[Especial Liane Moriarty] TTT – Os dez temas abordados pela escritora

ttt2013

Top Ten Tuesday essa semana mudou de dia e de tema, mas o motivo é especial: estamos comemorando a Semana Liane Moriarty junto com a Editora Intrínseca, para celebrar essa escritora maravilhosa que todos devem ler – e também o lançamento do seu livro mais recente, O que Alice esqueceu (resenha aqui).

O Top Ten Tuesday é um meme semanal criado pelo blog The Broke and the Bookish!

Mulheres

Antes de tudo, Liane Moriarty é uma escritora, mulher, que escreve pensando nas mulheres e, mais importante, compreendendo-as. Os livros dela (talvez empatados com os da Elena Ferrante) são os que falam de maneira mais honesta e crua sobre a realidade feminina, abordando com coragem e sensibilidade vários temas, inclusive tabus, como a não maternidade ou o estupro. Alguns deles estão nesta lista.

Família

A família é um tema recorrente nas obras da autora e, por família, não digo apenas aquela “família comercial de margarina”, mas vários tipos e composições familiares, e suas mais diversas dinâmicas. O que nos leva ao próximo tema…

Preconceito

Quando você fala em coisas fora da caixinha, especialmente sobre famílias fora da caixinha, não tem como não falar de preconceito, e a autora aborda o tema sem medo, colocando o dedo na ferida. Ela mostra desde a hostilidade dos outros, como no caso da maneira horrorosa como tratam Jane e Ziggy em Pequenas Grandes Mentiras (resenha)apenas porque eles são família de uma mãe solteira e um menino, até de maneira sutil e com certo tom de humor, como, no mesmo livro, o exemplo de Tom, o dono de um café na cidade, que todo mundo diz que é gay apenas porque é um cara reservado e gentil (e, aparentemente na cabeça de algumas pessoas, a masculinidade está atrelada à grosseria).

Carreira x vida doméstica

E é importante debater isso, porque é sempre algo relevante na vida de uma mulher: a eterna dúvida e julgamento acerca da carreira versus a vida doméstica. E a autora traz esses questionamentos. É possível conciliar carreira e a vida doméstica? E se uma mulher é muitíssimo bem-sucedida, isso significa que ela é uma péssima mãe? Ou uma mulher é um ser humano egoísta e vazio por não ser mãe e preferir a carreira ao invés disso? Os homens sentem inveja das mulheres que se destacam na carreira?

Spoiler: mulher pode fazer o que quiser. E ponto final.

Maternidade

Não tem como falar de Liane Moriarty sem falar do tema maternidade, afinal, todos os livros dela possuem personagens que são mães ou a história, em algum momento, aborda esse tema: mães jovens ou na meia-idade, mães neuróticas, controladoras, amorosas ou calmas, mães ressentidas ou de bem com a vida, mães que se sentem culpadas. Você encontra esse tema debatido em todas as páginas de Pequenas Grandes Mentiras, mas é de Até que a culpa nos separe (resenha) que eu gostaria de falar neste momento: há uma personagem que não é mãe, e todos a julgam de alguma maneira por isso (ela é egoísta, ela é fria, ela só pensa na carreira, ela é controladora etc.), porém a autora surpreende dando uma relevância à personagem no final da obra que é um soco no estômago dos outros personagens – e também de alguns leitores.

Cidades pequenas

É batata: todo livro da Liane Moriarty se passa em uma cidadezinha pequena, pacata, onde todo mundo se conhece. E isso ajuda na dinâmica das histórias, pois a “comunidade” é um personagem central e de grande importância nas tramas e reproduz, de maneira mais íntima, a pressão e o julgamento da sociedade como um todo, que todos nós sentimos – especialmente as mulheres.

Violência e Abuso 

Essa é para você que torce o nariz ao ver um livro desses na prateleira: escrito por uma mulher, protagonistas mulheres, florzinha se despedaçando na capa? Ah, é draminha feminino e nenhuma ação acontece. Que nada! É aí que você se engana: os livros da autora possuem violência, e muita, e em sua maioria, a violência que ninguém quer comentar, aquela que é varrida para debaixo do tapete: estupro, abuso físico e emocional, violência doméstica, feminicídio. E por que as pessoas varrem esses temas para debaixo do tapete? Porque acontecem com mulheres. 

Segredos e Mentiras

Há muita coisa não dita nos relacionamentos, sejam amorosos, familiares ou de amizade. E Liane Moriarty fala muito bem desse silêncio, de como os segredos podem ser perigosos e esconder sofrimentos terríveis, e de como as mentiras são prejudiciais e podem arruinar vidas e relações. Ela gosta tanto do tema que duas de suas obras têm essas palavras bem no título: Pequenas Grandes Mentiras O Segredo do Meu Marido (resenha).

Competição

Todo mundo gosta de espalhar por aí que mulher não tem amiga, tem rival (e que frasezinha horrível). E Liane Moriarty vai lá e subverte essa ideia de que as mulheres são competitivas – ela mostra a competição, mas também o que acontece por dentro dessas mulheres, atrás dos véus da normalidade e das cortinas das casas bem-cuidadas, como essa necessidade e exigência da sociedade para a mulher se destacar corrói por dentro. E como elas são levadas a isso por uma sociedade machista, que não pára de exigir da mulher, desde seu corpo e seu tempo à sua sanidade. E isso nos leva ao último tema…

Amizade

Porque, lendo a autora subvertendo o clichê da competição, você chega à conclusão que existe lugar para todas as mulheres e que elas se tornam mais fortes unidas. Que elas não precisam lutar entre si, mas contra essa sociedade que as coloca em moedores de carne todos os dias. Que a amizade entre mulheres é uma das coisas mais belas, emocionantes e necessárias que existem na vida.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Evandro disse:

    Coincidência ou não estou lendo O segredo do meu marido. Esse livro já estava na minha estante há bastante tempo, comprei em uma promoção não me lembro se na bienal do rio ou de sp. Embora tenha lido algumas críticas negativas sobre esse livro em especial, eu estou gostando muito da escrita da autora, que por si só é deliciosa e toda a força dos relacionamentos e suas pequenas verdades e mentiras. Adorei esse post especial.

  • Carolina Durães de Castro disse:

    OI Karen, tudo bem?
    A autora aborda temas que presenciamos no nosso cotidiano e em nossa sociedade e acho que é isso que torna os livros tão arrebatadores, pois podemos nos identificar nas histórias.
    Bjkas

  • Semana especial Liane Moriarty – Editora Intrínseca disse:

    […] | Entrando Numa Fria | Guardiã da Meia-Noite | SteBookaholic | Mais Que Livros | Nostalgia Cinza | Por Essas Páginas | Viaje na […]

  • Milena Soares disse:

    Gosto muito de histórias que abordam todos esses temas que foram citados aqui, por isso sempre quando sai um novo livro da Liane Moriarty já fico super ansiosa em conferi sua nova história.

  • Fran Ferreira disse:

    Traduzindo e miudos: Liane grita aos quatro ventos o q nossa sociedade arrogante, machista, egoista nao quer ver, ela dá tapa na cara dos não corajosas, joga no ar o quão cruel podemos ser ao negarmos os fatos, um mundo doente q nao aceita ajuda.
    Cada post lido, me apaixonando pela autora sem precisar ler seus livros, imagina depois de lidos, agora mais do que nunca preciso ler pelo menos Pequenas, Grandes Mentiras.
    Amei o post Karen

    Bjsss

  • Luana Martins disse:

    Oi, Karen
    Não tive a chance de ler livros de Liane, mas quero muito ler.
    Ela aborda vários temas que presenciamos no dia a dia e temos empatia por seus personagens.
    Beijos

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem