Arquivo para a categoria ‘ Ed. Intrínseca ’


Resenha dupla: No escuro

Olá! Hoje a resenha dupla será com um thriller bastante angustiante, de dar calafrios. Para quem é fã do gênero suspense vai gostar. As opiniões da Karen serão em verde e as da Lucy serão em azul.

NO_ESCURO

Sinopse: Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo… Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele. Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo. Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador. Fonte

Mais um livro que adquiri em e-book no começo do ano e só agora consegui lê-lo (isso acontece muito). Eu achei interessante a narrativa do livro, primeiro porque não mostra tudo o que aconteceu de uma vez só. A angústia do leitor aumenta quando você descobre que aconteceu alguma coisa, mas você não sabe da intensidade do que aconteceu e isso só será mostrado aos poucos – isso até me irrita um pouco, mas de forma positiva para a leitura, porque ela flui mais depressa devido à minha curiosidade (estranha, eu? Só um pouco).

Também adquiri o livro há algum tempo, mas demorei para ler, apesar de estar bem curiosa. Como a Lucy, achei bem interessante o método narrativo. As informações são cedidas ao leitor em conta-gotas, de maneira muito sutil, mas diferente da Lucy, isso não me irrita; é uma técnica ótima para um thriller. O que mais dá medo, seja numa leitura ou num filme de horror é exatamente o desconhecido. Por isso esse método é tão efetivo, pois vai construindo lentamente a angústia, de um jeito quase perverso – com os personagens e com o leitor.

Em se tratando de um dia para morrer, o mais longo do ano era tão bom quanto qualquer outro.




Resenha: Como eu era antes de você

como eu era antes de vocêAos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento.

O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

Como eu era antes de você, escrito por Jojo Moyes, não é um livro comum. Após terminar a leitura, eu não consegui pegar outro para ler, porque a história continuava comigo. São poucos livros que eu li até hoje que conseguiram tratar um assunto tão sério de uma forma tão singela e bonita.

E é por isso que eu não consegui fazer uma resenha convencional. Inspirada pelo nosso desafio na Maratona Literária, resolvi escrever uma carta para Will, um dos protagonistas dessa linda história.

Querido Will…




Resenha: Feita de fumaça e osso

Olá! Esse foi o primeiro e-book que eu comprei diretamente para meu Kindle (se não o primeiro, está entre os primeiros), comprei tem quase um ano e só consegui lê-lo agora, aproveitando o Desafio realmente desafiante 2013, que é promovido pelo blog Silêncio que eu to lendo da Clícia Godoi.

Por falar nisso, esse livro é uma das opções para o item número 5. Ler um livro que o autor tenha a mesma inicial que a sua.

Para ler as outras resenhas feitas para o Desafio, é só dar uma olhadinha na minha meta de leitura.

feita_fumaça_ossoSinopse: Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito. Fonte.

Eu terminei de ler esse livro hoje e estou com a sensação ainda de confusão. O livro é bom, mas… Sempre tem um “mas”.

Era uma vez um anjo e um demônio que se apaixonaram. A história não acabou nada bem.




Resenha: Como falar com as garotas nas festas

como falar com as garotas nas festas“Dois garotos lotados de hormônios, uma festa e mulheres com uma beleza de outro mundo. Indicado ao Hugo Awards de melhor conto em 2007, Como falar com as garotas nas festas é exatamente o que todo leitor espera de Neil Gaiman: inusitado e surpreendente. Esta edição especial em e-book, disponível por tempo limitado, inclui um trecho de O oceano no fim do caminho, o mais recente romance do autor, também publicado pela Intrínseca.” Fonte

Não sei dizer porque demorei tanto para resenhar esse conto, ele é ótimo! Acho que talvez tenha sido o fato de que eu o baixei (ainda de graça na Amazon – CORRAM) e imediatamente o li, me diverti horrores e depois voltei às minhas leituras. Aí a resenha foi ficando esquecida, o que é inadmissível porque, preciso dizer a vocês, esse conto é incrível e deve ser lido. Bem, tem um detalhe na capa que já indica que ele deve ser lido: é um conto de Neil Gaiman.

Continue lendo…




Resenha dupla: A Síndrome E

Olá pessoal! Aqui quem fala é a Karen e a Lucy e, como nós duas lemos quase ao mesmo tempo esse novo thiller da Intrínseca, A Síndrome E., de Franck Thilliez, resolvemos fazer uma resenha dupla dele. Só de ler a sinopse o livro já desperta a curiosidade e cria expectativas, porém ele não era tudo aquilo que esperávamos. A Síndrome E decepcionou um pouco, apesar de ser um bom livro. ‘Bora lá saber o que a gente achou dele?

Sinopse: “Um estranho caso vem atrapalhar as férias de verão de Lucie Hennebelle, tenente de polícia em Lille. Seu ex-namorado ficou cego depois de assistir a um filme mudo, anônimo, com um roteiro enigmático, concebido por uma mente doentia. Simultaneamente, o comissário Franck Sharko, veterano da Divisão de Homicídios e analista comportamental na Divisão de Repressão à Violência, passa por um tratamento na tentativa de curar a esquizofrenia.

No norte da França, cinco cadáveres não identificados foram encontrados sepultados a dois metros de profundidade mutilados de maneira atroz e em estado de decomposição avançada e Sharko cede ao chamado da aventura. Enquanto Lucie descobre os horrores escondidos no estranho filme, um misterioso informante do Canadá aponta-lhe o elo entre aquele rolo e os cinco cadáveres.

Um único e mesmo caso, graças ao qual Lucie e Sharko, tão diferentes e ao mesmo tempo tão próximos em sua concepção do ofício, irão se encontrar. Das favelas do Cairo aos orfanatos do Canadá nos anos 1950, os dois colegas irão se deparar com um mal desconhecido, batizado como “síndrome E”. Uma realidade assustadora que revela como o ser humano pode ser capaz das maiores atrocidades.” Fonte

Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 19 de 24« Primeira...10...1718192021...Última »