Arquivo para a categoria ‘ Ed. Seguinte ’


Resenha: O Fio Dourado

Depois de ler os três livros, só digo que essa série está num lugar bem guardado no meu coração. Infelizmente, não cheguei a ver uma grande expectativa por esse livro, talvez pela série não ter sido tão divulgada. Adorei os dois primeiros e agora vou falar um pouco do terceiro livro, que achei que seria uma mega conclusão, mas acho que teremos uma trilogia de 4 livros por aí. rs

o_fio_douradoJacob Reckless continua viajando para o Mundo do Espelho através do portal que encontrou tempos atrás no escritório abandonado do pai. O garoto é reconhecido nesse lugar mágico graças à sua fama de melhor caçador de tesouros de todos os tempos, mas o preço por se envolver com os dois mundos pode ser alto demais… e está prestes a ser cobrado — inclusive de Will, seu irmão mais novo, e de Fux, a companheira transmorfa por quem Jacob nutre sentimentos que vão além da amizade. Quando Will atravessa o portal em busca de uma cura para a misteriosa doença que atingiu sua namorada, Jacob e Fux vão atrás dele até o leste do Mundo do Espelho, terra de baba yagas, exércitos de ursos e tsares. Enquanto isso, um ser que conhece nosso mundo tão bem quanto o do espelho os observa de longe, pronto para se vingar… Fonte

Continue lendo…




Resenha: A Maldição da Pedra

Eu confesso que sou daquelas que tem a famosa “coceira” para comprar livros, mas deixo eles na fila para a próxima leitura – que raramente é a próxima leitura. Pois bem, isso aconteceu com A Maldição da Pedra – não só com esse, mas com a trilogia O mundo de tinta, da mesma autora. Enfim, esse ano a Seguinte publicou o terceiro livro. E a coceira voltou.

Só que é bem injusto eu adquirir o terceiro livro sem ter lido sequer o primeiro! Então eu resolvi corrigir esse isso.

A Maldição da PedraJohn Reckless, pai de Jacob e Will, sumiu sem deixar vestígios. Inconformado, Jacob gasta o dia procurando pistas que lhe deem alguma ideia do seu paradeiro. O garoto vasculha cada cantos do escritório do pai, até que um dia descobre um espelho que servia como um portal para um mundo mágico – um mundo que lhe oferece a perspectiva de liberdade e aventura.
Mantendo segredo do seu achado, Jacob passa cada vez mais tempo do outro lado do espelho. Após doze anos, o mundo sombrio se torna seu verdadeiro lar, onde tem amigos e inimigos e é reconhecido como um dos melhores caçadores de tesouros que já existiram por ali.
Will, o caçula, sente falta do irmão e estranha aqueles sumiços prolongados. Um dia, consegue burlar sua constante vigilância e o segue através do espelho, ato que tem uma consequência terrível. Ferido pelos goyls – homens frios e violentos, que têm pele de pedra e olhos de ouro -, ele acaba vítima de uma maldição: vai se transformando lenta e dolorosamente em uma dessas sinistras criaturas.
Numa corrida contra o tempo, Jacob precisa encontrar o antídoto para o feitiço. Para empreender essa jornada, ele conta com a ajuda da raposa Fox, sua companheira de muito tempo, e Clara, a namorada de Will, que atravessa o espelho para encontrá-lo. Juntos, eles vão enfrentar os perigos e as armadilhas do Mundo do Espelho – antes que seja tarde demais e Jacob perca o irmão para sempre.
Povoado por fadas, bruxas, unicórnios e tritões, e tendo cenários como o castelo da Bela Adormecida e a casa de doces da bruxa de “João e Maria”, o mundo criado por Cornelia Funke remete o leitor aos mais conhecidos contos de fadas de todos os tempos. Na narrativa, contudo, a ênfase da autora recai nos aspectos mais sombrios e brutais das histórias, criando-se uma atmosfera ao mesmo tempo familiar e soturna. É nesse mundo que se desenrolam as aventuras dos irmãos Reckless, uma história de maldição, traições e vingança, mas também de coragem, lealdade e amor. Fonte

Continue lendo…




Resenha: Lobo por Lobo

Conheci Ryan Graudin com o brilhante A Cidade Murada, que li ano passado (resenha aqui). Quando vi Lobo por Lobo, não dei muito por ele, mas ao perceber o nome da autora na capa, quis lê-lo sem pensar duas vezes (sem nem ler direito a sinopse, aliás). Foi a melhor coisa que fiz. Ryan Graudin é daquelas autoras que você deve ler obrigatoriamente, sem piscar, até mesmo sua lista de compras no supermercado. E Lobo por Lobo, por sua vez, é um livro empolgante, que traz à tona questionamentos complexos, sobretudo a pergunta: “E se?”

(Aliás, eu adoro tanto essa pergunta que também a exploro em meus próprios livros. E aqui, nesse livro, ela é ainda mais aterrorizante.)

lobo-por-lobo“O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?” Fonte

Yael engoliu em seco. Cinco lobos. Quatro lembranças e um lembrete.




Resenha: Espada de Vidro

Ano passado resenhei A Rainha Vermelha, que foi um livro que gostei muito, com tramas e traições que caíram bem na história.

ESPADA_DE_VIDROSe sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter. Fonte

Para quem não se lembra:

A história conta como pessoas que tem sangue vermelho são governadas (=escravizadas) por aqueles cujo sangue é prateado e esse mesmo sangue lhes dá poderes inimagináveis. Até então, os vermelhos eram indefesos. Até que Mare Bare descobre que, mesmo sendo vermelha de nascimento, possui poderes de um prateado. Tendo sido descoberta pela Corte, ela é obrigada a fingir ter sangue prateado para garantir que a ira do rei não recaia sobre sua família. Na corte, porém, ela começa a participar de um plano rebelde com a ajuda do príncipe Maven, porém o coração de Mare pode ser seu principal inimigo, quando ela tem olhos para o príncipe Cal.

Essa resenha contém SPOILERS de A Rainha Vermelha (tentei evitar, mas não deu).

Continue lendo…




Resenha: Sou fã! E agora?

sou-faUm livro para fã nenhum botar defeito!

Fã que é fã adora conversar, discutir, interagir. Mas nem sempre temos por perto um amigo tão fanático quanto a gente para desabafar. Foi pensando nisso que Frini Georgakopoulos, uma fã de carteirinha, escreveu este livro: um manual de sobrevivência voltado para quem é apaixonado por livros, filmes, séries de TV…
Com uma linguagem rápida e divertida, Sou fã! E agora? é uma mistura de artigos breves e atividades interativas que convidam a refletir sobre os motivos para curtirmos tanto as histórias, além de ajudar a descobrir o que fazer com todo esse amor: criar seu próprio cosplay, escrever uma fanfic, organizar um evento, começar um blog ou canal e muito mais!

Não tem como não começar essa resenha sem falar da autora – porque mais do que nunca, ela realmente representa a alma do seu livro. “Sou fã!E agora?”, como o título já sugere, nos leva ao mundo de ser fã e eu já era fã de Frini Georgakopoulos desde muito antes desse livro ser escrito.

A Frini foi uma das pioneiras na realização de grandes eventos para fãs de livros aqui no Rio de Janeiro. Eu a conheci no Potter Rio 3, que se eu não estou enganada, aconteceu logo antes do lançamento do sexto livro da série Harry Potter (façam as contas e descubram quantos anos atrás, eu tenho medo de descobrir). Eu adorei o evento, foi muito divertido e eu nunca me esqueci de uma palestra que ela fez sobre o Harry. Na época, todo mundo ficava falando sobre como o Harry era chato (por causa da sua fase de adolescente rebelde em Harry Potter e a Ordem da Fênix) e ela fez praticamente um estudo sobre o personagem. Eu não me lembro exatamente o que ela disse, mas o sentimento permanece até hoje. Ela agora é a responsável pelos Clube do Livro da Saraiva aqui no Rio, e eu já perdi as contas de quantos outros eventos de editoras ou fã clubes que ela já participou e/ou organizou. Mas não importava sobre o que ela estava falando, ela sempre demonstrava o que era ser fã. Ser fã é não ter vergonha, é gostar de carteirinha daquele livro/série/filme. É não ligar para o que os outros falam, é sofrer por causa de um triângulo amoroso, é gostar tanto de um personagem que ele parece até ser real.

Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...