Resenha: Até que a culpa nos separe

Já conhecia Liane Moriarty há algum tempo, quando li o ótimo O Segredo do Meu Marido (resenha aqui), por isso achei maravilhoso quando a Intrínseca enviou para nós dois títulos: a nova edição de Pequenas Grandes Mentiras e o lançamento Até que a culpa nos separe. Pode parecer diferente, mas preferi começar pelo segundo, ainda não li o livro mais famoso da autora (calma, ele será o próximo). Mas é que Até que a culpa nos separe me deixou bastante curiosa e, de fato, é um livro com o toque da autora, dramas de vidas, de casais, de mulheres, porém, é mais que isso, a obra possui também uma pitada de suspense deliciosa – outro toque da autora.

“Amigas de infância, Erika e Clementine não poderiam ser mais diferentes. Erika é obsessivo-compulsiva. Ela e o marido são contadores e não têm filhos. Já a completamente desorganizada Clementine é violoncelista, casada e mãe de duas adoráveis meninas. Certo dia, as duas famílias são inesperadamente convidadas para um churrasco de domingo na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes.
Durante o que deveria ser uma tarde comum, com bebidas, comidas e uma animada conversa, um acontecimento assustador vai afetar profundamente a vida de todos, forçando-os a examinar de perto suas escolhas – não daquele dia, mas da vida inteira.
Em Até Que a Culpa Nos Separe, Liane Moriarty mostra como a culpa é capaz de expor as fragilidades que existem mesmo nos relacionamentos estáveis, como as palavras podem ser mais poderosas que as ações e como dificilmente percebemos, antes que seja tarde demais, que nossa vida comum era, na realidade, extraordinária.” Fonte

Tudo começa com um churrasco. Três casais – com três crianças, sendo que um dos casais não tem filhos e isso é importante para a trama – se reúnem para um churrasco no jardim, em uma bela tarde de domingo. Porém, algo terrível acontece. Algo que muda a vida de todos eles para sempre.

Narrado em capítulos que ocorrem antes do churrasco e depois do churrasco, a história vai fisgando o leitor aos poucos. No começo, conhecemos os personagens, especialmente Erika Clementine, duas amigas de infância que têm um relacionamento extremamente conturbado e repleto de palavras não ditas; além disso, elas são o oposto da outra e aos poucos vamos percebendo como, em vários momentos, as duas chegam a invejar a vida da outra. Mas aí você pensa: que espécie de amizade é essa? Existem todo tipo de amizades, e algumas amizades, como essa, também são amizades e também são importantes. Há, no livro, um capítulo belíssimo entre as duas, no qual Clementine compara sua amizade com Erika à nota lobo em seu violoncelo, uma nota dissonante.

“Talvez Erika fosse sua nota lobo. Talvez algo sutil porém essencial tivesse faltado na vida de Clementine sem ela: certa riqueza, certa profundidade.” Página 380

A obra tem um ritmo lento, porém crescente, até que – BUM – temos uma queda vertiginosa, no sentido bom da palavra, como em uma montanha russa. O começo parece morno, mas talvez isso se deva apenas ao fato de que ainda estamos nos acostumando e nos apegando aos personagens. A partir de algum momento ficamos íntimos deles, na ponta da cadeira tentando adivinhar que acontecimento terrível ocorreu no churrasco e causou toda aquela tristeza, culpa e separação.

Todos os personagens são riquíssimos, até mesmo os que aparecem pouco, e Liane Moriarty traz camadas complexas para cada um deles. Você sente que aquelas são pessoas reais, poderiam representar qualquer eu; impossível não se identificar em algum nível. A escrita é apaixonante e, mesmo quando você adivinha (ou descobre) o que aconteceu no churrasco, o livro não perde o brilho, pelo contrário, torna-se ainda mais consistente e você se vê torcendo para que aquelas pessoas consigam superar a mudança terrível e repentina em suas vidas comuns.

A edição é simples, porém competente. Não gostei muito da capa, achei que poderia ser mais elaborada, apesar de fazer sentido em relação à história. Mas, é como dizem, não julguem um livro pela capa, e esse é um belo exemplo, trata-se de uma leitura enriquecedora e maravilhosa. Liane Moriarty é daquelas autoras que conseguem resgatar histórias extraordinárias de vidas e pessoas extremamente comuns. Vale a pena.

Este livro foi gentilmente cedido pela editora Intrínseca para resenha.

Ficha técnica:

Nome: Até que a culpa nos separe
Autor: Liane Moriarty
Páginas: 464
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Livraria Cultura / SaraivaAmazon / Submarino / Shoptime / Livraria da Folha / Livraria da TravessaAmericanas
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Anne disse:

    Ahhhhh peguei pra ler essa semana esse livro. Os livros da Liane tem que ter paciência, mas logo fica bom. Esse é o terceiro que leio dela é espero não me decepcionar.

    Beijos
    http://www.literaturaestrangeira.com.br

  • Fabrica Dos Convites disse:

    Ganhei este livro e estou curiosa com a história dele, mas confesso que este começo mais lento tem me deixado com o pé um pouco atrás.
    Bjs, Rose

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Preciso confessar que não li muito da sua resenha pois to com esse livro no gatinho pra realizar a leitura.
    Espero que mesmo com o início mais arrastado depois a trama seja envolvente. Adoro esses suspenses nas histórias.
    Beijos!

  • Torradas com Chá disse:

    Cara, Liane Moriarty manja dos caqueado viu! Eu li O Segredo do Meu Marido e fiquei arrasada! aquele livro abala a gente viu! e Esse pelo jeito vai pelo mesmo caminho, to doida ler. Muito boa sua resenha viu, me deu ainda mais vontade de ler. E você tem rasão, o forte dessa autora é a construção dos personagens, são sempre complexos.
    Até!

  • Lavínia Carvalho disse:

    Eu não conhecia a história, mas gostei bastante do enredo. E eu até que gostei da capa, sabia? e olha que eu sou muito chata com essas coisas de design kkk achei bonita :) Gostei da sua resenha. Beijos

  • Mayara Nascimento disse:

    Olá, como vai? Gostei da premissa do livro, e com certeza vou querer conferir de perto cada detalhe da narrativa! Ótima resenha! Parabéns! Beijos

  • Juliana disse:

    Oieee
    Quando vi essa obra imaginei uma história bem diferente porém lendo sua resenha eu me surpreendi bastante
    Dica anotada e espero ler em breve

  • Jessica Eliana disse:

    Eu não conhecia a história, mas gostei bastante do enredo. quero muito esse livro deve ser daqueles livros que prendem na leitura eu nunca li nenhum livro dessa altora mais quero muito ler ele

  • Fabiana Scola' disse:

    Bo, vamos lá… Eu li O segredo do meu marido e simplesmente adorei a escrita, uma historia empolgante, cheia de reviravoltas e surpresas. Corri logo para o Pequenas grandes mentiras e com o decorrer da leitura me dei conta que eram muito parecidas e me confundia em certas horas, parecia um deja vu. Com certeza vou querer ler este ultima para tirar a duvida se foi impressao minha ou se a autora tem livros muito similares embora super bem escritos e envolventes.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem