Resenha: A Protegida

Vocês já devem saber que sou mega fã de Lisa Keyplas, desde que li Os Hathaways, uma série de romance de época. Pois é, quando fiquei sabendo que essa série de romance contemporâneo seria publicada pela Gutenberg, eu ainda fiquei um pouco com o pé atrás, porque sabia que não seria a mesma coisa. E estava certa – mas adianto que valeu a pena mesmo assim.

A_PROTEGIDAUma escolha pode conduzi-la à felicidade… Ou partir irremediavelmente seu coração.

Liberty Jones é uma garota determinada, mas em sua vida pobre e difícil não há espaço para que ela consiga vislumbrar seus sonhos sendo realizados. Seu único consolo é a amizade e o amor que nutre por Hardy Cates, um jovem que possui ambições grandiosas demais para ficarem enterradas na pequena cidade de Welcome. Apesar da atração irresistível que pulsa entre os dois, tudo o que Hardy não precisa é de alguém para atrapalhar seus planos de sucesso, e ele a abandona no momento mais difícil de sua vida: quando a mãe de Liberty morre tragicamente em um acidente; deixando um bebê para ela criar. Mas a vida traz grandes surpresas e Liberty se vê sob a tutela de um magnata bilionário, que irá oferecer muito mais do que proteção à irmã e a ela, mas também revelará uma forte ligação com o passado obscuro da família de Liberty. O que Liberty não espera é ter de lidar com Gage Travis, o filho mais velho do magnata; o rapaz não aprova a presença dela em sua casa e fará de tudo para afastá-la de sua família… Gage apenas esquece de também mantê-la longe de seu coração.  Fonte

Liberty foi criada apenas pela mãe e, após a morte desta, acabou criando sua irmã sozinha. Seu amor de infância, Hardy, também a amava, mas não se via no direito de abdicar de seus sonhos pelo amor de ambos. Hardy parte em busca de seus sonhos, enquanto Liberty tem planos mais práticos e de curto prazo para poder sustentar a si mesma e sua irmãzinha.

O tempo passa e ela consegue se estabilizar na vida, até conhecer Churchil Travis, o patriarca de uma família poderosa que decide contrata-la como assistente. Tudo seria perfeito, se não fosse por Gage, filho mais velho de Churchil, que não vai nem um pouco com a cara de Liberty. Enfim, acho que vocês sabem o rumo dessa história. Mas calma, que existe uma reviravolta! Um possível triângulo amoroso pode surgir a partir daí e não sabemos exatamente como Liberty vai lidar com o assunto.

Diferente dos romances de época da autora, a narrativa feita é em primeira pessoa, por Liberty, no início tímida e cheia de insegurança quanto à si própria na infância e adolescência, evoluindo para uma jovem mais pé no chão e decidida em praticamente tudo, menos no amor. Seu coração simplesmente sangra quando pensa em Hardy. Por outro lado, Gage começava a se mostrar mais receptivo…

O cenário da história também é muito diferente. Estamos na época atual, e os cenários vão de Welcome para Houston, no Texas. Liberty descreve perfeitamente tanto o cenário quanto as pessoas, sempre apontando o temperamento texano. No início, ela pode se prolongar nos detalhes, fazendo com que a história fique mais arrastada, mas a partir de determinado ponto, é impossível largar a leitura, portanto, persistam!

E não se enganem com o ar de “mocinha sofredora” de Liberty! Ela não encontra tempo para mágoas ou remoer seu passado, ela simplesmente estabelece metas e segue em frente, sempre determinada a prover um futuro decente para a irmã, que ela assumiu a criação desde bebê, mesmo antes de sua mãe falecer. O único porém nisso tudo é quando seu passado bate à porta e ela acaba tendo que avaliar seus sentimentos.

O interessante da história é que vemos os personagens masculinos pelos olhos de Liberty. Então, enquanto ela fica indecisa quanto ao seu coração, podemos acompanhar como ela avalia Gage e Hardy, porém nunca comparando os dois, como ela fazia com antigos namorados. Gage se apresenta como um homem apaixonado, porém realista. Hardy é ganancioso e, posso acrescentar, egoísta. Acredito que minha má impressão sobre ele pode mudar nos próximos volumes da série, então fico no aguardo.

Acredito que pelo fato de a história ser narrada do ponto de vista de Liberty, pareceu que ficou faltando alguma coisa sobre Gage, uma participação maior, talvez. Mas o romance aconteceu de forma bastante gradual e, convenhamos, nem todo romance começa com uma paixão arrebatadora que é tão comum nos romances. Como Liberty e Gage são realistas, combinou bastante com o perfil de ambos. rs Por isso me irritou a quase formação de triângulo, mas pelo menos ele serviu para Liberty finalmente amadurecer seu coração por completo.

Enredo bem construído, romance fluido, com um clímax até chegar ao desfecho. Leitura recomendada!

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Gutenberg.

gutenberg

Ficha técnica:

Nome: A Protegida
Autor: Lisa Kleypas
Páginas: 288
Editora: Gutenberg
Onde comprar: Saraiva / Submarino / Amazon
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Milena Soares disse:

    Estou doida pra ler esse livro, curto muito a escrita da Lisa Keyplas, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

  • Alessandra Malta de Oliveira disse:

    Gostaria de ler este livro, sou colecionadora dessas jóias chamada livros e penso que este será mais uma das minhas pérolas.

  • Drielle Giovana disse:

    O livro me parece muito interessante, o enredo, os personagens e tudo o mais, exceto Hardy, não gostei do personagem na sinopse e muito menos nos momentos que falava dele na resenha, peguei birra imediata rsrs
    Espero poder ler o livro e decidir se essa birra é válida ou não.
    P.S.: Escolhi o “amor de infância” no concurso cultural, mas em nenhum momento pensei no Hardy HAHAHA
    Beijos!

  • Mariana Ogawa disse:

    que bom que vc comentou que ela não é uma mocinha sofredora, pois enquanto eu lia o resumo, foi a única coisa que eu pensei da personagem principal: ah mais uma mocinha que sofreu muito. eu nunca li nenhum livro dela, e apesar de ser contemporâneo ele ainda traz umas caracteristicas dos outros livros dela (patriarca? quem hoje em dia usa isso)mas enfim… são tantos elogios para a escrita da autora que eu quero dar uma chance

  • Rissia Ribeiro disse:

    Senhor ainda bem que você gostou porque eu adorei os livros da série Hathaways e como você estou receosa em relação ao livro, mas vendo a sua resenha vejo que o livro vale a pena, o que me deixou animada porque ainda tenho muita vontade de ler esse livro e sinto falta da escrita dessa mulher, que era leve e divertida e foi isso o que me dez apaixonar por esse livros ^^ Adorei a resenha.

  • Ingrid Sodré disse:

    Adorei a resenha do livro. Só conhecia de ler resenhas os romances históricos da autora, é a primeira vez que vejo um romance mais atual dela. Achei interessante. Acredito que trata-se de uma história que todo mundo se identifica um pouco, né? Principalmente se já ficou em duvida de dois amores.
    O que mais me chamou atenção, foi as características da personagem principal. Ela parece ser forte, mas nem por isso desumana, muito pelo contrário. Enfim, estou ansiosa para conhecer um pouco mais sobre essa história.
    A capa pra variar, é linda!

  • suzana cariri disse:

    Oi!
    Li esse livro e adorei, foi uma das minhas melhores leituras não esperava que a historia fosse me conquistar tanto, mas gostei muito da Liberty sua força determinação e como ela sempre está la para cuidar da sua irmã e quando terminou queria mais para mim foi um livro muito curto !!

  • Estela Regina da Cruz disse:

    A resenha(muito boa) me envolveu. Já estou imaginando o enredo todo. Mas, com certeza, vai ser melhor ler. …Curiosa e esperançosa…

  • Andrea Barbosa disse:

    nao li ainda mais parece ser bom ,pretendo ler em breve.

  • Paola Maisi Souza disse:

    To pretendendo ler essa série(Os Hathaways) pois amo romance de época e já ouvi falar muitooo da Lisa.
    Gostei bastante da resenha, quando leio uma eu comstumo parar para escrever o que achei sobre o que diz em cada parágrafo, mas não foi o mesmo com essa. Quando a li, eu não quis parar para saber o que acontecia depois, queria saber com quem ela ficava.. Nossa, se você não tivesse falado eu pensaria que não teria continuação. Ainda bem que eu li a resenha, porque quando li a sinopse pensei que Liberty iria ficar com o pai de Gage haha. Nossa, super quero ler esse livro, mais um que entra pra lista.

  • Cristiane de Souza disse:

    Olá…

    Adorei a resenha… Ainda não li nada de Lisa Keyplas, mas esse livro parece ser fantástico… Gosto de um bom romance e pelo jeito vou me envolver bastante com a história…
    Beijinhos

  • Lana Silva disse:

    Bom, já conhecia esse livro, porém não sabia qual era trama, por isso quando você elogiou outros livros da autora já fiquei entusiasmada, por gostar bastante do gênero romance, a premissa do livro já me chamou a atenção, principalmente por a personagem construir um amor por outro cara a medida que a estória do livro vai se desenrolando, adorei já vou incluir esse livro na minha lista de desejados, fiquei curiosa para conhecer outros livros da autora.

  • Iêda Cavalcante disse:

    Oiee!
    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, acho que essa capa acabou me afastando dele (sou do tipo que a capa conta muitos pontos).
    Conheço a Lisa dos romances de época que por sinal eu os meus preferidos, (sei que esse também é, mas nem parece por causa da capa, novamente a capa).
    Gostei que você dos pontos positivos e negativos do livro, pra mim os “ruins” sobressaíram, porém como sou muito fã da autora ainda estou disposta a dar uma chance.
    Quem sabe mais pra frente eu o leia.
    Bjokas!

  • Juliana Salles disse:

    Fiquei com muita vontade de ler!! Já tenho livros dela na minha fila de leitura, mas tem me faltado tempo para colocar ela em dia rsrs

    Gosto demais das mocinhas que não são sonsas, que sabem o que querem e isso que me chamou a atenção no livro!

    Obrigada pela dica de leitura ;)

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem