Arquivo para a categoria ‘ Não-Ficção ’


Resenha + Promoção: Sonhe Mais

“Jai Pausch passou por um trauma: a perda do marido para um câncer de pâncreas. A enfermidade de Randy Pausch também destruiu as verdades e as certezas em que Jay acreditava. Pega de surpresa pela doença, que avançou rapidamente, Jay Pausch precisou inverter suas prioridades. Acostumada a cuidar da família, percebeu que aquele era, também, o momento de cuidar de si mesma, porque, do contrário — caso fraquejasse —, sua família não sobreviveria. E, apesar de todas as alterações pelas quais passou, foi capaz de registrar a maior parte de suas experiências, dúvidas e medos.

Este registro acabou se constituindo num relato vigoroso sobre como a morte muda o relacionamento entre as pessoas e sobre como é possível sobreviver, passo a passo, a essas mudanças.

Sonhe Mais é referência para todos os que estão vivendo uma fase de transição e é leitura obrigatória para aqueles que passaram, ou estão passando, por um momento de dor.” Fonte

Essa resenha hoje vem em um dia bastante especial: 8 de abril é o dia mundial de combate ao câncer. É também o dia que a minha avó materna faria aniversário; ela faleceu devido a um câncer há quase 16 anos e, há quase um ano, minha mãe se foi com o mesmo câncer que levou anteriormente sua própria mãe. Portanto, quando vi esse livro na lista de solicitações da Novo Conceito percebi que precisava lê-lo. Como é dito na sinopse, Sonhe Mais é um livro perfeito para as pessoas que estão passando – ou já passaram – por um momento de dor e de perda. Se você se enquadra em qualquer um dos casos, corra e leia esse livro; se não, leia-o também: Sonhe Mais é um relato sensível, real e emocionante que merece ser lido.

É preciso procurar bem lá no fundo, mas ela está lá, esperando para ser trazida à tona: uma força indescritível. (…) percebi que simplesmente tinha que fazer o que precisava ser feito.




Resenha: Brain on Fire

brain_on_fireEu tinha prometido pra mim mesma que minha próxima resenha seria de algum livro já lançado ou com data de lançamento no Brasil; mas aí Brain on Fire aconteceu e não tive outra alternativa a não ser vir aqui no blog e escrever sobre ele.

Descobri esse livro por acaso: passeando pelas sessões psicológicas e médicas da minha livraria favorita, o título me chamou a atenção. Eu já tinha decidido não comprar nada naquele dia pois minha lista de livros que tenho e nunca li é capaz de cobrir quase dois anos de leitura. Mas aí li a sinopse e vi que se tratava de uma história real, e bem, o acordo que fiz comigo mesma esse ano exige que eu leia mais livros de não-ficção, então Brain on Fire veio pra casa comigo.

Continue lendo…




Resenha: Columbine

Em 20 de Abril de 1999, dois adolescentes no último ano do Ensino Médio entraram na sua escola e começaram a atirar em colegas e professores, matando um total de 13 pessoas e ferindo mais de 20 antes de tirarem as próprias vidas. A tragédia que chocou a pequena cidade de Littleton, Colorado, foi transformada em um circo pela mídia e pelas igrejas locais, causando intermináveis debates sobre aquisição de armas, medicamentos para depressão, e pais que não criam seus filhos com valores morais. Mas a pergunta que assombrou os estudantes, seus pais e todos que acompanharam o caso nunca foi propriamente respondida: Por quê? Juntando elementos da investigação, relatos de profissionais ligados ao caso, entrevistas com diversas pessoas envolvidas, e os diários e vídeos dos assassinos, Dave Cullen formou um esboço de Eric Harris e Dylan Klebold, que nos ajuda a entender melhor seus motivos e, quem sabe, prevenir que mais tragédias desse tipo aconteçam.

Eric dreamed big but settled for reality




A Cuca Recomenda: Minhas mulheres e meus homens

“O que Chico Buarque, Ruth Cardoso, Quércia e Angeli têm em comum? E Rubem Fonseca, Sônia Braga, Bob Wolfenson e Arnaldo Jabor? Bem, todos eles estão neste livro de Mario Prata em histórias que envolvem paixao, amizade, medo e aventura. O escritor sacou sua agenda de mais de 600 nomes e criou estas histórias, organizadas em forma de verbetes, que despertam o lado voyeur de cada um de nós, sempre de maneira bem-humorada e inteligente.” Fonte

A Cuca retorna com uma recomendação de arrebentar. Bem, eu sou suspeita para falar de Mario Prata, mas vou tentar ser imparcial (acho que não vou conseguir). Eu sou completamente apaixonada pelo que ele escreve, e também o acho uma pessoa muito bacana (um dia eu conto como eu o conheci). Seja lá como for, se um livro dele cair na minha mão, eu leio o mais rápido que puder. E esse livro eu ganhei em um concurso de perguntas no Twitter e, bem, assim que ele chegou fiquei doidinha para ler. E a experiência não me decepcionou.

Leia uma agenda de telefones, um dicionário de pessoas…




Resenha: Na Natureza Selvagem

“O corpo em decomposição de um jovem é encontrado no Alasca. A polícia descobre que se trata de um rapaz de família rica do Leste americano que largou tudo, se internou sozinho na aridez gelada e morreu de inanição.
Quem era o garoto? Por que foi para o Alasca? Por que morreu? Para responder a essas e outras perguntas, Jon Krakauer refaz a trajetória de Chris McCandless, revelando a América dos que vivem à margem, pegando carona ou circulando em carros velhos, vivendo em acampamentos e cidades-fantasmas. Mergulha no mundo da cidadezinha rural, onde homens rudes bebem e conversam sobre o tempo e a colheita. Compara a história do jovem com a de outros aventureiros solitários que tiveram fim trágico.
O resultado é uma narrativa envolvente, por vezes amarga, em que os sonhos da juventude se transformam em pesadelo.

Fonte
Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...