Arquivo para a categoria ‘ Ed. Gente ’


Resenha: Dark House

Dark House, de Karina Halle, tinha todos os elementos de um livro de terror: uma capa sinistra e sombria, uma chamada convidativa “Experimente o terror“. Por isso, todas as minhas expectativas eram de… um livro de terror. Só que não, esse livro, definitivamente, não é de terror. É uma cilada.

“Há sempre algo fora do normal em Perry Palomina. Embora ela esteja vivendo uma crise ao passar pela síndrome pós-faculdade, assim como qualquer garota de vinte e poucos anos, ela não é o que chamaríamos de comum.Perry possui um passado que prefere ignorar, e há também o fato de que ela consegue ver fantasmas. Tudo isso vem a calhar quando se depara com Dex Foray, um excêntrico produtor que está trabalhando em um webcast sobre caçadores de fantasmas.Dex, que se revela um enigma enlouquecedor, arrasta Perry para um mundo que a seduz e ameaça sua vida. O farol de seu tio é pano de fundo de um mistério terrível, que ameaça a sanidade da moça e faz com que ela se apaixone por um homem que, como o mais perigoso dos fantasmas, pode não ser o que parece.” Fonte

Porque acho a vida mais assustadora do que a morte.




Lançamentos de Fevereiro – Editora Gente/Única

Olááá,

Demorei um pouquinho, mas aqui estão os lançamentos de fevereiro da Editora Gente/Única!

Primeiro, o livro que eu li a sinopse e OH LA LA LA! Paris + Chocolate? Preciso dizer que eu quero muito ler?

melhorquechocolateMelhor que chocolate – Laura Florand

Se existe um top 3 categoria “melhores coisas do mundo”, ele está neste livro: Amor. Chocolate. Paris. Que atire a primeira pedra quem não gostaria de ter essas três coisas misturadas em meio a uma aventura inesquecível. Pois é mais fácil do que parece, basta abrir este delicioso (sem exageros) romance de Laura Florand. Cade Corey é uma jovem executiva que cuida do negócio bilionário de chocolate da família, uma empresa popular nos Estados Unidos. Ela sonha em construir uma linha premium de seus produtos, e, como boa conhecedora do seu negócio, sabe que encontrará o chocolate perfeito em Paris. Na verdade, o chocolate perfeito está, mais especificamente, nas mãos igualmente perfeitas de Sylvain Marquis, o melhor chocolatier da cidade. O problema é que Sylvain se recusa a associar sua arte a uma grande empresa que só pensa em destruir sua técnica para reproduzi-la em grande escala. Isso para ele é um insulto, e não uma proposta! Contudo, embora o francês jure que está em paz para tocar a vida, aquela americana teimosa não lhe sai da cabeça. E Cade sente o mesmo: adoraria simplesmente fechar negócio com outro especialista parisiense, entretanto, não consegue esquecer os olhos cortantes de Sylvain e sua personalidade arrogante, porém tão viciante quanto seus doces. Paris está prestes a ficar pequena para o que existe entre eles. Pegue uma boa xícara de café e saboreie tudo aquilo que é melhor que chocolate. Você não vai se arrepender!

Continue lendo…




Resenha: Garota, Interrompida

Quando a Única disponibilizou esse livro, decidi me arriscar, já que o primeiro contato que eu tive com Garota, Interrompida na verdade foi com o filme. Aproveitei então para incluí-lo no Desafio Realmente Desafiante elaborado pela Clícia do blog Silêncio que eu to lendo. Item 12. Lançado antes de 2000.

GAROTAN_INTERROMPIDA

Sinopse: Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Keysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas. Fonte

Quando você não quer sentir nada, a morte pode parecer um sonho.




Resenha: Geek Love – O manual do amor nerd

Quando a Editora Gente anunciou esse lançamento, pensei que ele fosse a minha cara. Oras, eu sou uma nerd assumida: traça de livros, toque do Super Mario Bros. no celular, assisto Sailor Moon religiosamente aos sábados, faço piadinhas que as pessoas não entendem com Silent Hill e Doctor Who, limpo a casa fazendo “uón” quando levanto o aspirador de pó… em resumo, totalmente geek. Achei que seria um livro divertidíssimo, mas demorei cerca de quatro meses para lê-lo. Geek Love – O manual do amor nerd sofre de um problema que alguns nerds sofrem: não saber parar quando a piadinha geek já perdeu a graça.

“Eric Smith sabe mais do que ninguém que existem prazeres imensos na vida geek. Amigos incríveis, conversas até de madrugada sobre realidades alternativas ou até mesmo o simples prazer de ler aquele lançamento de quadrinhos. No entanto, chega um momento na vida de todo nerd em que o amor bate à porta e daí vem a hora de jogar o xadrez tridimensional que é o mundo dos solteiros. Não se desespere, jovem Padawan! Deixe Smith guiá-lo por esse caminho e descubra que amar é muito mais do que flores e bombons. Afinal, nada é normal na vida do nerd, e o amor não é senão o mais extraordinário dos fenômenos humanos.” Fonte

Não estrague suas chances insistindo em provas de legitimidade. Muitas meninas (interessantes!) amam as mesmas coisas nerds que você, mas não amam ser importunadas por causa delas.




Resenha: A Formatura (O Teste #3)

Quem já leu as resenhas anteriores dessa série sabe que eu sou completamente viciada nessa trilogia. Em O TesteJoelle Charbonneau me conquistou com sua escrita vibrante e inteligente. Estudo Independente não foi tão desesperador quanto o primeiro volume; ainda assim, mesmo que mais político e denso, ele fez jus à série com uma ótima continuação. Quando A Formatura foi lançado, fiquei desesperada para colocar minhas mãos nesse volume (adorei a capa! Adoro essa cor). A Editora Única, sempre atenciosa com os parceiros, me enviou rapidinho o livro e eu comecei a ler assim que o recebi. Devorei em questão de dois ou três dias, mas só porque tinha outras coisas para fazer, como trabalhar e dormir (rs). Eletrizante e desesperador, A Formatura foi uma ótima conclusão para a série, mas poderia ter sido brilhante. Sim, faltou alguma coisa, apesar de ser um livro incrível.

Atenção! Essa resenha possui spoilers dos dois primeiros volumes da trilogia: O Teste (leia a resenha) e Estudo Independente (leia a resenha).

“O futuro nunca foi tão incerto e desesperador. Cia Vale jamais imaginaria que as coisas pudessem chegar a esse ponto. Ela tem uma importante missão: liderar as ações para a verdadeira reconstrução do mundo pós-guerra, um caminho sem volta. Agora, ela é a peça-chave para concretizar o plano de pôr fim ao Teste, para o bem das pessoas.Diante de um horizonte cheio de cicatrizes brutais, uma guerra prestes a começar e um governo cruel e corrompido, Cia não tem escolha a não ser se preparar para chegar às últimas consequências – se for preciso.Será que seus colegas a seguirão para a batalha final? O amor de Tomas será forte o suficiente para aceitar e sobreviver à prova mais difícil de suas vidas? Os riscos são maiores do que nunca, e para Cia só resta confiar nos próprios instintos.A formatura, o desfecho da distopia que nos fez perder o fôlego!” Fonte

Vou ter de decidir se fingo que ainda sou a menina de Cinco Lagos que subiu no flutuador a caminho de Tosu City, ou tirar o melhor daquela menina e permitir que isso se molde em algo novo.