Resenha: A Escolha

A escolha“Estava cansada da competição. Precisava terminar de vez com Aspen. Lutaria por Maxon.

Quando foi sorteada para participar da Seleção, America não imaginava que chegaria tão perto da coroa – nem do coração do príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de tudo o que está em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo… Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar um futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente.”

Essa com certeza foi uma das resenhas mais difíceis que eu já fiz até hoje. Primeiro, porque a principal pergunta do livro é muito simples: “Com quem a America vai ficar?”. Com isso, eu fico com medo de dar qualquer tipo de spoiler aqui – e por isso eu tomei o dobro de cuidado na hora de escrever esse texto. Só para deixar bem claro, eu gosto do Maxon e do Aspen e, portanto desde que a Kiera me convencesse, eu ficaria feliz com qualquer um dos dois. Em segundo lugar, eu precisaria contar o que acontece no livro para poder explicar as minhas opiniões… Mas, eu não posso, então talvez quem leu o livro vai entender melhor o que eu estou querendo dizer.

Aviso: Essa resenha contém spoilers de A Seleção e A Elite

Quem leu a minha resenha de A Elite, deve se lembrar de todas as minhas reclamações sobre a America. Em A Escolha, Kiera Cass conseguiu me lembrar dos motivos de eu ter gostado tanto da protagonista em A Seleção. Apesar de ainda ter algumas dúvidas entre Maxon e Aspen, America não se foca nisso. Mesmo com o fim do concurso para escolher a esposa de Maxon cada vez mais próximo, os ataques dos rebeldes estão tão frequentes que ela tem outras preocupações. E a America é sensacional na arte de quebrar todas as regras e irritar o rei. Ela não tem medo, ela bate de frente, ela não consegue ir contra os seus princípios. Eu tive vontade de aplaudi-la em vários momentos, porque sério, ela poderia liberar qualquer rebelião em qualquer distopia.

“Lutem. O que os rebeldes querem é intimidar. Estão tentando assustá-los e força-los a fazer o que eles querem. E se vocês obedecerem? Que tipo de futuro eles têm a oferecer? Essas pessoas, esses tiranos, não vão parar com a violência de uma hora para outra. Se vocês derem poder a eles, ficarão mil vezes pior. Então lutem. Lutem como puderem” – página 80.

E foi por isso que uma grande parte do livro foi uma leitura bem agradável. America parou de ficar mudando de opinião a cada duas páginas (sério, eu fiquei totalmente surpresa quando eu percebi que ela tinha tomado uma decisão e ficado com ela) e a distopia estava sendo bem trabalhada. E um fato muito interessante é que Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda possuem detalhes que são muito importantes para A Escolha. Claro que mesmo sem ler os contos, é possível entender A Escolha mas muitos acontecimentos (e personagens) vão fazer muito mais sentido com essa leitura prévia.

DSC05274

Mas então, conforme fui chegando ao final da leitura… Muitos problemas começaram a acontecer. E esses problemas foram devidos a um planejamento talvez não tão adequado da Kiera para a série. O final foi MUITO corrido. Sério, acontecem coisas bombásticas que me deixaram de queixo caído. Mas eu não consegui ficar mais de 1 minuto assim – porque não dava tempo. Sabe final de novela, que tudo acontece no último capítulo? Foi pior do que isso. Sem contar que a Kiera usou saídas muito fáceis para diversos pontos da trama! Infelizmente não posso falar porque são spoilers, mas tiveram dois acontecimentos que eu não acreditei. Sério, pareciam contos de fadas (que eu amo – mas a gente sabe que vários deles são bem longe da realidade).  Enquanto isso, a autora perdeu MUITO tempo com o “mimimi” da America em A Elite. Se ela tivesse organizado melhor a série, ela teria tido tempo para trabalhar o final. Mas o pior de tudo foi que a autora introduziu uma personagem que tinha tudo para ser muito interessante – e depois ela nunca mais teve importância no enredo. Para que então gastar um tempo com ela?

Eu acho que o principal erro na série A Seleção foi que Kiera decidiu focar demais no tema “Com quem America vai ficar?”.  Mesmo se a America escolhesse o Maxon ou o Aspen ainda em A Elite, ela teria muitos desafios pela frente, assim dando espaço para um terceiro livro. Bom, já que eu cheguei na questão principal da trilogia, vamos lá! Eu gostei do romance? Gostei. E não gostei. A Escolha tem cenas LINDAS, LINDAS, LINDAS. O final me convenceu. Mas… A autora utilizou uma saída fácil com relação a certo tema. E sério, não precisava disso. Esse mesmo recurso já foi utilizado em uma outra série que muitas pessoas agora adoram criticar e… Assim como eu não gostei lá, também não gostei em A Escolha.

Enfim, a série A Seleção é um daqueles casos em que a autora teve uma ideia brilhante, mas não soube muito bem aproveitá-la. É claro que essa é a minha opinião e eu conheço várias pessoas que amaram a série. A melhor forma de tirar conclusões é realmente lendo e para quem adora romances, vale a pena conhecer essa trilogia – ela é bem diferente e possui alguns desenvolvimentos bem interessantes.

E eu gostaria muito de agradecer a Editora Seguinte tanto pelo exemplar do livro como quanto pelo carinho que ela teve com os blogueiros parceiros. Eles liberaram o pedido do livro logo no dia do lançamento – e assim, nós não tivemos que esperar muito tempo para receber um exemplar (e todo mundo sabe da ansiedade que é um novo livro de uma série, certo?).

Ficha Técnica

Título: A Escolha
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 352
Onde comprar: Livraria Cultura/Livraria Cultura (e-book)/ Amazon
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Karen disse:

    É, Lany, é melhor pra mim não ler essa série. Dá vontade por ser distopia, pelas capas lindas, mas a autora usar um livro inteiro só pra ficar de mimimi e indecisão e depois correr com o final… essa falta de planejamento me irrita.
    Mas pelo que deu pra perceber, pra fãs de romance, o saldo até que foi positivo, né?
    PS.: a foto ficou linda!

  • Val disse:

    Ah, eu amei tudo nessa série. Inclusive o mimimi da América. Poxa, é para mostrar a confusão da cabeça e do coração dela, certo? Fazia muito tempo que eu não lia livros em um ou dois dias e esses três fizeram isso comigo.

  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Lany!
    Eu ainda não li a série. Mas, pelo que observei na sua resenha, a trilogia até é muito boa, no entanto, a autora perdeu-se em sua própria trama.
    Também, não sei agora, se vou curtir esta leitura.

  • Letícia G. disse:

    Ai, Deus, aqui vou eu!

    Sua resenha ficou muito boa. Acho que você conseguiu abordar o conteúdo do livro sem dar Spoilers. Eu sei do que você está falando em cada momento, pois já li A Escolha, mas não concordo com tudo.
    Tipo assim, eu estava com tanta vontade de saber o final dessa trilogia que, quando o livro chegou, eu li ele em menos de um dia, direto, sem parar para comer nem beber. Isso já mostra o quanto me apaixonei pela série. Para mim a resposta sobre com quem a America ia ficar já tinha sido respondida em A Elite, esse livro só veio para confirmar, então a única coisa que eu realmente senti falta foi de um contexto mais elaborado da sociedade. Nem falo tanto sobre o romance, por que para mim foi perfeito daquele jeito, mas eu realmente queria que as questões das castas tivessem sido mais trabalhadas, e as soluções melhores representadas.
    Enfim, não digo que não gostei, por que na verdade amei e recomendo para todos. Poderia ter sido melhor? Talvez… mas quem nunca criticou alguma coisinha em qualquer livro, por mais perfeito que tenha sido?
    Espero por mais livros da Kiera!
    Ótima resenha, e até mais.

  • Gustavo disse:

    Aeeee finalmente saiu o último livro dessa série *-* não vou ler a resenha porque como não li nenhum livro até agora não quero me arriscar com spoilers kkkk agora que saiu o último finalmente vou comprar a série inteira. Só me deu receio de ler porque você deu poucas estrelas kkkk
    Quando ler o livro venho falar o que achei 😉

  • Débora Mille disse:

    Todos falando tão bem desta série, dá até curiosidade pra conferir…

    Bom, pena que segundo vc a ideia foi mal aproveitada. Mas ainda mantenho minha curiosidade.

  • Francielle Redini disse:

    Adorei a resenha! Difícil achar resenhas que não soltem spoilers pra lá e pra cá o tempo todo! Concordo com você, acho que a ideia poderia ter sido mais aproveitada, haviam coisas ali no meio (além do romance) que podiam ter sido mais desenvolvidas. Parabéns pela resenha!

  • Ana disse:

    Eu comprei A Seleção e A Elite mas ainda não li, quero comprar A Escolha primeiro. estou muito ansiosa pra ler, e espero que seja uma série realmente boa. Ultimamente os autores vem frustrando os leitores com o último livro das séries né, isso é tão frustrante

  • Marília Sena disse:

    Bem, vou tentar ao máximo comentar aqui sem dar spoilers também hahaha.
    Eu não vou dizer que o terceiro livro foi o mais elaborado, nem o mais intrigante, mas digo que foi melhor em alguns aspectos, e me deixou surpresa em outros.
    Concordo com você que o foco dado à dúvida da America é motivo de grande irritação (por mim, pelo menos), se a Kiera equilibrasse mais política e romance, tudo ficaria mais interessante. Eu não gosto da America. Não gosto, não gosto, não gosto. Mas se tem uma coisa que eu admiro nela é a força com que ela luta pelo o que ela acredita. Se ela fosse menos inconsequente e pensasse mais no que as suas escolhas poderiam acarretar, talvez ela se tornasse melhor aos meus olhos. E, claro, se ela não fosse tão indecisa com o rumo de seu coração. Ela passa o segundo livro todo naquele drama “Aspen ou Maxon?”, até que em A escolha, de repente, é como se ela tomasse um choque de realidade e percebesse que ela não poderia fazer isso para sempre. Sim, ela deveria fazer isso, mas não acho que a forma como a Kiera pôs foi muito convincente. Em comparação aos outros dois livros da trilogia, esse foi muito mais corrido, mas o que posso dizer? adorei. E mesmo com todos os problemas que eu tenho com a America, eu consegui odiá-la menos. Um ponto interessante que você falou é que a Kiera não soube aproveitar uma personagem interessante que apareceu no decorrer do livro. Sim, ela não soube. Assim como ela não soube aproveitar tanto outros tantos personagens maravilhosos da série. Muitas palavras perdidas com um drama de uma personagem indecisa.
    Apesar de todas essas reclamações, esse livro foi muito bom. Eu senti uma evolução e um amadurecimento na escrita da Kiera, e li o livro tão rapidinho que fiquei com vontade de quero mais.
    A Seleção foi uma trilogia que valeu a pena ler.

  • Luana Reis disse:

    Nesse livro achei que aconteceram certas coisas bem desnecessárias, dessas em que a gente precisa fechar o livro e respirar fundo pra voltar a ler. Mas no geral gostei da trilogia, só achei que ,como você disse, faltou organização da autora. Enfim, adorei a sua resenha, disse muita coisa que eu não consegui verbalizar ao terminar de lê-lo.

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu só li o primeiro livro dessa série, mas gostei muito, muito mesmo.. *-*
    o segundo ainda não tenho.. =/
    eu ouvi muita gente falando que faltou a autora desenvolver mais sobre revolução, eu quero muito ler essa série toda… 😀

  • Karolyne K. disse:

    Não li nada dessa série ainda, então nem posso comentar muito sobre.
    Espero não ler muitos spoilers sobre o final, pois isso é horrível =(
    O final da série divergente eu soube tudinho só em postagens no facebook, mó falta de amor ao próximo isso, rs.
    Mas enfim, está na minha lista de futuras leituras =)

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem