Resenha: 13 Pequenos Envelopes Azuis

O que você faria se alguns meses após a morte da sua tia favorita você recebesse uma carta dela, com $1,000 e instruções para tirar um passaporte e comprar uma passagem de ida para Londres? É nessa situação que Ginny Blackstone se encontra no começo de 13 Pequenos Envelopes Azuis. Com muitas saudades de Tia Peg e intrigada com a aventura proposta por ela, Ginny segue as regras: leva roupas que cabem apenas em uma mochila, nenhum guia de viagem, nenhum aparelho eletrônico e nenhum dinheiro extra. É na viagem para Londres que ela abre o primeiro envelope azul (que tinha escrito na frente “Abra-me no Avião“), onde ela recebe sua primeira instrução: o endereço onde deve ficar em Londres.

13 Pequenos Envelopes Azuis foi o primeiro livro de Maureen Johnson que li, e confesso que não é meu preferido. No entanto, se você gosta de viajar e procura uma leitura leve, pode pegar sem medo. Meu maior problema com esse livro é justamente Ginny Blackstone. Durante toda a narrativa eu não percebi nela muita emoção ao visitar lugares famosos como o Fórum Romano, ou ao andar pelas ruas de Paris. Sua busca não era por cultura ou sabedoria, mas sim por sua tia morta, o que talvez explique sua falta de entusiasmo. Mesmo com seus motivos, não consegui empatizar com a personagem, justamente por eu ser uma entusiasta em viagens.

As descrições das cidades que Ginny visita são minha parte favorita desse livro. Ginny passa por alguns lugares que eu tive a oportunidade de visitar, e me senti como se estivesse lá com ela, andando pelas calçadas familiares de Amsterdam, ou namorando em cemitérios de Paris. Através das descrições de lugares e interação com moradores locais, é possível inserir no livro todo o entusiasmo que falta à Ginny, e com isso fazer dele uma leitura agradável, uma ótima maneira de passar o tempo, especialmente se você já foi ou planeja ir à Europa.

13 Pequenos Envelopes Azuis será lançado esse mês pela Editora Underworld. Sua continuação, The Last Little Blue Envelope foi lançada em 2011 nos EUA.

Ficha Técnica:

Título: 13 Pequenos Envelopes Azuis
Autor: Maureen Johnson
Editora: Underworld
Páginas: 319
Avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Lany disse:

    Eu percebi que o pessoal no twitter ficou bem animado quando a Editora Underworld disse que iria lançar esse livro! E eu ainda não li nada da Maureen Johnson…
    Bom, e como você falou que é uma ótima maneira de passar o tempo para quem já foi ou planeja ir a Europa, eu vou ter que ler né? Hahaha!

  • Karen Alvares disse:

    Ah, eu mal saí ainda do país, as imagens e lugares seriam fruto da minha imaginação lendo o livro mesmo (ou só se eu procurasse no Google), mas se um dia eu for para lá, talvez seja legal ler um livro assim na volta e ficar relembrando como você fez, Parceira.
    É chato quando uma personagem não empolga a gente né. Fica difícil se conectar com a história, principalmente se for a personagem principal/ narrador. Uma pena, porque achei a idéia do livro muito original!

  • Vania disse:

    Eu gosto dos livros da Maureen, e especialmente dela no twitter. Ela é uma das autoras mais engraçadas que está por lá, e sempre levantando questões pertinentes do mundo literário.

    Mas olhem, apesar de não ter curtido muito a Ginny, eu gostei do livro. É que EU teria feito as coisas diferentes: a Ginny é uma menina tímida, que vai pra essa aventura com um certo medo, um certo receio. Se isso tivesse acontecido comigo, eu teria saído dando pulos e abraçando todo mundo. Personalidades hahaha. Mas é um livro interessante, eu acho que vale a pena pegar pra ler, a gente aprende algumas coisas de geografia e cultura com ele também!

  • Sabrina Inserra disse:

    Confesso que também nunca li nada da Maureen Johnson, mas estou beeeem curiosa para colocar as mãos nos livros dela (principalmente Night Star, hehehe…). Mas, por enquanto, vou ficar no aguardo da Editora Underworld!!
    Beijocas, Ily!!! =)

  • Lucy disse:

    às vezes a história é legal, mas com personagens meio broxantes… o.o’
    Não li o livro ainda, mas é o que me pareceu. rsrs Em todo o caso, quero ler pra tirar minhas conclusões. Vai ver é bem isso: ela é tímida e ainda sofria pela perda da tia – não sei se era uma pessoa muito próxima, mas enfim. Complicado essas coisas. Quero crer que no final ela tenha se tornado uma personagem mais alegre. hehehe

  • Vania disse:

    Eu acho que se vocês dessem uma chance pra Ginny, vocês iriam gostar dela. É que ela é tão diferente de mim nesse quesito viagem que eu não consegui, ficava imaginando as coisas que EU faria se estivesse no lugar dela.

    Sá, leia Maureen Johnson sim. Eu tenho resenhas de dois outros livros dela pra fazer, e quero ler mais, inclusive a continuação do Pequeno Envelope. Ela é sutil e engraçada, e os personagens dela geralmente são bacanas!

    Lu, a tia dela era tipo a melhor amiga dela. Ela sofreu bastante sim, e estava tentando entender tudo que tinha acontecido. Eu acho que você se identificaria com ela, e gostaria dela mais do que eu. É um bom livro, eu recomendo.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem