Arquivo para a categoria ‘ Suspense ’


Resenha: O Manuscrito

Falou em thriller eu já quero ler! Por isso, quando vi O Manuscrito na lista de lançamentos da Editora Arqueiro sabia que precisava lê-lo. A sinopse, a capa, a chamada do livro, tudo é tão urgente. E, assim que o livro chegou, comecei a lê-lo com a mesma urgência. No entanto, apesar de consistente e bem escrito, o suspense não foi tão empolgante quanto pensei. Um tanto previsível e bastante descritivo, O Manuscrito poderia ter sido ótimo, mas foi apenas bom.

O Manuscrito_16mm.indd“Não existe no mundo uma única pessoa que possa comprovar tudo o que está nestas páginas. Mas há uma pessoa que pode chegar perto disso. Há outras pessoas que poderiam, se devidamente motivadas, confirmar certos fatos. Talvez este livro seja a motivação para essas testemunhas, um impulso para revelarem suas verdades, para comprovarem esta história. Mas o autor não é uma dessas possíveis testemunhas. Porque, se o que você está lendo for um livro concluído, impresso, encadernado e distribuído para o mundo, é quase certo que eu já esteja morto.” Fonte

Pouco antes do amanhecer, Isabel Reed lê a última folha.




A Cuca Recomenda: Até o Fim da Queda

Desde que esse livro foi lançado pela Editora Draco no início do ano, eu estava doida para ler. É claro que A Pilha não me abandona, então fui deixando, deixando… Até que um dia peguei o e-book determinada e comecei a ler. E descobri que deveria tê-lo lido antes. Devorei-o. Perturbador e angustiante, Até o Fim da Queda é uma pérola rara do mais puro horror e precisa ser lido imediatamente.

“1993. Em pouco tempo sete jovens se suicidam, e rumores sobre um ritual ganham as páginas dos jornais. A polícia descarta a opção e dá o caso como encerrado.
Anos se passam e Daniel Farias, um popular escritor de terror, decide reconstituir o caso em sua nova obra. Durante a pesquisa, descobre histórias sobre uma ordem secreta operando em nome de um demônio, o Dragão Vermelho, cujas origens remontariam a um exorcismo ocorrido no século XVI, na Espanha.
Sucesso imediato entre os fãs, o livro alcança a lista de best-sellers e também as páginas policiais, ao se espalhar a notícia de que leitores estariam se matando após a sua leitura. Isso faz as vendas explodirem, e o mistério aumenta quando o próprio Daniel começa a ser vítima de ameaças, enquanto pais preocupados tentam boicotar o livro.
Livro de estreia de Ivan Mizanzuk, uma das novas promessas do thriller nacional, Até o fim da queda desenha através de cartas, entrevistas e artigos de jornais uma trama de conspirações e inquietudes, ao mesmo tempo em que investiga as mais profundas angústias humanas, e o preço que pagamos ao tentarmos silenciá-las. Descobrir o que se esconde no fundo desse abismo pode custar sua própria sanidade.” Fonte

Toda a maldade que existe no mundo é feita por nós mesmos.




Resenha: Caixa de Pássaros

Sabe quando você está quase arrancando os cabelos para ler um livro? Pois é, essa foi a minha sensação quando a Intrínseca anunciou o lançamento de Caixa de Pássaros. Capa incrível, sinopse loucamente intrigante, a promessa de um thriller de tirar o fôlego e perturbar até o mais corajoso dos leitores. Quando o livro chegou, iniciei a leitura imediatamente e terminei em dois dias, mas a vontade era de ler em um só, sem dormir, sem comer, sem respirar. O livro cumpriu suas promessas com louvor e superou todas as expectativas. Talvez a melhor leitura de 2015.

“Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.” Fonte

Vocês não querem ver esse mundo.




Resenha: Um Outono em River Falls

UM_OUTONO_EM_RIVER_FALLSSinopse: Um Outono em River Falls – Nesse início de outono, dois assassinatos cometidos um após o outro vêm perturbar a relativa tranquilidade de River Falls, que começava a se restabelecer da sórdida sequência de crimes de alguns meses antes.
O primeiro assassinato causa estardalhaço: Robert Gordon, um advogado brilhante, conhecido por sua filantropia, é encontrado eletrocutado na banheira de sua luxuosa mansão em Golden Hill, o bairro rico da cidade. Tudo indica que o assassino tentou disfarçar o crime em suicídio, mas de maneira descuidada.
No mesmo dia, o corpo de um mendigo, coberto de hematomas e encontrado no rio, chega ao necrotério, sem causar maior comoção. A priori, nenhuma ligação entre os dois casos.
O xerife Mike Logan, com a ajuda de sua companheira, a célebre profiler Jessica Hurley, terá de elucidar os assassinatos.
Tem início um inquietante mergulho nas regiões obscuras da alma humana que revelará segredos devastadores. Fonte

Esse livro é sequência de Sete Dias em River Falls, mas a resenha não contém spoilers do livro anterior. Leiam sem medo!

Continue lendo…




Resenha: A Morte de Sarai

Esbarrei com A Morte de Sarai por aí, por acaso, nas minhas idas e vindas pela Amazon. Só depois que adquiri o e-book  percebi que ele era um mega lançamento da Suma de Letras, uma das suas grandes apostas para esse mês. A autora, J.A. Redmerski, é mesma de Entre Agora e o Nunca, que eu não li (a resenha aqui do blog, dupla, é da Lucy e da Lany) e, sinceramente, não tenho muita vontade de ler. Mas quando li a sinopse de A Morte de Sarai, ao contrário, percebi que precisava ler esse livro imediatamente. Sabe quando você sente uma urgência que não dá pra ignorar? Pois é. E  realmente li esse livro com uma urgência alucinante. A Morte de Sarai é daqueles livros incríveis e impossíveis de largar.

“Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte.

Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo.

Em “A Morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.” Fonte

Ninguém é inocente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...