Sobre narrativas…

Tudo começou quando eu estava lendo Bloodlines. Na verdade, eu nem ia ler esse livro agora, mas depois da resenha da Ily Vania, eu fiquei super animada  e resolvi modificar a minha ordem de leitura. Depois de parar várias vezes por causa de tanto rir, eu comecei a me questionar “Mas bem que poderiam ter capítulos narrados pelo Adrian e não só pela Sidney!”. E isso me levou a pensar em exatamente como a narração pode mudar um livro…

Quem conta um conto, aumenta um ponto!




Resenha: Laços de Sangue (Bloodlines #1)

ATENÇÃO: Essa resenha contém spoilers dos seis livros da série Academia de Vampiros.

“Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger – os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável – ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono – o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade. Assim, pelo bem dos humanos, Sydney aceita se disfarçar de estudante e passa a conviver diariamente com Jill e seu guardião Eddie, quando os três são matriculados como irmãos no último lugar em que qualquer um procuraria a realeza dos vampiros – a Escola Preparatória Amberwood, em Palm Springs, na Califórnia. Mas entre uma pizza e outra, entre um jogo de minigolfe e uma conversa sobre garotos, ela começa a ter a sensação de que talvez esses seres estranhos não sejam tão maus assim, principalmente Adrian, um vampiro muito próximo de Jill que desperta os sentimentos mais contraditórios – e proibidos – em Sydney… O problema é que além de refletir sobre suas convicções e se preocupar com o seu coração, que anda acelerando mais do que deveria, a garota terá de encarar outros inconvenientes um pouco mais graves, como as tatuagens que viraram febre entre os alunos da escola e que parecem conferir poderes sobrenaturais a quem as usa. De que ingredientes elas eram feitas? Quem estaria por trás disso? Será que havia algum alquimista traidor entre eles? Caberá a Sidney resolver todos esses mistérios e garantir a paz entre os humanos antes que seja tarde demais.” Fonte

Okay, eu admito: a série Vampire Academy da autora Richelle Mead é meu grande guilty pleasure literário. Li os cinco exemplares, embora não saiba exatamente o que me levou a continuar lendo livros narrados por uma personagem que eu simplesmente detesto. Mas lidos eles foram, e embora Rose e Dimitri não façam parte do hall dos meus personagens favoritos, outros ocuparam esse posto dentro da série, especialmente Adrian Ivashkov. Por isso eu fiquei extremamente contente quando esse spin-off foi lançado: poderíamos ver um pouco mais de Adrian, dos Moroi, Dhampirs e Alquimistas que permeiam o universo criado por Mead sem a chatice da Rose. Para ler Bloodlines não é necessário ter lido a série predecessora, embora ajude no entendimento da história.



Bookcast

Venho aqui hoje para dar uma dica!

Vocês já conhecem o Bookcast? Ele é um podcast do Bookeando, um ótimo site de resenhas e também notícias sobre o universo dos livros. Cada podcast tem um tema e hoje foi ao ar o episódio 12, intitulado “Clube da Luluzinha”. O tema, não poderia ser outro: homens, heróis e vilões dos livros! E eu fui uma das convidadas desse episódio (e acreditem, eu não falei do Lupin!). Foi muito divertido gravar e eu tenho certeza que vocês vão adorar! Foi muito bom relembrar os velhos tempos

Muito obrigada a todos da equipe do Bookeando, em especial Sabrina e Lica!




Top Ten Tuesday: 10 Livros Para o Inverno

Bom dia pessoal! Hoje o Top Ten Tuesday se resume aos Dez Livros que estão na minha lista para serem lidos durante o Inverno – Verão no Brasil. Lembrando que o Top Ten Tuesday é uma iniciativa do blog norte-americano The Broke and the Bookish, com um novo tema toda terça-feira.

E quais livros estão na sua lista para o Verão no Brasil?




Meu autor de cabeceira – Neil Gaiman

Antes de mais nada, eu deveria ter postado em uma sexta-feira, mas não consegui. rsrs Então, com dois dias de atraso, quero falar com vocês sobre (tchanan!) Neil Gaiman.

Neil Richard Gaiman nasceu em 10 de novembro de 1960, na cidade de Portchester, no sul da Inglaterra. É considerado um dos maiores roteiristas de quadrinhos dos últimos 20 anos e atualmente mora em Minneapolis, nos Estados Unidos com sua ex-mulher, Mary McGrath, e três filhos: Holly, Michael e Maddy Gaiman.

Foi jornalista e crítico literário. Após ter se tornado amigo do famoso roteirista Alan Moore (ambos antes da fama), Gaiman começou a escrever quadrinhos. Escreveu duas histórias com seu colaborador e amigo Dave McKean: Violent Cases, publicado pela editora inglesa Titan Books, no meio da década de 1980 e Signal to Noise. Mais tarde, firmou um contrato com a DC Comics que resultou na minissérie Orquídea Negra. A mini-série foi um sucesso de público e crítica e gerou um convite para escrever uma revista mensal, revitalizando outro personagem antigo da “Era de Ouro” (período compreendido entre as décadas de 1940 e 1950), ninguém menos que Sandman.

Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...