Queridinho do mês: Harry Potter

Como assim ninguém ainda falou sobre o grande, maravilhoso, excepcional e queridinho do mundo todo, Harry Potter?

Ah, claro, vocês estavam me esperando. Eu, a apaixonada e praticamente-noiva desse personagem desde… desde… hum? Desde que eu tinha 13 anos e comecei a ler a série? E o Harry só tinha 11? Enfim, o que importa de verdade é que o Harry é meu amor de toda a vida e fim de papo. (e que eu também não consegui surpreender ninguém no meu primeiro Queridinho do Mês)

Para quem ainda não leu a série (como assim? Em que planeta você vive?! Corre e vai ler!), aviso que temos alguns spoilers aqui.

É fácil e difícil falar do Harry. Fácil porque, bem, eu o conheço de cabo a rabo há vários anos, e difícil porque, vamos ser sinceros, Harry Potter não precisa de apresentações, não? Como J.K. Rowling profetizou logo no primeiro capítulo do primeiro livro, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”: “Todas as crianças no nosso mundo vão conhecer o nome dele!”. Bem, eu acrescentaria também os adultos. E os idosos. Talvez até os cachorros, os gatinhos…

Foi em um trem, entre Londres e Manchester, que J. K. Rowling teve a primeira visão de Harry; um menino órfão, de óculos, que estudava em uma escola de magia e bruxaria. Logo o batizou de Harry Potter. Ela não tinha lápis, caneta, nem papel, e teve que esperar sair do trem para conseguir anotar sua idéia.

Como basicamente todo mundo no planeta já conhece a história de Harry Potter (ou pelo menos já tem uma boa noção), eu vou me ater aqui a ele, como personagem em si. Harry é um herói, mas não acho que seja o típico herói. Ele é humano, tanto que nos sentimos próximos a ele, em relação a seus sentimentos e atitudes. Muitas vezes Harry é teimoso e cabeça-dura, tantas que a gente até perde a conta. Ele sabe que precisa dos outros, mas tende a querer resolver as coisas sozinho na maioria das vezes e segue seus instintos sem pensar muito no assunto, o que acabou levando-o a vários tropeços e até mesmo mais perdas no caminho. Além disso, Harry teve também sua fase revoltada – meu marido chama de “Harry CAPS LOCK”, porque ele só falava em caixas altas no livro; ele gritava com todo mundo, até mesmo seus amigos mais próximos, e tentava afastar a todos, pensando que estava irremediavelmente sozinho.

Mas como acontece na vida de qualquer um, essas fases passaram. Uma das coisas maravilhosas nesse personagem e na escrita fantástica de Rowling, é que ele evolui. À medida que as páginas avançam, de um volume para o próximo, de um ano para o outro na aventura, Harry cresce junto com os livros, amadurece e evolui como personagem. O leitor também cresce junto com ele – seja criança ou adulto -, acompanhando essa evolução não apenas como espectador, mas sim atuante, quase como se vivêssemos ao lado de Harry sua trajetória. Harry perde sua inocência e adquire maturidade. De um menino que não sabia seu lugar no mundo, inocente, Harry passa pelo adolescente revoltado, para depois aceitar as consequências, aprender com elas e por último, torna-se, como diz Dumbledore, um homem muito melhor que ele mesmo.

Além dos defeitos, Harry também sempre teve qualidades. Ele é capaz de sacrificar a si mesmo pelos outros e valoriza a amizade acima de tudo; sempre o considerei uma pessoa simples, até mesmo humilde a despeito de toda a fama que tem – e que preferia não ter. Outra coisa que admiro nele é que, apesar de ser tímido, ele na maioria das vezes sabe o que responder em uma situação: seja ela uma ofensa do rival Draco Malfoy, do seu professor mais detestado Severus Snape, e até mesmo o Ministro da Magia e, por último, o próprio Voldemort. Eu sempre gostei quando o Harry falou verdades para ele, principalmente no final, quando ele, naquele final épico, mostra a Voldemort – ou melhor, Tom, no que ele se transformou e todos os erros que fez. Ou quando Harry enfrenta seu professor e mentor preferido, Remus Lupin, e age como um grande homem. São cenas que me enchem de orgulho desse personagem que começou como um menino tímido, desencontrado e profundamente melancólico, e terminou como um homem de valores e caráter, que ele sempre foi lá no fundo. É assistir a evolução que nós mesmos, enquanto pessoas, podemos alcançar também.

Acho que acabei filosofando demais sobre o meu personagem mais favorito de todos que já li aqui. Harry hoje vive com sua família, que ele construiu com Ginny Weasley, irmã do melhor amigo Ron, e seus três filhos, cercado pela outra família que adotou como sua – os Weasleys – e é cunhado da melhor amiga Hermione Granger, agora também uma Weasley. Ele é padrinho de Teddy Lupin, e sempre está em contato com os melhores amigos, Ron e Hermione, e os filhos dos dois. Ele finalmente conseguiu a família que sempre desejou e lhe foi tirada, e acredito que não se sinta mais só, e agora seja verdadeiramente feliz.

Harry também vive em nossa lembrança e nossos corações, e em nossas releituras da série, como um de nossos melhores amigos. Dumbledore dizia que Hogwarts sempre estaria lá para quem pedisse ajuda. Bem, eu vou mudar um pouco a frase e dizer que Harry sempre estará lá para quem pedir ajuda e companhia. É com ele que muitos fãs cresceram, amadureceram e compartilharam bons e maus momentos juntos. E é onde ele vive agora, conosco, para sempre.

Ficha do Personagem

Nome: Harry James Potter

Idade: Começa as séries com quase 11 anos e termina com 17, à beira dos 18. No epílogo, termina com mais ou menos 37 anos.

Varinha: Azevinho e pena de fênix, vinte e oito centímetros, boa e maleável.

Descrição física: Olhos verdes cobertos por óculos redondos, cabelos lisos e pretos, apontando para todos os lados, magro, baixinho para sua idade e de joelhos ossudos. Na testa, exibe a inconfundível cicatriz em formato de raio.

Hobby: Jogar quadribol.

Curiosidade: Harry divide seu aniversário, dia 31 de julho, com a sua criadora, J. K. Rowling.

Nas telas: Harry é interpretado por Daniel Radcliffe nas 8 adaptações cinematográficas da série.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Lany disse:

    Mas o Harry, Kakazinha? Que surpresaaaa! (agora é a minha revanche, porque todo mundo me disse isso quando eu falei do Lupin hahaha!)
    Kakazinha, você me fez chorar hahaha! Lindo seu post!^^
    O que eu acho mais incrível na escrita de J.K.Rowling é que a gente consegue perceber exatamente como o Harry cresce. Existe uma diferença enorme do Harry do primeiro livro para o Harry do último. E mesmo na fase “mala sem alça nem rodinha”… Bem, ele tinha motivos, né? Enquanto várias pessoas reclamavam dele nessa época, eu dizia “Calma, ele vai melhorar no próximo livro”. E ele deu a volta por cima! E como.
    Na verdade, a única coisa que eu não consigo aceitar foi ele gostar da Cho hahaha!
    Vou confessar uma coisa aqui hahaha!
    Até o quarto livro, eu não ligava muito para o final do Harry… Eu achava até que se ele tivesse um final trágico, seria um final interessante para a série. Mas depois do quinto livro… Eu ficava desesperada só de alguém mencionar que ele poderia não sobreviver. E é por isso que eu fiquei muito feliz que, mesmo depois de tudo, ele casou e conseguiu ter o que sempre quis: uma família!

  • Mariana disse:

    Cê jura que o seu queridinho do mês é o Harry? Não acredito! Hahahahaha
    O Harry fez parte do imaginário de muita gente, mexeu com os sentimentos de pessoas de todas as idades e foi o personagem principal da série de livros que inspirou várias crianças a lerem mais, a escreverem suas próprias histórias e a dar vida a seus próprios sonhos.
    Harry foi humano, mas foi exemplo. Com as atitudes do Harry, aprendemos o valor de uma verdadeira amizade. Lendo sobre seus sentimentos, percebemos como às vezes não damos o devido valor à nossa família.
    Harry Potter merece nossa admiração. E é por ter nos apresentado ao Harry que eu sou tão fã da JK Rowling.

    Lindo o post, Kakazinha. Mesmo que o seu queridinho tenha sido previsível, mas ninguém melhor para escrever sobre ele do que você!

  • Lucy disse:

    AAAAH, mas tinha que ser o Harry batedor de óculos da Kakazinha! hahahaha
    Menina, é dificil a gente começar a ler Harry Potter e não gostar, sabe? O duro é ver que tem gente que ainda tem preconceito com essa série, que “não se interessa”, talvez porque com os filmes virou um grande “oooh” e aí o povo desdenha demais. Sinceramente, ele é um dos meus personagens favoritos e sempre torci por ele, desde que li que ele vivia no armário debaixo da escada. rsrs

    Adorei, Kakazinha! Seu post foi cheio de sentimento, é realmente o seu queridinho pra toda a vida! \o/
    Bjos bjos

  • Melissa disse:

    To chorando. Ah nem, eu sou muito sentimental.

    O Harry é um personagem incrível. Por detrás de toda aquela fama, ele na verdade é um cara tímido e muito simples! Inclusive essa é uma das características que o Daniel nunca conseguiu transmitir nos filmes: essa falta de jeito que o Harry tem!

    Como não chorar com aquele menininho que dormia embaixo das escadas? Ou com o rapaz que perdeu tudo que mais amava? Ou com o homem que DISPENSOU A ELDER WAND?????? Fala sério. Isso é que é coragem, o resto é bobagem.

  • Mirian disse:

    Como não amar Harry Potter? ah, saudade…

  • :: Loma disse:

    Hey ^^

    Q delícia… é acredito que ando em outro planeta, acredita que nunca li e nunca assisti HP e olha que esta ama livros e filmes desde muito cedo, mas nunca é tarde, não é mesmo???
    Amei suas palavras e sentimos de fato todo amor que tens.

    Xxx

    :: Loma

  • Karen Alvares disse:

    Ah, gente, eu não podia falar de outra pessoa, né? Acho que se eu falasse de outro até pensaria que estava traindo meu Harryzinho… hahahaha 🙂

    Lany, que fofa, você chorou! 🙂 Mas puxa… é o Harry né? Muita gente cresceu com ele. Não dá para não amar, pelo menos não amar o que ele significa né? Eu sou uma das poucas pessoas que gostam dele na fase mala sem alça. Achei totalmente compreensível e natural, e até gostei, porque antes disso eu achava que ele aceitava até muito fácil todas as coisas que aconteciam. Como não se revoltar às vezes? Todo mundo se revolta. Isso que aproxima o Harry ainda mais de nós. Quanto à Cho, bem, todo mundo faz decisões erradas às vezes né? hahahahaha
    Eu sempre achei que ele fosse morrer. Sempre achei que fosse um ótimo final, um final emocionante e que teria sentido. Eu faria assim. Mas eu adoro o fato que ele formou uma família e teve um final feliz, virou uma pessoa comum, com filhos e família e trabalho, que era tudo o que ele queria.

    Ah Mari, obrigada, que bom que gostou! O Harry significa tanta coisa para todo mundo… O que ele nos transformou em vida é o que eu sou mais grata a ele e a JK. Nós tivemos uma trajetória junto com ele. Isso é o mais fantástico, o mais mágico.

    Lucy, obrigada, queridona! =) É triste como o povo tem ainda esse preconceito, mas tão perdendo de conhecer ótimas pessoas, entre eles, o Harry, que podemos dizer que sim, é um grande amigo nosso. 😉 De verdade, a gente torce por ele desde que o vê no armário debaixo da escada. Ai, tadinho dele! Vontade de abraçar…

    Ownnnn Mel, que linda! Acho que é isso mesmo, pelo Harry ser tão simples, que ele é mais fantástico e a gente o ama mais ainda. E dá maior orgulho ver que ele evoluiu, mas que a semente do grande homem que ele se tornou sempre esteve lá. Ele abdicou da Elder Wand! Isso foi fantástico demais, mesmo!!!!

    Falou tudo, Mirian! Como não amá-lo?!

    Lorna, volte de Marte, corra e vá ler Harry Potter! Nunca é tarde para se apaixonar por essa história. Você não vai se arrepender! 🙂 E sim, eu realmente AMO demais esse personagem.Muito!!!! E fiquei feliz que gostou do post! 🙂

  • Top Ten Tuesday: 10 personagens favoritas de todos os tempos « Por Essas Páginas disse:

    […] marmelada falar dele de novo, já que ele já apareceu aqui no blog como meu queridinho do mês de fevereiro, mas eu não consigo ficar sem falar desse garoto! Ele é meu primeiro preferido, super top, de […]

  • Top Ten Tuesday: 10 posts que formam o melhor quadro do que eu sou « Por Essas Páginas disse:

    […] Queridinho do mês: Harry Potter – Esse foi o meu primeiro queridinho aqui no blog, e o meu queridinho para sempre. Eu amo Harry Potter, mas mais que isso, eu amo o Harry, a pessoa que ele é (me recuso a acreditar que ele não existe, isso é uma ilusão, o problema aqui é que somos trouxas e não enxergamos o mundo da magia). Amo tanto o Harry que poderia casar com ele e o meu marido tem ciumes dele (de verdade).  Alem disso, os livros de Harry Potter mudaram a minha vida para sempre e me deram de presente amizades incríveis. Por isso, meus amigos, acho que esse é o primeiro post do blog que tem a minha cara, totalmente. […]

  • Meus queridinhos: Harry Potter | Eu, Papel e Palavras disse:

    […] Post originalmente publicado no blog Por Essas Páginas. […]

  • Top Ten Tuesday: Dez personagens que eu queria comigo em uma ilha deserta « Por Essas Páginas disse:

    […] não começar por ele?! Não é mistério para ninguém: eu sou apaixonada pelo Harry desde sempre. E, apesar de admitir que ele não é nenhum modelo de “hotness” (bem, pra […]

  • Kelly Dias disse:

    Olá, sim, Harry é um “queridinho”, muita gente, de todas as idades viajam nos romances. Mas é Harry Tiago Potter, não é? Ms, foi apenas um erro, erros acontecem. é muito bom ssaber que pessoas jamais esquecerão desse fenômeno.

  • Lucy disse:

    Oi, Kelly! Na verdade, nos livros originais (em inglês) é Harry James Potter. O nome do pai do Harry é James, não Tiago, como foi traduzido. O nome só foi traduzido mesmo porque disseram que seria melhor para as crianças que não entendem inglês.
    Bjs

  • GoldenBahis Giriş disse:

    Como não amar Harry Potter? ah, saudade…

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem