Resenha: A Corrida de Escorpião

Eu achei que no blog tivesse a resenha desse livro, mas não achei. Como eu li há pouco tempo, resolvi deixar as minhas impressões.

A Corrida de EscorpiãoNa pequena ilha de Thisby, poucos cavaleiros são bravos o suficiente para competir na corrida de escorpião que acontece a cada novembro. Pela primeira vez uma mulher, a jovem Puck Connolly, vai competir. Ela tem dois irmãos e ficou órfã depois que os pais foram devorados pelos cavalos assassinos. Por isso, ela está determinada não só a competir como ganhar a corrida. Para isso, Puck terá que enfrentar outro jovem corajoso e encantador. Sean Kendrick também perdeu o pai, atropelado pelas sanguinárias criaturas.

Apesar de terríveis, os cavalos do mar são uma grande atração turística. O turismo é a principal fonte de renda dos habitantes de Thisby. A ilha é um lugar fascinante e, ao mesmo tempo que atrai, também amedronta. A descrição que Maggie faz dos desfiladeiros do local é carregada de poesia. Com a narrativa alternando entre o ponto de vista de Sean e de Puck, a autora criou uma trama envolvente, classificada por críticos do New York Times e do Los Angeles Times como inovadora.

Em A corrida de escorpião, Maggie Stiefvater nos leva até o limite, em que o amor e a vida encontram seus maiores obstáculos e apenas os fortes de coração podem sobreviver. Uma leitura inesquecível.

A obra teve os direitos vendidos para o cinema e recebeu críticas excelentes, sendo eleito um dos melhores livros de 2011 pelos seguintes veículos especializados: New York Times, Publishers Weekly, School Library Journal, The Horn Book e Kirkus Reviews, além de ganhar o prêmio Michael L. Printz, concedido anualmente pela Associação Americana de Bibliotecas ao melhor livro juvenil. Fonte

Esse livro estava na minha estante acho que desde 2012 e sempre postergava sua leitura. Esse ano estou tentando tirar a poeira de alguns livros, então decidi começar por ele. Gente, que livro! Não sei se é porque eu me encanto com esse tipo de fantasia, ou se o estilo de narrativa da autora me atrai, mas eu simplesmente me apaixonei pela história, do começo ao fim.

Em A Corrida de Escorpião, conhecemos primeiramente Sean Kendrick, um jovem encantador de cavalos que nasceu e cresceu rodeado por cavalos do mar, selvagens e sanguinários. Mesmo após ter perdido o pai na corrida, Sean frequentemente participa da competição, montado no melhor garanhão da ilha: Corr. Sean e Corr não são apenas cavaleiro e cavalo, mas ambos possuem uma cumplicidade que beira amizade.

Em seguida, conhecemos Puck Connolly. Mesmo com irmão mais velho trabalhando, e os pequenos trabalhos artesanais de Puck e seu irmão mais novo, as despesas continuam. Depois de saber que sua casa pode ser tomada, Puck se inscreve para a corrida. Porém, seu orgulho não a faria montar um cavalo do mar, então ela decidiu montar sua própria égua, Dove. A égua é um animal comum, sem sede de sangue que, diante dos demais cavalos, parecia mais um pônei.

Em contrapartida, Sean também vai participar da corrida e acaba apostando alto: Ele quer Corr.  Quando Sean percebe a intenção de Puck quanto à corrida, eles acabam formando uma parceria inusitada: uma vez que estava decidida a montar Dove, Puck precisaria de treinamento e Sean a ajudaria.

Para quem esperava uma corrida do início ao fim do livro, já adianto que não é essa a questão. O livro não se trata apenas da corrida em si, é uma história sobre confiança, amizade e também amor. E tudo é tratado em seu devido tempo, sem pressa.

A leitura fluiu muito bem comigo, não sei se porque estou acostumada com o estilo da autora, ou se é porque a história me cativou. A escrita da autora é um tanto densa, ela vai fundo ao descrever os sentimentos dos personagens envolvidos e todo o universo fantasioso criado em relação aos cavalos selvagens, mesclando realidade e fantasia. A história também parece atemporal: Não temos certeza de que época estamos falando, se do começo do século XX, ou um período ainda mais antigo. E, sinceramente, não fez a menor diferença, porque a história é muito envolvente.

Existe também uma questão quanto ao machismo nessa história, visto que Puck é a primeira mulher a participar da corrida, além de participar com um cavalo que não é um cavalo do mar, então ela sofre uma discriminação muito grande, tendo apoio apenas de seus conhecidos mais próximos – e de Sean.

Eu recomendo muito a história. Fiquei surpresa por algumas críticas negativas quanto ao enredo quando fui ver a classificação, mas se você é fã de fantasia e não tem medo de uma narrativa mais poética e, talvez por isso, um pouco mais lenta, vai adorar.

Ficha técnica:

Nome: A Corrida de Escorpião
Autor: Maggie Stiefvater
Páginas: 378
Editora: Verus
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Karini disse:

    Tudo bem? Tenho esse livro faz muito tempo na estante.. Gosto da escrita da autora. Mas confesso que não foi um livro que amei. Semana passada eu incluaive dei ele para uma amiga que queria muito.

    Bjs.

    http://www.alempaginas.com

  • Cabine de Leitura disse:

    Não conhecia o livro, mas saber que te agradou tanto já é um bom começo. Confesso que fico impressionada em saber isso, uma vez que o enredo é bem inovador, mas falando de preconceitos em torno da Puck e seu cavalo, ainda mais com uma narrativa poética, tem mesmo, tudo a satisfazer

  • Raiza disse:

    Pensa num livro que me surpreendeu!
    Eu pensei que séria bem ruim, mas a autora te prende e vende uma história muito boa. Tudo na medida certa, mais que recomendo.

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!

    O enredo parece ter um bom desenvolvimento e falar sobre temas interessantes sobre a diferença e o peso do homem e da mulher na sociedade.
    Como não sou uma grande apreciadora de fantasia, não sei se incluiria na minha lista de leituras.
    Beijos!

  • Milena Soares disse:

    Olá! Não conhecia esse livro, curto muito fantasia e essa resenha me deixou bastante interessada em conferi essa história.

  • Pamela disse:

    Olá, tudo bem?

    Eu amo o gênero fantasia, mas nem sempre o que é produzido dentro dele acaba me chamando realmente a atenção. Infelizmente este é mais um dos que não consegui me encaixar desde a premissa. Ao ler tantas resenhas, a gente aos poucos vai percebendo se é verdade ou não que o livro não vai me encantar, e é o que anda acontecendo com este desde seu lançamento.

    Beijos

  • Luna disse:

    Eu gosto muito de livros poéticos! E até gosto de fantasia apesar de ler bem pouco o gênero.

    Não fiquei interessada no livro. Não me atraiu, ainda assim se um dia esbarrar nele darei uma chance. Talvez ame. :) Acho que é aquele tipo de livro pelo qual não damos nada, mas acaba surpreendendo.

  • Aninha Goulart disse:

    Oiii,

    Eu não conheço a obra ou a autora, mas achei a premissa interessante, mas o que realmente me ganhou foi a quebra de paradigmas machistas. Fiquei realmente curiosa para saber como as coisas se desenrolam.

    Beijinhos…
    http://www.paraisoliterario.com

  • Maria Luíza Lelis disse:

    Oi, tudo bem?
    Eu já tinha visto muitos elogios para esse livro, bem como para as outras obras da autora, mas confesso que nunca tive muita curiosidade de saber do que se tratava. Gostei muito de descobrir mais sobre o enredo e que não se trata apenas de uma corrida de cavalos, mas que também fala sobre amizade, amor e confiança. Além disso, acho que vou gostar da escrita da autora, uma vez que deu para perceber que ela desenvolve bem seus personagens e o universo em que a trama se passa.
    Adorei sua resenha e já anotei a dica.
    Beijos!

  • Bruna Costabeber disse:

    Olá, tudo bem?
    Ainda não conhecia essa obra e não sabia que a autora havia lançado esse novo livro. Fiquei muito curiosa para conhecer a trama, pois gosto muito dessa temática de ser sobre amizade e confiança, além disso, é um ponto muito positivo o livro ser rápido e fluído. Acho que a questão de trabalhar o machismo é um ponto que acrescenta muito positivamente à história. Vou anotar a dica!
    Beijos

  • Mary disse:

    Oii.
    Nossa sempre me recomendam os livos dessa autora, principalmente aqueles da série da Filha da Floresta. Quero muito lê-los algum dia.
    Esse eu ainda não conhecia, mas parece ser muito boa pelas suas impressões. Já fiquei curiosa para conferir a leitura.
    Amei a resenha.
    BjS
    Mary – http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

  • Mairton Salvattore disse:

    Adoro quando os autores, no caso a autora, consegue se aprofundar nos personagens o que os deixa mais próximos dos leitores. Gostei da mensagem que a obra traz sobre força, coragem e amizade, o que me deixou bastante interessado na leitura.

  • Mairton Salvattore disse:

    Adoro quando os autores, no caso a autora, consegue se aprofundar nos m o que os deixa mais próximos dos leitores. Gostei da mensagem que a obra traz sobre força, coragem e amizade, o que me deixou bastante interessado na leitura.

  • Antonia Isadora de Araújo Rodrigues disse:

    Olá Lucy!!!
    Bem, eu não sei se me arriscaria em enredos assim pois sou meio complicada para algumas histórias e se ela tem algo poético já causa um problema porque se torna não fluída para mim.
    Mas admito que uma história que traz uma mulher que tem a coragem de está a frente mesmo contra a vontade das pessoas já me cativa muito.
    A capa está linda e certamente irei pensar bem em lê-lo e quem sabe dar uma chance ^^
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem