Resenha: A Soma de todos os Beijos

A Soma de Todos os Beijos Ficha técnica:

 Nome: A Soma de todos os Beijos

 Autor: Julia Quinn

 Tradutor: Ana Rodrigues e Maria Clara de Biase

 Páginas: 272

 Editora: Arqueiro

 Compre aqui

 
 Sinopse: Lorde Hugh Prentice é um gênio da matemática e teve sua perna (e sua vida) arruinada por causa de um duelo com seu amigo, Daniel Smythe-Smith. Nesse livro, conheceremos um pouco da história de Hugh, antes e depois do acontecido. Sua família, o desespero de seu pai para conseguir que um de seus filhos lhe desse um herdeiro, visto que um não é chegado à mulheres e o outro, provavelmente terá dificuldades em encontrar uma esposa, e principalmente em ter filhos. E, claro, sua relação de amor e ódio com Sarah Pleinsworth, prima mais velha de Daniel, que mesmo antes de conhecê-lo, já odiava Hugh por ter arruinado sua família através desse duelo.
Mas, as coisas começam a mudar quando Honoria, sua prima, pede para Hugh substituir seu padrinho no casamento e para Sarah ser sua acompanhante durante sua estadia, para que ele ficasse mais confortável diante dos familiares de Daniel. E esse tempo se prolonga, já que Daniel se casará duas semanas depois da irmã e resolve torná-los uma única festa…
É claro que eles não se dão no início, mas com o tempo, ainda mais depois do primeiro casamento, quando ela fica impossibilitada de andar, eles deixam as diferenças de lado e começam a se conhecer realmente, e, o que era ódio, acaba se tornando uma paixão avassaladora.
Mas as limitações de Hugh vão ser apenas um dos problemas que o casal enfrentará pelo caminho… Fonte

Essa resenha pode conter spoilers dos livros anteriores, mas se você é fã de romances de época, dificilmente será afatedo.

Terceiro e melhor livro da série, sem sombra de dúvida.

Já faz um tempinho que resenhei os dois primeiros livros e aproveitei essa semana romântica para resenhar mais esse terceiro (espero não demorar muito com o último também rs).

Enfim, para quem não conhece a série, o Quarteto Smythe-Smith é composto das quatro jovens solteiras mais velhas dessa família que seguem a tradição familiar de tocar em um recital até se casarem. Porém, dificilmente alguém da família tem talento musical e como a única forma de “se livrar” de tocar é o casamento, as histórias contam como as jovens tentam arranjar um casamento antes do próximo recital. No segundo livro, porém, o foco é o chefe da família Smythe-Smith, Daniel, que retornou de um exílio por consequências de um duelo. No segundo livro, vimos os acontecimentos do duelo e suas consequências do ponto de vista de Daniel. Nesse terceiro livro, nós vemos os acontecimentos pelo ponto de vista de Hugh Prentice, o responsável direto pelo duelo.

Como podem ter lido ali na sinopse, depois dos acontecimentos do primeiro e segundo livro (que acontecem em um curto período de tempo, quase simultâneos), Honória, protagonista do primeiro livro, vai se casar e pede para Sarah que faça companhia à Hugh. Sarah só aceita pois se sente em dívida com Honória por ter trapaceado e não ter participado do último recital, mas odeia cada minuto que passa com Lorde Prentice – e a recíproca é verdadeira, já que o primeiro encontro deles foi bem desastroso.

Bem, pelo menos a princípios os dois odiaram. Claro que, com o tempo e a convivência, ambos passaram a se tolerar e faíscas começam a surgir entre os dois. E, como todo bom romance de época, coisas acontecem. rs

Percebemos em Hugh um homem muito inteligente e sistemático, considerado como excêntrico devido ao seu intelecto matemático, além de ter sido considerado o vilão da história toda. Talvez ele mesmo se considerasse um vilão, pois acaba se tornando um tanto amargurado por ter desafiado Daniel e pelo resultado ter sido tanto o exílio de Daniel, ameaçado pelo pai de Hugh, quanto sua perna, que não se recuperou por completo, o deixando manco. No entanto, ele queria reverter esse quadro, para o bem das duas famílias, e por isso aceitou o convite de Daniel para os dois casamentos.

Sarah é uma jovem que sonha em se casar, pelo menos para se livrar de tocar o piano no quarteto. Com uma língua ferina que fala o que quer para quem quiser ouvir, no começo eu achei suas atitudes muito fúteis e egoístas – e acho que foi realmente a intenção da autora – mas ela melhorou depois de conviver com Hugh e depois de ter uma perspectiva de como ele vive, além de uma bronca que recebe de sua prima Iris, bem merecida.

Claro, nem tudo são flores em um romance de época. Hugh tem seus próprios demônios para conseguir alcançar sua felicidade e um deles é o seu próprio pai.

É um romance muito gostoso de se ler, Julia Quinn usou um clichê que soube aproveitar bem, embora o final eu não tenha gostado 100%, achei que poderia ser mais crível, mas achei bem satisfatório mesmo assim.

Para fãs de romance de época, é um prato cheio!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Lucy, tudo bem com você?
    Eu fiquei apaixonada por essa série. Concordo com você que há clichês, mas sabe quando o livro está fluindo tão bem que você nem liga? Foi o meu caso rs..
    Bjkas

  • Clayci Oliveira disse:

    Oi Lucy, como vc está?
    Outra série que tenho vontade de iniciar, mas que vou sempre adiando e passando outras leituras na frente. Eu não ligo para clichês, estou acostumada, ainda mais quando a leitura é intensa e nem faz a gente se dar conta deles hahaha. Adorei a resenha

  • Milena Soares disse:

    Oi Lucy! Já li todos os livros dessa série, amei esse quarteto, a Julia Quinn arrasou como sempre, sou super fãs de romance de época!

  • Beatriz Andrade disse:

    Eu estou louca para ler os livros dessa série e adorei a tua resenha desse volume. Eu acho que é uma obra que vai me agradar bastante. Ainda não li nada da autora e acho que vou começar por essa série

  • vivi disse:

    Oi Lucy, eu tenho vergonha de dizer que nunca li Julia Quinn e só um romance de época até agora. Eu tenho a impressão que é sempre a mesma estória. As resenhas, independente da autora do livro, são muito parecidas, mas eu quer ler um livro do gênero e tirar minhas próprias conclusões.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

  • marijleite disse:

    Olá, que bom saber que curtiu esse volume do quarteto, já tenho os quatro livro aqui mas ainda não consegui lê-los. Amo romances de época, especialmente os da Julia, e achei super legal podermos ver os dois lados desse duelo, com as histórias dos dois personagens.

  • Alice disse:

    Oiii Lucy

    Pra quem curte um bom romance de época, os livros da Julia Quinn são imperdíveis. Não é meu tipo de leitura mas confesso que sempre que vejo resenhas assim bate uma curiosidade.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  • Tânia Bueno disse:

    Sou uma apaixonada por romance de época, paixão recém descoberta e o motivo pelo qual ainda não li da famosa Julia Quinn. Adorei a sua resenha e já anotei como dica esses livros. Agora, o Hugh deve ter mesmo muita culpa por ter mandado Daniel para o exilio e ainda ter deixado nele uma marcar para sempre.

    Bjo
    Tânia Bueno

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Quando li essa série ainda não tinha sido publicada por aqui. Adquiri os livros recentemente pois amo a escrita da Julia Quinn e quero poder reler.
    Sua resenha me deixou com saudades desses personagens e A soma de todos os beijos é o meu preferido dessa série.
    Beijos!

  • Jéssica Melo disse:

    Olá, eu morro de vontade de ler essa série, gostei de saber que esse volume superou os anteriores e pelos seus comentários o romance esta bem bacana *-* Adorei a resenha.

  • Tatiany Salazar disse:

    Oi.
    Ainda não tinha lido nada sobre esse livro. Na real nunca li nada da autora, o que é vergonhoso para mim kkkkk, pois amo romances de época, mas nunca li nada dessa rainha.
    Adorei o enredo, acho que me agradaria sim. Ótima resenha, parabéns pela total sinceridade.

  • Juliana Xavier disse:

    Julia Quinn é a única autora de romances de época que eu realmente curto. Até agora li só o primeiro livro dessa série, e amei! Quero continuar, mas não sei quando vou conseguir. Pena que o final deste volume não foi realmente crível pra você, vou torcer pra ter outra impressão… Rs…

  • Fran Ferreira disse:

    Mais uma serie da Julia q sei q existe mas nao li ainda kkkkkk
    Tenho a sensação q esses romances da Julia, são para nos tirar da rotina, são historias leves, q podem sim trazer um aprendizado, mas q nao são nada forçados e sim, pq deveria acontecer e por isso acredito q leitura do pessoal acaba sendo fluida e a maioria gostando das series. Ver a Sarah com raiva de Hugh, me lembrou da adolescencia onde brigavamos mas sempre estavamos juntos ou voltavamos com nossos relacionamentos kkkk

    BJss

  • Fabiana Scola de Azevedo disse:

    Nunca li nada da Julia, estou esperando um bom momento para ler, tive algumas decepções com romances de época e como sei que os livros dela são sempre muito bem comentados, sei que vou gostar. O que acho uma pena é que o enredo geralmente é quase sempre o mesmo o que torna esse genero tao cansativo, pra mim, pelo menos.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem