Arquivo para a categoria ‘ Não-Ficção ’


Resenha: O Mundo pelos Olhos de Bob

Bob chegou aqui em casa antes do Natal e posso dizer que, para mim, foi um ótimo presente da Editora Novo Conceito. Eu fiquei apaixonada pelo primeiro livro: Um gato de rua chamado Bob. E realmente é um livro apaixonante: já emprestei para algumas pessoas lerem e todo mundo – mesmo quem não é dono de gatinhos – se comove com a emocionante história de James e seu melhor amigo, o gatinho laranja Bob. Em O Mundo pelos Olhos de Bob temos mais do mesmo: mais aventuras dos dois amigos, mais perrengues de James, mais traquinagens de Bob. Mas isso não significa algo ruim, muito pelo contrário. O primeiro livro ainda é melhor, mas esse segundo volume ainda é capaz de arrancar sorrisos e mesmo algumas lágrimas. Merece ser lido.

“Depois de um passado difícil, James foi adotado pelo gato Bob. Agora os dois têm um emprego de verdade (são vendedores ambulantes de revistas) e se tornaram personalidades conhecidas em toda Londres. Bob tem muitos admiradores, que passam todos os dias para vê-lo – alguns deles trazem cachecóis de lã para ajudá-lo a enfrentar os dias mais gelados. Entre truques adoráveis e manhãs de puro mau humor, Bob e James se tornam cada vez mais inseparáveis. Por trás da divertida história de um homem às voltas com seu animal de estimação, o segundo livro de James Bowen fala sobre amizade, ¬ delidade e esperança. Bob se torna a chave que traz James de volta ao mundo, a motivação que faltava para sua decisiva volta por cima. Impossível terminar de ler O mundo pelos olhos de Bob sem querer abraçar seu pet – ou adotar um! Apaixone-se…” Fonte

Eu disse a mim mesmo que deveria ver o mundo como Bob. Afinal, havia tantas coisas boas pelas quais eu deveria ser grato.




Lançamentos da Novo Conceito: A Casa do Céu

Quando soube desse lançamento da Novo Conceito fiquei com muita vontade de lê-lo. Gostei da capa – simples, mas bonita – e gostei da premissa do livro. Sempre me interesso por essas histórias reais, de sofrimento e superação. É assim que é a vida, não é? Que tal conhecer um pouquinho mais sobre A Casa do Céu, lançamento de novembro da editora?

“Quando criança, Amanda escapava de um lar violento folheando as páginas da revista National Geographic e imaginando-se em lugares exóticos.

Aos dezenove anos, trabalhando como garçonete, ela começou a economizar o dinheiro das gorjetas para viajar pelo mundo.

Na tentativa de compreendê-lo e dar sentido à vida, viajou como mochileira pela América Latina, Laos, Bangladesh e Índia. Encorajada por suas experiências, acabou indo também ao Sudão, Síria e Paquistão. Em países castigados pela guerra, como o Afeganistão e o Iraque, ela iniciou uma carreira como repórter de televisão. Até que, em agosto de 2008, viajou para a Somália — “o país mais perigoso do mundo”. No quarto dia, ela foi sequestrada por um grupo de homens mascarados em uma estrada de terra.

Mantida em cativeiro por 460 dias, Amanda converteu-se ao islamismo como tática de sobrevivência, recebeu “lições sobre como ser uma boa esposa” e se arriscou em uma fuga audaciosa. Ocupando uma série de casas abandonadas no meio do deserto, ela sobreviveu através de suas lembranças — cada um dos detalhes do mundo em que vivia antes do cativeiro —, arquitetando estratégias, criando forças e esperança. Nos momentos de maior desespero, ela visitava uma casa no céu, muito acima da mulher aprisionada com correntes, no escuro e que sofria com as torturas que lhe eram impostas.

De maneira vívida e cheia de suspense, escrito como um excepcional romance, A Casa do Céu é a história íntima e dramática de uma jovem intrépida e de sua busca por compaixão em meio a uma adversidade inimaginável. Fonte

Continue lendo…




Resenha dupla: Um Gato de rua chamado Bob

Eu, Karen, e a Lucy somos doidas por gatos. Super doidas. (Mas a Lucy é mais doida que eu, juro!) (Eu sou mesmo @_@). Então ficamos num dilema quando a Novo Conceito anunciou o lançamento do livro Um Gato de rua chamado Bob. Quem vai ler? Lucy vai ler? Karen vai ler? Acabou que as duas leram. E então temos novamente uma resenha dupla cheia de amor pelo livro e por esses felinos lindos… e pelo Bob, claro. Comentários da Karen em verde, comentários da Lucy em azul.

Aproveitem a resenha! Esperamos que gostem! Ele é o prêmio do nosso Top Comentarista de setembro!

Sinopse: “Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks).

Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados.

Um Gato de Rua Chamado Bob é uma história comovente e edificante que toca o coração de quem a lê.” Fonte

Gatinho! >.<




Resenha: O momento mágico

O momento mágico“Em uma cidadezinha, a 100 quilômetros de Detroit, há uma loja antiga com mais de 78 anos que se tornou um ícone em roupas para casamento e vestidos de noiva. Por ali já passaram mais de cem mil moças: noivas, mães e madrinhas. Seus vestidos vão além de roupas elegantes para mais uma cerimônia: eles representam, no imaginário das noivas e de seus pais, a garantia de uma noite de princesa, um símbolo do “felizes para sempre”.
Para estas moças, este lugar é, certamente, uma linha divisória: de um lado está a fé no amor e no romance e, do outro, a ingenuidade e o medo.

Da substância desses sentimentos contraditórios, Jeffrey Zaslow selecionou histórias que às vezes nos fazem rir, às vezes nos partem o coração, mas que oferecem um panorama do que é o casamento e do que as famílias ensinam às suas filhas sobre amor e compromisso.”

O Momento Mágico é um livro de não-ficção escrito por Jeffrey Zaslow, que além de ser autor de vários livros, foi colunista do The Wall Street Journal.  Ele era casado e tinha três filhas e foi exatamente por causa do seu amor por elas que ele resolveu escrever esse livro.

Toda vez que acontece um casamento, um mundo novo é criado!




Resenha: Em Busca de um Final Feliz

“Em Busca de um Final Feliz, de Katherine Boo, é um livro brilhantemente escrito. Através de uma forte narrativa, descobrimos como é o dia a dia dos moradores de Annawadi, uma favela à sombra do elegante Aeroporto Internacional de Mumbai, na Índia. A história de seus habitantes nos faz rir e chorar, porque “o que é celebrado neste livro não é o que poderíamos chamar toscamente de ‘o encanto da lama’, mas a riqueza das pessoas que — para o bem e para o mal — compõem um tronco social que está cada vez mais presente no nosso mundo moderno”. (Zeca Camargo, em prefácio a esta edição).

O leitor vai se apaixonar por Sunil Sharma, o menino catador de lixo que quer ficar rico, por Manju, a moça mais bonita da favela, que quer ser professora, e até pela tresloucada Fátima, a Perna Só, que só quer um pouco de atenção.

Em seu primeiro livro, Katherine Boo aponta as diferentes realidades das economias emergentes e, ao mesmo tempo, nos deixa enternecidos com seus personagens tão verdadeiros.” Fonte

Quando decidi ler Em Busca de um Final Feliz, eu esperava um livro de não-ficção padrão, talvez na forma de relato jornalístico. Porém, o que encontrei foi um livro sensível, em que acompanhamos a vida de pessoas reais, seus pensamentos e aspirações, tudo isso tão bem descrito que a sensação é que estamos acompanhando um romance e seus personagens. Porém, em nenhum momento, devemos esquecer que essas pessoas – inclusive com seus nomes verdadeiros – são de carne e osso; elas realmente passaram – e passam – pelos tormentos de uma Índia miserável e corrupta que, muitas vezes, rouba-lhes as esperanças.

Devo dizer que encontrar um livro de não-ficção escrito dessa forma essa foi uma grata surpresa e tornou a leitura muito mais interessante.

Ser pobre em Annawadi, ou em qualquer favela de Mumbai, era ser, invariavelmente, culpado de uma coisa ou outra.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...