Resenha: A Forma da Água

Lindo! Lindo!! Lindo!!!!

A história de Guillermo del Toro que deu origem ao filme vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, recordista de indicações ao Globo de Ouro e um dos mais cotados na corrida do Oscar 2018.

Richard Strickland é um oficial do governo dos Estados Unidos enviado à Amazônia para capturar um ser mítico e misterioso cujos poderes inimagináveis seriam utilizados para aumentar a potência militar do país, em plena Guerra Fria. Dezessete meses depois, o homem enfim retorna à pátria, levando consigo o deus Brânquia, o deus de guelras, um homem-peixe que representa para Strickland a selvageria, a insipidez, o calor — o homem que ele próprio se tornou, e quem detesta ser.

Para Elisa Esposito, uma das faxineiras do centro de pesquisas para o qual o deus Brânquia é levado, a criatura representa a esperança, a salvação para sua vida sem graça cercada de silêncio e invisibilidade.
Richard e Elisa travam uma batalha tácita e perigosa. Enquanto para um o homem-peixe é só objeto a ser dissecado, subjugado e exterminado, para a outra ele é um amigo, um companheiro que a escuta quando ninguém mais o faz, alguém cuja existência deve ser preservada.

Mistura bem dosada de conto de fadas, terror e suspense, A Forma da água traz o estilo inconfundível e marcante de Guillermo del Toro, numa narrativa que se expande nas brilhantes ilustrações de James Jean e no filme homônimo, vencedor do Leão de Ouro em 2017. Uma história cinematográfica e atemporal sobre um homem e seus traumas, uma mulher e sua solidão, e o deus que muda para sempre essas duas vidas.

Um oficial do exército, daqueles na linha “sangue nos olhos”, recebe a missão de se embrenhar pelo Amazonas em busca do deus Brânquia, um ser meio-peixe/meio-homem.

Elisa Esposito é uma mulher jovem, muda, faxineira de um laboratório, que mora no andar de cima de um antigo cinema meio falido. Ela tenta ao máximo transformar este lugar em lar. Mas sua verdadeira paixão são sapatos (eu a entendo perfeitamente! rsrs). No trabalho ela tem sua amiga Zelda, que fez questão de aprender linguagem de sinais para conversar com a amiga, e em casa ela tem a amizade de Giles Gunderson.

No início temos capítulos separados nos mostrando o dia a dia de Elisa e a busca de Strickland, até o momento em que suas vidas se cruzam. E é neste momento que Elisa vê, pela primeira vez, aquela criatura extraordinária no tanque do laboratório. E resolve, a partir de então, fazer seu almoço escondidinha naquela sala e todos os dias ela leva ovos cozidos para dividir com o deus Brânquia. Eles passam a compartilhar estes momentos únicos.

Mas, logo ela descobre que o que Strickland pretende é dissecá-lo como uma cobaia. Strickland acredita que sua vida (uma confusão total em sua cabeça) vai voltar aos eixos assim que ele se livrar da criatura.

Elisa bola um plano e com a ajuda de seus amigos tenta salvar o deus Brânquia.

E para descobrir o que acontece, você vai ter que ler! hehe

As personagens são construídas de uma forma riquíssima que faz com que o leitor possa entender a fundo o psicológico de cada uma delas. Por meio de pequenas lembranças podemos ver todo o sofrimento da vida de Elisa, as decepções enfrentadas por Giles, as dificuldades da vida de Zelda e outros detalhes das vidas de outras personagens.

De certa forma, cada uma das personagens principais é “invisível” no mundo real e é isso que as conecta de forma mais profunda.

Mas minha construção de personagem favorita é a do vilão! O psicológico dele é apresentado de forma tão incrível que apesar de odiar a forma dele pensar, dá pra entender a loucura dele! Muito bem escrito!

Ainda não assisti o filme, mas o Oscar foi merecido! A obra mostra de uma forma linda, um amor construído sem palavras, amizades profundas e fiéis, compaixão pelos outros, respeito pelas diferenças! E um final que eu esperava, mas não sabia como poderia acontecer!

Resumindo, é lindo!!!

 

Este livro foi gentilmente cedido pela editora Intrínseca para resenha.

Ficha técnica:

Título: A Forma da Água
Autor: Guillermo del Toro/Daniel Kraus
Páginas: 352
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Drika, tudo bem com você?
    Eu já tive a oportunidade de ler esse livro e também me apaixonei. Concordo plenamente com você sobre a construção do antagonista. É um personagem tão complexo, denso e cheio de nuances que acaba até mesmo roubando algumas cenas.
    Parabéns pela resenha.
    Bjkas

  • Milena Soares disse:

    Olá! O filme é maravilhoso, estou doida pra ler o livro, história linda e super emocionante.

  • Cabine de Leitura disse:

    Ahh… eu estava toda empolgada com a resenha, mas vou ter que ler para descobrir se Elisa consegue salvar o deus Brânquia. Já vi alguns comentários sobre o filme, mas resenha do livro essa é a primeira e gosteis que foi bem direta e objetiva. Fiquei curiosa quanto a esse psicológico dos personagens em especial o vilão, ainda mais quando dá pra entender sua loucura, quero ler.

  • Luiza Helena Vieira disse:

    Oi, Drika!
    Eu só assisti o filme e amei demais! É tão simples, envolvente e sensível. Espero que o livro consiga transpassar esses sentimentos.
    Beijos
    Balaio de Babados

  • Andressa Ledesma disse:

    Esse livro está na minha wish list e não vejo a hora de ler. Eu adorei a premissa, e estou louca para assistir o filme, mas só quero fazer isso depois que ler o livro. rsrs
    beijos

  • Tamires Marins disse:

    Oi, Drika

    Olha, esse enredo me causa uma estranheza sem tamanho. Eu não consigo ver beleza nessa relação desde que um amigo falou que era.apologia à zoofilia! Rss
    Eu sinto curiosidade, mas realmente é algo que me incomoda agora, então acredito que não leria e não assistiria a adaptação, pelo menos por enquanto.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  • Camila - blog Leitora Compulsiva disse:

    Oi, Drika.
    Também tive a oportunidade de ler esse livro e fiquei simplesmente maravilhada! A história desses personagens é muito tocante, com cada um deles representando um grupo de pessoas excluídas.
    E concordo com você, o Strikland foi o meu personagem favorito, mas não o vejo como um vilão!! Rs…
    beijos
    Camis

  • Dayhara Ribeiro Martins disse:

    Então, eu só vi o filme e fiquei bastante emocionada, principalmente na cena final que me tocou profundamente. Pretendo ler o livro porque sei que a experiência será ainda melhor, e sinceramente, como nao amar uma obra que ganhou o oscar?

  • Maria Luíza Lelis disse:

    Oi, tudo bem?
    Eu vou te confessar que se o filme não tivesse vencido o Oscar eu provavelmente não teria interesse em assistir ou ler o livro, pois não é muito meu estilo.
    O que achei mais interessante é saber que os personagens são tão bem construídos, de um modo que o leitor consiga realmente entender o psicológico deles. Fiquei curiosa por causa disso, especialmente pelos seus comentários sobre o vilão.
    Pretendo ler em breve e assistir ao filme depois, apesar de não gostar muito do estilo dos filmes do Guilhermo del Toro.
    Beijos!

  • Fabiana Scola disse:

    Pelos comentários num geral, ou se ama ou se odeia esse livro. Ainda não tive oportunidade nem de assistir o filme. Mas para falar a verdade mesmo gostando de fantasia eu fiquei com pé atrás achando que não me agradaria, mas a forma com q tu apresentou tua resenha, teus comentários mostraram um lado do livro que até então eu nao tinha lido. Um romance inusitado e nada convencional. Gostei!!

  • Delmara Silva disse:

    Quero muito ler este livro, tanto que ainda não tive coragem de assistir ao filme. Por se tratar de algo além de uma simples ficção, gostaria de poder conhecer a história do livro primeiro, com todos os detalhes que só este formato me poderia apresentar e só então assistir a adaptação. Amei sua resenha, fiquei completamente encantada com tudo o que esta história despertou em você e só consigo querer ainda mais conhecê-la de perto.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

  • Aninha Goulart disse:

    Oiii,

    Eu não consigo ver esta história sem pensar naquele “meu namorado é um zumbi”, porque eu acho meio bizarro o relacionamento dos personagens principais kkkkk Parece ser um enredo bem elaborado e cativante, mas não consigo deixar de fazer este link rs. Uma hora eu paro de linkar estas estórias que não tem nada a ver uma com a outra e pego A Forma da Água para ler rs.

    Beijinhos….
    http://www.paraisoliterario.com/

  • Salvattore disse:

    Meu sonho ter este livro em mãos, extremamente beme aceito e emocionante. Também sonho com a vontade de ver o filme por inteiro, infelizmente não tive nenhuma das oportunidades ainda. E depois de ler essa tua resenha perfeita, fiquei ainda com mais vontade.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem