Resenha: A Quase Honrosa Liga de Piratas – O Terror das Terras do Sul

A série infanto-juvenil Quase Honrosa Liga de Piratas começou com o livro O tesouro da Encantadora, um livro que eu já tinha gostado e muito. Mas, diferente da maioria das séries que são acometidas pela temida “maldição do segundo livro”, o novo volume, O Terror das Terras do Sul consegue ser ainda melhor e mais encantador que o primeiro. Com um narrativa ágil e deliciosa, Caroline Carlson conduz crianças (e adultos também!) em mais uma aventura cheia de magia, mistério e humor.

Obs.: essa resenha pode conter spoilers do primeiro volume, O tesouro da Encantadora. Leia a resenha.

“Em ‘O tesouro da Encantadora’, Hilary viveu grandes peripécias em alto – mar até encontrar o maior tesouro do reino, desaparecido havia muito tempo, e sua dona, a Encantadora das Terras do Norte. Como recompensa, recebeu um certificado de filiação à ‘Quase Honrosa Liga de Piratas’ e o título de ‘Terror das Terras do Sul’. Neste novo volume da série, a Encantadora voltou ao seu posto, e Hilary acompanha a redistribuição dos objetos mágicos pelo reino. Mas o presidente da QHLP não está satisfeito – Hilary precisa se envolver numa atividade verdadeiramente pirática logo, como matar um monstro marinho ou derrotar um líder pirata num duelo, senão perderá seu título – e sua filiação à Liga. Antes que consiga recuperar sua reputação, a garota fica chocada ao descobrir que a Encantadora foi sequestrada. Contrariando as ordens do presidente da Liga, Hilary se junta à gárgula e a seus amigos para investigar o caso, ainda que resgatar Encantadoras não esteja na lista de atividades próprias a um pirata.” Fonte

Hilary, a nossa destemida pirata, salvou a magia no livro anterior, revelando a todos quem era, afinal, a Encantadora, e encontrando seu tesouro mágico. Agora ela, junto com seus amigos no navio de Jasper, navega pelos mares distribuindo a magia por todo o reino. Devido aos seus feitos no livro anterior, a Quase Honrosa Liga de Piratas concedeu-lhe o título de “Terror das Terras do Sul”, mas agora o capitão Dentenegro, líder da Liga, não parece mais tão satisfeito com a atuação de Hilary e a chama para uma conversinha, dizendo que ela não anda tão “piratesca” quanto deveria e que distribuir a magia pelo reino não é uma atitude tão digna de piratas assim, afinal. Mas é então que acontece outro problema: a Encantadora é sequestrada! Agora, Hilary se vê frente a um dilema: salvar Senhorita Primm e a magia do reino, ou manter seu título e sua filiação à Liga?

20150106_180858

É nessa premissa que a aventura se baseia, mas dessa vez temos personagens já mais experientes e amadurecidos, sem perder, é claro, a leveza e o humor de sempre. Como já estamos habituados àquele mundo e aos personagens, não se sente a mesma lentidão do começo do primeiro livro, onde a autora precisava situar seus leitores. O segundo volume já começa cheio de emoção e acontecimentos, com cheiro de aventura no ar. E muita pirataria, claro!

Mas, assim como em O tesouro da EncantadoraO Terror das Terras do Sul não é um livro para ser lido a sério. Se não encará-lo com a inocência de uma criança, certamente irá se desapontar. Por várias vezes, o livro é ingênuo, quase previsível, e você sabe muito bem que tudo terminará bem. Mas isso não deixa de ser ótimo, especialmente em uma obra infantil. Desde quando a gente precisa ser sério e realista o tempo inteiro? E saber que as coisas podem dar certo, ao menos nos livros, é também revigorante. Mesmo assim, ainda há alguns questionamentos relevantes, como, por exemplo, o relacionamento difícil de Hilary com seu pai, que ela enviou para a prisão no livro anterior.

“Não é da altura que tenho medo – respondeu a gárgula, das profundezas da sacola. – É de cair lá de cima.” Página 20.

Uma das coisas que eu mais gosto nessa série, e que ficou ainda melhor nesse volume, são os personagens. Hilary é uma protagonista incrível: divertida, cheia de sonhos, uma menina real, com seus medos, inseguranças e, principalmente, com uma trama própria, sem estar atrelada necessariamente a outro personagem para aparecer. Aliás, todos os personagens nesse livro são assim, todos possuem suas próprias histórias e seu brilho próprio.gárgula novamente arranca risos do leitor, e temos ainda mais profundidade em personagens como Charlie Claire, por exemplo. E até os vilões têm suas tramas. O Terror das Terras do Sul veio para corroborar o que seu antecessor já tinha afirmado: é totalmente possível (e muito divertido) uma protagonista, menina/garota/mulher em livros de fantasia. SIM!

20150106_180751

E a escrita de Caroline Carlson é tão deliciosa que, mesmo com algumas tramas extremamente previsíveis, o livro continua sendo uma delícia de ler. É incrivelmente divertido e encantador. Um livro que com certeza quero ler para meus filhos um dia. E, apesar de ser uma série, uma das coisas que eu mais gosto é que cada volume se basta: tem começo, meio e fim, então você vai querer ler o próximo não por estar preso em um final apelativo, mas sim porque quer saber mais sobre aqueles personagens incríveis. Para ficar ainda melhor, a edição da Seguinte é, mais uma vez, uma graça, cheia de detalhes e desenhos. Se você tem filhos ou se tem uma criança interior dentro de si, precisa ler A Quase Honrosa Liga de Piratas – O Terror das Terras do Sul. Recomendadíssimo!

Livro gentilmente cedido para leitura e resenha pela Editora Seguinte!

Ficha Técnica

Título: A Quase Honrosa Liga de Piratas – O Terror das Terras do Sul
Autor: Caroline Carlson
Editora: Seguinte
Páginas: 384
Onde comprar:  Livraria Cultura / Amazon
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Janeiro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

top-comentarista_junho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • thayna ta disse:

    O bom da série, é que realmente ouço bastante sobre o 2° ser melhor que o 1°. Achei bem legal o enredo, por ser em mar, conter muitas aventuras. Hilary me chamou a atenção. Ela parece uma personagem bem legal e divertida. A premissa é bem legal e passa muita impressão de aventura. E sobre a escrita ser boa, é mais um ponto para a autora. Quero ler. As capas são uma fofura.
    Abraços Karen,
    ThayQ.

  • Nathalia Simião disse:

    Parece ser um livro bom, as vezes é bom ler uma coisa voltada mais para as crianças, a gente se diverte.

  • Nayara disse:

    Oi Karen!
    Aah amei, amei, amei!
    Fico muito feliz em saber que o segundo livro é tão bom quanto o primeiro!
    Tô muito com o pé atrás de investir em uma série que acabe não sendo tudo aquilo que eu espero e agora, sei q posso investir nessa :D
    Beijos

  • Gustavo disse:

    Eu queeeroooo T-T kkkk parece ser muito legal, estou super interessado no livro, aliás, na série… Quero muito ler mais livros que se passem no mar, com piratas e mistério e aventuras e etc. Kkk sou uma eterna criança, e como tal quero ler esse livro o mais breve possível *-*

  • César Rodrigues Aguiar disse:

    Que maneiro esse livro, já tinha visto esse livro mas nunca me interessei, mas agora lendo essa resenha vi que o livro é bem divertido, agora até anima dar uma lida nele.

  • Carolina disse:

    Oi Karen, tudo bem com você?
    Não tive a oportunidade de ler o primeiro livro, mas gostei bastante da premissa. Ver uma leitura diferente como essa e cheia de detalhes, realmente chamou a minha atenção.
    Parabéns pela resenha
    Bjkas

  • Brenda Carolina disse:

    Não li a resenha para não pegar spoilers, mas fiquei com bastante vontade de ler a série, parece ser boa, vou colocar na wishlist.
    Beijos

  • Douglas Fernandes disse:

    É tao bom quando um livro que ja foi bom, tem uma sequencia melhor ainda, eu acho as capas bem legais, gosto desse tipo de capa com muito desenho, e parece ser uma historia bem gostosa cheia de aventuras, com certeza é uma serie que prentendo ler.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem