Resenha: A Tribo

“Apenas em e-book. Adaptado para o cinema por Steven Spielberg, o conto “Encurralado”, de Richard Matheson, ganhou fama e influenciou diversas histórias e gerações. Quase quarenta anos depois de escrito, ele inspira os mestres do terror Joe Hill e Stephen King em sua primeira parceria. Nesta homenagem, um bando de motoqueiros conhecido como a Tribo corre livre pelas autoestradas norte-americanas. Depois de cometerem dois assassinatos brutais e ainda desnorteados, eles decidem fazer uma parada em um restaurante, sem imaginar que essa será a pior escolha de suas vidas. No estacionamento ao lado, caminhões se espalham pelo pátio e um deles em especial se tornará o pesadelo dos motoqueiros. Dirigido por um motorista sem rosto, ele inicia uma perseguição implacável à Tribo em uma das estradas mais desertas dos Estados Unidos. Neste conto eletrizante, Joe Hill e Stephen King elevam a adrenalina ao máximo e não deixam que o leitor escape antes da última página.” Fonte

Comprei esse conto com muita expectativa, afinal, ele foi escrito por Stephen King e Joe Hill, pai e filho (e eu não sabia disso até achar esse e-book), dois mestres de terror. Eu ainda não tinha lido nada do Joe Hill, mas meu marido leu A Estrada da Noite e gostou muito. Quanto ao King… bem, todos que acompanham o blog sabem o quanto eu gosto dele.

A Tribo fala sobre um conjunto de motoqueiros que viajam pelas estradas dos EUA, quase todos acima da meia idade, com exceção de Race, filho de Vince. Race é um jovem furioso e que não mede a consequência de seus atos; ele e o pai, como já devem ter imaginado, têm problemas de relacionamento. No começo do conto encontramos a tribo na estrada e descobrimos que, por causa de uma dívida não paga, Race assassinou duas pessoas: o devedor e a sua namorada, uma jovem ainda em idade escolar. Eles param em um restaurante, tentando decidir para onde vão dali, enquanto Race insiste em procurar a irmã do cara e reaver o dinheiro. No restaurante, passam por um enorme caminhão.

Ao retornar para a estrada, encontram-se novamente com esse caminhão, que então começa uma perseguição alucinante contra a tribo. É aí que as coisas finalmente se tornam interessantes. Foi só a partir desse momento que li o conto sem parar, desejando chegar avidamente ao final. Porém, tudo o que vem antes disso é lento, maçante e muito descritivo, o que me fez demorar vários dias para ler um único conto. Há muitos personagens e não há tempo suficiente para que o leitor conheça todos como se deve, ligue o nome à pessoa. A introdução é basicamente uns 40% do livro, para depois finalmente chegarmos às vias de fato e ao cerne da história, quando ela fica realmente boa.

Não sei como é a escrita do Joe, mas sei que o King demora para engrenar uma história. Porém, isso ele geralmente faz em romances, não em contos; seus contos em geral são mais dinâmicos e sempre muito, muito assustadores, até mesmo bizarros, motivo pelo qual muitas vezes prefiro-o como contista e não romancista. Talvez fosse isso que eu estava esperando, afinal. E apesar de um final surpreendente e sangrento, A Tribo não tem nada de bizarro nem muito assustador. E a introdução é tão lenta que dá sono.

Boa tentativa, mas acho que é melhor pai e filho continuarem suas carreiras separadamente.

Ficha técnica:

Título: A Tribo
Autor: Stephen King e Joe Hill
Editora: Arqueiro
Páginas: 70
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon (disponível apenas em e-book)
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Shadai disse:

    Poxa, que decepção então esse livro. Acho a premissa dele muito boa, bem cinematográfica até essa história. Queria ler, mas depois da resenha acho que não estou perdendo nada.

  • Karen disse:

    Assim, não fiquei brava porque é um conto e foi baratinho… 3 reais só, então beleza. Mas definitivamente não era o que eu esperava do King e do Joe Hill… esperava bem, bem mais. Tem contos velhos e obscuros do King que dão de mil a zero nesse.

  • Jullyane Prado disse:

    aaaah de inicio o conto até chamou minha atenção, mas pela sua resenha pude perceber que ele não é lá essas coisas todas, bom se eu tiver um tempinho quem sabe não leia né?! rsrs

  • Karen disse:

    É, olha, não é assim o que eu esperava para o padrão dos escritores do conto. Esperava mais. E esperava que fosse assustador, mas não é…

  • ana paula ramos disse:

    hummm ó duvida cruel, não sei se vou ler não……
    Só de vc falar que a introdução é 40% do livro já me dá um aperto no coração…… porque fazem isso????
    fiquei curiosa para saber do final sangrento… =)

    bjos

  • Karen disse:

    Bem, como é baratinho, Ana, talvez valha a pena você investir. É só 3 reais, então se ficou curiosa, aproveita! 😉

  • Karen Araki disse:

    Eu ainda não li nada do stephen king nem do joe hill na verdade nem sabia que os dois eram pai e filho. Acho que Karen por você gostar do Stephen king você esperava mais do livro, Não sei se tenho vontade de ler o conto, pois os livros do Stephen King me dão medo. bjs

  • Karen disse:

    É, exatamente, eu esperava mais porque eu gosto do King e ele é tão bom com contos… Eu também não sabia que eles eram pai e filho até ler esse conto!

  • Lucas Grima disse:

    Quando eu li O Pacto, do Joe Hill, confesso que fiquei muito surpreso com o desempenho dele em conseguir manter a narrativa intensa do início até o fim. Infelizmente acabei coloquei outros livros na frente da Estrada da Noite, mais espero ler os livros escritos pelo Joe. Ainda não li nenhum livro do King, pretendo ler Carrie, A Estranha em breve, por causa do movie. Não conhecia esse conto, vou dar uma chance e quem sabe?

  • Karen disse:

    Meu marido gostou muito do Joe Hill em A Estrada da Noite. Temos O Pacto aqui em casa também. Vou dar uma chance aos romances dele. Poxa, nunca leu King? Carrie é um bom começo, mas se quiser algo mais assustador, leia O Iluminado. E quando estiver em King avançado, leia A Torre Negra (a saga).
    Dê sim uma chance ao conto, de qualquer jeito é baratinho!

  • ana paula ramos disse:

    é???? só 3 reais??? bem sendo assim…. =D

  • Michelle Agda disse:

    Juro que também não sabia que Stephen King e Joe Hill eram pai e filho!

    Enfim, em relação a resenha do livro, tenho que me decepcionei um pouco. Não é o tipo de livro que goto de ler, mas tenho certeza de que A TRIBO vai combinar muito mais com garotos 🙂

  • Gabriela S. disse:

    Eu sou apaixonada por Joe Hill desde que li ‘O Pacto’ e achei a escrita dele muito boa!
    Agora fiquei interessada por esse livro, rs.
    Até pq, Stephen King é um ótimo autor!

  • Dâmaris Carvalho Lima disse:

    Não gosto de livros de terror, realmente não consigo me assustar, este livro realmente não faz meu tipo ainda mais se dá sono! hahahah

  • Resenha: Nosferatu « Por Essas Páginas disse:

    […] Meu único contato com um texto dele, antes desse livro, foi com o conto “A Tribo” (leia a resenha), escrito em parceria com Stephen King e, justamente por ser algo em co-autoria, fora impossível […]

  • Paulo disse:

    Já eu achei uma história interessantíssima,
    parece que muitos leitores de King ainda
    não sacaram o quanto o autor analisa o “amargo da alma”:
    Atenção![Spoilers]
    Vince, que num exercício contínuo de auto-crítica,
    reconhece suas limitações morais, se assusta ao
    perceber que pode se considerar uma “boa pessoa”
    se comparado ao filho… daí o desfecho desolador do conto,
    e não estou falando do confronto motos x caminhão,
    e sim de “Vai nessa, filho. Cuidado para não cair.”.
    Magistralmente amargo…

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem