Bloodlines Read-Along – The Indigo Spell: Capítulos 9-11

Olááá,

Estamos no final de Outubro e  cada dia estou mais ansiosa para o lançamento de The Fiery Heart. Por um lado estou feliz em estar relendo The Indigo Spell mas por outro… Eu fico tão preocupada que começo a fazer teorias em todos os capítulos hahaha! Então vamos discutir os capítulos 9-11? No post de hoje tem uma das cenas mais lindas de toda a série!

Lembrando que esse post contém todos os spoilers possíveis da série Bloodlines (e também do final de Vampire Academy, a série anterior) e que vocês podem acompanhar o nosso calendário aqui. Os meus comentários estão em vermelho e os da Vania em roxo!

Capítulo 9

Adrian busca Sydney no seu Mustang e eles vão para Los Angeles. Sydney pergunta quando Adrian vai dar um nome ao carro e ele  diz que nomes são para pessoas e animais de estimação. Sydney havia batizado o carro dela de Latte (sim, em homenagem ao café, e segundo ela isso era um sinal de extremo respeito) e eu concordo com a Sydney, preciso dizer. Adrian diz que Sydney poderia escolher um nome e Sydney diz que ele que é o criativo. É tão lindo ver uma pessoa tão racional ficar tão preocupada com uma coisa tão simples quanto carros… é legal porque a gente vê esse outro lado da Sydney. Ela é tão séria, responsável, mas lá no fundo ela é somente uma garota de 18 anos tentando levar uma vida normal dentro do possível. 

Eles começam a procurar pelas informações que a Mrs. Santos havia dado, mas sem muito sucesso.  Sydney havia escolhido uma das duas ruas, mas ela era uma rua residencial. Eles passam novamente para saber se eles tinham perdido algo e BAM – Adrian acha a rua! A casa da visão tinha escrito na frente “Old world bed-and-breakfast”. Sydney coloca uma peruca para facilitar o disfarce já que Adrian iria usar a compulsão para mudar um pouco o seu rosto.

Uma garota da mesma idade da Sydney estava sentada na recepção. Eles tinham combinado tudo o que iriam falar, mas vocês acham que o Adrian iria seguir o roteiro? HÁ! É claro que ele começa a improvisar e diz que eles queriam um lugar para passar o final de semana já que uma amiga tinha tido que lá era muito romântico. Eu SEMPRE imagino nessa cena a Sydney tentando olhar pro Adrian normalmente e pensando “ADRIAN O QUE VOCÊ ACHA QUE ESTÁ FAZENDO?”. É claro que Sydney e Adrian se apresentam para a garota, que se chama Alicia, com outros nomes: Taylor e Jet (sendo que era para o Adrian se chamar Brian, mas vamos lá, quem não esperaria que ele iria falar que se chama Jet Steele?). Alicia então vai apresentar os quartos vazios para o casal (eu posso falar casal lalalala) e então começa uma das cenas mais engraçadas desse livro.

“I know how much you like rabbits. Didn’t you have one when you were little? What was his name, Hopper?”

“Yeah,” I said, resisting the urge to punch him on the arm. Hopper? Really? “Best rabbit ever.”

Alicia os leva para ver a Suíte do Coelho primeiro. Tudo era decorado exatamente com o tema. Adrian senta na cama e começa a pular, perguntando o que ela achava do quarto (e usando “docinho” como apelido). Sydney diz que não tem palavras e Adrian pergunta se ela não quer testar. Sydney somente olha e Adrian levanta da cama. Segundo ela, “Adrian and beds stirred up too many conflicting feelings in me”. Não só em você, Sydney… não só em você…

Depois Alicia mostra as outras suítes e Sydney pergunta porque eles não viram a suíte Safira e a suíte Príncipe Albert. Ela responde que as duas estavam ocupadas.

Adrian coloca os braços ao redor da Sydney (IVASHKOV EU ESTOU VENDO O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO!!!) e pergunta “Angel Cake, não foi na suíte Príncipe Albert que a Verônica havia ficado?”. Sydney pergunta se a amiga deles ainda estava lá e Alicia diz que ela havia saído no dia anterior. Alicia pergunta se eles vão querer um dos quartos e Adrian responde que eles ainda vão pensar. Alicia os acompanha até a porta e repara no Mustang, falando que era um carro muito bonito.

Sydney estava feliz porque eles haviam obtido a informação mas ao mesmo tempo triste porque Verônica não estava mais lá. Eles aproveitam a viagem e procuram a primeira jovem pra avisá-la sobre o perigo que era Verônica. Ela se chamava Wendy Stone e estudava na Cal Tech. Ela morava perto do campus em uma residência ocupada principalmente por estudantes. Sydney logo fica triste porque como Alquimista ela não pode freqüentar uma universidade. Esse era um sonho que infelizmente ela não poderia cumprir. Adrian logo diz para ela não ficar triste porque um dia ela vai fazer uma faculdade. Sydney pergunta como que ele descobriu os seus pensamentos e Adrian responde que ele a conhecia. A aura dela tinha ficado triste e ele simplesmente sabia que estar em um campus tinha a ver com isso. Sydney então se pergunta por que um vampiro a entendia tão bem? Por que não poderia ser um dos seus amigos humanos?

“You can be Jet if you want” (…) “But we’re not posing as a couple again.”

“Are you sure” he said. His tone was lighter now, turning back into the Adrian I knew. “Because I’ve got a lot more terms of endearment to use. Honey pie. Sugarplum. Bread pudding.”

“Why are they all high-calorie foods?”(…) And bread pudding isn’t really that romantic.”

We had reached Wendy’s door. “Do you want me to call you celery stick instead?” he asked. “It just doesn’t inspire the same warm and fuzzy feelings.”

Sydney, concordo com você: pudim de pão não é romântico! Mas o Adrian pode me chamar do que quiser, só estou dizendo.

E a visita foi um fiasco. Wendy é completamente contra a magia. Uma bruxa em Anaheim sempre falava que ela tinha potencial, mas não queria participar disso (parece com alguém que a gente conhece?). Wendy não acredita na história deles e ela acha que isso é uma armadilha para ela praticar magia. Sydney diz para ela dar o e-mail para que ela envie as informações sobre o caso. Quando Adrian pega o papel na mão de Wendy, ela se assusta e taca spray de pimenta nele. Sydney não pensa duas vezes, fica na frente do Adrian, e faz um feitiço que somente cria luzes coloridas. Awwww! Eu acho tão bonitinho que ela pula na frente dele sem nem pensar no que está fazendo, da mesma forma que ele vai pra cima do Marcus Finch quando descobre que ele deu um soco na Sydney. É claro que Wendy fica mais assustada ainda! Sydney só tem tempo de dar o cordão de proteção antes de sair do quarto.

“That didn’t go so well,” I said.

He thought about it, then grinned. “I don’t know, Sage. You threw yourself in the line of pepper spray for me. You must like me just a little bit.”

Adoro que o Adrian sempre tenta olhar o lado positivo das situações! Sydney então se lembra que ela vai ter que fazer um e-mail falso para a “Taylor”. A resposta do Adrian?

“No worries,” said Adrian. I already have a Jet Steele one you can use.”

This actually made me laugh. “Of course you do. For all the online dating you do, right?”

Adrian didn’t comment one way or the other, wich bothered me more than it should have.”

E então Sydney começa a filosofar sobre o fato de que Adrian tinha experiência com muitas mulheres (e se a gente for analisar a cena do Adrian com a Rose em Vampire Academy, em que ele tira o sutiã dela com uma mão só, sim ele tem experiência – porque olha, isso não é fácil!). E começam as inseguranças… Quantas mulheres ele havia beijado com a mesma intensidade? Quantas estiveram na cama com ele? Ele não poderia ter amado todas. Algumas só foram conquistas, mulheres que ele esqueceu na manhã seguinte. E ela começa a pensar se ela também não era somente mais uma. Mas analisando todas as coisas que foram e que não foram ditas entre eles, ela sabia que isso não era verdade. Ele a amava – ou pensava que amava.

Capítulo 10

Mrs. T tenta fazer um feitiço para encontrar Veronica, mas não obtém sucesso; elas terão que esperar a próxima lua cheia para que Sydney tente novamente. O interessante dessa cena, é que a Sydney finalmente percebe que ela já está muito envolvida com a magia pra deixar que seus instintos Alquimistas a segurem, e ela assiste a Mrs T fazendo o feitiço com fascínio. 

Marcus manda uma mensagem para Sydney o encontrar em uma loja de jogos. O lugar era tão barulhento que ninguém iria escutar a conversa deles e ele conta um pouco da sua história.

Marcus largou os Alquimistas por causa de uma garota Moroi. Eles ficaram amigos e nessa mesma época, Marcus começou a escutar rumores de Alquimistas prendendo Morois contra a vontade deles (uh-oh!!!) e até sobre alguns Alquimistas interagindo com Guerreiros. Então ele começou a fazer perguntas e  a situação ficou realmente feia. Ele resolveu fugir já que havia cruzado a linha e estava muito próximo da Re-educação. Sydney se interessa por essa relação entre Guerreiros e Alquimistas e ela pergunta se Marcus tem alguma prova. Um Alquimista havia escutado algo e a informação batia com a que a Sabrina havia descoberto mas ele queria que a Sydney conseguisse a evidência que iria ligar todos os pontos. Se a Sydney quisesse “quebrar” a tatuagem, ela teria que fazer isso como parte do processo. Sydney diz que ela mal havia o conhecido e ela não iria se separar do grupo que a criou.

Sydney vai em direção a porta e as palavras do Marcus continuam com ela. Mesmo os Alquimistas a perdoando com toda a situação com a Rose (será?), a ficha dela ainda estava marcada. Será que não seria melhor ela sair antes que descobrissem algo? Outro ponto interessante é que o Marcus diz ter certeza que a Sydney não está sendo vigiada pelos Alquimistas, porque se ela tivesse, eles teriam aparecido no primeiro dia que eles se encontraram. O que me incomoda é: por que a Sydney não está sendo vigiada? Será que mesmo com todos os deslizes, todas as perguntas que ela fez e não deveria ter feito, os Alquimistas confiam nela? Ou ela está sendo vigiada, mas os Alquimistas tem algum motivo para ficarem quietos?

Marcus a segue e diz que não estava tentando assustá-la. Ele quer que ela escute as outras pessoas do grupo. Sydney estava curiosa e por isso ela aceita se encontrar um outro dia com eles.

Capítulo 11

Mal Sydney volta para Amberwood e já tem que enfrentar um problema: Angeline tacou um livro de álgebra no Trey. E sim, ele teve que ir ao médico. Para conseguir salvar Angeline, Eddie assumiu a culpa e disse que eles estavam jogando o livro de um lado para o outro e acabou acertando o Trey. Ele só ganhou uma detenção. Yay Angeline!

No dia seguinte, quando Sydney foi ao apartamento do Adrian, ele já estava a esperando na porta, com uma cara sombria. Sydney pergunta o que aconteceu e Adrian diz que é para ela tentar não surtar. Sydney pergunta se ele está feriado e Adrian diz para ela o seguir.

Quando eles vão para o estacionamento, Sydney vê vários carros com os pneus furados. Incluindo o Mustang. Sydney então grita “Não!” eu vai correndo para o carro, ajoelhando e examinando o dano. Ela inclusive compara que se sentia como se estivesse no meio de uma guerra, ajoelhando ao lado de um companheiro de batalha. Eu imagino a Sydney abraçando o carro e quase chorando. Eu amo essa cena e sempre tenho vontade de rir!

Adrian diz que provavelmente foram algumas crianças. Eles então esperaram a polícia e o reboque (e é claro que a Sydney disse para o motorista que era melhor que ele não desse um arranhão no carro). Eles acabam perdendo muito tempo, mas pegam o Latte e vão avisar mais meninas sobre a Verônica.

As duas primeiras garotas estavam em casa e as reações delas foram semelhantes com as da Wendy. Quando eles chegaram no ultimo nome, Lynne Titus, a menina também frequentava uma faculdade e ela morava em uma fraternidade. Infelizmente ela tinha acabado de sair.  Sydney diz que pode esperar um pouco então Adrian pergunta para a amiga de Lynne onde eram as festas. Típico! A menina diz que no final da rua tinha uma fraternidade que dava festas todos os dias. Sydney quer ir a um museu mas Adrian diz que se ela quer mesmo ir para a faculdade ela tem que conhecer tudo o que ela tem a oferecer.

Eles acham a festa e a menina na porta pergunta com qual fraternidade eles estão. Adrian diz que é com a “Alpha Yam Ergo” e ela deixou eles passarem (provavelmente ela já tinha bebido demais). Isso ou ela não resistiu ao charme do Adrian.

A casa estava cheia e várias pessoas ofereceram bebidas. Sydney diz que aquilo era jogar dinheiro fora e que estava arruinando os sonhos dela na faculdade. Ela pergunta para o Adrian se não tem nada para fazer sem ser beber ou ser estúpido. Eu consigo pensar em muitas coisas, mas a Sydney provavelmente não aprovaria…

Adrian acha algo interessante. Na cozinha algumas meninas estavam sentadas no chão pintando camisas. Elas estavam fazendo camisas para o Carnaval de Inverno e antes da Sydney conseguir dizer não, Adrian já estava sentado no chão.

Adrian pergunta o que elas estão colocando nas camisas e elas respondem que o nome delas e coisas de inverno. O Moroi começa a pintar flocos de neve e Sydney se ajoelha ao lado dele. E vamos agora para a sessão AWWW ADRIAN SEU LINDO! Aviso: é permitido dar uma de fangirl!

minions_fangirl

Quando ele acaba de pintar, todas as meninas param para observar. Uma pede a camisa mas a outra também quer e por isso Adrian diz que vai fazer uma para casa. As meninas parecem ham… interessadas demais no Adrian então a Sydney vai um pouco mais para perto dele, para que elas não tenham nenhuma ideia (desculpa Sydney mas desde o primeiro livro eu já tive muitas ideias). Eu acho super bonitinho que apesar dela se recusar a admitir seus sentimentos, a Sydney claramente sente ciúmes do Adrian. Ah como eu adoro cenas de ciúmes!!

Quando ele termina as duas camisas, ele pega uma camisa preta masculina e diz que tem que fazer um tributo para a fraternidade dele. Em tinta branca ele coloca as inicias da fraterninade “AYE” e Sydney pergunta se isso não era o que os piratas dizem (HAHAHA ADRIAN YOU’RE AWESOME!). Adrian responde que os Alpha Yams tem origens náuticas e ele começa a pintar um esqueleto pirata em cima de uma moto. Sim, queridos leitores, Adrian estava pintando a tatuagem absurda que ele fala lá em Bloodlines, para tentar distrair o dono da loja.

“Art was one of the few things that seemed to anchor him and drive the darkness in him away. He seemed to glow with an inner light, one that enhanced his already handsome features. It was another rare and beautiful glimpse of the intense, passionate nature lying beneath the jokes. It came through in his art. It had come through when he kissed me.

Adrian suddenly glanced up at me. Our gazes locked, and I felt like he could read my mind. How often did he think about that kiss? And if he really was crazy about me, did he imagine more than just kissing? Did he fantasize about me? What kinds of things did he think about? His lips on my neck? His hands on my leg? And was that leg bare…?”

Pois bem, vocês podem completar até onde a imaginação da Sydney não foi. Alguém fala pra Sydney que só a imaginação dela não foi além, aposto que a de todo mundo chegou até onde a minha me levou. Eu confesso que já estava ficando impaciente, porque a Richelle vivia falando no twitter que esse livro seria hot (bem, pra um young adult) e aqui estávamos nós, quase na metade e nada! Mas ao ler a mini-fantasia da Sydney, eu já me preparei mentalmente para o que estava por vir!

Adrian então pega uma camisa roxa para fazer uma para a Sydney. Ele pinta um coração prata em chamas. O desenho tinha um estilo celta e Sydney pergunta de onde ele tirou essa ideia.

“Reminds me of you. Fiery and sweet, all at the same time. A flame in the dark, lighting my way”.

Ele escreve AYE e embaixo “Membro honorário”. Sydney diz que ele havia arruinando o lindo desenho. Mesmo assim, ela pega a camisa e a admira. Adrian diz que Sydney não havia pintado nada. Ele pega a camisa dele, dá um pincel para ela e diz para ela adicionar alguma coisa. Sydney responde que ela não sabe pintar e vai arruinar a camisa. Adrian diz que é um esqueleto pirata e não a Mona Lisa. Sydney então desenha uma gravata no esqueleto.

“Is that a noose?”

“It’s a tie!” I cried, trying not to feel offended.

(…)

“He can go to a boardroom meeting,” I added, feeling a need to defend my work. “He’s very proper now.”

(…)

“Of course he is. Proper and dangerous.” A little of his mirth faded, and he grew pensive as he studied me, holing me in his gaze. “Just like you.”

(…)

“I’m not dangerous,” I breathed.

He brought his face toward mine. “You are to me.”

E então eles começam a se beijar. E não é um beijo qualquer. É aquele beijo que você fica UAU! A Sydney acaba quase sentando no colo dele.

“I’d never been wrapped around someone’s body like that, and I was shocked at how eagerly mine respondend. His arm went around my waist, pulling me onto  him further, and his other hand slid up the back of my neck, getting entangled in my hair. Amazingly, the wig stayed on. He took his lips away from my mouth, gently trailing kisses down to my neck. I tipped my head back, gasping when the intensity returned to his mouth”.

E então alguém grita “Ai meu Deus” e Adrian e Sydney se separam como se alguém tivesse jogado água fria neles. Alguém mais pensou “Alquimistas”?? A garota que gritou diz que acharam uma garota inconsciente e ninguém consegue acordá-la. Eles voltam para a fraternidade da Lynne e descobrem que a pessoa que havia sido atacada era ela! Eles fazem perguntas e uma garota diz que ela estava inconsciente e parecia estar envelhecida. Sydney queria gritar em frustração porque eles quase conseguiram avisá-la.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Rossana Batista disse:

    Fiquei com pena da Sydney porque ela não pode frequentar uma universidade 🙁
    Olha Sydney e suas fantasias!!! A minha imaginação chegou nas alturas tambéeem hahaha

  • Vania disse:

    Dá muita dó né Rossana? Espero que um dia ela consiga escapar dos Alquimistas e realizar os sonhos que tem…

  • Roberta Moraes disse:

    A Sydney sempre querendo proteger a todos, aiai.
    Eu ri da cena do carro também viu, imagina só ela lá ajoelhada e lamentando! kkkkk
    Que beijo mais teeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeenso da Sydney e do Adrian <3 <3

  • Vania disse:

    Sydney se preocupa mais com o Mustang do que com o Adrian hahahaha

  • Jullyane Prado disse:

    MeuDeuuuuuus, Sidney e Adrian tomem cuidado… HAHAH, mas nossa amei ele estar tirando casquinha dela la no hotel, acho que minha imaginaçao esta indo alem da de Sidney, hahahahhaha!!

  • Vania disse:

    Hahahaha a minha sempre vai Jullyane… sempre sempre sempre!!!

  • Aline Ramos Costa disse:

    adoreiiiiiii essa forma super diferente que vocês criaram de comentar os livros…ideia genail…
    Eu simplesmente amo os livros da Richelle, mas VA e agora Bloodlines são meus xodós…só li Laços de Sangue até agora e estou amando, mas pelo que vi pelos spoilers e comentários de vocês, os livros só tendem a melhorar…

    Bjs e sucesso

  • Vania disse:

    Nãooooo, não leia os spoilers hahahaha

    De qualquer forma, que bom que curtiu nosso Read-Along. Foi a única maneira que achamos de passar o tempo de espera de maneira saudável! 🙂

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem