Resenha: A Tecelã do Céu

Ficha técnica:

Nome: A Tecelã do Céu

Autor: Kristen Ciccarelli

Tradutor: Eric Novello

Páginas: 384

Editora: Seguinte

 

No último volume da série Iskari, uma guerreira e uma ladra não vão medir esforços para encontrar Asha ― mas enquanto uma quer protegê-la, a outra quer matá-la.

O reino de Firgaard passou por tempos turbulentos desde que Dax assumiu a coroa ao lado de Roa, uma garota nascida em território inimigo. Agora, cabe a Safire, prima de Dax e comandante do Exército real, manter a ordem na cidade.

Quando Eris, uma ladra capaz de se deslocar por mundos diferentes, invade o palácio e passa a cometer roubos impunemente, Safire vê diante de si um desafio quase impossível: capturar alguém que consegue desaparecer num piscar de olhos.

O que nenhuma das duas esperava era compartilhar o mesmo objetivo: encontrar Asha, irmã de Dax e namsara do reino. A diferença é que Safire quer garantir sua segurança, enquanto Eris pretende entregá-la a seus inimigos. Em uma corrida contra o tempo, uma vai tentar derrotar a outra a qualquer custo ― mas um sentimento surpreendente entre elas pode mudar tudo.

Essa resenha contém poucos spoilers dos livros anteriores.

O livro que fecha a trilogia Iskari segue a mesma linha dos livros anteriores, com diversos pontos positivos, porém alguns elementos que não curti tanto.

Eu gostei desde o início da mitologia e magia do universo de Iskari e acho que o maior destaque aqui foi justamente descobrir como surgiu a Tecelã do Céu e como ela se relaciona com a história de Eris e Safire.

Eris é uma ladra conhecida como Dançarina da Morte, que consegue estar em qualquer lugar que queira. Após roubar um objeto de valor de Dax, o Rei Dragão, ela resolve provocar a chefe da guarda, apenas por ter sido subestimada por sua aparência. Por isso, passou a roubar objetos de Safire.

Safire tenta procurar pistas, mas é praticamente impossível revelar o paradeiro ou a identidade do ladrão, até que ela consegue localizar Eris, por pura sorte. Porém, sua sorte não dura pouco e logo ela se vê dentro de um navio, com um destino incerto. No entanto, no meio do caminho, as duas percebem que precisam unir forças, mesmo que temporariamente, para se livrar de um perigo mortal. Claro que a convivência das duas mostra que elas são mais parecidas do que querem acreditar.

A escrita da autora é bastante envolvente, embora a história seja muito previsível em vários pontos, como nos livros anteriores, e ainda apresente personagens “mornos”. Safire era a comandante do exército real, com um passado bem doloroso e, digamos, um desempenho aquém do esperado para alguém que tem o comando de um exército inteiro. Não pela habilidade dela com armas, mas algumas de suas atitudes me irritaram bastante.

Já Eris, ela tem uma história mais interessante e relevante, até. Ela vive como uma fugitiva e uma ladra, e vive com medo de seu chefe, que é um chefe pirata e de quem ela não consegue se livrar tão facilmente. Porém, ela também tem suas falhas, principalmente no que diz respeito a orgulho.

O romance entre elas já parecia fadado a acontecer desde o primeiro capítulo, quando Eris decide roubar as coisas de Safire para chamar a atenção, mas a forma como aconteceu é que foi legal. Achei muito bacana haver um romance LGBT nessa saga – e fiquei intrigada se a reação de Dax foi porque ele não esperava por isso, ou simplesmente porque Safire estava se envolvendo com alguém que deveria ser sua inimiga.

Mesmo com alguns acontecimentos previsíveis, acabamos que queremos saber como tudo vai acontecer, e se vai terminar tudo bem. Também queremos ver se os personagens se redimem de algumas de suas burradas (rs). Um elemento que eu gostei desde o primeiro livro é que a autora cria uma história dentro da história e a conta como uma fábula, mudando assim o estilo de narrativa. E de todos os livros, eu gostei mais da fábula deste, achei muito bem escrita e emocionante.

Apesar das ressalvas, foi uma leitura bem tranquila, que não levei muito tempo e recomendo muito que leiam e tirem suas próprias conclusões!

Este livro foi gentilmente cedido em formato digital para resenha pela Seguinte, selo da Companhia das Letras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Michelle disse:

    Tenho muita vontade de ler este livro, me lembro quando o vi pela primeira vez na internet fiquei mega curiosa já pelo nome da obra que chama a atenção, gostei de sua considerações a respeito da leitura, espero em breve ler também!

  • Viviane Almeida disse:

    Eu lembro que esses livros ficaram bem famosos no youtube mas, fazia um tempinho que não lia nada sobre eles. Sua resenha foi muito suscinta e me deixou com vontade de ler essa série, as capas são bem fraquinhas..rs!

  • Bianca Ribeiro disse:

    Eu li esse livro e dei 5 estrelas e favoritado. Pra mim, como lésbica no alto dos meus 20 e tantos anos, foi incrivel demais ver uma protagonista que ama outra mulher num mundo ficcional. Adorei os elementos da história, as lendas e a forma como a Eris é trabalhada, ela é minha personagem preferida.
    Eu ainda não li os outros livros, espero que um dia consiga ler eles, deve ser uma trilogia muito bacana, mas a tecelã do céu é um livro muito importante pra mim!!

  • Thainá Christine disse:

    Olá.
    Eu acho as capas dessa trilogia tão lindas! Mas, enfim, eu não tenho o costume de ler trilogias ou séries, pois prefiro livros únicos, por isso nunca tinha parado para ler resenhas desses livros, mas, mesmo assim, achei interessante o enredo desse e gostei de saber que há um romance LGBT, saindo do clichê de casais LGBT apenas em livros de romances românticos. Deixo a dica guardada para, quem sabe, eu dar uma chance no futuro.

    http://www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

  • Ana Caroline Santos disse:

    Olá, tudo bem? Eu gosto bastante dos dois primeiros livros da trilogia Iskari, por isso tenho expectativas quanto a esse último volume. Espero curtir bastante,e apesar das ressalvas, acredito que tenha tudo para que eu curta a história. Ótima resenha!
    Beijos

  • Lilian Farias disse:

    Eu não conheço a trilogia, mas parece legal a princípio, ao menos uma leitura agradável que cumpre seu papel de entretenimento, apesar de suas observações, espeero gostar caso tenha oportunidade de ler.

  • Mari Barros disse:

    Eu ainda não li essa série e tenho que dizer que sua resenha foi a primeira com nota menor que 4 que li desde o lançamento do livro. Estou muito curiosa para leitura dessa fantasia e ter cada livro com o foco diferente é uma coisa que me causa dualidades de sentimentos porque eu espero que os finais sejam bem amarrados. Adorei sua resenha

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem