Arquivo para a categoria ‘ 4 estrelas ’


Resenha: Aprendendo a seduzir

Apesar de já ter lido vários livros da Meg Cabot, ainda não tinha lido nenhum livro dela como Patricia Cabot. A Lucy fez a resenha de Pode Beijar a Noiva (vocês podem conferir aqui) e como ela não gostou muito, resolvi começar por outro!

Aprendendo a seduzir é um romance histórico. O ultimo romance histórico que eu li da Meg foi Liberte o meu coração, que como eu falei na resenha, é super brega (afinal, foi a Mia quem escreveu né?). É sério, a Meg consegue mudar tanto a sua escrita, que tiveram alguns momentos que eu achei que tinha aberto o livro errado e estava lendo Nora Roberts…

E quem poderia dar as aulas para Lady Caroline?




Resenha: Columbine

Em 20 de Abril de 1999, dois adolescentes no último ano do Ensino Médio entraram na sua escola e começaram a atirar em colegas e professores, matando um total de 13 pessoas e ferindo mais de 20 antes de tirarem as próprias vidas. A tragédia que chocou a pequena cidade de Littleton, Colorado, foi transformada em um circo pela mídia e pelas igrejas locais, causando intermináveis debates sobre aquisição de armas, medicamentos para depressão, e pais que não criam seus filhos com valores morais. Mas a pergunta que assombrou os estudantes, seus pais e todos que acompanharam o caso nunca foi propriamente respondida: Por quê? Juntando elementos da investigação, relatos de profissionais ligados ao caso, entrevistas com diversas pessoas envolvidas, e os diários e vídeos dos assassinos, Dave Cullen formou um esboço de Eric Harris e Dylan Klebold, que nos ajuda a entender melhor seus motivos e, quem sabe, prevenir que mais tragédias desse tipo aconteçam.

Eric dreamed big but settled for reality




Resenha: O Hipnotista

“O massacre de uma família nos arredores de Estocolmo abala a polícia sueca. Os homicídios chamam a atenção do detetive Joona Linna, que exige investigar os assassinatos. O criminoso ainda está foragido, e há somente uma testemunha: o filho de 15 anos, que sobreviveu ao ataque. Quem cometeu os crimes o queria morto: ele recebeu mais de cem facadas e está em estado de choque. Desesperado por informações, Linna só vê uma saída: hipnose. Ele convence o Dr. Erik Maria Bark – especialista em pacientes psicologicamente traumatizados – a hipnotizar o garoto, na esperança de descobrir o assassino através das memórias da vítima. É o tipo de trabalho que Bark jurara nunca mais fazer: eticamente questionável e psicologicamente danoso. Quando ele quebra a promessa e hipnotiza o garoto, uma longa e aterrorizante sequência de acontecimentos tem início.” Fonte

“O Hipnotista”, de Lars Kepler (pseudônimo utilizado pelo casal de escritores suecos Alexandra e Alexander Ahndoril), já estava esperando na minha estante há um bom tempo para ser lido. O gênero policial/suspense está entre os meus favoritos, então as minhas expectativas eram grandes a respeito desse título. Como sempre, caí na armadilha de criar grandes expectativas em alguma coisa.

Quando você pensa que uma coisa é uma coisa… ela é outra completamente diferente.




Resenha: Calafrio, Maggie Stievfater

Não é segredo para ninguém que eu AMO lobisomens. E naquela época em que vampiros estavam no topo, eis que eu descubro uma série em que os lobos eram os principais. Foi por causa disso que eu fui correndo ler “Calafrio”, o primeiro livro da trilogia (sim, de 3 livros) “Os lobos de Mercy Falls” da Maggie Stievfater. No Brasil, os dois primeiros livros foram publicados pela Editora Agir.

Grace Brisbaine é uma adolescente aparentemente normal, tirando o fato que 6 anos antes ela foi atacada por uma alcatéia que vivia no bosque perto de sua casa. Por sorte, um lobo de olhos amarelos a salvou. Depois desse incidente, em todos os invernos, ela se sente atraída pelo bosque e fica a espera do “seu lobo”.

Quando Jack, que pertence a uma família rica e importante de Mercy Falls, é atacado supostamente por lobos, começa à caça a esses animais. Grace é claro fica desesperada! Até que um dia ela encontra um rapaz ferido na varanda da sua casa… E esse rapaz é Sam, o lobo que salvou Grace. No inverno, ele é um lobo, mas no calor, ele volta a sua forma humana. Mas o tempo de Sam está acabando. Ele não sabe até quando manterá a dupla aparência ou quando se tornará um lobo para sempre…

Sigam os lobinhos!




Resenha: Laços de Sangue (Bloodlines #1)

ATENÇÃO: Essa resenha contém spoilers dos seis livros da série Academia de Vampiros.

“Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger – os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável – ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono – o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade. Assim, pelo bem dos humanos, Sydney aceita se disfarçar de estudante e passa a conviver diariamente com Jill e seu guardião Eddie, quando os três são matriculados como irmãos no último lugar em que qualquer um procuraria a realeza dos vampiros – a Escola Preparatória Amberwood, em Palm Springs, na Califórnia. Mas entre uma pizza e outra, entre um jogo de minigolfe e uma conversa sobre garotos, ela começa a ter a sensação de que talvez esses seres estranhos não sejam tão maus assim, principalmente Adrian, um vampiro muito próximo de Jill que desperta os sentimentos mais contraditórios – e proibidos – em Sydney… O problema é que além de refletir sobre suas convicções e se preocupar com o seu coração, que anda acelerando mais do que deveria, a garota terá de encarar outros inconvenientes um pouco mais graves, como as tatuagens que viraram febre entre os alunos da escola e que parecem conferir poderes sobrenaturais a quem as usa. De que ingredientes elas eram feitas? Quem estaria por trás disso? Será que havia algum alquimista traidor entre eles? Caberá a Sidney resolver todos esses mistérios e garantir a paz entre os humanos antes que seja tarde demais.” Fonte

Okay, eu admito: a série Vampire Academy da autora Richelle Mead é meu grande guilty pleasure literário. Li os cinco exemplares, embora não saiba exatamente o que me levou a continuar lendo livros narrados por uma personagem que eu simplesmente detesto. Mas lidos eles foram, e embora Rose e Dimitri não façam parte do hall dos meus personagens favoritos, outros ocuparam esse posto dentro da série, especialmente Adrian Ivashkov. Por isso eu fiquei extremamente contente quando esse spin-off foi lançado: poderíamos ver um pouco mais de Adrian, dos Moroi, Dhampirs e Alquimistas que permeiam o universo criado por Mead sem a chatice da Rose. Para ler Bloodlines não é necessário ter lido a série predecessora, embora ajude no entendimento da história.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...