Algum Livro Já Mudou Sua Vida?

Foi no inverno de 2004 quando resolvi pegar pela primeira vez um exemplar da série de livros Harry Potter. Ouvi falar no famoso bruxinho pela primeira vez em 2001, e aos 17 anos, me julgava “grande demais” para apreciar uma obra considerada infantil. Grande era apenas a minha arrogância, mas eu não sabia disso na época. Enquanto a série crescia e conquistava fãs por todo o mundo, eu não dava a menor importância a ela, e talvez não fosse realmente o momento certo para eu conhecer a maestria de J.K. Rowling. A oportunidade surgiu quando uma professora da universidade onde eu estudava fez amizade com Lia Wyler – tradutora da série no Brasil – e começou a planejar levá-la para a Semana de Letras dali a dois meses. Eu entrei em pânico pensando em como poderia conversar ou até mesmo entender o que ela teria para passar a nós, acadêmicos de Tradução ansiosos para um dia ocupar um lugar como o dela, se jamais havia lido ou estudado alguma de suas traduções. Fiz então a única coisa que me restava fazer: após um longo suspiro, me dirigi à biblioteca da universidade e peguei um exemplar bastante judiado de Harry Potter e a Pedra Filosofal.

O Sr. e a Sra. Dursley da rua dos Alfeneiros, nº 4, se orgulhavam de dizer que eram perfeitamente normais, muito bem, obrigado.

Ao ler a primeira frase do primeiro capítulo comecei a dissolver meu orgulho. A frase colocou um sorriso em meu rosto que não era visto já há algum tempo. E sendo assim, eu terminei Harry Potter e a Pedra Filosofal em menos de 24 horas após tê-lo pego na biblioteca. Uma semana depois, eu havia lido os cinco livros disponíveis até então, e estava irremediavelmente apaixonada pela série que tanto havia desprezado. Com essa paixão veio também a inclusão no fandom, que nada mais é do que um grupo de pessoas que dividem o mesmo interesse, nesse caso específico, Harry Potter.


Na fila durante o lançamento do sétimo livro.

Ao participar ativamente do fandom de Harry Potter através de fóruns de discussões, eu fiz diversos amigos (incluindo todas que postam aqui neste blog) que mantenho até hoje, comecei a escrever fanfics e expandi minhas aventuras literárias. Apesar do meu gosto por leitura ter se iniciado quando eu era pequena através de gibis do Tio Patinhas e Pato Donald que meus pais liam para mim, foi somente depois de Harry Potter que eu aprendi que não importa o tipo de leitura que se faça, mas sim que se continue lendo.


Exibição dos artefatos dos filmes em Boston

Alguns anos já se passaram desde que peguei aquele volume judiado de Pedra Filosofal pela primeira vez. Hoje a série está completa, eu já a li e reli mais vezes do que sou capaz de manter as contas, já ouvi todos os audiobooks e já fui a shows de Wizard Rock – bandas que cantam músicas baseadas no universo de J.K. Rowling. Já ri, já chorei, já pintei meu cabelo de rosa por causa da Tonks e já me vesti inteiramente de aluna da Lufa-Lufa. E é por isso que eu digo que Harry Potter teve um impacto muito grande em minha vida. Não por ter mudado radicalmente meus pensamentos ou me inspirado a ser uma pessoa melhor. Mas por ter me ensinado que não há problema algum em ser eu mesma, em gostar das coisas que eu gosto independente do que os outros achem disso, e principalmente por ter me mostrado que na vida existe sim algo pelo qual vale a pena lutarmos.

E vocês? Algum livro já teve um grande impacto em suas vidas? Compartilhem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Lany disse:

    ILY, EU TO CHORANDO AQUIII!
    Awww que post lindo e adorável!!!
    Bem, eu não preciso nem comentar que Harry Potter foi o livro que mudou a minha vida, né? Eu já tentei escrever várias vezes tudo o que Harry Potter significa para mim e por mais cliché que isso possa parecer, NÃO TEM COMO! Eu aprendi muito, tanto pela mensagem que o livro passa, quanto por todas as coisas que eu vivenciei por causa dessa série. Amigos que eu fiz na internet, filas para assistir os filmes, ansiedade quando um novo livro era lançado, teorias e mais teorias… Até o meu inglês melhorou, já que eu passei a ler os livros, e porque não, inúmeras fanfics em inglês! E eu posso ler quinhentos livros depois dele, que não adianta: Remus Lupin será sempre aquele personagem especial que ninguém consegue ocupar o seu lugar! E outra coisa: serei eternamente HUFFLEPUFF e pelo o que parece, não consigo perder a mania de selecionar os personagens de outros livros por casas de Hogwarts hahaha! (Peeta é da Hufflepuff e ninguém tira ele de lá!)
    Tem outras séries que apesar de não terem mudado a minha vida, são séries que eu tenho um carinho MUITO especial e que também são muito queridas: Diário da Princesa, Percy Jackson e os Olimpianos e Twilight. Aliás, existem séries da Meg que são melhores escritas do que Diário da Princesa, mas não adianta: o valor emocional que ela tem para mim é MUITO grande!
    Lindo post Ily!

  • Vania disse:

    ♡♡♡♡♡♡♡
    Eu também sempre caracterizo personagens de outros livros por casas de Hogwarts. E não só de livros, quem não se lembra de Sayid sendo Corvinal, Sawyer Sonserino e Jack tão Grifinório quanto Harry? É impossível resumir em apenas algumas palavras o impacto de Harry Potter na vida de quem não apenas leu, mas viveu essa série. É algo pra se carregar pra vida toda. Half-Blood Prince foi o primeiro livro que consegui ler inteiro em inglês, e como se esquecer da ansiedade pra Deathly Hallows? Das contagens regressivas, das inúmeras teorias, das esperas, e finalmente das lágrimas não apenas pelas mortes inesperadas mas pelo adeus que tivemos que dar a personagens que viraram amigos, a páginas que eram um consolo, uma fuga e um refúgio… como você disse, existem outros livros que eu gosto tanto quanto gosto de Harry Potter, mas nenhum – NENHUM – se compara a essa série pra mim justamente pelo valor emocional que ela traz consigo. Nenhum outro livro jamais trará esse sentimento.

  • Lany disse:

    Por isso que é tão difícil explicar para que nunca passou por isso. Harry Potter para mim não é só história, é também toda uma carga sentimental que vem junto. Se eu chorei no filme Deathly Hallows, não foi por causa do filme em si – e sim, por tudo o que eu sabia que ia acontecer ainda na parte 2 e por todas as lembranças que tal cena traz para mim. Por exemplo, no termo escrita “Hunger Games” é uma série EXCELENTE! Mas, nunca vai ser um Harry Potter para mim.
    Isso é um outro erro: muitas pessoas acham que um livro tem que ter o mesmo significado para todo mundo. Não tem e nunca vai ter. Ponto final. Por isso que eu acho muito chato quando uma pessoa tenta convencer a outra que uma série é melhor que a outra. Cada um tem a sua opinião!
    E isso também foi uma das coisas que eu aprendi com Harry Potter.

  • Mariana disse:

    *abraça a sis* Tudo que a Lany falou, eu assino embaixo (mesmo quanto ao Peeta, apesar de ainda não ter lido o livro, se a sis diz que Peeta é Lufa, eu acredito). XD

  • Lany disse:

    Mais um motivo para você ler Jogos Vorazes logo Mari: O Peeta é HUFFLEPUFF!XD

  • Vania disse:

    O Peeta é realmente MUITO Hufflepuff! Mesmo no último livro, quando um monte de merda acontece, de certa forma ele consegue manter a essência…

  • Lucy disse:

    Acho que o que tornou essa série especial foi que nós a conhecemos e a acompanhamos “until the very end”. Vimos Harry crescer, amadurecer, enfrentar todos os seus medos… Fez com que expandíssemos nosso mundinho, conhecer mais pessoas, seja na internet ou pessoalmente. Toda a muvuca com estreias de filmes e livros, fanfics… Valeu a pena e ninguém nos tira. ^^

  • Vania disse:

    Ninguém tira MESMO, Lu! Btw, quando você vem pra irmos ao parque? Tô louca pra saber do Muri como foi a viagem dele, e louca pra você vir logo pra podermos ir juntas!!

  • Lucy disse:

    Reserve as duas primeiras semanas de outubro. ;-)
    Vai demorar pq tenho que guardar dindim e começo de ano sempre é um gasto maior, principalmente quando tem o IPVA e o seguro pra pagar. u_u’

  • Mariana disse:

    *pausa para enxugar as lágrimas*
    Preciso mesmo dizer? Quando que eu teria ido pra São Paulo me encontrar com gente que até então eu só conhecia pela internet? Lembra daquele encontro do Resort? Ou até quando eu fui pra Campo Grande e alguém que eu não sei quem é me fez tirar fotos com a lixeira de onça?
    Outro dia o Murilo me listou como filha no Facebook. Ri até. HP me deu até uma nova família, com direito a pai, mãe e irmã. Existem coisas que HP me trouxe que nenhum outro livro vai conseguir fazer igual. Sim, digo sem dúvida nenhuma, ler Harry Potter mudou a minha vida.
    E sim, eu também classifico os personagens de outros livros pelas casas de Hogwarts. Morro de orgulho de dizer que sou Hufflepuff. Adoraria poder aparatar. Enfim, estive com Harry until the very end.

  • Lany disse:

    AHHH, eu ri muito quando eu recebi o e-mail falando que o Murilo me listou como irmã no facebook hahaha!

  • Vania disse:

    Não sei quem fui que te fez tirar foto com lixeira de onça hahaha! La la la la la la la…
    E sim, eu lembro do encontro do Resort em SP… foram muitos momentos bacanas que vão estar sempre com a gente… tipo, quem é Murilo? Pra mim ele é “amore” hahaha assim como vocês são minhas lufetes lindas!! Essas são coisas que vou contar pros meus filhos quando eu tiver lendo Harry Potter pra eles e entregando a carta de Hogwarts quando eles fizerem 11 anos hahaha

  • Melissa disse:

    *Eu classifico personagens de acordo com as casas de Hogwarts. Outro dia estava assistindo 24 Horas com o amore e toda hora eu falava “Mas essa Renee é Ginny Weasley demais pra mim…” “Affe, muito Harry… Por que ele simplesmente não dá o fora e deixa a bomba explodir?” “TINHA que ser Slytherin… Eu sabia!”
    *Passei os melhores momentos da minha vida na internet falando de HP
    *Melhorei minha escrita horrores
    *Aprendi inglês! ^^ E olha, hoje eu vivo disso! rs
    *Choro quando leio alguma referência a Harry Potter em outro livro (é brega, mas é verdade)
    *Releio um livro da série pelo menos uma vez por ano
    *Quando tudo na minha vida começa a dar errado, eu leio Harry Potter. SEMPRE faz com que eu me sinta melhor.
    *Fiz amigos inesquecíveis (amigos que eu espero ver em SP pra estréia final em Julho!!!!)
    *Me fez crescer (sim, eu me tornei adulta junto com o Harry. Piegas, mas verdade)

    É a melhor série para mim. Leio outros livros, reconheço seu valor. Até digo “Tecnicamente, livro X é o melhor livro de gênero tal” mas nunca, nunca, nada, absolutamente NADA vai substituir o valor que Harry Potter tem no meu coração. É o livro da minha vida, sem sombra de dúvida. E olha só, nem precisei viver mais de 70 anos pra descobrir… rs

    Ah, e eu amo vocês!!!!!!!!!!!!! *lágrima no olhos*

  • Vania disse:

    Aww Mel, eu também releio quando tudo dá errado… não sei se pra me lembrar o quanto é fácil pra mim sem um Voldemort querendo me matar ou se pra fugir da realidade mesmo haha. Mas quando leio HP eu entro completamente no mundo mesmo, é até estranho quando volto ou o telefone toca, surreal.

    “Livro da minha vida”. Gostei! E também te amo muito Melzocaaaaaa

  • Sabrina Inserra disse:

    Ily!!!!! Simplesmente amei seu post!!!
    Tão emocionante!!
    Eu acho que não tem como não ser marcado por Harry Potter… Eu me lembro como se fosse ontem da primeira vez que li o primeiro livro…
    Lembro de um dia que tinha acabado a luz em casa e eu estava bem na parte do quadribol. Resultado: li à luz de velas mesmo!!!
    Quando li “Fim” no final de As Relíquias da Morte bateu uma depressão imensa.
    Adorei!
    Beijos

  • Vania disse:

    Nossa, ler à luz de velas! Tu ganhou, Sabrina!

    Sobre o livro 7… nossa… eu lembro do vazio que senti quando terminei de ler, às 4:03 da manhã do dia 22/07. Eu nunca chorei tanto lendo um livro como nesse. Quando terminei, parecia que tinha perdido um amigo, fiquei de luto por uma semana haha, o livro encostado na estante por causa das mortes. Mas se me perguntavam se eu tinha gostado, eu dizia que tinha amado porque foi genial, foi demais, foi perfeito!

  • Loucuras que fiz por Harry « Viajando Sem Dinheiro disse:

    […] do fandom de Harry Potter. Como meus amigos mais próximos sabem, a história de Harry teve um impacto muito grande na minha vida, por diversos motivos que não vêm ao caso nesse […]

  • Taina disse:

    Sempre adoro ler todos os post, mas nos que mais me emocionam, não posso deixar de comentar. Li o 1º livro em 2001, quando eu tinha 8 anos, e desde então me apaixonei por leitura. Algumas das minhas melhores lembranças são ligadas a esse universo maravilhoso: quando ganhei o segundo livro em uma festa de Natal na casa dos meus tios (resultado, sai no meio da festa para ler, não podia esperar nem mais um minuto), lembranças de esperar chegar um livro novo pelo correio (morar em cidade pequena, sem livrarias decentes é muito frustante), ler pela madrugada escondida e o dia todo, só parando para comer. Eu consigo lembrar de como me senti em cada página do último livro, não conseguia acreditar que tinha acabado. Foram muitos amigos feitos, reais e fictícios, e muitas lágrimas derramadas. Uma parte de mim sempre vai ser aquela menina carregando um livro debaixo do braço para todos os lugares que ia. Harry Potter com certeza foi o livro que mudou a minha vida.

  • Vania disse:

    *abraça*

    Que lindo isso, Taina! Antes de começar a ler a série, eu tinha amigas que também faziam isso de sair no meio de uma festa pra ir ler, e eu juro que não entendia. Sempre amei ler, mas não entrava na minha cabeça isso que elas faziam. Taí mais uma coisa que Harry mudou pra mim…

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem