Resenha: A Senhora das Águas

A_SENHORA_DAS_GUAS__1398708659P_thumb[3]É o auge da Guerra dos Cem Anos, e os territórios ingleses na França encontram-se sob ameaça. Jacquetta de Luxemburgo não imagina que terá um papel fundamental na política inglesa. Descendente de Melusina, a deusa das águas, ela tem a capacidade de prever o futuro. Após ficar viúva do duque de Bedford, ela se casa com Richard Woodville, seu fiel escudeiro. Depois de sofrer muito preconceito, ela acaba se tornando amiga da rainha mas sua lealdade não mantém a Casa de Lancaster no trono: o rei cai doente e Ricardo, duque de York, ameaça se rebelar contra o reino. Nomeada Lady Rivers, ela vive conforme seus princípios, mas uma visão pode mudar tudo: um futuro inesperado para a filha Elizabeth, uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de York. • Philippa Gregory é autora, entre outros títulos, de A irmã de Ana Bolena, adaptado para o cinema como A outra, uma superprodução estrelada por Natalie Portman, Scarlett Johansson e Eric Bana. • “O melhor romance de Philippa Gregory em anos.” USA Today (Fonte)

Costumo fazer anotações enquanto leio para poder lembrar das coisas que mais me chamaram a atenção na leitura na hora de resenhar. Este foi o livro com mais anotações que já li desde que comecei as resenhas aqui no blog.

Se achei os 2 livros anteriores (A Rainha Branca e A Rainha Vermelha) excelentes, este, pra mim, foi o auge!

A Senhora das Águas acompanha a vida de Jacquetta de Luxemburgo desde sua infância, quando ela conhece rapidamente Joana D’Arc até o momento em que a Guerra das Rosas, entre os Lancaster e os York, se inicia.

O livro vem dividido em capítulos com a indicação dos anos abrangidos pelo capítulo e há alguns saltos no tempo. Se não fosse assim o livro acabaria tendo uma mil páginas ou mais.

Este é um romance histórico (que vocês já sabem que adoro e que não me canso de repetir isso hehe) e mescla ficção com fatos históricos. Jacquetta realmente foi mãe de Elizabeth Woodville, Rainha Consorte da Inglaterra, esposa do Rei Eduardo IV. Mas a própria autora diz que há muito pouca fonte de pesquisa sobre a vida de Jacquetta. Mas apesar de muitos criticarem este tipo de obra, acho legal o posicionamento histórico envolvendo fatos comprovados e a imaginação de Philippa Gregory.

Jacquetta de Luxemburgo é uma personagem cativante e apesar do livro trazer a descrição de muitas batalhas isso não o torna cansativo.

Aos 17 anos Jacquetta entra em um casamento arranjado pelos pais, mas o casamento nunca foi consumado pois o Duque de Bedford, seu marido, é fascinado pela alquimia e acredita que Jacquetta, uma descendente de Melusina, uma deusa das águas, pode prever o futuro e que se ela deixasse de ser virgem perderia este poder. Para ele, ela é como um oráculo. Infelizmente Jacquetta consegue sim visualizar algumas coisas futuras, mas sem conseguir identificar o momento dos acontecimentos. Ou prefere manter suas visões em sigilo, por não serem positivas para seu marido.

Ao se casar com o Duque, tio do rei Henrique VI e regente em exercício da França, Jacquetta se torna a mulher mais importante da Inglaterra, até o casamento de Henrique VI com Margarida de Anjou.

O casamento de Jacquetta com o Duque de Bedford durou apenas 3 anos, pois ele foi morto em batalha. Jacquetta ainda tinha algum tempo de luto na propriedade do Duque antes que o Rei e seu Conselho lhe arranjassem um novo casamento. Mas ela já estava envolvida com o escudeiro do Duque, Richard Woodville, e utiliza uma infusão de ervas para engravidar dele. Então, ela pede o favor do rei para se casar com Woodville.

Com o tempo a relação de Jacquetta e Richard com o reino vão lhes rendendo uma boa posição. Richard é nomeado Barão e ele escolhe o título de Barão de Rivers em homenagem às origens de Jacquetta. Por isso o título original do livro “The Lady of the Rivers”, pois ela passou a ser conhecida como Lady Rivers, e também por sua descendência de Melusina, deusa das águas mencionada anteriormente.

Achei linda a relação de Jacquetta e Richard. Ele já a amava quando ela ainda era esposa do Duque, mas nunca traíram o Duque. Somente depois que ele morreu que eles se entregaram a este amor. E é um amor sólido, companheiro e cúmplice.

Muitas batalhas acontecem nas quais Richard, e mais tarde seu filho mais velho, correm perigo. Nestes momentos podemos acompanhar a angústia de Jacquetta. Mas eles sempre voltam.

A amizade próxima de Jacquetta com Margarida de Anjou mostra muito dos bastidores da luta pelo poder. Margarida tem um casamento infeliz e vazio e o Rei só pensa em rezar. Consequentemente, Margarida acaba de envolvendo com Edmund Beaufort. Mais tarde, muitos especularam que o príncipe herdeiro era, na verdade, filho de Edmund (esta especulação aparece no livro, mas também pode ser encontrada em livros de História).

Enfim, pra encurtar um pouco a história, o livro mostra muitos dos acontecimentos entre o final da Guerra dos Cem Anos e o início da Guerra das Rosas.

Como sempre faço com romances históricos, mantive um olho no livro e um no Wikipedia. Mas isso é pra quem adora História e tem a curiosidade aguçada. O livro pode ser facilmente entendido, mesmo que você tenha faltado às aulas de História e essa não seja sua matéria favorita.

Uma coisa interessante é que apesar de fazer parte de uma série de 6 livros (dos quais só há 3 no momento traduzidos para o português), a ordem de leitura não importa. Mesmo que você leia fora da ordem de lançamento dos livros, ainda assim você terá todas as informações que precisa para a leitura de cada livro isoladamente.

Eu diria que só pela relação entre Jacquetta e Richard e pela força da personagem, o livro já vale muito à pena!

 

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pelo Grupo Editorial Record .

record

 

Ficha Técnica

Título: A Senhora das Águas
Autor: Philippa Gregory
Páginas: 426
Editora: Record
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Setembro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Douglas Fernandes disse:

    Bacana, eu tbm fico assim, quando to lendo um livro e encotro alguma palavra que me chama a atenção eu anoto ou se tiver perto do computador pesquiso o significado, principalmente quando eu tava lendo a série Percy Jackson, eu adoro mitologia e aparecia um personagem eu corria pra pesquisar sobre ele… hahahahahahaa
    Então, esse livro parece bem interessante, essa série toda né, pretendo ler algum dia.

  • Patrini Viero disse:

    Por incrível que pareça eu adorei a premissa do livro. Gosto muito de temas como a alquimia e poderes mediúnicos, e achei super interessante essa ideia de mesclar fatos reais com a imaginação da autora. Gostei bastante do enredo, e a trama parece ser bastante envolvente. Não me importaria de ler mesmo sendo um romance hahaha

  • Patrini Viero disse:

    Por incrível que pareça eu adorei a premissa do livro. Gosto muito de temas como a alquimia e poderes mediúnicos, e achei super interessante essa ideia de mesclar fatos reais com a imaginação da autora. Gostei bastante do enredo, e a trama parece ser bastante envolvente. Não me importaria de ler mesmo sendo um romance, porque o livro me atraiu bastante.

  • Suelen Mendes disse:

    Eu tbm sempre que leio alguma coisa relacionada com história fico de olho na Wikipedia,gosto de conhecer a fundo o que está se passando.(Fora que história era uma das minhas matérias preferidas na época de escola!)
    Achei super bacana a proposta da série,gosto de livros assim,independentes.
    Vou ver se acho pra comprar.
    Bjus

  • Amanda Freitas disse:

    Eu amo um romance historico, mas confesso que livros assim como este não me atraem..e olha que amava ler, mas hoje so leio os ‘mais bobinhos’ rsrs mesmo.
    Mas acho legal livros que contam desde o comecinho da vida da pessoa até o final, e ver como é sua vida de casada seus filhos e os conflitos da época. Uma autora que escreve livros, mas com um fundo verdadeiro de época merece sucesso, pois não deve ser um livro fácil de escrever.

  • Michele Lopez disse:

    Oie…
    Não li muitos livros do gênero, mas sou apaixonada por romances, então acho que gostaria também de romances históricos!
    A resenha é bem interessante e me deixou curiosa para ler o livro!
    A única coisa que me deixa desanimada é por fazer parte de uma série! Hoje em dia tá difícil um livro não ser parte de série hein!! Vamos ver se no futuro eu me animo, pois já tenho muitas pela frente para ler!

  • Bianca Martins disse:

    Gosto mto de romances históricos. Nos az ter uma percepção mais pessoal dos grandes acontecimentos.
    Gostei de saber q msmo sendo uma série é possível lê-los separadamente.
    Ainda mais por n termos todos os livros traduzidos neah.
    Eu n gostei mto da capa, mas com certeza o leria!

  • Cecília Martins disse:

    Romances históricos eu adoro, e esse livro parece surpreendente. E essa mistura de ficção com estorias reais parece ser muito envolvente.

  • Nathalia Simião disse:

    Quando vi a capa do livro no post fiquei com um pouco de receio, não é uma capa muito bonita mas ainda bem que foi bobeira minha, o livro parece ser excelente, com um baseamento histórico perfeito. Fiquei muito interessada.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem