A Cuca Recomenda: Divulgação A Ilha dos Ossos, de Ana Lúcia Merege « Por Essas Páginas disse:

    […] falei da Ana na resenha de O Castelo das Águias e também na resenha do conto do mesmo universo chamado Um Estranho Equinócio. Ela é uma autora […]

  • Quinze autoras nacionais que você precisa conhecer « Por Essas Páginas disse:

    […] de fantasia, com vários livros e contos publicados. Ela é autora de O Castelo das Águias (resenha aqui), que saiu pela Editora Draco, um romance juvenil sensível e fantástico. Já tive a […]

  • A Cuca Recomenda: A Ilha dos Ossos « Por Essas Páginas disse:

    […] Ilha dos Ossos é a continuação de O Castelo das Águias, primeiro livro da série fantástica de Athelgard da competente autora Ana Lúcia Merege. Adquiri […]

  • Super Promoção e Concurso Cultural “O Castelo das Águias” « Por Essas Páginas disse:

    […] de mais uma grande promoção por aqui? Pois bem, a talentosa Ana Lúcia Merege, autora dos livros O Castelo das Águias e A Ilha dos Ossos (e mais um monte de coisa que você pode conferir aqui), convidou o Por Essas […]

  • Douglas Fernandes disse:

    Linda a capa, adorei! e a sinopse me atraiu tbm, adoro livros de magia, elfos, vou dar uma olhada la no blog da autora, pra ficar ligado em tudo.

  • LOURDES SILVA ROSA disse:

    AMEI A RESENHA QUERO MUITO LER O LIVRO

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Um romance encantador. Espero poder conferir tudo isso logo. Gostei muito do que li na resenha. Beijos.

  • Gizeli Regina Meister disse:

    Gostei muito da resenha, dos pontos identificados, logo entende-se que O Castelo das Águias apesar de ter uma trama simples, dialoga com diversos assuntos que vão muito além da pura fantasia.

  • Michely Reis disse:

    Oi Karen..não li o livro ainda mais amei a resenha..que legal eim o livro j´´a iniciar com uma batalha..inesperado viu!Amo livros com magias desperta uma sensação incrivel na gente de querer saber mais e mais,também gostei do livro retratar que mestres também aprendem e evoluem.Achei a Anna a minha cara acredita? uma garota calma ,que possue medos e de bom coração hahahaha’ amei quando o livro demonstrou que nem sempre a força é nossa melhor aliada,o mais importante..ta no uso da cabeça..da nossa inteligência..Own amei ainda mais o livro por ele ter um romance, mas nao gostei do Kieran aii homem grosseiro,teimoso e autoritário…Só ela mesma para aguentar..NINGUÉM MERECE!ainda bem que ela tem personalidade forte..aiim já amei o livro pela sua resenha..vontade louca de ler ele..eh infelizmente as vezes não damos espaço para quem a gente ama e acabamos perdendo o amor por sufocá-lo por isso devemos aprender a amar dando a liberdade necessária de sermos nós mesmos..
    Arrasou ..ameii viuu! beiiijoocas

  • Resultado: Super Promoção e Concurso Cultural “O Castelo das Águias” « Por Essas Páginas disse:

    […] aí para saber quem foram os sortudos que vão levar para essas os livros da Ana Lúcia Merege, O Castelo das Águias e A Ilha dos Ossos, além dos vários brindes fofos que ela sorteou por aqui no Por Essas […]

  • Resultado Super Promoção e Concurso Cultural “O Castelo das Águias” | Livros de Fantasia disse:

    […] por aí para saber quem foram os sortudos que vão levar para essas os livros da Ana Lúcia Merege, O Castelo das Águias e A Ilha dos Ossos, além dos vários brindes fofos que ela sorteou  no Por Essas Páginas e e […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem