Meu autor de cabeceira: John Boyne


Sabe quando você lê um livro do autor e se apaixona perdidamente? Pois é, com John Boyne aconteceu desse jeito. Em abril desse ano li meu primeiro livro dele e, coincidentemente, também o primeiro romance que ele escreveu: O Ladrão do Tempo. E só ali já percebi que havia encontrado um autor favorito. Mas, como sou teimosa (e como queria ler mais e mais dele) decidi ler outros títulos do autor antes de vir aqui declarar todo meu amor. Li mais dois romances e, posso afirmar com toda certeza, John Boyne é um dos meus autores de cabeceira.

John+BoyneJohn Boyne, romancista irlandês, nasceu em Dublin em 30 de abril de 1971. Começou a escrever histórias aos 19 anos e teve o primeiro romance publicado dez anos depois. Trabalhou em uma livraria dos 25 aos 32 anos. Seu livro mais célebre, O menino do pijama listrado (2007) lhe rendeu dois Irish Book Awards, vendeu mais de 5 milhões de exemplares pelo mundo e foi adaptado para o cinema em 2008. Aqui no Brasil seus romances adultos são publicados pela Companhia das Letras, enquanto os infanto-juvenis saem pelo selo Seguinte.

Como somos parceiros dessas editoras isso quer dizer que toda vez que um livro do John Boyne é lançado por aqui nas terras brasucas, eu logo levanto a mão e digo pra equipe “ESSE É MEU E NINGUÉM TASCA!”.

Apesar de ser seu livro mais célebre, acreditem, eu ainda não li O menino do pijama listrado (mas tenho na estante). Como já mencionei, comecei minha jornada pelo trabalho desse autor com O Ladrão do Tempo, seguido de TormentoFique onde está e então corra!. Esses dois últimos são infanto-juvenis e, apesar de ter apreciado muito a leitura de ambos, ainda gosto mais dos romances adultos do autor; a escrita dele em O Ladrão do Tempo é simplesmente inigualável, o que me faz ter muita vontade de ler outros títulos maduros de Boyne, como O garoto no convés O Pacifista.

No entanto, algo que me deixa um pouco triste nas edições brasileiras dele é que elas não são muito caprichadas. A Companhia das Letras insiste em usar um padrão de capas como o de O menino do pijama listrado, como se isso fosse uma marca do autor, quando na verdade foi apenas uma ótima capa para indicar, adivinhem? Um pijama listrado. Nas edições de O Ladrão do Tempo Tormento é utilizado esse padrão quando não há nada nos livros que remotamente leve a esse tipo de capa. No caso de O garoto no convés a situação é ainda pior: a capa antiga também seguia o padrão de “pijama listrado”, mas então saiu uma nova edição que… ficou pior. Sério, essa edição, que ainda por cima tem cara de econômica, me dá vontade de adquirir o e-book mesmo, porque o que importa é o conteúdo, já que a apresentação… Felizmente, no caso de Fique onde está e então corra!, a editora resolveu utilizar a capa original e o resultado foi ótimo, incrível e sensacional, e a edição é maravilhosa. Por favor, continuem nesse ritmo.

Independente das capas e edições, o conteúdo dos livros de John Boyne é maravilhoso e imperdível para quem ama boa literatura. Ele constrói personagens complexos e intensos, cheios de vida, tão reais que você se pega desconfiando se eles não estariam por aí, quem sabe na próxima esquina. É daqueles escritores tão habilidosos que você lê e não sente as páginas passarem, mesmo que o livro seja longo, e quando se dá conta já terminou e você ainda quer mais. John Boyne nunca faz histórias muito enigmáticas ou complexas, a beleza de seus livros está mesmo na simplicidade; costuma narrar fatos corriqueiros da vida com uma beleza admirável e gosta especialmente de mexer com os sentimentos do leitor, narrando sobre a dor de maneira sensível e direta, às vezes inocente quando a obra é jovem, às vezes de maneira mais crua, nos romances adultos. Mas não importa qual seja o público, Boyne sempre consegue causar um impacto no leitor: emocionar.

“Pela melhor razão do mundo – ele explicou. – Por amor.”, Fique onde está e então corra!

Um dos seus temas preferidos são as guerras mundiais; o autor consegue tocar em um assunto tão delicado com uma sensibilidade surpreendente, jamais tornando-se cansativo, mesmo que o tema seja recorrente em vários dos seus títulos, sejam adultos ou juvenis. Recomendo e muito a leitura de John Boyne.

20140927_192923[1]

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Setembro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Suelen Mendes disse:

    Pra ser bem sincera só li O menino do pijama listrado e amei,mas pelas sinopses dos outros livros dele não me encantei mto não.
    A escrita dele realmente é perfeita.Quem sabe não dou mais chances pra ele agora né,vc realmente me fez querer ler mais coisas dele.
    Bjus

  • Patrini Viero disse:

    John Boyne é um dos meus autores favoritos também, sem a menor dúvida. Eu confesso que só li O Menino do Pijama Listrado dele, mas por esse livro já deu para perceber o quanto o autor sabe nos envolver e fazer nos sentir parte da história. Ele tem uma sensibilidade de dar inveja, e os personagens são incrivelmente fascinantes.

  • Marília Sena disse:

    Eu ainda não li nenhum livro do Boyne, mas tenho muita, muita vontade. O ambiente, as personagens e a forma como ele escreve parecem ser promissos para que haja uma ótima leitura.

  • Douglas Fernandes disse:

    O único que li foi O menino do pijama listrado, realmente é muito legal e o livro te prende e encanta, mesmo sendo triste, não deixa de ser uma historia bonita, tenho muita vontade de ler algo mais dele, mas nao tenho nenhum outro livro aqui, assim que tiver ja vou colocar na minha meta de leitura.

  • Bianca Martins disse:

    Dele eu só li O menino de pijamas listrado e confesso q n gostei mto…
    =/
    Irei dar novas oportunidades a ele, claro ^^
    Fique onde está e então corra será o próximo desse autor q eu ierei ler..^^

  • Nathalia Simião disse:

    Eu necessito ler John Boyne logo! Sabe o que é todo mundo falar bem dele? E agora vem mais você falar bem também. Sempre tive vontade de conhecer a obra dele mas nunca tive oportunidade, agora embirrei que quero um livro dele com urgencia.

  • Michele Lopez disse:

    Oie…
    Preciso muito ler outros livros do autor! Só li O menino de pijama listrado e adorei!
    Mas já vi boas resenhas sobre outros livros do autor e estou bastante curiosa para ler!

  • Aline Ramos Costa disse:

    A cada livro que leio do John fico mais e mais encantada pela sensibilidade dele ao escrever uma história..Adoro os livros dele, os que li foram O Menino do Pijama Listrado, O garoto no convés & Noah Foge de Casa..são obras sensacionais.super indico.. Agora, quero muito ler O Ladrão do tempo & Fique onde está e então corra!…

    bjs e fique com Deus

  • Resenha: A Casa Assombrada « Por Essas Páginas disse:

    […] ler A Casa Assombrada cheia de expectativa; estamos falando de John Boyne, afinal, um dos meus escritores favoritos. Além disso, é a primeira obra adulta que leio dele desde O Ladrão do Tempo, primeiro livro […]

  • Promoção: A Casa Assombrada « Por Essas Páginas disse:

    […] resenhas dele que já fiz aqui no blog, como se não bastasse, escrevi também um apaixonado Autor de Cabeceira para ele. É sério, gente: tudo o que esse homem escreve fica divino. Fico imaginando como é a […]

  • Sexta do Sebo #117 « Por Essas Páginas disse:

    […] favor, né?! rs). Dois dos meus autores preferidos são mestres nessa mistura: Carlos Ruiz Zafón e John Boyne. Muito amor esses dois! […]

  • Resenha: Uma história de solidão « Por Essas Páginas disse:

    […] debatido, em mais uma obra tocante. Quando a Companhia das Letras publica mais uma obra desse meu autor de cabeceira, eu corro para ler no mesmo minuto. Vamos à […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem