Arquivo para a categoria ‘ Ed. Companhia das Letras ’


Resenha: Interferências

Ficha técnica:

 Nome: Interferências

 Autor: Connie Willis

 Tradutor: Viviane Diniz Lopes

 Páginas: 464

 Editora: Suma

Compre aqui

Sinopse: Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada.
Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — é bem mais complicado do que ela esperava.”

Ah Interferências… Existem livros que eu sento para fazer a resenha e fico pensando no que vou escrever. Esse caso é completamente o oposto, porque essa foi uma leitura bastante peculiar. Esse era um enredo que tinha TUDO para ser aquele livro 5 estrelas – porém, infelizmente, não foi.

Continue lendo…




Resenha: Em pedaços

Ficha técnica:

 Nome: Em pedaços

 Autora: Lauren Layne

 Tradução: Lígia Azevedo

 Páginas: 247

 Editora: Paralela

Compre aqui

 

Nessa recontagem moderna de a Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.
Aos 22 anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa. Mas por dentro ela guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém chegado da guerra. Mas o que ela não esperava era que seu paciente fosse um jovem enigmático de 24 anos tão amargurado quanto cativante.
Paul Landon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, acima de tudo, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesa novaiorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul, mas ele não consegue afastá-la, mesmo tentando muito. Por mais que lutem contra uma atração intoxicante, Paul e Olivia não conseguem se manter distantes.
Agora, precisam decidir: eles vão ajudar um ao outro a curar as feridas do passado ou vão se manter, para sempre, em pedaços?

Em pedaços é o primeiro livro da série Recomeços de Lauren Layne. Cada livro vai recontar um conto, neste caso o de A Bela e a Fera. Não, ele não é um livro que tenta passar todos os acontecimentos da história original para o mundo moderno. Ao contrário, ele se baseia apenas na ideia geral do livro. Paul Landon é a “fera” – depois de sofrer os horrores da guerra do Afeganistão, que deixaram marcas físicas e psicológicas, ele vive recluso na sua mansão. O seu pai, com medo de que ele fique sozinho, tenta contratar um cuidador, mas todos eles são assustados por Paul e nenhum dura muito tempo. Por isso, ele dá um ultimato: ou Paul fica por 3 meses com a nova cuidadora ou ele não receberá mais nenhum dinheiro. E essa cuidadora é Olivia Middleton a “bela” nessa versão – a garota perfeita de Nova York que quer a todo custo fugir de algo que aconteceu no seu passado. E ela vai fazer tudo o que seja necessário, nem que seja ir para o meio do nada cuidar de um sobrevivente de guerra mesmo tendo zero experiência nisso.

Continue lendo…




Resenha: A Heroína da Alvorada

A Heroína da AlvoradaFicha técnica:

Nome: A Heroína da Alvorada

Autor: Alwyn Hamilton

Tradutor: Eric Novello

Páginas: 384

Compre aqui

Sinopse: No último volume da trilogia A Rebelde do Deserto, Amani vai se deparar com a escolha mais difícil que já teve que fazer: entre si mesma e seu país.

Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados.
Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.

Essa resenha pode conter spoilers dos livros anteriores (mas a sinopse também tem, então se joga). Não vou colocar tantos detalhes, porque quero evitar os famigerados spoilers, apenas digo que é uma série que merece ser lida.

Continue lendo…




Resenha: Mais que amigos

Ficha Técnica:

Nome: Mais que amigos

Autor: Lauren Layne

Tradução: Alexandre Boide

Páginas: 256

Editora: Paralela

Compre aqui

 Sinopse:  Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível?
Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver. Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo?

Semana do Dia dos Namorados está aí e nada melhor do que a resenha de um romance (com conteúdo adulto, como já avisa a capa), né?

Mais que amigos é aquele típico clichê que a gente adora amar (não gente, não é redundância, é a mais pura verdade). Nele conhecemos a Parker que é a melhor amiga de Ben e eles inclusive são colegas de apartamento. Claro que nem tudo são flores, eles são bem diferentes, mas apesar disso conseguem conviver muito bem. Ele não tem namorada mas cada semana sai com uma pessoa diferente. Ela, tem um namorado e um emprego que são perfeitos.

Continue lendo…




Resenha: O Clube dos Oito

Peguei O Clube dos Oito para ler por dois motivos: era um YA e uma história bastante sombria.Flannery Culp tem uma história para contar“, diz na capa. “A história de como se tornou uma assassina.” Tenso, não? Pois é, assim eu esperava que fosse. Mas não foi bem assim que o livro se desenvolveu durante a leitura.

“Como um grupo de jovens estudantes bem-educados acabou se envolvendo num escândalo que chocou um país? Por que tantos especialistas em comportamento juvenil têm algo a dizer quando o assunto é o Clube dos Oito? Até quando inúmeras manchetes de jornal e programas de TV sensacionalistas vão explorar o caso nos mínimos detalhes? Para fazer com que a verdade venha à tona, Flannery Culp, a dita líder do Clube, decide tornar público o diário que manteve ao longo do seu desastroso último ano de ensino médio. Agora que está presa por cometer um assassinato, a garota tem tempo de editar o que escreveu e revisitar a rotina que levava ao lado de seus sete melhores amigos. A narrativa de Flan, permeada de professores da pior índole, um amor não correspondido, aulas complicadas e jantares pomposos, comprova que ela pode até ser uma adolescente criminosa — mas, pelo menos, é uma adolescente criminosa muito inteligente.” Fonte

Você está surpreso? Está mesmo? Como acha que eu me sinto?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...