Outras páginas em outras palavras: Prism

Olá meu povo! Hoje novamente duas colunas nossas se encontram. O Felipe, nosso convidado de hoje, que já resenhou Rurouni Kenshi por aqui, veio novamente falar um pouquinho de mangás. ‘Bora conferir a opinião dele sobre Prism?

prism1“Fixada nas lembranças de um garoto chamado Hikaru com quem passou seu último dia na escola, Megu passa pelo ensino médio sem nenhum romance. Agora que virou uma colegial, decidiu ter superado seu primeiro amor e olhar para o futuro. Mas no primeiro dia de aula, Megu conhece uma garota linda que lhe da um grande abraço e seu nome é Hikaru?!”

Prism é um manga romântico que conta a história de Megu, uma garota fixada na lembrança de um amigo de infância, e Hikaru, o alvo das afeições de Megu. No primeiro dia de escola, Megu conhece uma garota que se chama Hikaru a qual revela ser o “amigo” do qual ela tanto gosta.

Agora você pode estar pensando “nossa esse mangá é Yuri, eca, que nojo” (shame on you!). Mas eu digo, dê uma chance.

Posso dizer que esse foi o primeiro mangá Yuri que eu li, e achei uma história de amor muito bonita, independente de sexo.

O romance não é apressado, mesmo ele acontecendo já no segundo capítulo do mangá. Durante toda a história vemos o progresso doprism2 relacionamento das duas, as dúvidas, medos e alegrias que todo casal tem. Também vemos como as duas vão se aceitando e a reação de seus amigos (e amigas).

Achei muito legal a personagem da professora bissexual alcóolatra Ogachin, que através de suas conversas com Megu faz com que a mesma se aceite mais e vai ajudando o casal em vários momentos do mangá, além de ser uma personagem muito engraçada.

Não há fanservice, as cenas de romance (e mais tarde de sexo) não estão ali gratuitamente.

prism3Único ponto que achei negativo no mangá talvez foi a fácil aceitação por parte das pessoas ao redor das duas, em específico por parte das famílias delas. Temos dois capítulos que focam nas famílias de cada uma, e você percebe que na família de Hikaru (que tem muitos irmãos), não há discriminação. Já na família de Megu somente sua irmã percebe o romance, mas não toca no assunto. Achei que ficou um pouco fora da realidade, talvez fosse um assunto interessante que o autor poderia ter utilizado, mas acredito que o foco do mangá realmente é só o romance das duas.

Arte: Muito bom. Elegante e sensual sem ser crasso.

História: Boa. Um romance simples e bonito. Poderia ter se aprofundado em alguns tópicos.

Personagens: Bom. Megu e Hikaru são personagens interessantes e fazem com que o leitor queira acompanhar sua história. A professora Ogachin dá um toque de humor e serve como ‘mentora’ da dupla. Demais personagens são bons, mas esquecíveis.

Ficha Técnica:

Título: Prism
Autor: Higashiyama Shou
Avaliação do Felipe: 

Se você curtiu a resenha do Felipe, deixe sua opinião nos comentários ou ainda entre em contato com ele no twitter @flpalvares. Ele também tem um blog sobre relacionamentos, o Precisamos Conversar, não deixe de passar lá!

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  


PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem