Meu autor de cabeceira: Marian Keyes

Marian Keyes. Só com isso já veio o nome de algumas comidas à cabeça? Sushi, Melancia… Se pensou isso, pensou certo! Estou falando da escritora irlandesa que já ganhou prêmios de literatura em sua terra natal e teve seus quinze romance traduzidos para 33 (isso mesmo, 33!) idiomas diferentes. A autora best-seller nasceu no dia 10 de Setembro de 1963 em Limerick, cresceu em Monkstown e obteve um diploma em Direito pela Dublin University. Infeliz com a profissão, mudou-se para Londres onde foi garçonete e também trabalhou em alguns escritórios.

Embora este blog não seja cheio de polêmicas, não posso ignorar o fato que estou prestes a descrever, até porque isso se tornou tema em seus livros e de certa forma, inspiração e coragem para escrever sobre temas reais da nossa sociedade. Nesta época, antes de se tornar uma autora aclamada, Marian enfrentou uma difícil luta contra o alcoolismo e uma tentativa de suicídio devido a crises crônicas de depressão. Esses problemas a levaram a uma reabilitação de 4 meses e a uma descoberta que mudou sua vida: a vocação da escrita. No começo, até brincou com isso, mandando seus contos para editoras dizendo que estava escrevendo um livro – uma mentirinha que acabou se tornando verdade. O que é muitas vezes descrito por Keyes como um acidente de percurso, que ela é uma escritora por acaso. Um editor respondeu para a autora e pediu para que mandasse o dito livro. O que ela mandou acabou sendo o primeiro romance da autora, Melancia, sem contar que conseguiu contrato para mais 3 livros. Vendendo mais de 23 milhões de cópias de seus livros, Keyes se estabeleceu como uma famosa escritora do gênero Chick-Lit que todas nós adoramos.

O que eu gosto da autora e porque ela é minha autora de cabeceira: ela escreve sobre temas reais e seus personagens sempre enfrentam algo que nos identificamos de verdade, até mesmo coisas que já aconteceu com a própria Marian (como o alcoolismo em “Cheio de Charme”, um dos livros mais desafiadores que já escreveu pela quantidade de personagens, contando a história cada um com seu ponto de vista). Ela diz que a melhor comédia é a própria vida e seus desenrolamentos, porque quem já não parou e pensou que a própria história deveria ser um livro? Com certeza usou a fórmula certa.

Todos os Livros publicados

  • Watermelon (1995)
  • Lucy Sullivan is Getting Married (1996)
  • Rachel’s Holiday (1998)
  • Last Chance Saloon (1999)
  • Sushi for Beginners (2000)
  • No Dress Rehearsal (2000)
  • Under the Duvet (2001)
  • Angels (2002)
  • The Other Side of the Story (2004)
  • Nothing Bad ever Happens in Tiffany’s (2005)
  • Further under the Duvet (2005)
  • Anybody Out There? (2006)
  • Cracks In My Foundation in Damage Control – Women on the Therapists, Beauticians, and Trainers Who Navigate Their Bodies (2007)
  • This Charming Man (2008)
  • The Brightest Star in the Sky (2009)

Livros publicados no Brasil

  • Melancia (Watermelon) (2003)
  • Férias! (Rachel’s Holiday) (2004)
  • Sushi (Sushi for Beginners) (2004)
  • Casório?! (Lucy Sullivan is Getting Married) (2005)
  • É Agora… ou Nunca (Last Chance Saloon) (2006)
  • Los Angeles (Angels) (2007)
  • Um Best Seller pra Chamar de Meu (The Other Side of the Story) (2008)
  • Tem Alguém Aí? (Anybody Out There?) (2009)
  • Cheio de Charme (This Charming Man) (2010)

Num tom mais recente, a autora ainda luta contra a depressão e falou através de uma newsletter a seus leitores que está passando por uma fase ruim. “Não consigo comer, dormir, escrever, ler, falar com as pessoas. A pior coisa é que sinto que não existe um fim para isso. Sei que muitas pessoas não acreditam que depressão é uma doença, mas ao contrário de uma perna quebrada, você não sabe quando isso vai melhorar. Então, amigos, desculpo-me por abandoná-los pelo dito momento. Serviço completo será trazido de volta, eventualmente, eu espero.” Gente, uma forcinha para a autora tão talentosa e querida! O site Marian Keyes tem um formulário de contato e tenho certeza que mesmo um “We love you, hope you get better!” será muito. Para quem nunca leu Marian Keyes, aconselho que se direcione à livraria mais próxima para comprar seus livros! Leitura obrigatória e tenho dito.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Lany disse:

    Apesar de eu não gostar de todos os livros da Marian Keyes, eu a admiro muito e a considero uma grande autora. Eu fiquei muito triste quando fiquei sabendo que todos os problemas com a depressão voltaram. Eu espero profundamente que ele se recupere e que escreva muito mais livros! *-*
    Eu AMO, AMO, AMO Anybody Out There e ele está na minha lista geral de livros favoritos! Também gosto muito de Sushi, Férias! e É agora ou Nunca. Infelizmente, eu não consegui terminar de ler Casório?! nem This Charming Man… Achei o começo MUITO chato e por isso não consegui prosseguir com a leitura. Mas é claro que isso não muda em nada a minha opinião sobre a autora!

  • Pan disse:

    Nossa, Anybody out there é meu livro favorito dela, junto com Sushi. This Charming Man é meio lento no começo, mas nossa, o livro é maravilhoso. O final vale MUITO a pena!~ Se conseguir ler mais um pouco, espere pelo semi-clímax do livro, vai se surpreender com a história.

  • Melissa disse:

    Confesso que não é meu tipo de livro favorito e que não está nos meus planos de leitura, mas eu admiro qualquer pessoa que tenha superado/esteja superando uma crise de depressão. Porque é uma doença muito série, e mais séria ainda se associada a um vício, que no caso dela foi o alcoolismo. Conseguir se tornar uma escritoa de sucesso em meio a tudo isso é um milagre! E eu desejo do fundo do coração que ela melhore e encontre paz de espírito um dia!

  • Pan disse:

    Acho que você gostaria dos livros dela, é Chick-lit mas com enredo bem realista. Anybody Out There e This Charming Man são os livros menos… “comédia e mais drama”.

  • Vania disse:

    Eu nunca li nada dela porque chick-lit não é bem meu estilo (sou mais do lado young adult da força, sabe?), mas concordo com o que a Mel comentou: admiro DEMAIS quem luta contra a depressão, porque não é algo fácil de se fazer. E conseguir virar a mesa do jeito que ela virou? Extraordinário!! Quando minha lista diminuir um pouquinho aqui, vou tentar achar algum livro dela na biblioteca!

  • Lucy disse:

    Eu já li Férias e Los Angeles. O primeiro eu adorei e o segundo achei muito arrastado e um pouco tedioso. Estou com Cheio de Charme na minha lista, mas como dei uma folheada (*spoileada*) sei que vai ser uma leitura mais demorada e aí continua lá à espera. rsrs Dentre os três, acredito que o mais polêmico vai ser Cheio de Charme e quero MUITO ler.

    Eu gosto do estilo da Marian Keyes, mas às vezes eu acho que o livro é um pouco arrastado, prolonga demais o sofrimento da(s) protagonista(s). Eu sei que é um livro mais realista, mas isso o torna cansativo, acho que por isso não me animei com Los Angeles e tenho meus receios com Melancia. Eu acho que é um chick-lit que não é chick-lit, um chick-lit voltado para o drama, como vc disse, talvez?

    O engraçado é que a gente define chick-lit como literatura feminina, com comédia romântica e um final 100% feliz com príncipe encantado. Eu vejo que com a Marian Keyes, os finais mudaram um pouco e algumas autores seguiram essa tendência (não com tanto sucesso, mas tentam). Não vou dizer que sejam todos infelizes ou todos 100% felizes, mas a Marian trouxe os finais realistas e isso vale muito. Príncipe encantado não existe. A gente enfrenta problemas de verdade.

    P.S.: Eu recomendo Cheio de Charme inclusive para as feministas, para que elas fiquem com tanta raiva quanto eu fiquei ao folhear algumas páginas. rsrs

    Eu a admiro e também acho que ela é uma lutadora. Espero sinceramente que ela melhore da depressão. Realmente ñ é fácil.

    Adorei a sua autora escolhida, Pan! A forma como vc a descreveu ajuda ainda mais a simpatizarmos e procurarmos livros dela! =D
    Bjos bjos

  • Lari's disse:

    Eu a adoro! O primeiro livro que li dela foi Melancia.. e eu me encantei. Já li férias! e não foi diferente. Pretendo ler todas das irmãs Walsh, inclusive Chá de Sumiço… que acho que já foi lançado (Coloca ai na sua listinha ;p) que conta a história de vida da Helen.
    Fiquei sabendo que ela tem depressão recentemente. E desde então, só a desejo forças, nem imagino como deve ser difícil para ela. Ainda mais escrevendo livros tão realistas, alguns até com partes da história da mesma. Que ela se sinta sempre abraçada, pelos leitores e fãs dela e que ela continue passando bem por isso tudo.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem