Outras Páginas: Persépolis

PersépolisMarjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita – apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.
Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama – e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar. Fonte

Gente, agora que vi que Persépolis caiu no Enem! Há muito tempo me recomendaram essa leitura e quando a Companhia das Letras disponibilizou a obra completa, eu logo me interessei.

Esse livro, que na verdade se trata de uma história em quadrinhos, é bem diferente do que estamos acostumados. Acho que é a primeira vez que encontro uma autobiografia em quadrinhos e geralmente biografias não me atraem, mas a história da Marjane é uma verdadeira lição de vida.

Logo no início, somos apresentados aos fatos históricos do Irã, desde a época da Pérsia. Então, Marjane vai nos contando como foi que sua vida começou a mudar com a Revolução Cultural em 1979, a começar pelo uso obrigatório do véu quando ela tinha apenas 10 anos. Aos 14 anos, com a guerra entre Irã e Iraque, ela é mandada pelos pais para a Áustria, para assim terminar seus estudos.

No decorrer da leitura, acompanhamos o crescimento de Marjane, tanto física como espiritualmente, transformando-a de menina sonhadora, que queria ser profeta, a uma adulta consciente de seus valores, que tem que sobreviver à uma vida cheia de desafios primeiramente longe de casa e, logo depois, de volta ao Irã.

Eu gostei muito da história de Marjane, como ela soube ser realista na questão da vida em seu país e como ela não floreou todos os perrengues que passou longe, durante sua estadia na Europa. Foi além de uma história sobre guerra e repressão, simplesmente somos apresentados à Marjane como um ser humano que tentava levar uma vida normal e que passou por diversas dificuldades, como qualquer outra pessoa. Então, além de conhecermos todo o contexto geral do Irã, passamos a conhecer Marjane, com seus problemas de depressão, sua experiência de vida longe de casa e com uma cultura diferente, decepções e frustrações, além dos momentos felizes. O resultado é uma leitura muito bacana, dando a impressão de que Marjane acaba nos tornando sua confidente.

Uma questão interessante: Se no Irã Marjane corria perigo em meio à guerra, na Europa ela também corria riscos, embora considerados mais “comuns”, por se tratar de problemas corriqueiros entre os jovens ocidentais, como o uso de drogas, por exemplo. Para cada questão, elas nos conta como conseguiu lidar com seus problemas e o resultado, além da lição aprendida ali.

Recomendo muito a leitura, é o tipo de história que você tem que ler.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Companhia das Letras.

logo_companhia_das_letras

Ficha técnica:

Nome: Persépolis
Autor: Marjane Satrapi
Páginas: 352
Editora: Quadrinhos na Cia
Onde comprar: Livraria Cultura / Saraiva / Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Layana disse:

    Nossaaaaaa gosto muito de leituras com fundo histórico! Quanto aprendizado tiramos de uma leitura desse tipo.. Espero ler em breve!

  • Sorteio: Persépolis « Por Essas Páginas disse:

    […] aí interessado em ler uma história em quadrinhos emocionante? Mais do que uma simples história, Persépolis é uma autobiografia de Marjane Satrapi, que nos conta como foi viver no Irã em uma época de […]

  • Milena Soares disse:

    Estou doida pra ler esse livro, curto muito uma biografia, parece ser bem emocionante e essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história.

  • Aline Santos disse:

    Eu adorei…Já tinha lido uma resenha da obra, e me chamou bastante atenção…espero conseguir ler em breve!
    Bjs

  • Francisca Elizabete disse:

    Que livro interessante, uma autobiografia narrada em quadrinhos!! Marjane Satrapi soube lidar com com suas dores, frustrações, ficar longe da família, e tudo isto narrado com uma pitada de humor!! Sem dúvida a história de vida dela nos serve de lição, de inspiração!! Pelo que pesquisei tem um filme sobre a autobiografia Marjane Satrapi!!

  • Lana Silva disse:

    E a primeira vez que vejo falar nesse livro, e já estou completamente apaixonada. Principalmente por aborda um assunto que tenho tanta curiosidade de conhecer mais afundo. Até porque e uma história em quadrinhos diferente. Já vou incluir na minha lista de desejados.

  • Gabrielle Batista disse:

    Eu quero tanto ele. Serio, já vi gente falando de o quão maravilhoso ele é.

  • Cristiane de oliveira disse:

    Eu sempre quis muito ler esse livro e agora mais ainda com essa edição. Fiquei mais curiosa por ser contada em quadrinhos, quero muito saber a biografia de Marjane Satrapi , espero poder ler logo.

  • Shadai disse:

    Eu não tenho lido muito graphic novels, e apesar, de já ter ouvido falar muito bem dessa, nunca tinha tido lido resenha a respeito.
    E sua resenha ficou tão boa, que aguçou a ler essa história.
    Parece ser muito boa, e principalmente, por nos tirar um pouco da nossa zona de conforto.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem