Resenha: A Morte de Sarai

Esbarrei com A Morte de Sarai por aí, por acaso, nas minhas idas e vindas pela Amazon. Só depois que adquiri o e-book  percebi que ele era um mega lançamento da Suma de Letras, uma das suas grandes apostas para esse mês. A autora, J.A. Redmerski, é mesma de Entre Agora e o Nunca, que eu não li (a resenha aqui do blog, dupla, é da Lucy e da Lany) e, sinceramente, não tenho muita vontade de ler. Mas quando li a sinopse de A Morte de Sarai, ao contrário, percebi que precisava ler esse livro imediatamente. Sabe quando você sente uma urgência que não dá pra ignorar? Pois é. E  realmente li esse livro com uma urgência alucinante. A Morte de Sarai é daqueles livros incríveis e impossíveis de largar.

“Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte.

Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo.

Em “A Morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.” Fonte

Viciante, esse talvez seja um bom adjetivo para essa obra. Uma vez arrebatado, você fica viciado, preso entre aquelas páginas. Li em pouquíssimos dias e, se tivesse mais tempo, teria lido num só. Desde o começo o leitor já percebe que A Morte de Sarai não é um New Adult qualquer; aliás, ele é tão singular, tão criativo e espetacular, que eu só fui descobrir bem depois que se tratava de um livro desse gênero (minhas más experiências com outros livros me fizeram desenvolver um certo receio dessas obras). Mas com o novo romance de J.A. Redmerski a coisa é outra: uma trama incrível e angustiante e um suspense muitíssimo bem amarrado, permeado por cenas extremamente sensuais, de tirar o fôlego de qualquer leitor.

Conhecemos logo de cara Sarai, uma jovem mantida como escrava sexual de um chefão do tráfico mexicano. Por ser sua “esposa”, ela tem regalias, como banho quente, comida e o detalhe de que não pode ser estuprada por mais ninguém além do próprio chefão, Javier. Apesar de ter passado anos nesse inferno, Sarai nunca desistiu de fugir dessa vida, e pensa ter encontrado a oportunidade perfeita quando Javier contrata um americano misterioso (e perigoso) para uma missão. É quando ela foge e se esconde no carro do, também assassino, Victor.

“As coisas que admiti me assombram há muito tempo. Estavam enterradas em minha alma, queimando meu âmago, me deixando frígida e me transformando em alguém completamente diferente de quem eu deveria ser.”

Os capítulos são intercalados, em primeira pessoa, entre o ponto de vista de SaraiVictor, e cada desfecho é uma surpresa, uma nova reviravolta. Você nunca sabe o que esperar no próximo parágrafo, na próxima linha, e isso só faz com que o leitor deseje avançar mais e mais, sem pausas. Ninguém está seguro, nem mesmo a sanidade de Sarai (ou de Victor). E quando finalmente você acha que o livro atinge o ápice, é quando se engana: há ainda muita história para contar e a autora surpreende com mais uma trama elaborada, envolvendo o leitor com facilidade.

O que mais me impressionou em A Morte de Sarai foi que a autora, apesar de ter escrito um New Adult com muitas cenas quentes, se preocupou muito mais em contar uma história brilhante, extremamente coerente, muitas vezes sangrenta e imprevisível do início ao fim. Ah, e nesse caso, o “mocinho” (que de mocinho não tem nada!) é realmente perigoso. Não é nenhuma conversinha mole de garoto bad boy que só se acha muito esperto, muito sexy, muito mau. Nada disso. Victor é realmente esperto, realmente sexy, realmente mau. Ele é um assassino! E já vou avisando, Sarai também não fica nada atrás, sendo uma personagem sombria e instável, o que, claro, fez com que eu grudasse ainda mais em sua história.

“É algo diferente, algo poderoso e inconfundível que nenhum de nós dois conseguiu ignorar.”

Portanto, se você gosta de um livro maduro, com um suspense arrebatador e muita sensualidadecom pegada de verdade, você precisa ler A Morte de Sarai imediatamente. O livro é o primeiro da série Na Companhia de Assassinos, e eu preciso urgentemente da continuação.

Ficha Técnica

Título: A Morte de Sarai
Autor: J.A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Páginas: 255
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book)/ Amazon
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Março. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Netto Baggins disse:

    Também não tenho muito apreço por New Adult, mas a sinopse desse é interessante e a sua recomendação me fez ficar bastante curioso!

  • Daniella Alves Vale disse:

    Louca para ler este livro! Todas as resenhas que já li foram muito positivas.

  • Gustavo disse:

    Não sabia que a autora era a mesma de Entre o agora e o nunca, livro que também não tenho interesse nenhum em ler, mas esse eu tenho muita vontade de ler desde que vi o lançamento dele no skoob. Adorei a sinopse, a capa, tudo desse livro, só espero gostar da leitura tanto quanto você kkk, a única coisa que me deixa com preguiça de ler o livro é saber que ele é uma série =(
    Amei a resenha ^^

  • Douglas Fernandes disse:

    Nossa que resenha é essa, esse livro tem muito do que eu gosto, suspense, reviravoltas, já quero esse livro pra ontem, vi muita gente falando bem desse livro e vejo que não é atoa, agora é torcer para que o segundo esteja no mesmo nível ou acima né… hahahaha

  • Resenha: O Retorno de Izabel | Por Essas Páginas disse:

    […] Companhia de Assassinos, no começo do ano e fiquei completamente viciada, como podem ver nessa resenha. Por isso, foi com muita animação e expectativa que peguei O Retorno de Izabel para ler. É […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem