Adaptação: Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Harry.Potter.e.o.Enigma.do.Principe.DVDRIP.Xvid.DubladoLorde Voldemort ameaça tanto o mundo dos trouxas quanto o mundo dos bruxos, e Hogwarts já não é o local seguro de outrora. Harry suspeita que o perigo esteja dentro do castelo, mas Dumbledore está mais preocupado em preparar o bruxo para a batalha final que se aproxima rapidamente. Juntos, eles trabalham para superar as defesas de Voldemort. Para isso, Dumbledore recruta o velho amigo e colega Professor Horácio Slughorn, um inocente bon vivant com bons contatos no mundo da magia, pois acredita que ele possui informações cruciais.

Fonte

Dois anos após o lançamento de Harry Potter e a Ordem da Fênix – o que eu considero um dos melhores filmes da série – David Yates voltou a assumir a direção na adaptação de Enigma do Príncipe. Embora muitos desejassem que Michael Goldenberg continuasse como roteirista ao lado de Yates, Steve Kloves – responsável pelos quatro primeiros filmes da série – voltou para desespero geral da nação.

ATENÇÃO: Esse post contém SPOILERS!!!

Halfblood-00069Em Enigma do Príncipe, nós temos um contraste interessante entre um tom mais macabro – com as partes do jovem Voldemort e a morte de Dumbledore – e um tom um tanto quanto mais leve, focando nos romances adolescentes (e em Harry bêbado com Felix Felicis). Adorei que logo no começo do filme nós vemos como a guerra no mundo bruxo afeta os trouxas, e embora não tenhamos tido a interação entre Fudge e o Primeiro-Ministro britânico, a cena da destruição da ponte compensou. Enigma deixou a trama política pra trás, não nos apresentando sequer o novo Ministro da Magia, e com isso perdendo a chance de incluir no filme uma das melhores frases: Dumbledore’s man through and through.

E quando eu falo em frases maravilhosas que foram deixadas de lado, não posso deixar de incluir o momento em queHalfblood-03549 Dumbledore diz que Harry não precisa se preocupar porque está com ele, e mais tarde faz uma referência a essa cena, dizendo que não está preocupado pois está com Harry. É uma conexão maravilhosa entre o começo e o final do livro que sempre me dá arrepios, e o que me deixa mais irritada é o fato das cenas em questão estarem no filme, mas sem suas frases chave. Isso também me deixa bosta da vida porque não temos as falas lindas que estão no livro, mas tempo para colocar uma analogia ridícula sobre Lily Evans ser um peixinho tem de sobra. Quero dizer, se fosse pra colocar alguma cena ridícula, que fizessem a criatura no estômago de Harry dançando o conga, porque além de ser canon, seria muito mais divertido. Ugh Kloves!

Jim Broadbent fez sua primeira aparição na série Harry Potter como Professor Slughorn, e os efeitos especiais da cena onde ele passa de sofá à pessoa ficaram ótimos! Vale a pena destacar a atuação de Hero Fiennes-Tiffin (sobrinho de Ralph Fiennes que interpreta Lord Voldemort) e Frank Dillane como o jovem Tom Riddle. Também estreando no universo Potter nós temos Hellen McCrory como Narcissa Malfoy, Freddie Stroma como Cormac McLaggen, e Jessie Cave como Lavender Brown, responsável por boa parte dos momentos cômicos desse filme. Ver a loja dos gêmeos Weasley no Beco Diagonal também me deixou com um sorriso enorme no rosto e bastante satisfeita com o resultado final, com tudo colorido e feliz. As cenas do quadribol também me surpreenderam positivamente, apesar de Hermione ter a força conseguir confundir McLaggen apenas sussurrando em suas mãos. Varinhas pra quê né gente, vamos fazer o Sr. Olivaras ir à falência.

Assim como no livro, o romance estava no ar em Enigma do Príncipe (vide o vídeo abaixo, que é um trailer feito porlav lav fãs de como seria EdP caso fosse uma comédia romântica). Romilda Vane apareceu pouco mas marcou presença com seus chocolates enfeitiçados, e Cormac querendo um relacionamento mais íntimo com Hermione rendeu algumas boas risadas. Mas foi com Ron e Lavender Brown que a casa caiu. Lavender é tão ridícula e Ron é tão sem noção que é impossível segurar as risadas quando os dois estão juntos, mesmo com Hermione triste. O relacionamento dos dois refletiu bem o que lemos no livro, e a falta de química entre eles funciona perfeitamente. Também não há muita química entre a Ginny de Bonnie Wright e o Harry de Radcliffe, o que é uma pena já que Harry e Ginny são um dos meus casais preferidos nas páginas. Infelizmente eles não funcionam muito bem aqui. Talvez isso seja culpa de quem decidiu que colocar Ginny para amarrar o tênis de Harry seria uma cena romântica ou talvez seja porque o primeiro beijo entre os dois tenha sido tão sem graça, não sei; mas confesso que fiquei mais empolgada quando Harry e Cho se beijaram em Ordem da Fênix do que com Harry e Ginny e isso é triste, muito triste.

Um dos pontos principais da história é Malfoy tentando achar uma maneira de trazer os Comensais da Morte para Hogwarts e a obsessão de Harry com ele. Eu me preocupei sobre como isso seria mostrado na tela porque é uma linha da história tão sutil, que acontece tão gradualmente a ponto da gente mal perceber, mas acho que o filme conseguiu passar um pouco desse sentimento com o passarinho. Ao invés de somente termos a visão do Harry sobre como Malfoy parece doente e como ele passa muito tempo dentro da Sala Precisa, nós visualizamos o momento em que isso acontece, nós vemos o lado vulnerável de Draco, suas tentativas frustradas e seu desespero crescente, culminando é claro, no momento em que ele não consegue cumprir sua missão no alto da torre.

Half-Blood-Prince-draco-malfoy-22905587-2100-1400

E aqui nós vamos para o momento em que Enigma do Príncipe começou o seu declínio para mim. Eu sei que funciona visualmente e que seria difícil fazer diferente, mas meu lado fã dos livros não permite que eu aceite como plausível o senhor Harry Potter parado ouvindo Dumbledore e Draco conversando casualmente sem tentar fazer nada. Harry é impulsivo, Grifinório, tem o costume de colocar sua vida em perigo pra salvar todo mundo, então essa cena beira o ridículo pra mim. E aí o Snape chega, – vejam bem, o Snape – manda o Harry ficar quieto e boom, Harry obedece, simples assim. Em qual mundo??

HP60016Talvez tenha sido pela cena da torre de astronomia (sim, eu guardo rancor), ou talvez tenha sido pela ausência de Snape gritando “NÃO ME CHAME DE COVARDE,” mas eu achei o final do filme bem abaixo do esperado, e não saí do cinema impressionada. No fim das contas, acho que se eu conseguisse separar meu “eu leitora” do meu “eu espectadora” eu teria ficado incrivelmente contente com a morte de Dumbledore, não por ela ter sido bem feita ou emotiva, mas sim porque ele estava um pé no saco nesse filme. Sério, eu quase desejei que ele estivesse ignorando Harry como no filme anterior ao invés de ficar fazendo perguntas e observações sobre a vida amorosa de Harry. Dumbledore, provavelmente a única pessoa no mundo que sabia como destruir o Lorde das Trevas, o cara que vivia pelo lema do Bem Maior, preocupado se Harry Potter estava interessado em Hermione Granger. É pra acabar.

Mas nada, absolutamente nada se compara ao momento em que eu percebi que Steve Kloves era novamente responsável pelo roteiro de um filme de Harry Potter. Considerando seu histórico, isso deveria ter acontecido bem antes, mas foi somente no final, na última cena que eu senti vontade de gritar de raiva. Isso porque Kloves tem a mania de excluir Ron, dando mais importância pra Hermione. Não me levem a mal, eu amo a Hermione, mas ela é uma personagem tão maravilhosa, tão cheia de vida e inteligência, que ela não precisa de um roteirista pra ajudá-la a ganhar espaço: Hermione chega e exige seu espaço porque é esse o tipo de personagem que ela é. Mas Ron não: ele é inseguro, completamente inseguro e detestado por partes do fandom que acreditavam que romance deveria ser a parte principal da série, e para eles Ron não tinha lugar ali. Por isso vê-lo no pano de fundo porque está “bravo” por Harry estar namorando Ginny, enquanto Harry e Hermione conversam sobre o futuro me deixa furiosa. E não, não é porque eu sou fã de Ron e Hermione como casal, é porque tanto Hermione quanto Ron são essenciais na vida de Harry, e os dois decidem ir atrás das horcruxes com Harry, os dois são igualmente importantes.

HP62-00089

Como um todo, esse não é um filme ruim; as fugas das páginas que vemos aqui nem se comparam com aquelas de Prisioneiro de Azkaban, que considero o pior filme da série. Deixando de lado alguns detalhes, é possível  relaxar e aproveitar a história. Eu gostaria de poder classificar esse filme com 3 estrelas e meia, mas sempre que eu termino de assistir a Enigma do Príncipe, sou tomada por uma vontade incontrolável de ler o livro. Não importa o motivo, um filme que me deixe com vontade de buscar as páginas merece quatro estrelas.

Ficha Técnica

Título: Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Direção: David Yates
Roteiro: Steve Kloves
Duração: 153 minutos
Ano: 2009
Distribuidora: Warner Bros
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

  1. hum, do ultimos filmes, este é oque menos assisti, e talvez o que “menos gostei” se é que posso dizer isso assim…
    lembrei da cena da loja dos irmãos Weasley, que como vc disse, não tem como não abrir um largo sorriso…… 😀
    A cenas da Romilda ficaram muito boas tbem, as caras do ronny são otimas!!! mas tbem não me convenci muito com o bjo da Gina e do Harry… ficou sem gracinha…..
    Mesmo não gostando muito do filme, na cena da morte de Dumbledore, eu choro, não tanto com a do Sirius, mas eu fiquei triste!! :'(

    bjooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.