Em Outras Palavras: The Lizzie Bennet Diaries

Nossa semana Orgulho e Preconceito está chegando ao fim mas não poderíamos deixar de falar da mais nova e definitivamente mais ousada adaptação da obra de Jane Austen. Para falar sobre The Lizzie Bennet Diaries ninguém melhor do que a pessoa responsável pelo meu vício em Lizzie e Darcy dos dias modernos, a Sabrina do Café com Blá Blá Blá. Com vocês… Lizzie Bennet!

The-Lizzie-Bennet-Diaries

*Pode conter spoilers do enredo de Orgulho & Preconceito!

“Sou uma universitária de 24 anos com uma montanha de dívidas em crédito estudantil, morando em casa e me preparando para uma carreira. Mas para a minha mãe, tudo o que interessa é que eu sou solteira.

Meu nome é Lizzie Bennet e essa é a minha vida”.

Oh, wait!

Sim, senhoras e senhores, vocês não estão enganados! Essa é (mais) uma adaptação da obra mais querida (pelo menos por mim e pelas meninas do Por Essas Páginas) da Jane Austen: Orgulho e Preconceito.

Troque os vestidos e babados por jeans e camisetas, transforme os bailes de época em baladas e troque as longas missivas por celulares e tweets. Agora você está pronto para adentrar o universo (moderno) de The Lizzie Bennet Diaries!

TLBD, como é conhecida pelos íntimos, é uma websérie criada exclusivamente para o Youtube em coautoria por Hank Green (ele mesmo, minha gente! A segunda metade do vlogbrothers, conhecido por suas criações inusitadas, suas composições inspiradas e, claro, o seu parentesco com John Green) e Bernie Su (um produtor e roteirista de séries consagrado por suas produções). E, por incrível que pareça, essa ideia genial de adaptar a obra clássica para as telinhas dos computadores surgiu pelo simples fato de que Orgulho e Preconceito é o livro favorito da esposa do Hank – que já vinha maturando a ideia de um projeto crossmedia há um tempo e encontrou em O&P o ponto de partida perfeito.

Ao longo de seus episódios, nós acompanhamos a trajetória de ninguém menos do que Lizzie Bannet em pessoa, que narra, de maneira bem divertida e afetada, os acontecimentos de sua vida em seu vlog pessoal. As crises de nervos da mãe, as excentricidades do pai, a imaturidade de Lydia e a doçura de Jane – está tudo ali representado. E, assim como acontece no livro, tudo ganha força com a chegada do simpático (e rico!!!) estudante de medicina Bing Lee à vizinhança. Ora, quer partido melhor para as filhas da Senhora Bennet???

Porém, é óbvio que Lizzie acaba se estranhando com o amigo pouco sociável do rapaz: o “desagradável” William Darcy. Aliás, um dos passatempos favoritos da nossa narradora é justamente apontar as falhas esquisitices “daquele homem insuportável”.

lbd01

“Meu nome é Lizzie Bennet e William Darcy não gosta de mim”.

E é aí que entra o grande mérito de TLBD: a adaptação! É incrível como os roteiristas conseguem ser extremamente criativos e, ao mesmo tempo, se manter tão fiéis à obra original!

Outro fator que merece destaque são as atuações. No início, o elenco se resume apenas à Lizzie (interpretada perfeitamente por Ashley Clements), Jane (Laura Spencer), Lydia (Mary Kate Wiles) e Charlotte (Julia Cho). Toda vez que um outro personagem é mencionado ou um acontecimento é relatado (sempre nos mínimos detalhes), as meninas “encarnam” os outros interlocutores – sempre com a ajuda de alguns acessórios-chave, que traduzem a personalidade do referido personagem. Por exemplo, para encarnar Darcy, são necessários a boina e a gravata; Para a Senhora Bennet, a echarpe e o chapéu; Já para o Senhor Bennet, o cachimbo, e assim por diante. Mas, se você pensa que para por aí, está enganado! Com o decorrer da história, alguns deles acabam aparecendo de fato – mas sempre “aos pouquinhos”, o que só aumenta o suspense de “quando veremos quem”!

(Nem comento o quão “sofrida” foi a espera por Darcy em carne e osso!!!! Esse dia ficou conhecido entre os fãs como #DarcyDay e acreditem: só se falava nisso!)

Aliás, eu preciso dedicar um parágrafo a esse personagem tão icônico (e charmoso, prefeito, insubstituível…)! A atuação do Daniel Gordh é simplesmente a coisa mais… Mais… Mais querida dessa vida – #prontofalei! Ele consegue passar toda a “akwardness” (tradução, oi?) do personagem para a tela! E a química dele com a Ashley é perfeita! Os dois conseguem arrancar suspiros, risinhos e “Awns” dos fãs toda vez que estão em cena. Sem dúvida, são dignos do papel!

lizzie_darcy

E se você já está achando tudo perfeito demais, acredite: fica melhor! O principal diferencial do projeto não é nenhum desses fatores que eu mencionei anteriormente, mas sim a interatividade! Sabe quando você termina de ver um filme ou uma série ou acaba de ler um livro e simplesmente não quer se despedir dos personagens? Então. Em The Lizzie Bennet Diaries você pode segui-los no Twitter e acompanhar o desenrolar dos acontecimentos “ao vivo”.

bennet_sis_charlotte

Além disso, alguns plots continuam em vlogs paralelos, que servem para complementar a história e apresentar o ponto de vista de outros personagens. Por exemplo, na época em que Charlotte viajou para visitar a sua família, ela manteve um canal à parte com suas experiências. Outra que também tem um canal só seu é Lydia – e sim, é através dele que acompanhamos sua aproximação (doentia, eu diria) com Wickham (Wes Aderhold). Mais recentemente, foi criado mais um vlog paralelo, protagonizado por Gigi Darcy (Allison Paige), onde ela apresenta a demo do mais novo projeto da Pemberley Digital – porque é claro que a propriedade mais querida de O&P tinha que estar presente de alguma forma! Porém, ao invés de uma imensa propriedade, em TLBD Pemberley é o nome da empresa onde os nossos queridos Darcys trabalham!

Ou seja, ao acompanhar todos esses desdobramentos, você acaba tendo uma visão completamente inusitada não só dos personagens, mas da história como um todo, o que torna essa experiência muito rica e diferente de tudo o que vemos por aí!

Confesso que no começo até fiquei com um pé atrás… Afinal, sempre temo que as adaptações não consigam fazer jus a uma história tão querida. Mas com TLBD, a paixão foi instantânea! Sério! Ainda não conheci um fã de Jane Austen que não gostasse do resultado final!

Portanto, se você, assim como nós, tem Orgulho e Preconceito na sua mesinha de cabaceira, entre os seus livros favoritos, você TEM que conferir The Lizzie Bennet Diaries!!!

Ficou curioso? Que tal conferir o primeiro episódio da websérie?

Para aqueles que já acompanham TLBD, recomendo esse especial super bacana com o making of da série – mas é só pra quem já viu mesmo, porque tem spoilers!!!)

lizzie_b

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Carol Felipe disse:

    Ain…eu AMO TLBD!!!! No começo tb fiquei com o pé atrás, até achei um pouquinho chato os primeiro epis, mas simplesmente fui sugada para esse universo moderno de O&P e enlouqueci, me apaixonei…
    Vc simplesmente conseguiu expressar tudo que eu tb acho de TLBD…o roteiro é fantástico e os atores mais ainda!!! A interatividade é um bônus maravilhoso para os fãs, afinal, como conseguiríamos acompanhar todos os esquemas da Gigi e Fitz no twitter para juntar a Lizzie e o Darcy….aaawwwnnn <3
    Mas essa semana passada eles se superaram….que escândalo foi aquele da Lydia???!!! Estou pasma e surtando até agora!!!! A atriz que interpreta a Lydia merece um prêmio de tão fantástica que ela está!!!
    Vou parar de falar para não soltar spoiler!!! Huahuahua!! #fui

  • Lucy disse:

    As meninas já estavam me incentivando a assistir, com este post, então, vou correndo! 😀
    Aliás, eu já tinha conhecimento da série antes, não sei exatamente porque eu não assisti! Hunf! Shame on me!
    Bjos bjos

  • Vania disse:

    Sá, primeiramente muito obrigada por ter feito esse post lindo sobre nosso novo vício! Foi um prazer ler, e confesso que se eu não estivesse acompanhando a série, eu teria corrido para o youtube e começado a assistir logo após terminar de ler o post.

    Eu concordo com você sobre basicamente tudo que você disse! Os atores são incríveis, a interatividade é fascinante e a adaptação em si é revigorante! Adoro como a Lydia deixou de ser uma personagem secundária e ganhou camadas, algo que nós não temos a chance de ver no livro. A adaptação das épocas também me fascina; adoro como o problema financeiro de Longbourn ser “entailed to the male line” foi traduzido para Lizzie ter débito escolar, e mais recentemente como a indiscrição da Lydia foi trabalhada. É um take extremamente moderno mas sem perder a essência dos personagens!

    Ahhhh, não vejo a hora de termos o episódio novo hoje!!!

  • Juh Oliveto disse:

    Só nos últimos dois dias essa é a quarta recomendação da série que leio. Acho que isso é um sinal e que devo começar a assistir assim que possível!
    Amei a ideia da série e os comentários elogiosos, então – com certeza – assim que tiver o primeiro tempo livre correrei para TLBD!
    Obrigada pela análise! 😀

    Beijocas!
    Juh Oliveto
    Livros & Bolinhos ~

  • Lany disse:

    Eu deixo aqui escrito o meu agradecimento a Sabrina, Ily e Mari por comentarem com tanto carinho sobre a série no twitter, que acabou aumentando a minha curiosidade e fazendo com que eu assistisse a série!
    Eu ja sabia que essa série exisita… mas até semana passada, ainda não tinha assistido. Acho que foi a mistura da semana Orgulho e Preconceito (que eu não ajudei porque eu não sou a maior fã de Jane Austen… So li o livro e assisti o filme de 2005) e a conversa de vocês no twitter. Então, eu digo: por favor, quando tiver algo do tipo, ME OBRIGUEM A ASSISTIR!
    Estou completamente apaixonada por TLBD. Não so os atores protagonistas são excelentes, mas todos os outros também! Eu nunca imaginei que fosse gostar tanto assim da Gigi e da Lydia!
    Mesmo conhecendo a historia, a gente ainda fica na pontinha na cadeira, porque nos não sabemos como que vai ser adaptado! E o fato de a historia continuar nos outros canais, como no twitter… Eu AMEI isso! Por exemplo, essa semana eu fiquei super triste com as atualizações da Lydia…

  • Melissa de Sá disse:

    Adoro essa série! Assisto desde o comecinho e é simplesmente uma das coisas mais geniais que já vi. 🙂

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem