Resenha: A Bailarina fantasma

A bailarina fantasma“O Theatro José de Alencar é um lugar mágico. Foi construído em 1908 e graças aos cuidados que tem recebido, ainda conserva a mesma beleza e encanto do dia de sua inauguração . Parece inacreditável que seja possível sentar nas mesmas cadeiras em que tantas pessoas estiveram há cem anos, quando a cidade recebeu de presente essa jóia de arquitetura.

Até hoje a empresa escocesa MacFarlane & CO, que forneceu o ferro para estrutura da sala de espetáculos, indica o Theatro José de Alencar como uma de suas obras mais bonitas, dentre tantas espalhadas pelo mundo. Além do material vindo da Escócia, a beleza desse teatro também conta com a obra de artistas plásticos, arquitetos e engenheiros brasileiros.

Parece que os fantasmas gostam de teatros antigos. Com esse não é diferente. Há anos os funcionários e artistas que frequentam essa casa relatam histórias sobre uma bailarina jovem, bonita, quase transparente, que dança no palco pela madrugada, passeia pelos corredores e tenta fazer contato com alguém que  não tenha medo do seu hálito gelado. A bailarina fantasma tem algo a dizer e uma história para contar. Sua vida se confunde com a vida dessa casa centenária. Só alguém com muita coragem será capaz de ouvir.”

Logo quando começamos a parceria com a Editora Biruta, um dos primeiros livros que me chamaram atenção foi “A Bailarina Fantasma”, porque bem… Eu AMO e faço aulas de balé. E como o esperado, esse livro completamente me encantou, tanto pela história quanto pelo capricho da edição.

Como a própria Socorro  Acioli disse, esse livro tem como base uma lenda urbana que existe no Theatro José de Alencar, o mais antigo de Fortaleza. Algumas pessoas que trabalharam nesse teatro disseram que frequentemente a fantasma de uma bailarina aparece, sempre vestida de azul. A partir disso, a autora fez uma pesquisa e tentou responder a pergunta “Mas quem poderia ser essa bailarina? Por que ela aparece?”.

O livro tem como protagonista Anabelle, uma jovem de 14 anos, filha do arquiteto que foi responsável pela reforma do Theatro José de Alencar. Quando ela, o pai e uma amiga vão assistir ao balé Giselle, ela percebe uma bailarina que dançava tão levemente que parecia estar suspensa no ar… Mas ninguém mais olhava para essa bailarina, somente ela. A bailarina logo percebeu o interesse de Anabelle, ficou surpresa e foi conversar com a menina. Anabelle descobre que ela se chamava Clara e era, na verdade, uma fantasma. Clara conta um pedaço da sua história e pede para que Anabelle resolva o que ela não conseguiu em vida…

Em primeiro lugar, foi muito interessante como a autora pegou um fato verídico e criou toda uma obra de ficção em volta disso. Eu aprendi muito sobre o teatro e sobre as obras de restauração. A autora também soube inserir muito bem o contexto do balé. Eu achei muito carinhoso alguns detalhes, como por exemplo, quando ela explicou sobre o que é o balé Giselle. Eu sei que um livro não deve ter o intuito somente de ensinar algo, mas levando-se em consideração que ele pode ser utilizado nas escolas, isso traz um charme a mais. Principalmente porque eu nenhum momento eu fiquei pensando que “Okay, agora é o momento da aula”. Foi tudo muito bem inserido no contexto e a leitura fluiu durante todo o livro.

A edição de A Bailarina Fantasma merece todo um comentário separado, porque ela ajudou e muito a entrarmos na história. Primeiro, vamos falar sobre a capa. Eu não se é diferença na minha reimpressão, mas a capa do livro é mais para o rosa- diferente das fotos. Mas continua LINDA da mesma forma.

Fantasma 1
 

O livro é divido em atos, assim como os espetáculos de balé – e em cada um dos atos, ao invés das diferentes coreografias, nós temos os capítulos. Isso demonstra mais uma vez o capricho da autora com os temas trabalhados.

Fantasma 2
 

E antes de cada Ato e de cada capítulo, nós somos apresentados a uma arte que combina totalmente com a capa do livro, como essa:

fantasma 3
 

Além disso durante todo o livro nós temos fotos LINDAS do Theatro José de Alencar (e que me deu uma vontade imensa de conhecê-lo!). A última frase de cada capítulo é rosa, assim como a primeira palavra de cada um deles.

fantasma teatro
 

Enfim, A Balarina Fantasma é um livro MUITO fofo e curtinho, daqueles que você consegue ler em um dia só. No site da Editora Biruta (onde vocês podem ler mais informações sobre o livro), ele diz que esse livro é recomendável para leitores a partir de 12 anos. Mas não se enganem: tenho certeza que vários adultos vão se apaixonar por essa história, assim como eu! Fica uma ótima sugestão de presente para adolescentes que ainda não tem o hábito da leitura – esse pode ser um dos livros que irão mudar a opinião deles…

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Biruta.

Ficha Técnica

Título: A Bailarina Fantasma
Autor: Socorro Acioli
Editora: Biruta
Páginas: 184
Onde comprar: :Livraria Cultura
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Nayara disse:

    Que edição linda! Adoro pegar livros que são todos cuidadosos com a parte estética; acho um cuidado a mais para com o leitor! <3
    E achei muito legal a história da Bailarina Fantasma… E tem muito livro que a indicação é pra maior de 12 anos, ou infanto-juvenil que muita gente grande adora!!!
    Adorei a resenha e as fotos!
    Beijos

  • Aline T.K.M. disse:

    Ah, esse livro!!! Tenho-o há um tempão (uns dois anos, acho) porque ganhei numa promoção, mas ainda não o li. Está lá me esperando na estante, mas já dei uma boa espiada nas fotos e tal, sem falar que adoro que a temática seja sobre ballet (amo). Gostei demais da sua resenha, ela renovou minha vontade e empolgação de pegar o livro assim que possível! Ah, também tenho esse estojo de sapatilha!! Só que o meu está superdetonadinho, coitado..

    Beijooo, Livro Lab

  • Gustavo disse:

    Não me interessei tanto pelo livro quanto achei que iria me interessar… Parece legal, mas nem um pouco meu estilo de leitura. Talvez para alguém que gosto! Mas nem um pouco para mim kkkk

  • Patrini Viero Ferreira disse:

    Esse livro foi um dos mais fofos que eu já li em toda a minha vida. A história é encantadora, e é impossível não se envolver com as personagens marcantes e meigas. A trama te envolve completamente, e quando tu mal percebe já está no fim do livro. Gostei bastante da forma como ele foi dividido, feito para parecer uma peça de teatro, tem tudo a ver com a história. O cenário brasileiro faz toda a diferença e torna o livro ainda mais especial.

  • Shadai disse:

    Que livro nacional lindo! Super caprichado em tudo!
    Balé não é meu forte, mas adorei o tema fantasmagórico da história.
    Parece ser um ótimo livro mesmo.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem