Resenha: A Tentação de Lila & Ethan


Já tem um tempo a Geração Editorial nos presenteou com uma prova desse livro. Inclusive mencionei em um Top Ten Tuesday que ele era uma das minhas metas, mas era um livro surpresa que eu não revelaria naquele momento. rs

Pois é, esse era o livro misterioso. Para começar, já digo que ele é melhor que os anteriores.

A_TENTACAO_DE_LILA_E_ETHANSinopse: Na superfície, Lila Summers é impecável: boa aparência, roupa cara e um grande e belo sorriso. Mas seu passado sombrio e seus segredos ainda mais escuros estão ameaçando acabar com sua fachada perfeita. Ela vai fazer de tudo para esconder o vazio dentro de si — o que a leva em situações que sempre acabam mal. Cada vez que ela chega ao fundo existe apenas uma pessoa que sempre está lá para pegá-la: Ethan Gregory.

Ethan estabeleceu regras há um tempo: Lila e ele são amigos. Ele não é um cara de relacionamentos. Embora sua aparência de bad boy tatuado esteja bem longe da imagem de princesa de Lila, Ethan não pode negar que entre eles existe uma conexão mais profunda do que ele está acostumado. Se ele não for cuidadoso, ele corre o risco de se apaixonar — e ele aprendeu da pior forma que se apaixonar só leva a desilusão.

Quando Lila cai mais longe do que jamais caiu, Ethan continuará ajudando-a apenas como um amigo? Ou será que ele também está perto de cair… por ela? Fonte

Essa resenha não contém spoilers dos livros anteriores, pode ler sem medo.

Quando eu li os primeiros livros, eu já imaginava que Lila e Ethan teriam um livro à parte, não porque a autora devesse seguir um padrão (sério, já vi isso antes), mas porque eles mereciam! Esses dois tiveram um bom destaque nos livros anteriores como anjos da guarda dos protagonistas e fiquei feliz que tenha chegado a vez deles.

Lila e Ethan se conheceram no primeiro livro, quando Ella volta para sua cidade natal. A partir de então, eles se tornaram amigos de uma forma que ninguém esperava. Se tornaram amigos de verdade, sem qualquer envolvimento – algo inimaginável para quem conhece os dois. Mas o tempo gosta de brincar e os dois acabam criando um elo entre si que ultrapassava a amizade. Porém, ambos tinham problemas sérios para assumir seus sentimentos e se arriscarem a viver um romance.

A premissa é básica: ambos tem problemas e esses problemas impedem que eles se entreguem aos seus sentimentos logo de cara. O diferencial foi a forma como a vida de cada um foi afetada por esse problema e as consequências das escolhas que cada um fez para tentar superar seu sofrimento.

Confesso que fiquei muito surpresa com a história de Lila. Não achei que ela teria toda aquela carga emocional e que seus problemas seriam mais superficiais, mas o buraco era mais embaixo e eu fiquei muito triste por ela. Claro, algumas atitudes realmente me deixaram com raiva e com cabelo em pé, mas isso me fez perceber que Lila era uma personagem muito real e que o que aconteceu com ela ainda acontece muito por aí.

Seria muito bom que todo mundo tivesse um Ethan por perto. Longe de ser o cavaleiro de armadura reluzente que chega para salvar o dia, mesmo assim Ethan não decepciona. Em alguns momentos, nem ele mesmo sabe como agir e pode ser um babaca e falar alguma besteira, mas posso afirmar que nesse livro ele é o mais sensato, principalmente por já ter passado por dependência química e seu trauma do passado estar intimamente relacionado a isso.

O livro fala muito sobre superação e fazer as pazes com seu passado. Acho que no caso de Lila esse processo ainda está em andamento, mesmo porque tem a ver com os pais dela – e minha gente, não sei se foi proposital, mas os pais da Lila agem de uma forma tão escrota com a própria filha que eu me perguntei se é possível que existam pessoas assim. Eles criaram Lila para ela ser um bibelô de um marido rico que ela conseguisse caçar, e não para ser uma pessoa! Fala sério, será que isso é real?

A leitura fluiu rapidamente. A narrativa é a mesma que os livros anteriores, alternando os pontos de vista entre Lila e Ethan, uma forma também de saber o que cada um pensa e o que está passando naquele momento. Confesso que eu não sabia bem o que esperar desse livro, se seria um mero conflito de classes sociais diferentes que impediriam o romance dos dois, ou o choque cultural. A história, porém, foi muito além do que eu esperava e me surpreendeu.

E para quem é fã da Ella e do Micha, já aviso que eles tem uma pequena participação e quase roubam a cena no final, com um gancho já para o próximo livro.

Leitura recomendada! Para entender melhor a história e como os personagens se conheceram, recomendo a leitura dos livros anteriores.

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Geração Editorial.

Selo-vermelho

Ficha técnica:

Nome: A tentação de Lila & Ethan
Autor: Jessica Sorensen
Páginas: 376
Editora: Geração Editorial
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Saraiva / Amazon
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Becca Martins disse:

    Eu amo livros que tenham um pouco de superação, a história parece ser muito boa. Infelizmente eu ainda não li os outros livros, mas quero muito!
    Amei a capa, já entrou pra ”listinha”.
    Beijos!

  • Larissa Oliveira disse:

    Olá! Não sou muito fã do gênero, talvez por isso a história não tenha me atraído tanto, ou por não conhecer os livros anteriores e tal. Não sei se eu daria uma chance ao livro, mas me agradou saber que a leitura flui rapidamente. O uso da narrativa alternada também é, para mim, outro ponto positivo, pois permite que o leitor entre em contato com a história a partir de diferentes pontos de vista.

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu nao li os outros livros, então esse livro nao é muito de meu interesse… mas é muito bom ne, quando personagens secundarios se destacam e acabam ganhando um livro, é uma forma de conhecer melhor alguns personagens que gostamos e ficamos cheio de perguntas…

  • Gustavo disse:

    Não li os livros anteriores e não consigo me interessar pela série, mesmo você falando tão bem dela sempre. Acho que ela vai ser um pouco irritante, mas ai é coisa minha, preconceito acho, mas que ao menos com essa série dificilmente vai ser superado esse preconceito.
    Mas gostei de personagens secundários ganharem seu próprio livro, já que muitas histórias, as vezes quem brilha mais é o secundário. Que bom que a autora soube construir um clichê de um modo bom e criativo, mas ainda sim não consigo me interessar em ler rs

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem