Meu Autor de Cabeceira: Kristin Hannah

O primeiro livro de Kristin Hannah que eu li foi Firefly Lane, em 2009. Eu me lembro que ele estava na área de lançamentos da Barnes & Noble, e apesar de eu ter me apaixonado por sua capa decidi não levá-lo para casa. Minha força de vontade durou apenas até meus amigos começarem a dizer que iria chover porque eu estava na livraria e não iria comprar nada. Bem, eu não poderia deixar isso acontecer, e foi assim que Firefly Lane parou em minhas mãos. Enrolei um bom tempo para lê-lo, e confesso que ao começar não me empolguei muito. A mudança de personagens na narrativa me deixou um tanto quanto irritada, o que durou até que eu me familiarizasse com cada um deles. Mas foi o final que me surpreendeu, não por ele ter sido inesperado, mas por eu ter chorado rios e rios com ele, coisa que não acontece com muita frequência. Foi assim que Kristin Hannah tornou-se minha autora de cabeceira.

Kristin Hannah nasceu na Califórnia em 1960, e se mudou para o estado de Washington aos 8 anos de idade. Ela frequentou a faculdade e tornou-se advogada, sem nunca sequer ter pensado em um dia tornar-se uma autora. Sua mãe foi diagnosticada com câncer, e em seus últimos meses no hospital ela e Kristin escreveram um romance histórico, ao qual Kristin se refere como “o pior romance histórico, mais cheio de clichês que já foi escrito.” Mas mesmo após essa experiência, Kristin continuou no caminho da advocacia. Ela se casou, e ao enfrentar a gravidez complicada de seu primeiro filho, se viu forçada a ficar de repouso por cinco meses. Foi então que seu marido a lembrou do livro que ela tinha começado a escrever com sua mãe anos antes. Kristin pegou o que tinha escrito com sua mãe e quando seu filho nasceu, o primeiro rascunho estava pronto.

Como é de praxe com a maioria dos autores, o trabalho de Kristin Hannah foi rejeitado diversas vezes. Foi em 1991 que sua sorte mudou, e seu primeiro romance – A Handful of Heaven – foi publicado. Kristin escreveu seis romances históricos entre 1991 e 1995. Em 1996 ela lançou seu primeiro romance contemporâneo: Home Again. Segundo ela, “por mais que eu goste de cenários históricos, eu me senti mais livre e mais original no contemporâneo. Depois disso, minha visão se expandiu gradualmente. Mais histórias, mais personagens, mais problemas. Meus livros costumam ser sobre mulheres tornando-se adultas, não importa quando isso aconteça em suas vidas. É provável que elas se apaixonem no caminho, mas esse amor é uma parte periférica da jornada, não a jornada em si.”

Depois de Home Again, Kristin lançou outros 14 livros, sempre com protagonistas femininas que precisam superar algum obstáculo familiar. Sejam elas mães, filhas, irmãs, esposas, melhores amigas, não importa: as protagonistas de Kristin são todas mulheres tentando se encontrar, tentando descobrir quem são – mesmo quando elas acham que já sabem. Não é à toa que Kristin é um sucesso entre as mães norte-americanas: seus livros representam problemas comuns enfrentados pela classe média, e embora eles não tenham a ambição de mudar o mundo, são bem escritos e cumprem sua função de entretenimento. E bem, não é para isso que servem os livros? Para nos fazer sair de nosso próprio corpo e mergulhar num mundo diferente, com pessoas e situações diferentes, que nos fazem viver uma vida além da nossa? Isso Kristin Hannah faz com maestria!

Eu ainda não li todos os livros de Kristin Hannah, e honestamente não sei se algum dia me abrirei para seus romances históricos. Mas tenho todos os seus livros publicados desde 2006, incluindo seu lançamento desse ano – Home Front – que ainda não tive a oportunidade de ler. Alguns de seus títulos foram traduzidos para o português, mas eu ainda não os li. O último livro de Kristin que eu li foi The Night Road (resenha aqui) e ele foi um dos livros que mais mexeu comigo. Eu só consegui largá-lo após terminar a leitura às 5:30 da manhã, e meu rosto estava inchado de tanto chorar. Kristin transformou a dor de seus personagens na minha dor, e são poucos os autores com o talento e a habilidade para fazer isso.

Bibliografia

  • A Handful of Heaven (1991)
  • The Enchantment (1992)
  • Once in Every Life (1992)
  • If You Believe (1993)
  • When Lightnings Strikes (1994)
  • Waiting for the Moon (1995)
  • Home Again (1996)
  • On Mystic Lake (1999)
  • Lembranças de Nós Dois (Angel Falls – 2000)
  • A Ilha de Verão (Summer Island – 2001)
  • Praias Distantes (Distant Shores – 2002)
  • Entre Irmãs (Between Sisters – 2003)
  • The Things we Do for Love (2004)
  • Além da Esperança (Comfort and Joy – 2005)
  • Magic Hour (2006)
  • Firefly Lane (2008)
  • True Colors (2009)
  • Winter Garden (2010)
  • Night Road (March 2011)
  • Home Front (2012)

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Carolina disse:

    Bom dia Vania, tudo bem? Estou olhando a lista de livros e me esforçando, mas eu não lembro de ter lido alguma obra da autora. Irei anotar alguns nomes e procurar os livros.
    Beijos

  • Vania disse:

    @Carolina, Oi Carolina! Ela não é muito popular no Brasil, mas eu adoro de paixão os livros dela! Recomendo MUITO Night Road e Winter Garden – são meus dois preferidos! Firefly Lane é muito tocante também, e True Colors me deixou vidrada! Se ler algum, passa por aqui depois pra dizer o que achou, adoro comentar os livros dela com quem já leu também!!

    Beijão!!

  • Jullyane Prado disse:

    EU li Jardim de Inverno lançado recente e simplesmente amei, a Kristin tem uma escrita maravilhosa, ela sabe transmitir a emoção do livro, eu chorei várias vezes e de inicio até q a narrativa estava um pouco lenta, mas depois eu peguei o livro e não parei mais, rsrsr. Pretendo ler outros livros dela.

  • Vania disse:

    Oi Julyanne!! Jardim de Inverno não me fez chorar tanto, mas deu aquele aperto no peito e aquele nó na garganta… as carruagens pretas da história que ela contava me arrepiaram!! Eu sugiro O Caminho para Casa (eu fiz resenha para ele: The Night Road), é um livro que me tocou muito, apesar do final ter deixado um pouco a desejar. O mais novo dela em português, Quando Você Voltar, é um soco no estômago, também recomendo muito.

  • Raquel Ferreira Ribeiro disse:

    Adoro ler e descobrir esta escritora é maravilhoso e pelo que li vou procurar suas obras o mais rapido possivel,obrigada, pois amei já de cara!

  • lau disse:

    Já li varios da Kristin, mas i melhor é Jardim de Inverno! Tocante, inspirador!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem