Arquivo para a categoria ‘ Ed. Conrad ’


Outras páginas: Battle Royale (Mangá)

Distopia, jovens duelando, muito sangue, intriga, traições, alianças e claro, gente morrendo. Parece familiar? Eu sei oque você pensou, mas não, não estou falando de Jogos Vorazes e sim de Battle Royale (BR). Um dos precursores da idéia “jovens se matando”, será que Battle Royale realmente está com essa bola toda? Confira comigo no replay.

“No futuro, classes de escolas fundamentais são escolhidas aleatoriamente para competir em uma jogo chamado Battle Royale. As regras: apenas um estudante deve sobreviver após três dias em uma ilha ou então todos morrerão. Armas são distribuídas e cada estudante é enviado para o campo sozinhos e despreparados para o terror que os aguarda. Os alunos se viram uns contra os outros em uma batalha por sobrevivência, alianças são feitas e quebradas, e antigos amigos tornam-se inimigos enquanto a contagem regressiva continua. No meio de traições e contagem crescente de corpos, dois colegas confessam seu amor um pelo outro e juram sobreviver esse jogo mortal juntos.” – Fonte: Traduzido de Tokyopop

Continue lendo…




Outras páginas: Mangá Cavaleiros do Zodíaco

cavaleiros do zodiaco

Embora Cavaleiros do Zodíaco não seja a minha saga de mangás preferida, ela foi a primeira que li, então nada mais justo do que colocá-la nessa coluna.

Então, com licença, vou contar um pouco como conheci essa saga.

Em 1994,  a extinta (e saudosa) TV Manchete começou a exibir alguns animes, dentre eles Os cavaleiros do zodíaco. No começo eu me rachava de rir com aquela abertura e a música brega (sim, eu achava porque não admitia que GOSTAVA – ainda acho um pouco brega, mas penso nela com carinho hoje) e que de tão chiclete acabei decorando, mas que chamou minha atenção e assim acabei me acostumando e me afeiçoando à série. Depois de alguns anos é que veio a conclusão do anime, que passou por três sagas. Na época, eu lia a revista Herói (da editora Conrad), que mostrava as prévias de alguns capítulos e depois mostrou/contou como foi a última saga do mangá, que não foi adaptada para animação (isso mudou por volta de 2005).

Continue lendo…




Resenha: Os pequenos homens livres

Os pequenos homens livres, de Terry Pratchett, foi o primeiro livro do ano, o que significa que comecei o ano com uma leitura deveras divertida.

O livro é uma história do Discworld, ainda que não faça parte da série, assim como O fabuloso Mauricio e seus roedores letrados. Conta a história de Tiffany Dolorida, uma futura bruxa de nove anos, que tem seu irmãozinho roubado pela Rainha e precisa ir busca-lo. Para isso conta com a ajuda dos impagáveis Nac Mac Feegle, os pequenos homens livres. Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 1 de 11