Resenha: A Herdeira das Sombras

O segundo livro da Trilogia das Joias Negras prometia. O livro anterior, A Filha do Sangue, me conquistou por sua escrita instigante, personagens complexos e uma trama que se divide entre o sombrio e o sensual. Mas, apesar de continuar mantendo esses elementos, A Herdeira das Sombras pecou ao ser um livro prolixo demais, que se perde em cenas que pretendem evoluir os personagens – e muitas vezes o fazem – mas na maioria do tempo apenas são pura enrolação.

“Há 700 anos, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súditos, uma profetisa viu na sua teia de sonhos e visões a chegada de uma poderosa Rainha. Jaenelle é essa Rainha. Mas mesmo a proteção dos Senhores da Guerra não impediu que os seus inimigos quase a destruíssem. Agora é necessário protegê-la até as últimas consequências.” Fonte

Essa resenha tem spoilers do livro anterior, A Filha do Sangue. Leia a resenha.

Em A Herdeira das Sombras, acompanhamos os acontecimentos logo após o ato chocante e brutal do final do livro anterior e como os personagens lidam com isso e com as consequências dessa violação. Jaenelle, com apenas 12 anos, passou por um trama terrível, e sua mente se separou do seu corpo, vagando no Reino Distorcido. Por dois anos ela permanece desse jeito até que Saetan – um dos meus personagens favoritos – a traz de volta e consegue sua tutela, como pai adotivo. Até aí o livro estava indo muito bem, com a mesma “pegada” que o anterior, mostrando também um pouco de como Daemon Lucivar estavam lidando com a situação. O problema mesmo foi o “miolo” do livro.

IMG_20141231_174208

Depois que Saetan adota Jaenelle temos grande parte do livro dedicada à relação dos dois, à educação da Feiticeira e Rainha, ao seu desenvolvimento, de menina a adolescente, e toda essa fase. Ao que parece, a autora quis fazer um livro de evolução dos personagens, o que foi ótimo, mas se perdeu em cenas muito esmiuçadas de acontecimentos completamente banais. Tudo bem que alguns trouxeram alguma leveza à uma obra densa e sombria, mas apesar de isso representar um sopro fresco para o leitor, também acaba desencantando-o por outro lado, especialmente pelo fato de que a leitura parece evoluir a passos muito lentos. Em alguns momentos, deu sim a impressão de que algumas cenas eram pura enrolação. Isso é ao mesmo tempo desconcertante e frustrante.

“Saetan se deteve a alguns centímetros de Jaenelle. Os olhos azul-safira encontraram os dele no espelho, e Saetan teve de se esforçar para manter uma expressão indiferente. Aqueles olhos. Límpidos e selvagens e perigosos antes de vestir a máscara de humanidade. E era uma máscara. Não era como a dissimulação a que se dedicava quando criança para manter em segredo o fato de ser uma feiticeira. Era um esforço deliberado para ser, simplesmente, humana. E isso o assustava.” Página 80

Por outro lado, a escrita de Anne Bishop continua vibrante e imersiva e, apesar da sensação de frustração mencionada anteriormente, o leitor ainda assim se vê envolvido na história, na dança suave e sensual que todos orquestram ao redor da Rainha, Jaenelle, em seus dramas, conflitos, feridas e mistérios, nas tramas políticas e nas intrigas dos Sangue. A despeito de toda essa prolixidade, A Herdeira das Sombras ainda é um ótimo livro, decepcionando não como obra em si, analisado sozinho, mas como continuação de uma obra tão rica, imersiva e repleta de acontecimentos como foi seu predecessor.

20150104_171527

Os personagens continuam extremamente ricos e o leitor dá as boas-vindas a outros personagens tão intensos, interessantes e complexos quanto os que já conhecíamos. Os antigos são aprofundados, especialmente Jaenelle, que perde a aura infantil e amadurece, física e emocionalmente, além de se tornar ainda mais poderosa. Como não há uma narrativa de seu ponto de vista, ela continua um mistério para o leitor, o que, dependendo do ponto de vista, pode ser ainda mais interessante. Saetan também teve grande parte dos holofotes nessa história, criando uma relação de ternura com a Rainha, como pai, que é bastante deliciosa de acompanhar. Por muito tempo tive medo que Lucivar fosse renegado novamente (seu papel me pareceu reduzido no livro anterior), mas seu retorno mais ativo na história a partir da metade do livro, no papel de um irmão mais velho de Jaenelle, trouxe uma riqueza e um divertimento a mais para o leitor.

“Posso curar as cicatrizes do seu corpo, mas não as da alma. Nem as suas nem as minhas. Tem de aprender a viver com elas. Tem de decidir superá-las.” Página 295

Quem foi realmente colocado de lado nesse livro foi mesmo Daemon, que praticamente sumiu da história. A relação dele com Jaenelle foi, talvez, uma das mais emocionantes do livro anterior, mas nesse livro é quase inexistente. É compreensível até certo ponto devido à amplitude dos fatos que os acometeram, mas ao mesmo tempo é frustrante, já que ele é um personagem que adiciona e muito ao livro. E acredito que seria mais válido acrescentar mais cenas dele ao invés de algumas bastante inúteis que a autora inseriu no “miolo” da história.

20150104_171441

O livro se torna mais rápido próximo ao final, com uma conclusão que deixa o leitor bastante interessado em continuar a leitura, que finaliza no próximo volume da série, A Rainha das Trevas. Como da outra vez, a edição da Saída de Emergência Brasil foi caprichada e essa é a minha capa preferida dentre toda a trilogia; no entanto, a editora pecou na revisão desse volume, cheio de letras faltando e palavras escritas de maneira incorreta, erros desconcertantes para uma editora desse porte e que certamente um livro dessa proporção não merecia ter. Mesmo assim, ainda é um dos melhores livros de dark fantasy que já li, sem as pretensões e clichês que normalmente são encontrados em livros de fantasia, com uma narrativa instigante e fluida que, apesar de alguns problemas, ainda conduz o leitor com maestria e o mantém grudado na leitura da primeira à última página.

Livro gentilmente cedido em parceria para resenha pela Editora Arqueiro/ Saída de Emergência Brasil.

Ficha Técnica

Título: A Herdeira das Sombras
Autor: Anne Bishop
Editora: Arqueiro/ Saída de Emergência Brasil
Páginas: 480
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) / Amazon
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Janeiro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

top-comentarista_junho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Gustavo disse:

    Eu tenho muito interesse nessa trilogia, então não vou ler a resenha para não saber spoilers kkkkk mas li o primeiro parágrafo e notei que a autora deu uma pecadinha, mas ainda sim ganhou 4 estrelas, então o livro é bom, mais um motivo para eu ler *—–*. Acho que já saiu o 3° ou esta para sair… Não lembro onde vi, acho que no skoob, mas não tenho certeza. Enfim, mais motivos para eu querer a trilogia *-*

  • thayna ta disse:

    Essa parte em aberto é realmente linda não? Mas acho a filha do sangue com a mais bonita *-. Eu tenho aqui em casa, mas não peguei para ler ainda. Uma pena ter cenas de enrolação e de encher linguiça. Acho que ela foi bem devagar, por a série ter mais volumes, além de detalhar bastante ao que parece. É bom que ainda quem lê se envolve com a história, a narrativa continua fluida e sem se tornar arrastante. Gostei de a protagonista ter amadurecido.
    Espero que os outros livros sejam melhores, e que a autora não decaia na escrita.
    Abraços Karen,
    ThayQ.

  • Rita Cruz disse:

    Não tenho interesse em ler o livro, mas gostei da trama. Confesso que a enrolação das cenas me desmotiva um pouco, pois quando pego um livro assim para ler acaba se sobrepondo a boa escrita da autora e ao enredo interessante.
    Acho a capa e diagramação dos livros dessa série muito bonitos, mas não passa disso.

  • Brenda Carolina disse:

    Ainda não tinha ouvido falar dessa série, parece ser boa, talvez eu leia, o que me desanimou um pouco foi você ter falado que tem muita enrolação, quando leio livros assim eu acabo demorando muito e perco o interesse. Achei a capa maravilhosa *u* E sua resenha foi ótima!
    Beijos
    littledreeamer.blogspot.com.br

  • Nathalia Simião disse:

    A autora caiu naquela maldição do 2° livro pelo jeito. Não li o primeiro livro ainda e não posso comentar sobre a história em si mas, pelo que vi em sua resenha, o primeiro é bem mais emocionante, mais movimentado. A evolução dos personagens é importante sim, mas focar nisso e enrolar não dá, ninguém aguenta ainda mais num livro de fantasia.

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu tenho muita vontade de ler essa série, ja vi resenhas do primeiro livro que me deixou curioso, e adoro as capas do livro, bem interessante e diferente né.
    Li meio assim a resenha pq nao gosto de Spoiler…kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Mas vejo acontecendo isso sempre,é o mal do segundo livro, o bom que quando eu for ler a série já sei que o primeiro eu posso ir com tudo e no segundo eu ja vou mais devagar.

  • Carolina disse:

    Oi Karen, tudo bem?
    Eu não tinha certeza sobre essa série, pois tinha lido comentários negativos sobre ela, mas me apaixonei pelas capas e uma grande amiga minha que tem um gosto literário parecido com o meu adorou! Aí, tomei coragem e iniciei a leitura. Depois daquele final bombástico do livro 1, engatei o segundo livro sem pestanejar e gostei bastante. Vi um pouco mais de humor nesse livro, com a inserção de alguns personagens e ainda fiquei chocada com algumas cenas e bravas com algumas vilãs. Então, no geral, gostei bastante do que li até agora.
    Parabéns pela resenha.
    Bjkas

  • Vitória Pantielly disse:

    Oii :D

    Ah, escuto maravilhas sobre essa trilogia, e me sinto mais tentada a ler a cada resenha que vejo. Adorei como a autora destacou as personagens femininas, claro que isso chama a atenção .. Gosto quando a narrativa nos prende, e sim, é uma pena que a autora tenha pecado em alguns quesitos, mas acho que pela escrita dela vale a pena!!
    Ah, adoro as capas dessa trilogia!
    Bj

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem