Bloodlines Read-Along – The Golden Lily: Capítulos 1-4

E depois de todas as emoções do final de Bloodlines (sim, aquela última frase me deixou desesperada querendo o próximo livo), hoje nós iremos começar a discutir The Golden Lily, meu segundo livro favorito na série até agora!

Lembrando que esse post contém todos os spoilers possíveis da série Bloodlines (e também do final de Vampire Academy, a série anterior) e que vocês podem acompanhar o nosso calendário aqui. Os meus comentários estão em vermelho e os da Vania em roxo!

golden_lily_read_along

Dedicatória

For my beautiful son, who was born the day I finished this.

Awww! Você nasceu na hora certa hein?

Capítulo 1

Na primeira cena de Bloodlines, Sydney acorda e acredita que está prestes a viver o seu maior pesadelo: ser levada para o Centro de Re-educação. No primeiro capítulo de The Golden Lily, Sydney descobre um pouco mais o que esse Centro pode fazer com uma pessoa.

Sydney é chamada em um dos centro dos Alquimistas para discutir a sua missão em Palm Springs.  Ela quase deixa o café cair quando Tom Darnell entra na sala. Pelo sobrenome já podemos perceber que ele é o pai do Keith, Alquimista que estava envolvido com as tatuagens celestiais em Bloodlines.  Sydney acha que Tom deveria estar com raiva dela e que ele deveria fazer várias acusações. Mas a reação dele é oposta: ele acredita que o que a Sydney fez foi muito corajoso. 

Eles entram em uma sala com outros Alquimistas. Em uma das paredes tinha uma janela, que dava para outra sala e Keith Darnell estava lá. Ele não conseguia saber quem estava do lado de fora, mas ele estava batendo no vidro e implorando para que o tirassem de lá.

“Please, I’m serious! Whatever you want. I’ll do anything. I’ll say anything. I’ll believe anything. Just please don’t send me back there!”

E então nós temos a certeza de que Keith está em um dos centros de Re-educação. Os Alquimistas falam que eles estão fazendo um favor ao Keith. Sydney sabe que Keith seria uma das últimas pessoas que ficaria amigo de vampiros (ele só estava no esquema por causa de dinheiro) mas se alguém poderia ser acusado disso, era ela. Mas os Alquimistas? Eles começam a falar como que ela consegue trabalhar com os vampiros e continuar sendo objetiva. E considerando a experiência que ela teve com Keith, eles querem que ela faça um depoimento para que eles possam decidir se ele volta ou não para a Re-educação.

Mesmo Sydney odiando Keith pelo o que ele fez com a Carly, sua irmã, e em Palm Springs, Sydney acha que ele não deve receber esse tipo de punição. E por isso ela fala a verdade: ele é corrupto, imoral, mas ele não é amigo de vampiros. E o pai dele? Fica aliviado. Aparentemente é melhor você ser um criminoso do que gostar de vampiros. Eu também não gosto dele mas confesso: assim como Sydney, fiquei com uma pouco de pena sim. Principalmente quando ele fala “que vai acreditar em qualquer coisa”. Ele merecia um outro tipo de punição. Aqui a gente consegue ver de perto a lógica perturbada dos Alquimistas. Dá até um nó no estômago, especialmente quando pensamos que a rehab é o que Sydney eventualmente encontrará. 

E a Sydney durante esse capítulo se questiona várias vezes “Mas quem são realmente os monstros nessa história toda?”. Espero que até o final desse livro você tenha a resposta Sage… Eu acho interessante que ela fica muito dividida entre seus dois lados: o religioso e o científico. Ela sempre acreditou que vampiros são seres das trevas e tem um terror anormal do sobrenatural, mas ao mesmo tempo sente um desejo incrível de tentar explicar o que não pode ser explicado.

Quando Sydney sai da sala, ela chega a conclusão que essa viagem foi também para que ela soubesse do destino de Keith.  Claramente os Alquimistas, mesmo a elogiando, já estavam fazendo uma ameaça ou ao menos estavam voltando a amedrontá-la. A ficha da Sydney poderia não estar completamente negra, mas certamente ela tinha vários tons de cinza… cinza que nem as paredes da rehab, todas de concreto. Uma frase que me dá arrepios é quando os Alquimistas a elogiam, dizendo que a dedicação dela não passou despercebida pelos seus superiores. Com isso eu sempre me pergunto: quais outras atitudes da Sydney não passaram batido?

Sydney passa por uma porta e fica curiosa. Zeke, o Alquimista que a estava acompanhando, a convida para entrar. A sala era um tipo de terapia de luz. A esperança era de que as pessoas que ali estivessem se tornassem mais humanas, ou pelo menos fizessem com que elas parassem de pensar que eram Strigois. Sydney fica chocada, sem saber o que falar. Ela é lembrada então da função dos Alquimistas: esconder o mundo sobrenatural para que os humanos não caíssem na tentação e quisessem a vida eterna.

Quando Sydney encontra Tom novamente, ela tem uma dura notícia: Keith vai voltar para a Re-educação e eles só vão reduzir um pouco o tempo (se é que nós podemos acreditar nisso). Ou seja: a viagem da Sydney realmente não adiantou muita coisa.

“Jill, Adrian, Eddie and even Angeline… frustrating at times, but in the end, they were people I’d grown to know and care about. Despite all the running around they made me do, I’d missed that motley group almost the instant I left California. Something inside me seemed empty when they weren’t around”

Sydney começa novamente a pensar na sua situação. E ela começa a ficar preocupada. Ela estaria misturando trabalho com amizade? Se Keith por muito menos foi para a Re-educação, e ela?

Resumindo esse capítulo: eu sempre fico com um sentimento ruim quando eu o leio. Por quê? Eu fico imaginando a Sydney na Re-educação. E esse não é um pensamento feliz. É aquele tipo de pensamento que dá vontade de você sentar em um cantinho e chorar.

Capítulo 2

Sydney fica realmente com medo depois de tudo o que presencia no prédio dos Alquimistas. Ela fica até temerosa em checar os e-mails porque será que eles eram profissionais? Ou eram muito amigáveis? Uma mensagem era da Jill, sobre a Angeline… A outra era da Angeline, que adora passar correntes e vírus… E o último e-mail, de quem era?

ADRIAN IVASHKOV!

E é claro que a Sydney não tinha aberto nenhuma das outras mensagens, mas ela abre a do Adrian mesmo sabendo que essa seria a menos profissional, já que ele não era responsabilidade dela. Eu não consigo descrever o e-mail porque eu caio na gargalhada todas as vezes que eu leio! Mas resumindo, ele escreve como se tivesse em um cativeiro e conta sobre o quanto que está sofrendo (principalmente por causa da Sonya e do Dimitri). Eles estão tendo que conviver bastante porque eles estão tentando descobrir por que um ex-Strigoi não consegue se tornar um Strigoi novamente.

Sydney quase deleta a mensagem, mas Adrian havia assinado a mensagem com uma referência a obra Les Miserables, do Victor Hugo (vale dizer que isso foi antes do filme ser lançado, então Les Mis não era mainstream como é agora). Como o livro era enorme, e Adrian não consegue fixar a sua atenção por muito tempo em uma mesma coisa, Sydney fica curiosa. A voz Alquimista dizia “Esqueça. É irrelevante.” Mas Sydney tinha que saber e com  isso ela envia uma mensagem. Ele responde na hora (e é claro que ele tinha lido um resumo). Mesmo essa sendo uma conta pessoal, Sydney fica com medo e deleta a mensagem (Rastros, rastros e mais rastros!). O bonitinho nessa cena é que mesmo longe, o Adrian consegue fazer a Sydney rir.

Dimitri é o responsável por pegar Sydney no aeroporto (e agora é a hora de confessar: eu ainda fico meio awww sempre que ele aparece). Sydney então descobre que eles não vão fazer nenhum experimento naquele dia, porque o Eddie estava ocupado com outra coisa. Mal ela sabia que ele estava comprando roupas para Angeline, já que ela estava arrumando confusões na escola por elas serem curtas demais! Estava tão quente que ela pegou duas calças e cortou com uma faca (HÁ) para fazer os shorts. Vocês já imaginaram como que eles não devem ter ficado, né? E a Sydney começa a mostrar o seu lado mais “engraçado”, dizendo que ela tem um gato em Utah que é mais responsável do que a Angeline.

Quando Sydney vai esperar Eddie voltar com as compras, ela encontra Trey. E ele faz uma pergunta surpreendente:

“Hey, are you dating anyone?”

Sydney já acha que ele estava a chamando para sair e começa a ficar desesperada! Trey então diz que ele conhece o rapaz perfeito para ela e que ele é a alma gêmea dela (tem olhos verdes?). Ela dá uma resposta altamente lógica mas ao mesmo tempo ela se questiona sobre a veracidade da informação.

“I don’t believe in soul mates,” I said. “It’s statistically unreasonable that there’s only one ideal person for anyone in the world.” And yet, for half a moment, I wished it was kind of possible. It’d be nice to have someone who understood some of the things that went on in my head”

Então Trey diz que a pessoa não é uma alma gêmea, mas alguém com que ela pudesse sair. Sydney diz que não tem tempo, mas Trey insiste, dizendo que ele trabalha na Spencer’s (uma loja que vende café) e que um dia desses ele estava falando sobre a diferença entre respiração aeróbica e anaeróbica. E é claro que ele se lembrou da Sydney.

Eddie então chega e depois de conferir as roupas, Sydney pergunta se eles vão fazer os experimentos a noite. Eddie diz que sim e pergunta se Jill e Angeline vão. A resposta é negativa porque a Angeline está de castigo por causa das roupas curtas… Sydney acha que o Eddie está fugindo da Jill, mas que nada, ele está é fugindo da Angeline! Ela sempre fica o observando e fazendo comentários sugestivos. Sydney diz que pode falar com a Angeline, mas Eddie diz que o problema é dele e ele vai cuidar disso.

“Everyone thought I was so amazing, so responsible and controlled. But if I was so amazing, then why was I always so unsure if I was doing the right thing?”

Capítulo 3

“Adrian’s stamp on the apartment was like light chasing away the gruesome shadows of the past. Sometimes when I was down, Adrian’s personality had a similar effect.”

E é assim que Sydney descreve o apartamento de Adrian. Mas mais interessante ainda é quando ela o descreve:

I hated to admit it, but he was more good-looking than he had any right to be.

Sonya e Dimitri estavam sentados em uma mesa, com vários papéis jogados (e a Sydney precisa de muita força de vontade para se segurar e não arrumar os papéis por tópicos).

Adrian pergunta como que foi a visita da Sydney ao spa dos Alquimistas (ah se ele soubesse…) e Sydney, vasculhando a geladeira, comenta que o Moroi havia prometido comprar refrigerante diet. Adrian responde dizendo que ele leu que o adoçante artificial não era bom para a saúde, e que ele estava cuidando dela. Dimitri então diz o que todos estão pensando: se Adrian quisesse se preocupar com hábitos saudáveis, ele poderia sugerir alguns.

E então BAM, a tensão aumenta no local. Vindo do Dimitri, Adrian não iria encarar essa frase como uma brincadeira. Eu preciso falar que estou com o Adrian nessa. O Dimitri sabe da história dele com a Rose, ele sabe muito bem que ele e a Rose dormiram juntos enquanto ela ainda estava com o Adrian, e ele deveria pensar melhor antes de abrir a boca pra falar merda. Não importa se depois ele foi todo honesto dizendo pra Rose que não podia acontecer de novo enquanto ela não terminasse com o Adrian, o fato é que ele também teve sua parte de culpa na situação e não tem direito nenhum de falar dos hábitos ou qualquer coisa do Adrian! Ele então dá uma resposta digna de Adrian Ivashkov:

“Wouldn’t want to inconvenience you,”  said Adrian, a bit too cooly. “Besides, when not hard at work with this research, I’m actually conducting a side experiment on how cigarettes and gin increase charisma. As you might guess, the results are looking very promising.”

Dimitri, não percebendo nada e falando na brincadeira, continua e pergunta se ele disse que ele estava trabalhando pesado. UGH!!! Sydney então percebe que isso está machucando Adrian. Ela então tenta distraí-lo, perguntando se ele estava fazendo pesquisa mesmo, porque ela achava que ele gostava era de apostas. Sydney propõe uma: se ele ficasse 24 horas sem cigarro, ela iria beber uma latinha inteira de refrigerante. É claro que o Adrian aceita o desafio! E mais uma vez temos a Sydney comparando o seu corpo com os das Morois, mesmo sabendo que é impossível ser igual a elas. Mas Sydney fica calma com o desafio, porque ela acha que ele não conseguir ficar um dia sem cigarros. Vale apontar a pouca fé que a Sydney coloca no Adrian quando se trata dos vícios dele.

No livro diz que temos o tempo de um mês entre o final de Bloodlines e o início de The Golden Lily. Apesar de não termos essas cenas, podemos perceber que o relacionamento dos dois realmente se desenvolveu. No primeiro livro, eles mal se conheciam e só se falavam quando a Sydney ia lá. Agora? Nós temos e-mails, brincadeiras,  apostas… Eles estão realmente confortável um com o outro, realmente como amigos. E eles se sentem confortáveis um com o outro, eles se entendem. O Adrian entende o problema alimentar da Sydney, assim como ela consegue perceber somente olhando para ele que ele está sendo machucado.

E então eles começam a pesquisa. Adrian e Sonya, como são usuários de espírito, analisam a aura de Dimitri e Eddie (que é o controle, já que ele não foi Strigoi um dia). Eles vão mostrar algumas imagens para saber se há alguma mudança de cor nas auras. Conclusão? Nenhuma diferença. É interessante que a Sonya comenta que é muito fácil notar afeição nas auras das pessoas, e eu acho que mais pra frente isso vai ter algum significado. Sonya quer continuar, mas com sons. Por causa da demora, Sydney vai comprar comida e Adrian rapidamente se prontifica a ajudar.  Sonya diz que da última vez ele demorou duas horas, e por isso ela vai.

Enquanto estava esperando a comida, Lia acaba encontrando Sydney. Ela quer que Jill desfile novamente mas a Alquimista não quer, por causa da segurança da princesa Moroi.

Quando elas estão voltando para casa, uma pessoa – humano – para a Sonya. Ela não se lembra dele, mas ele diz que eles se conheceram em Kentucky, no ano anterior. Ou seja: quando Sonya ainda era Strigoi. Eles se separam e Sydney diz que deve ser difícil encontrar alguém do passado, mas Sonya tem certeza que não o conhece.

Capítulo 4

Em mais um experimento, Sonya e Adrian focam a sua magia, envolvendo Eddie e Dimitri. Mas não tinha nenhuma diferença entre os dois. É claro que Sydney ainda não aceita essa demonstração de magia – e fica inclusive com medo de algum resíduo passasse do Eddie para ela.

Sydney vai assistir um dos treinos entre Eddie e Angeline e descobre que realmente toda a preocupação dele é verdade. Angeline realmente estava dando em cima dele – e de uma forma nada discreta. Ai ai ai Angeline…

Kristine e Julia pedem uma ajuda sobre roupas para Sydney. E é claro que tem que ser sobre roupas para ir a uma entrevista! Trey contou para elas sobre a “alma gêmea” e as duas acham que ela deve conhecê-lo. Mas Sydney não pode contar sobre os seus problemas, então por isso ela sente que tem um abismo entre ela e as duas amigas. Sydney tenta ser uma aluna normal, mas ela está longe de poder ser definida assim.

E é hora de aula de história magia com a Ms. Terwilliger! Ela continua dando livros sobre o assunto para Sydney traduzir. Depois de um tempo ela pede para Sydney ir buscar um café na Spencer’s. Trey está lá e um outro barista. Ela faz uma piada em Latim, o barista (que se chama Brayden) responde e eles começam a conversar sobre o assunto. Ela não percebe quando ele a convida para assistir Antony and Cleopatra. E quando Trey começa a sorrir é que Sydney percebe que Brayden é a sua “alma gêmea”. Então Sydney resolve prestar atenção no rapaz e o descreve para gente:

“His eyes were hazel, almost like Eddie’s but with a little green. Not as much green as Adrian’s, of course. No one’s eyes were that amazingly green.”

Claro que você vai descrever a sua alma gêmea e começa a elogiar os olhos de outra pessoa. Aham Sydney, muito bem! Smooth, Sage. Mas é bem engraçado que os dois começam a conversar sobre línguas como se estivessem falando sobre o clima. 

Quando Brayden pergunta se ela pode na quinta-feira, Trey (também conhecido como o casamenteiro nas horas vagas) logo diz que ela pode. Sydney, mesmo indecisa, responde que  sim.  Os dois ficam em silêncio e Trey dá uma cotovelada e diz que esse é o momento em que ele pede o número de telefone dela.

“I left Spencer’s in a daze. I had a date. How on earth did I have a date?”

Trey a encontra no carro e eles conversam sobre várias coisas. Sobre como ele estava certo sobre o Brayden, sobre como o pai dele tem muitas expectativas nele, sobre como ele vai dizer para o Brayden não tentar nada com ela na quinta-feira… E quando ela entra no carro e volta para Amberwood, Sydney começa a entrar em pânico.

“How on earth was I going to get through this date alive?”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Jullyane Prado disse:

    uaaaaau, esse livro parece ser melhor que o outro que demais!! E nossa a Sidney já está tão amiga do Adrian!! Que fofo!!!! Ansios apelos próximos capitulos.

  • Vania disse:

    Eu gosto demais dos três livros, mas TGL realmente está um passo à frente de Bloodlines.

  • Michelle Agda disse:

    Concordo com Tom, e acho que as atitudes de Sydney são muito corajosas!
    Além do mais, estou hiper-mega-ultra-power curiosa pra saber porque ela ficou em pânico depois que Trey foi embora D:

  • Vania disse:

    Oi Michelle,

    Se você acha a Sydney corajosa agora, espera até chegar o próximo livro… meu queixo caiu!

    Abraços!!

  • ana paula ramos disse:

    Tbem gostei desse inicio, parece que já começa começando mesmo ne!
    To gostando tbem dessa “amizade” entre risos e emails e desafios da sidney e do adrian, ohhh
    e esse Trey como santo casamenteiro???? oque é isso?? srsrsr
    Continuo acompanhando, continuo gostando da serie, vamos lá esperando os proximos capitulos.

  • Vania disse:

    Eu adoro o Trey hahaha ele é muito engraçado!

  • Bloodlines Read-Along « Por Essas Páginas disse:

    […] 29/09 – Capítulos 1-4 05/10 – Capítulos 5-8 06/10 – Capítulos 9-12 12/10 – Capítulos 13-16 13/10 – Capítulos 17-20 19/10 – Capítulos 21-24 […]

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Nossa a história parece que vai pegar fogo. rsrsrs Que emoção. Sidney cada vez mais exemplar. Amando.

  • REBECCA DE SALLES NEWBOLD disse:

    novas emoções neste livro. uhhhh Dá-lhe Sidney. Vamos que vamos. E não esqueça de paquerar o gato do Adrian.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem