Resenha: As Vantagens de Ser Invisível

“Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. Íntimo, hilariante, às vezes devastador, As Vantagens de ser Invisível nos mostra um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.” Fonte

A primeira coisa que me chamou a atenção em As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower em inglês) foi o título. Wallflower se trata de alguém que é um tanto quanto solitário, um pouco tímido, que ninguém realmente conhece mas que se derem uma chance, verão que se trata de uma pessoa muito interessante. Esse é Charlie, nome que o personagem principal adotou para se corresponder com seu amigo anônimo. Aliás, trata-se de um romance epistolar – ou seja, a história é completamente desenvolvida através das cartas escritas por Charlie.

And in that moment, I swear we were infinite




Livros de terror – algumas recomendações

Olá! Hoje é Dia das bruxas e queria fazer um post diferente, falando de literatura de terror (horror), algo bem assustador para animar a rodinha de amigos em uma noite fria como será a de hoje (aqui em São Paulo, pelo menos. rsrs).

Bem, eu acho difícil falar de terror e não lembrar dos clássicos, então o primeiro autor que recomendo é o Edgar Allan Poe, usando o terror psicológico e com seus personagens geralmente cometendo atos infamos ou sofrendo de algum tipo de doença. Destaque para Assassinatos na Rua Morgue, O Corvo e A carta roubada. Não sou mestra em falar desse autor, mas Edgar Allan Poe serviu de inspiração para outros autores, inclusive Sir Arthur Conan Doyle e o nosso querido Sherlock Holmes.

Partindo para o lado ainda mais “fantasioso” do terror, por assim dizer, podemos citar também outros clássicos como Drácula, de Bram Stoker e Frankenstein, de Mary Shelley e a Volta do parafuso, de Henry James (olha a coincidência, visitei uma amiga esse domingo e este livro estava lá. Será um sinal?).

Atualmente eu considero de maior destaque para estórias de terror o autor Stephen King (não estou puxando o saco). A Mi já falou sobre ele aqui e só quero enfatizar que se você quer sentir adrenalina e calafrios em uma leitura, procure pelo sr King como companhia, não vai se arrepender. Como recomendação, comecem por Carrie. O iluminado e A coisa já são mais… assustadores. hehehe

Ainda há outras obras de terror, mas vou ficando por aqui. Não vou entrar no quesito vampiros ou bruxas – embora hoje seja o dia das bruxas – porque não lembro de nada que envolva bruxaria que seja tão assustador. Claro, recomendo As brumas de Avalon e no topo da lista Harry Potter (em tempo: hoje é Potter day!!!)

Alguma recomendação para livros de terror?




Resenha: Casa Glass

Algumas pessoas haviam me falado muito bem da série Os Vampiros de Morganville, da Rachel Caine. Com a autora veio para a  Bienal do Livro no Rio de Janeiro (que eu comentarei futuramente em um outro post), resolvi dar uma chance e começar a ler a série. Eu sei, romances com vampiros já estão mais do que saturados. Mas eu não consigo resistir: adoro romances sobrenaturais!

Bem vindo a Morganville, Texas. Apenas não fique fora após o escuro!




Resenha: O Poder dos Seis

ATENÇÃO: Essa resenha contém spoilers de Eu Sou o Número Quatro (resenha aqui), primeiro livro da série Os Legados de Lórien.

Ficha Técnica:

Título: O Poder dos Seis (The Power of Six – Legados de Lórien #2)
Autor: Pittacus Lore
Editora: Intrínseca (Brasil), Harper Collins (EUA)
Páginas: 320
Avaliação:
Onde Comprar: Livraria Cultura

Eu o vi nos jornais. Segui as histórias sobre o que aconteceu em Ohio. John Smith, por aí, fugindo. Para o mundo, ele é um mistério. Mas para mim… ele é um de nós. Nove de nós viemos pra cá, mas às vezes eu me pergunto se o tempo nos mudou – se todos nós ainda acreditamos em nossa missão. Como posso saber? Ainda há seis de nós. Estamos nos escondendo, nos misturando, evitando contato uns com os outros… mas nossos Legados se desenvolvem, e logo estaremos prontos para lutar. Seria John o Número Quatro, e seu aparecimento o sinal pelo qual estive esperando? E Números Cinco e Seis? A garota dos cabelos pretos com olhos tempestuosos dos meus sonhos seria um deles? A garota com poderes além do que eu posso imaginar? A garota que pode ser forte o suficiente para nos unir? Eles pegaram o Número Um na Malásia. Número Dois na Inglaterra. E o Número Três no Kenya. Tentaram pegar o Número Quatro em Ohio – e falharam. Eu sou a Número Sete. Uma de seis que ainda estão vivos. E eu estou pronta para lutar. Fonte, tradução livre.

Don’t worry, Four. Things are happening for a reason




Meu autor de cabeceira: Marian Keyes

Marian Keyes. Só com isso já veio o nome de algumas comidas à cabeça? Sushi, Melancia… Se pensou isso, pensou certo! Estou falando da escritora irlandesa que já ganhou prêmios de literatura em sua terra natal e teve seus quinze romance traduzidos para 33 (isso mesmo, 33!) idiomas diferentes. A autora best-seller nasceu no dia 10 de Setembro de 1963 em Limerick, cresceu em Monkstown e obteve um diploma em Direito pela Dublin University. Infeliz com a profissão, mudou-se para Londres onde foi garçonete e também trabalhou em alguns escritórios. Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...