Outras Páginas: Dexter HQ

Fiquei muito feliz quando a Editora Planeta anunciou que lançando a HQ de Dexter aqui no Brasil. Já li os dois primeiros livros da série (resenhas aqui) e acompanhei todas as temporadas da série televisiva e, apesar dos deslizes das últimas temporadas, é uma história que sempre me interessa. Criada para os fãs, a HQ segue a mesma linha dos livros, mas veio também com uma pitada ligeiramente amarga da série televisiva.

Obs.: é possível que haja alguns spoilers da série ou dos livros nessa resenha.

“Dexter, o psicopata dos psicopatas, depois de fazer grande sucesso nos livros e na TV, agora invade as páginas dos quadrinhos. Nessa história completa, o devotado personagem deve lidar com um fantasma de seu passado: Steve Gonzalez, um valentão que perseguiu Dexter na época da escola. Porém, ele hoje é um  lantropo, considerado a Madre Teresa de Miami por causa de sua Fundação Esperança, que reabilita viciados. Após um inocente reencontro em uma festa, Dexter acredita que nunca mais o verá. No entanto, uma série de assassinatos coloca os dois em rota de colisão.” Fonte

Quando vi a capa fiquei espantada e muito curiosa. Quer dizer, olhem bem: não é a cara do Michael C. Hall, intérprete de Dexter na TV?  Okay, fiquei BEM feliz quando vi isso. Apesar de amar os livros – e não imaginá-lo fisicamente como o Michael nos livros, apenas ouço sua voz, impossível não ouvi-la – o C. Hall é a cara do Dexter, não tem jeito. Quer dizer, vamos de novo, comparem a foto do ator com a capa de Dexter.

dexter

Até o sorrisinho é o mesmo! Então, seguindo essa vibe, abri a HQ e qual não foi minha surpresa ao perceber que… dentro do volume o traço do ilustrador Dalibor Talajic era totalmente diferente. Nem de longe o Dexter da HQ se parece com o Dexter da TV. Até você pode falar: mas é outra mídia, muito mais adaptada dos livros do que da série, está certo isso, não? Está. Mas então por que a capa é enganosa, mostrando uma arte que é a cara do Michael C. Hall?

dexterhq

Esse foi o primeiro ponto que me desanimou com a HQ.

Mas, tudo bem, comecei a lê-la. Como qualquer obra de Dexter, a história se passa num ritmo rápido, mesmo que tenha sempre a presença dos monólogos do Dexter – e do passageiro sombrio. Mas quem é fã gosta disso e, claro, eu gostei também. A HQ se passa quando Debra, irmã de Dexter, é sargento na polícia de Miami e Dexter já está casado com Rita, naquela vida de “manter as aparências” (melhor parte da série, eu digo). No caso dos livros, não sei posicionar direito esse “momento” dos quadrinhos, já que ainda não li todos. A trama é sobre o encontro improvável de Dexter com um dos seus ex-colegas do ensino médio, um valentão que o importunava e, claro, Dexter deu o troco, do jeito “plastificado” que mais gosta. Só que esse encontro tem mais a revelar do que parece.

Gostei da experiência de ler Dexter em HQ, mas esperava mais. Excetuando-se o fato de que a arte me decepcionou no começo pela propaganda enganosa da capa, ela ainda assim é caprichada e o ilustrador foi competente, gostei do seu traço, mas não gostei da sua interpretação dos personagens: Debra parece latina, e ela não é; enquanto isso, Rita parece 20 anos mais velha do que é na verdade. Todas as páginas são coloridas e em papel brilhoso, com detalhes caprichosos e capa dura, tudo isso contribuindo para uma obra de qualidade. Mas então temos que olhar a história, e é aí que a coisa pega um pouco mais. O começo estava ótimo, mas o desenvolvimento e o desfecho pareceram mais um filme de ação dos anos 80 do que Dexter. Bem, na verdade, pareceu sim Dexter, mas aquele deplorável da quinta, sétima e oitava temporadas (se você assistiu a série entende o sentimento de revolta). Além disso, não há muita participação da polícia de Miami, apenas de Debra com Dexter como praticamente um “assistente” ou como “dois irmãos na cruzada contra o crime”. As coisas não são bem assim em Dexter, ao menos naquele Dexter que eu conheço e aprecio dos dois primeiros livros e das primeiras temporadas. E ainda tem o fato de que Debra não é nem de longe a boca-suja-divertida que ela sempre foi, e isso é frustrante, ela perdeu um pouco da personalidade na HQ (ou foi na tradução? Pode ser também, fiquei desconfiada de que houve um pouco de panos quentes nas falas da Debra).

Jeff Lindsay perdeu um pouco a mão no roteiro nessa HQ, talvez porque esteja indo longe demais na sua série. Gosto de Dexter, mas me cansa um pouco o fato de que é uma série tão grande e sem data de validade (me corrijam se eu estiver errada, mas não encontro em lugar algum que Dexter em Cena seja o último da série, apenas se menciona que é o sétimo). Comprovadamente, isso é perigoso, e a própria série de TV se estendeu por tempo demais, chegando ao fim com um desfecho decepcionante, criticado à exaustão pelos fãs. Mesmo assim, ainda vale a pena conferir a HQ se você for fã dos livros ou do show da TV.

HQ gentilmente cedida para leitura e resenha pela Editora Planeta.

Ficha técnica

Nome: Dexter HQ
Autor: Jeff Lindsay
Páginas: 120
Editora: Planeta
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Outubro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Gustavo disse:

    Eu li os quatro primeiros livros da serie e dei uma paradinha antes de ler o quinto (um paradinha longa ate demais porque já faz uns dois anos kkk) adoro os livros mas o último foi muito mais sobrenatural do que policial e muuuuito denso, um pouco cansativo, então estou dando um tempo antes de voltar pra esse universo. Não acho que leria a HQ (nem a serie eu assisto muito, não gostei do final do primeiro livro ser diferente do final da primeira temporada onde uma determinada policial que devia morrer ficou viva kkk). Mas sei la né, quem sabe os fãs mais fervorosos que devoram tudo desse universo não vão amar? =D mas não é pra mim =S

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu nunca vi a série e nunca li os livros =/
    Mas ainda pretendo… hahahaahhaa
    Gosto muito desse estilo policial, e creio que quando eu ler os livros vou gostar muito, e quero tbm ler esse HQ um dia, só nao sei quando…rsrs

  • Suelen Mendes disse:

    Eu não acompanho nada dessa série,nem a da tv nem a dos livros,não curto mto o tema então não me interessei pelo HQ.
    Mas achei bem bacana a editora lançar a história nesse formato.
    Bjus

  • Patrini Viero disse:

    Eu achei a proposta muito interessante, mesmo. Adorei os dois primeiros livros, que foram os que eu li também, e os episódios (poucos) que assisti da série de TV. A meu ver, a série televisiva mudou muita coisa, o que acabou me decepcionando. Quanto à HQ, não fiquei surpresa com o fato de o desenho não representar Dexter igual ao ator, porque afinal eu mesma o imagino diferente, com base nos livros. Enfim, acho que é uma obra que vale a pena conferir, ainda mais pra mim, que adoro o gênero.

  • Nathalia Simião disse:

    Nunca assisti a série nem li os livros, mas Dexter é uma febre pros fãs de série né? Pra mim, leiga no assunto Dexter a HQ pareceu ser bem legal, a capa principalmente. Mas quem sou eu pra falar né? Não vi nada hehe

  • Patricia Moreira disse:

    Oi!
    Confesso que tenho vontade de ver a série, mas só de lembrar quantas temporadas são dá uma desanimada hahaha.
    Essa questão da capa pra mim só tem uma resposta.. acho que ele criou pra atrair os fãs que já tem em mente o ator na cabeça como personagem, e se ele mudasse drasticamente não chamaria muita atenção(?) Fica a dúvida.

    Bjs

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem