Resenha: A Garota Que eu Quero

A Garota Que eu Quero despertou sentimentos complexos neste que vos fala. Começou devagar na primeira marcha, acelerou, passou pra segunda, quase na terceira e … bem, ficou ali. É um livro que você espera mais, anseia por mais devido ao pouco de emoção que ele te propõe, mas nunca entrega. A emoção está lá, porém poderia ter sido muito mais intensa.

“O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.” (Fonte: Skoob)

Nosso protagonista Cameron é um adolescente taciturno, introvertido, que ainda não descobriu seu valor e anseia por uma conexão feminina.À sombra de seus irmãos mais velhos, Ruben, um brigão e galã das garotas e Steve, o irmão que deu certo. Através de um namoro mal sucedido de Ruben, Cameron conhece Octavia e juntos os dois vão descobrir um ao outro.

A Garota Que Eu Quero é um exemplo, um guia de um romance bem feito, de um verdadeiro homem romanceado. Embora eu não concorde com os métodos românticos de Cameron, ele serve como um excelente exemplo de como um homem deve ser dentro de um relacionamento. Só faltou ter um pouco mais de substância. Logo explico.

Cameron deseja anseia por sair da sombra de seus irmãos, e isso foi muito bem descrito pelo Zusak. Também sou o caçula da família, assim como o Cameron e creio que muitos caçulas conheçam muito bem esse sentimento “Quem sou eu? Como posso ser melhor do que eles? Como posso brilhar nesse mundo?”. Cameron tem essas difíceis perguntas constantes em sua mente, acrescentadas do desejo por sentir amor, um toque, uma companhia feminina. São os anseios e torturas da adolescência.

É aí que está o problema do livro pra mim. Felizmente ou infelizmente, a evolução de Cameron está atrelada ao seu romance com Octávia. Teria sido interessante ver o personagem evoluir por seus próprios meios, mas temos dois pontos válidos aqui – a duração do livro – uma evolução solo do Cameron prolongaria a narrativa e talvez estafasse o leitor, com monólogos adicionais do personagem, – e o fato de que isso realmente acontece – muitos homens/mulheres saem do casulo ao começar um relacionamento.

Não posso ser injusto e dizer que o personagem não evoluiu por conta própria completamente, sim há um determinado momento em que isso é perceptível, mas é possível chegar também a outra conclusão: esse é o livro dos ‘inhos(as)’. Temos uma evoluçãozinha do Cameron, um romancinho dele com Octávia, uma ceninha de sexo, uma briguinha, um suspensezinho. Tudo muito dosado e bem rápido. É perdoável, porém fica difícil despertar muitas emoções com momentos e eventos tão diminutos.

Tenho uma fome enorme de ser alguma coisa, de ser alguém. Está me ouvindo? – Ele estava – Não vou me rebaixar nunca. Não diante de você. Nem de ninguém. – Encerrei o assunto. – Eu tenho fome, Steve. – página 100

O livro é exatamente o seu gênero, um romance. Apesar de termos um mínimo de ação provido pelo irmão Ruben, é interessante ao leitor lembrar-se que é um romance bem próximo da realidade, ou seja, é uma ação decepcionante, mas engraçada porque é assim mesmo que acontece na vida real.

Romance recomendadíssimo para adolescentes tímidos que ainda não saíram da concha. Para os demais leitores, é um bom romance, mas sem muito valor de releitura. Porém tem utilidade em tirar esses romancinhos nocivos, que estão em voga, da cabeça.

Ficha Técnica

Título: A Garota Que eu Quero
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 176
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (E-book)/Amazon
Avaliação: 

 Essa postagem está participando do Top Comentarista de Outubro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Suelen Mendes disse:

    Sempre vejo esse livro em promoção,mas não compro por se tratar de um série,já ouvi dizer que os livros são independentes,que cada um conta a história de um irmão,e que esse é o melhor dos três.
    Mas realmente acho que vou tirar pouco proveito dessa leitura.
    Bjus

  • Gustavo disse:

    Eu não dava absolutamente nada por esse escritor quando comecei a menina que roubava livros. Quando finalmente deixei de frescura e li o livro do começo ao fim notei como escritor é bom. Já li dele o mensageiro e com certeza vou ler esse. Mas já é bom o aviso para eu não esperar grandes coisas, só uma história comum que poderia acontecer com qualquer um.

  • Nathalia Simião disse:

    Sinceramente não me interessei. Gosto de romances reais mas tem que prender minha atenção, esse tem cara de que eu ia acabar de ler e nem ia lembrar da história toda. Parecer ser chatinho.

  • Patricia Moreira disse:

    Sou beem curiosa pra ler os livros do Zusak, mas tenho um pé atrás com esse livro porque já vi várias resenhas falando que esse é o mais fraco dele. Pretendo começar com outros e se realmente amar a escrita do autor eu leio esse (:

  • Patrini Viero disse:

    A meu ver, o livro talvez tenho uma certa valia, como tu mesmo disse, para se entender como acontecem os relacionamentos, já que é bastante próximo da realidade. Acho a capa dele muito bonita, dá vazão a vários pensamentos e interpretações.

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu ainda nao li nada do autor, mas se for pra começar quero começar por A menina que roubava livros, que está inclusive na minha meta de leitura, só que ta emprestado com a esposa do meu primo desde Abril, ate hoje ela nao me entregou o livro… =/
    Mas em relação a esse, acho que leria por curiosidade e por ser um livro pequeno, parece ser uma leitura rápida.

  • Resenha: O Azarão « Por Essas Páginas disse:

    […] Cameron perdido e carente. Em Bom de Briga vemos Cameron mais decidido e revoltado e finalmente em A Garota que eu Quero vemos um Cameron um pouco mais śabio, calmo porém novamente sofrendo por amor. Parece que nosso […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem