Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro – Primeiro final de semana

DSC04854

Olá,

Todo mundo já está sabendo que na última Quinta-feira começou a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro né? Eu estive presente no primeiro final de semana e estou aqui para contar um pouquinho para vocês sobre essa aventura! E já posso adiantar que teve de tudo nesses dois dias!

Nicholas Sparks e o tumulto na Bienal

Quando anunciaram os autores que iriam participar dessa edição, eu fiquei animada com dois: Nicholas Sparks e Matthew Quick. Eu comecei a ficar desanimada quando os dois foram colocados no mesmo dia e o caso ficou ainda pior quando eu descobri o número de senhas. Sabendo o tumulto que ia ficar, eu desisti dos dois. E na verdade a situação conseguiu ser pior do que eu imaginava.

Me programei para chegar um pouco depois das 10 horas – horário em que a Bienal iria abrir, porque eu não queria estar lá no momento em que todo mundo entrasse correndo. Eu fiquei sabendo do que aconteceu através de relatos de conhecidos. Os portões tiveram que ser abertos as 9:20, por causa da confusão que estava lá fora. Pessoas foram empurradas e pisoteadas e tiveram que ir para a enfermaria, o portão da Bienal foi quebrado, calçados foram deixados para trás… Foi realmente uma confusão imensa!

Por causa de todos esses problemas, Nicholas resolveu não fazer a sessão de bate-papo, ignorar as senhas e tentar atender todo mundo. Quando anunciaram isso no microfone e pediram calmamente para as pessoas se encaminharem para o auditório, o que aconteceu? Uma multidão saiu correndo e gritando – e quase me atropelaram no caminho (tive que ir correndo para o canto, antes que eu fosse pisoteada também). Em qualquer lugar da Bienal você poderia escutar gritos como “Nicholas, casa comigo!” mesmo bem longe de onde o autor estava.

Todos os autores no mesmo dia???

Não sei quem foi que fez essa programação, mas colocar vários autores famosos no mesmo dia não deu muito certo! Nesse dia tivemos a presença de Nicholas Sparks, Matthew Quick, Emily Giffin, Paula Pimenta (teve gente ficou 3 horas na fila dela), Thalita Rebouças, Maurício de Sousa… Resultado: eu acho que nesse sábado a Bienal teve o maior público de toda a feira. Sério, estava pior até mesmo do que os últimos finais de semana! Eram filas intermináveis em qualquer estande que tinham livros do Nicholas e da Emily. No começo da tarde não tinha mais como andar lá dentro. Os organizadores estavam completamente despreparados e a fila dos ingressos estava enorme até mesmo às cinco horas da tarde.

DSC04856

Apesar de tudo isso…

Apesar de toda essa confusão, com um pouco de paciência (que nem todo mundo tinha), deu para aproveitar bastante a feira! Cheguei e fui tentar pegar senha do Matthew (que obviamente já tinha acabado). Por isso, segui o meu roteiro de conhecer os escritores nacionais.

Logo quando cheguei no estande da Novo Conceito (que estava LINDO, eu amei os livros enormes decorando o estande), percebi que a Tammy Luciano estava lá! Fui correndo comprar “Claro que te amo!” e fiquei uns 40 minutos na fila para pagar (como eu disse, livros do Nicholas Sparks OI!). Ela foi super simpática e me perguntou se eu tinha lido o livro. Eu disse que não, mas que a Karen tinha a encontrado na Bienal e falei do blog. Ela começou a agradecer e a dizer a importância dos blogs para os autores. Depois tiramos fotos e ela autografou o meu livro, sempre com um enorme sorriso no rosto.

DSC04850

Depois fui atrás de promoções e fui conhecer os estandes. Todos muito lindos e alguns (como os da Record e os da Intrínseca) estavam lotadíssimos. Mas procurando consegui achar livros com preços muito bons! Eu só achei que comparado com as outras Bienais, não tinha tantos brindes quando você comprava os livros. O mais interessante era o da Farol que você comprava R$60,00 e ganhava uma ecobag (linda, aliás!).

DSC04871

Depois de andar muito e tentar almoçar, fui conhecer a Roberta Spindler, autora de Os contos de Meigan. A Karen leu o livro e falou tanto sobre ele  que eu aproveitei para comprar o livro e conhecer a autora! Logo quando cheguei me apresentei e já fui falando que a Karen a está esperando na Bienal do ano que vem em São Paulo, porque o livro dela não está autografado. Ficamos conversando um tempinho e fui embora sabendo que teria um livro maravilhoso na minha lista.

DSC04853

Nesse momento, eu já estava muito cansada. Era 15 horas e nós não conseguíamos mais andar pela Bienal. Nós tínhamos que seguir o fluxo porque estava tudo lotado. Até para achar lugar para sentar no chão estava difícil. Por isso, resolvemos ir para a próxima tarde de autógrafos, a da Carina Rissi, que seria às 17 horas. Por sorte achamos um lugar para sentar perto da sala de autógrafos no estande. Mas na verdade os autógrafos seriam em uma mesa dentro do estande. Uma pessoa da Record, super simpática, disse para a gente ir com calma e sem correria para o outro lugar. E como leitoras exemplares, nós fomos com toda a calma do mundo! E para a nossa alegria, a Carina começou a tarde de autógrafo bem mais cedo: às 16 horas. YAY! Eu estava muito animada, porque eu AMEI Perdida! E eu posso dizer que a Carina é muito simpática! Eu falei que fiquei até 2 horas da manhã lendo e ela me perguntou se era dia de semana (mas felizmente não era). Ela disse que fica muito feliz quando alguém diz que gostou muito do livro e que ela adorou saber que eu não conseguia parar a leitura.  Ela mesmo já fez isso várias vezes mas o ponto negativo é a cara de cansada e as olheiras no dia seguinte. Já até comecei a ler Procura-se um Marido!

DSC04888

Domingo… Um dia muito mais calmo

Cheguei cedo novamente no Domingo e a fila para entrar na Bienal estava muito mais organizada. Inclusive a fila para comprar ingressos estava muito menor. No dia anterior, eu fui pegar meus ingressos que eu comprei na internet e fiquei 40 minutos na fila. Isso porque era para ser mais rápido!

DSC04858

Entrei no pavilhão azul e estava quase sambando – só porque eu tinha espaço para fazer isso! Consegui tirar fotos e fomos nos estandes que a gente não tinha conseguido comprar livros por causa das filas quilométricas no dia anterior. Também consegui visitar o estande da Valentina (porque a multidão era tão grande no dia anterior que estava difícil chegar no pavilhão verde). Fiquei um tempinho lá conversando e eu posso dizer que, assim como nos e-mails, as pessoas que trabalham lá são muito simpáticas ao vivo! Adorei!E eles tinham os marcadores dos livros que ficaram LINDOS!

DSC04915

Fui no estande da Novo Conceito e quem estava lá? A Marina Carvalho, autora de Simplesmente Ana! Fui correndo comprar uma cópia (a minha eu emprestei pra Lucy) e reparem a diferença: não fiquei nem três minutos na fila para pagar. Quando entreguei meu livro para ela, ela perguntou se eu já tinha lido e eu falei da resenha. E ela se lembrou dela! Como eu tinha comentado sobre a música Bubbly, ela disse que gosta de separar algumas músicas para colocar enquanto escreve. E quando eu fui ler o autógrafo, eu percebi que ela colocou que eu sou fofa (palavra que eu tive que usar para descrever o seu livro na resenha)! Eu não descobri que sou uma princesa, mas com certeza esse foi um momento único!*-*

DSC04884

DSC04893

Procurando bastante dá para encontrar livros com descontos bem legais. Eu comprei mais do que o esperado porque comprei muitos para autografar. Essa é a minha pilha do primeiro dia, mas no segundo só comprei o “Simplesmente Ana”, os dois primeiros livros de “Fazendo o meu Filme” da Paula Pimenta e “O Andar do Bêbado”, do Leonard Mlodinow.

 livros

Resumindo… É isso! Eu vou também no próximo final de semana, então podem esperar mais posts sobre esse evento LINDO que é a Bienal!

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Karen disse:

    Que post incrível, Lany! Super honesto e detalhado.
    Concordo com você sobre a confusão do Sparks: é culpa da organização, sim! Mas é culpa também de gente sem paciência e sem educação que quer passar por cima de todo mundo. Que horror, gente. E são leitores, teoricamente. Leitores deveriam ter mais bom senso.
    Que lindas as fotos com as autoras nacionais! A Tammy é super super querida e simpática mesmo. A Roberta é um amor, tenho super vontade de conhecê-la, mas da Bienal de SP ela não me escapa! Deve ter sido mesmo emocionante conhecer a Marina e a Carina, você ficou tão empolgada lendo o livro das duas!
    Quero saber mais das suas aventuras na Bienal!

    [Reply]

    Lany Reply:

    Eu acho que as duas partes tiveram culpa. A organização estava completamente despreparada, mas as pessoas também ajudaram né? Tinha gente tentando furar fila de outros autógrafos, que estavam muito menores!
    Eu surteeei quando encontrei a Marina no estande da NC hahaha! E a Carina foi uma fofa! *-* Agora eu quero muito ler os livros da Tammy e da Roberta. Pena que a minha lista está enorme!

    [Reply]

  • Marcele Cambeses disse:

    eu levei CINCO HORAS pra chegar nessa bagaça. 3 delas só do Barra Shopping ao Rio Centro, que é relativamente perto, dentro de um busão sem ar, lotadíssimo e em pé. Os guardinhas só pioravam o trânsito parado. Foi HORRÍVEL. Pena que não te vi, Lany. Só digo que valeu porque conheci muitos autores nacionais legais e também encontrei alguns com quem já havia conversado antes na internet. De resto, poucos preços compensaram. Fiquei bolada porque, na pressa, não vi que uma certa editora que prometia descontos progressivos de 20% a cada livro comprado acabou não me dando desconto algum em nenhum deles… Enfim, dia de alguns altos memoráveis e muitooooos baixos igualmente marcantes.

    [Reply]

    Lany Reply:

    Para ir eu demorei o tempo normal. Eu moro longe e demorei umas duas horas. Agora para voltar que foi um desastre: demorei 4 horas!!!
    Esse negócio de desconto tem que sempre ficar atento, ainda mais naquela confusão que estava! As filas estavam imensas, dava medo!
    Pena que não te vi lá também!

    [Reply]

  • ana paula ramos disse:

    Nossa coitado do tio Nicholas, acho que ele não vai querer voltar mais para eventos aqui… srsrsrssr
    Eu nunca consigo ir na bienal, acho que ficaria falida com as promoções, e com os livros para autografos… mas era tudo oque queria!!!
    Gostei muito do post, ficou bem gostoso de ler e de saber como foi seu fim de semana!
    Esperando o proximo post da semana que vem 🙂

    bjos

    [Reply]

    Lany Reply:

    Muito obrigada pelo comentário!
    Eu gostei muito da atitude do Nicholas de ignorar as senhas e autografar de todo mundo que desse tempo! *-*

    [Reply]

  • Melissa de Sá disse:

    Nossa, Lany, que chato esse lance da organização, hein? Também acho que colocar estrelas nacionais no mesmo dia é uma loucura. O público é sim sem educação, mas o fato de as filas serem enormes não ajuda. Complicado, viu.

    Mas gostei do seu post honesto e das suas impressões. Eu gostaria muito de ter ido à Bienal, mas a grana tá apertada. Fica pro ano que vem. 🙂

    [Reply]

    Lany Reply:

    Eu acho que é uma união de duas coisas: desorganização da Bienal + público sem educação. Mas eu acho que a Bienal vai ter que começar a pensar um pouquinho nos próximos anos no fato que o Rio Centro pode ser grande, mas ele está ficando pequeno para o público. Dias de semana tudo bem, mas finais de semana? Fica difícil de colocar qualquer autor famoso!

    [Reply]

  • Jullyane Prado disse:

    uaaau Lany que demais e quantos livros vc comprou em?! rsrsr, bom fiquei morrendo de inveja porque eu moro tão longe e não para a bienal, HAHAHA. Mas que bom que vc compartilhou com a gente. Bom a Marina Carvalho parece ser super simpática eu adoraria conhecê-la. Aaaah e não posso deixar de falar do meu amado Nicholas Sparks, eu simplesmente amo os livros dele e eu aceitaria ser pisoteada só pra conseguir uns minutinhos com ele, HAHAHHA, já li quase todos os livros dele. Eu tbm estou louca pelo claro que te amo, e fiquei super curiosa com o livro quando vc voltar da Kristin, eu li Jardim de inverno e simplesmente AMEI. Bjoos

    [Reply]

    Lany Reply:

    Pois é, até eu me surpreendi com a quantidade de livros que eu comprei hahaha!
    A Marina Carvalho é uma fofa! *-*
    Eu já li vários livros do Nicholas Sparks, mas eu tenho muito medo de multidões hahaha!
    Agora estou lendo Jardim de Inverno! Logo logo vai ter resenha aqui no blog! ^.~

    [Reply]

  • Lucas Grima disse:

    Sinto uma inveja boa de você por ter ido. Porque eu não fui por conta na minha burrice. A minha faculdade no final de agosto foi para o Rio de Janeiro participar de um evento na UFRJ. Até hoje eu me pergunto: “porque eu não fui?” Fiquei louco quando vi alguns blogs que eu sigo postar as imagens das promoções, dos standes e da galera que conseguiu pegar autógrafo. Quanto ao mal comportamento da multidão, isso é um pouco triste, afinal é um evento de pessoas cultas. hahaha Aqui onde eu moro, só teve (Bienal)duas vezes.

    [Reply]

    Lany Reply:

    Que pena! Mas tenho certeza que outras oportunidades surgirão!
    Pois é, o comportamento da multidão realmente não foi nada legal…

    [Reply]

  • Vania disse:

    Argh eu odeio eventos assim!!! Acaba sendo uma experiência desagradável, e que se eu passasse por isso, dificilmente voltaria numa edição posterior… se o local já não comporta mais tantas pessoas, deveria haver um número limitado de ingressos, assim como fazem com a SDCC, até mesmo por causa da segurança do público… Mas fico feliz por você ter aproveitado mesmo assim, Lany, e ter conhecido autoras nacionais. Invejinha branca de você hahahaha. E vergonha alheia do povo gritando pro Nicholas Sparks hahaha *insira piadinha de Dash & Lily’s Book of Dares aqui*

    [Reply]

  • Bienal Internacional do livro do Rio de Janeiro – Segundo final de semana « Por Essas Páginas disse:

    […] passada eu contei um pouquinho aqui como foram as minhas aventuras no primeiro final de semana na Bienal. Hoje eu vou mostrar um […]

  • Michelle Agda disse:

    Como eu queria ir na Bienal só pra ter conhecido pessoalmente o Nicholas Sparks 🙁 É uma pena ter sido no Rio, e não em São Paulo…

    [Reply]

  • A Cuca Recomenda em resenha dupla: Claro que te amo! « Por Essas Páginas disse:

    […] da nossa parceria com a Editora Novo Conceito, enquanto a Lany adquiriu seu exemplar autografado lá na Bienal. Da autora, já tinha lido seu outro livro pela Novo Conceito: Garota Replay (resenha aqui) e […]

  • Por Essas Páginas na Bienal do Livro de São Paulo « Por Essas Páginas disse:

    […] nessa sexta, dia 22, e nós já estaremos lá nesse dia! Nas edições anteriores (2012, em Sampa, 2013 no Rio) nós fomos separadas, a Lucy e a Karen em SP, a Lany no RJ, mas dessa vez estaremos tod@s junt@s! […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem