Bloodlines Read-Along – Capítulos 9-12

Boooooom dia pessoal!! Todos prontos pra começar nosso terceiro dia do Bloodlines Read-Along? Então vamos lá, peguem seus livros e suas xícaras de café, e não se esqueçam de participar dos comentários se quiserem ganhar uma cópia de Laços de Sangue (em português) + uma cópia de The Fiery Heart (em inglês) no final do Read-Along! Lembrando que os meus comentários estarão em roxo, e os da Lany em vermelho, e que vocês podem conferir os capítulos anteriores aqui.

bloodlines1

Capítulo 9

Semana passada nós paramos quando Sydney percebe que tá rolando um sentimento entre Jill e Micah, e como ela é super pró-ativa, decide tentar resolver o problema sozinha. Por “resolver o problema” eu quero dizer procurar a pessoa que mais parece ter influência sobre a Jill: Adrian Ivashkov. É engraçado que quando ela está dirigindo para a casa de Clarence, ela tenta se convencer de que não precisa se preocupar, porque:

Adrian… well, Adrian was pretty much the least scary vampire I’d ever met.

Além de ela não achar que o Adrian é assustador, Sydney ainda diz que ela sentia que poderia relaxar perto dele. Sim, Sydney Sage, que mal conseguia ficar na mesma sala que Rose, está dizendo que conseguia se sentir confortável perto de um vampiro. Esse é aquele momento em que você para e marca o quote!

“You understand why it’s important, right? No Moroi and human dating?
He was watching the table, not me.
“Yup, I’m with you there, Sage.”

A vontade de ajudar a vida romântica da Jill é tanta, que quando Lee aparece ela acaba contando o problema pra ele também. E ele, um perfeito cavalheiro (coffcoff), se oferece pra sair com Jill para que ela não se sinta isolada. Sydney acha normal, mas Adrian quase tem um ataque do coração, xingando Lee e garantindo a Sydney que ela não tem experiência suficiente para entender, até mesmo perguntando pra ela quando foi a última vez que ela saiu com algum cara. Ouch!

O interessante dessa parte também é que o Adrian fica todo interessado nas garotas Moroi, mas quando o Lee fala em sair com a Jill, ele fica todo protetor! Adoro quando podemos conhecer esse lado mais responsável do Adrian.

O capítulo prossegue com Keith aparecendo na casa de Clarence e novamente acusando Sydney de ser uma “vamp lover.” Ela explicou a situação do interesse de Micah por Jill, e sobre o sol estar fazendo mal a ela durante a aula de educação física. Keith, sendo o babaca que é, se recusou a ajudar. Adrian vê a cena, e agradece a Sydney por tentar cuidar da Jill. É um momento bem bacana entre os dois. 

“Thanks for looking out for her, Sage. You’re okay. For a human.”

Esse é aquele momento tenso em que você completa esse quote com um “But I can say you’re okay for an irrevent party boy with occasional moments of brilliance” sem procurar no livro. Por favor, não me perguntem quantas vezes eu reli Bloodlines.

Quando Sydney chega de volta à escola, Jill a confronta, já sabendo de tudo que aconteceu, e furiosa por ela não ter sequer tentado conversar com Jill antes de sair envolvendo outras pessoas. 

“As I drove away, I decided the Alchemists needed an entire department devoted to handling Adrian Ivashkov.”

E em várias partes desse capítulo a Sydney tenta analisar a personalidade do Adrian, quem verdadeiramente ele é. Enquanto a Rose quase nunca havia se importado em fazer isso.

Capítulo 10

Sydney recebe sua primeira tarefa como assistente da Sra. Terwilliger: buscar café no Spencer’s, e depois digitar o conteúdo de um livro muito antigo no computador. Sydney encontra suas colegas Kristin e Julia na biblioteca, e finalmente descobre um pouco mais sobre as famosas tatuagens que todos os alunos de Amberwood querem ter. Elas são feitas em um lugar chamado Nevermore e aparentemente têm drogas ou esteróides nelas, capazes de dar um barato legal nos alunos ou aumentar suas habilidades esportivas, dependendo do tipo de tatuagem que se faz. Sydney também descobre que Trey tem um sol tatuado nas costas, mas que não é nada especial. 

Durante a madrugada, Sydney acorda com Jill soluçando de tanto chorar. Apesar de sua ineptude social, Sydney consegue perceber a raiz do problema, embora não soubesse exatamente o que estava acontecendo:

This was sorrow. This was from the heart.

Como eu já havia lido Vampire Academy, foi fácil – e até um pouco decepcionante – entender mais ou menos o que estava acontecendo. As pistas que Richelle deixou até aqui foram bem consistentes. Mas se você não leu a primeira série, não se preocupe que logo logo a gente – e a Sydney – vai entender exatamente o que está acontecendo com Jill. 

Capítulo 11

As intenções de Micah com relação à Jill continuam bem claras nesse capítulo, e apesar de Sydney querer dar um chega pra lá nele, ela não consegue. Enquanto isso, é dia da Jill beber sangue, então Sydney leva todo mundo pra casa do Clarence, onde Keith aparece inesperadamente sendo super amigável. Ninguém acha isso estranho, a não ser Sydney e Adrian. Eu adoro essa parte porque mostra que apesar deles serem de mundos completamente diferentes, com crenças e costumes distintos, eles concordam em alguma coisa e notam algo que ninguém mais parece perceber: que Keith é um idiota. E ele age como tal quando Sydney resolve contar a ele sobre suas suspeitas das tatuagens especiais serem feitas com uma imitação dos métodos dos Alquimistas, pedindo que ela não o faça passar vergonha. Pra piorar as coisas, quando Jill conta sobre suas aulas de educação física, Keith fica bravo com Sydney por não ter dito a ele que as coisas estavam tão ruins assim. Sydney logo reconheceu o seu plano: ele estava tentando fazer com que os Alquimistas a tirassem de Palm Springs, porque desde o começo – por algum motivo – ele não a queria lá.

Across the room, Adrian caught my eye again. He knew. He’d been eavesdropping when I talked to Keith in the driveway. Adrian started to speak, and I knew he was going to call Keith out on his lie. It was gallant but not what I wanted. I would deal with Keith myself.

Apesar de Adrian ter entendido e respeitado a vontade de Sydney de  que ele não interferisse no seu problema com Keith, nosso Moroi preferido não resistiu a uma pequena piada quando Clarence ofereceu a eles uma taça de vinho tinto. Peço desculpas por não falar mais sobre a cena, mas é uma das minhas preferidas e qualquer coisa que eu fosse dizer não faria jus:

Keith was just bringing the glass to his lips when Adrian said, “Mmm. O positive, my favorite.”
Keith sprayed out the wine he’d just drunk and promptly started coughing. I was relieved that none got on me. Jill burst into giggles, and Clarence stared at his glass wonderingly.
“Is it? I thought it was a cabernet sauvignon.”
“So it is,” said Adrian, straight-faced. My mistake.”

Bem, eu adoro todo esse capítulo e a Vania já mencionou vários pontos que eu queria comentar! Eu só gostaria de acrescentar que o que eu acho lindo em toda essa parte é que Sydney e Adrian já estão agindo como um time. Eles conseguem se entender só com olhares e eles ainda nem se conhecem tão bem assim! Eles tem uma sintonia muito grande, mesmo sem perceberem… 

Capítulo 12

Esse capítulo começa com a turma toda sans Keith indo jogar mini-golfe, e já demonstrando mais uma vez a cara de pau de Adrian, por ter discutido com Sydney quando ela o avisou que seu carro não deveria ser infestado pelo cheiro de cigarros. Ao contrário da situação com o vôlei, dessa vez a destreza de Sydney no mini golfe tinha pelo menos uma explicação: ela usou cálculos matemáticos pra entender o peso do taco e o formato do campo, e por isso se saiu bem. 

A cara de pau do Adrian não tem limites, como aprenderemos durante toda a série. Mas sabe o que é mais interessante nisso tudo? Mesmo ele sendo tão cara de pau, eu não consigo ficar com raiva dele!

A situação mais interessante do capítulo acontece quando Jill vê uma cachoeira artificial no campo, e imediatamente corre para manipular a água. (Em tempo para quem não leu Vampire Academy: os Morois possuem a habilidade de controlar elementos: água, ar, fogo, e terra. Um elemento raro e pouco conhecido também entra nesse grupo: espírito. Jill é usuária de água, enquanto Adrian batalha com espírito). (Uma curiosidade: em um dos livros de Vampire Academy é dito que a Jill manipula o ar. Esse foi um “erro” que até a Richelle assumiu depois!). Sydney entra em pânico ao ver Jill controlando a água da cachoeira, pensando em como ela não podia se esquecer de que esse uso de mágica era uma das coisas que tornava os vampiros seres das trevas. Apesar dos pedidos incessantes de Sydney para que ela parasse, Jill a ignora, contente demais para prestar atenção em qualquer outra coisa além da água, e Lee. Somente Adrian percebeu o que havia acontecido realmente, o quanto a magia de Jill havia afetado Sydney, e apenas quando ele pediu foi que Jill parou o que estava fazendo. 

Only Adrian paid any attention to me. He was the only one who really understood what had happened, I realized. His green eyes studied me, with no trace of their usual bitter humor.

Essa cena nos mostra um lado diferente do Adrian, um que talvez seja até um pouco clichê. Por trás de sua superficialidade, de sua fama merecida de party boy, Adrian realmente se importa com as pessoas. E o laço que ele tem com a Jill… bem, digamos que ele gosta muito dela, e o fato da Sydney estar tentando tornar a vida da Jailbait um pouco melhor significa muito pra ele. Por isso eu não vejo essa preocupação que ele demonstra aqui como um sinal romântico, mas sim como Adrian começando a prestar atenção na Sydney e achar suas ações intrigantes.

Concordo totalmente: nesse momento ele ainda não pensa “romanticamente” na Sydney. Eles tem uma sintonia bastante interessante (como eu disse anteriormente), mas eles ainda estão se conhecendo.

O capítulo termina com Sydney lavando os braços para tirar a mancha invisível por ter sido tocada pelas gotas d’água quando a Jill manipulava a água da cachoeira, e nos deixa curiosos para saber o que os dias seguintes em Palm Springs reservam para nossa querida Alquimista.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Lucas Grima disse:

    Nossa meninas, toda vez que eu leio essas resenhas dos capítulos de Bloodlines, fico com vontade de começar logo ao invés de terminar VA. É mil vezes melhor. Tô xonadim na Sydney.

  • Vania disse:

    Lucas, pegue logo esse livro menino. Daqui a pouco você vai saber a história toda antes de ler porque nós não seguramos spoilers aqui… E sim, eu concordo contigo: a Sydney é maravilhosa!! Eu amo amo amo ela demais também!!

  • Michelle Agda disse:

    Uau! Quanta coisa legal está acontecendo a cada capítulo… estou curiosa para saber mais e mais! Achei o Sydney um docinho de coco :3

  • Vania disse:

    Oi Michelle,

    Obrigada pelo comentário. Realmente a Sydney é uma gracinha de menina, a gente adora ela! Não deixe de ler o livro se puder, é bem mais legal acompanhar o read-along quando a gente entende melhor a história!

    Abraços!

  • Bloodlines Read-Along « Por Essas Páginas disse:

    […] – Capítulos 1-4 08/09 – Capítulos 5-8 14/09 – Capítulos 9-12 15/09 – Capítulos 13-16 21/09 – Capítulos 17-20 22/09 – Capítulos 21-24 […]

  • Jullyane Prado disse:

    A cada vez é fico mais curiosa por cada capitulo e nossa é tão bom quando se tem um homem misterioso como o Adrian que possui uma personalidade um pouco difícil de decifrar!! srsrs e o mais legal é quando ele se mostra preocupado com Jill, sem dizer quando ele faz a piadinha!! Huuuum!! Esse Adrian!!!!!!!

  • Vania disse:

    Oi Julyanne,

    Pois é, com o Adrian a gente tem que parar e pensar um pouco nas atitudes que ele toma e no que o leva a agir da maneira que age, mas tudo tem um motivo. A preocupação dele com a Jill é tocante em alguns momentos, acho que nos próximos capítulos isso fica um pouco mais claro…

    Abraços!

  • ana paula ramos disse:

    Estou gostando tbem e ainda interessada nesse inicio da serie, vamos conhecendo um pouco mais os personagens, e vendo como eles agem. Mas ainda acho que eu iria gostar mais se eu ler o VA. É tão legal qdo vcs falam que iriamos entender se estivesse lido.. eu gosto disso.
    A Sydnei é teimosinha e mimada? ou foi só minha impressão?
    Adoro personagens cara de pau como o Adrian… e estou gostando desse inicio de romance…….

    bjos

  • Vania disse:

    Oi Ana Paula,

    Eu não sei se ler VA faria você gostar mais de Bloodlines… faria você entender certas coisas um pouco melhor (tipo a relação entre a Jill e o Adrian, todo o lance entre o Adrian e a Rose) mas é tudo bem explicadinho aqui também, todas as informações essenciais estão aqui. Eu sou suspeita pra falar porque nunca gostei muito de VA embora tenha acompanhado a série inteira.

    Olha, acho que é impressão sua… de mimada a Sydney não tem absolutamente nada, ela está acostumada a fazer tudo sozinha, a cuidar de todos os detalhes, a ir além do que é obrigação dela. Quando à teimosia… eu diria que ela é obstinada, não teimosa. Ela sempre tem um motivo pra fazer tudo o que faz, nada é por capricho. E o romance… acho que aqui ainda estamos somente na amizade. Eles estão se conhecendo, aprendendo a passar por cima de séculos de preconceito.

    Abraços!

  • ana paula ramos disse:

    péra, rsrss
    eu havia achado a JILL teimosinha e mimada, rsrsrs (errei o nome) pela cena da cachoeira, que ela ignora a sidney…….
    é mesmo ou lendo o livro não é bem assim???? =D

  • Vania disse:

    Olha… acho que às vezes a Jill pode ser sim… muitas vezes eu lia algumas partes e pensava “UGH Jill” mas aí eu me lembrava de alguns detalhes… ela tem só 15 anos, do NADA descobriu que era irmã ilegítima da Rainha dos Morois (que por sinal não vai com a cara dela), sua vida vira de pernas pro ar, ela morre, volta à vida e tem um laço que permite que ela tenha acesso à mente de um dos vampiros mais intensos que conhece, e tem que se afastar da sua família e amigos pra se esconder de um grupo de assassinos que querem matá-la (novamente). Sei lá, acho que ela tem direito a ser um pouco mimada e teimosa e rebelde hahaha mas num geral, mesmo que ela aja dessa forma vez ou outra, ela é bem cabeça feita e generosa pra idade que tem e por tudo que passou…

  • ana paula ramos disse:

    =D obrigada pelas informações, vendo por esse lado, vou pensar nela com outros olhos…. bjos

  • REBECCA DE SALLES NEWBOLD disse:

    É verdade o que a Vania falou, deve ser uma barra pra Jill segurar tanta força e gênio depois de passar por tanta coisa. Temos que saber relevar esses momentos dela. Beijos.

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Realmente as vezes achei que a Jill era muito má e sem coração, mas vendo pelo ponto de vista que a Vania falou, ela até que tem razão. Acho que ela poderia canalizar todo esse poder pra fazer algo mais grandioso e pro bem dela. Quem sabe mais pra frente ela melhore. Adorando conhecer e ler essas resenhas. Beijos.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem