Resenha: Até que a culpa nos separe

Já conhecia Liane Moriarty há algum tempo, quando li o ótimo O Segredo do Meu Marido (resenha aqui), por isso achei maravilhoso quando a Intrínseca enviou para nós dois títulos: a nova edição de Pequenas Grandes Mentiras e o lançamento Até que a culpa nos separe. Pode parecer diferente, mas preferi começar pelo segundo, ainda não li o livro mais famoso da autora (calma, ele será o próximo). Mas é que Até que a culpa nos separe me deixou bastante curiosa e, de fato, é um livro com o toque da autora, dramas de vidas, de casais, de mulheres, porém, é mais que isso, a obra possui também uma pitada de suspense deliciosa – outro toque da autora.

“Amigas de infância, Erika e Clementine não poderiam ser mais diferentes. Erika é obsessivo-compulsiva. Ela e o marido são contadores e não têm filhos. Já a completamente desorganizada Clementine é violoncelista, casada e mãe de duas adoráveis meninas. Certo dia, as duas famílias são inesperadamente convidadas para um churrasco de domingo na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes.
Durante o que deveria ser uma tarde comum, com bebidas, comidas e uma animada conversa, um acontecimento assustador vai afetar profundamente a vida de todos, forçando-os a examinar de perto suas escolhas – não daquele dia, mas da vida inteira.
Em Até Que a Culpa Nos Separe, Liane Moriarty mostra como a culpa é capaz de expor as fragilidades que existem mesmo nos relacionamentos estáveis, como as palavras podem ser mais poderosas que as ações e como dificilmente percebemos, antes que seja tarde demais, que nossa vida comum era, na realidade, extraordinária.” Fonte

Tudo começa com um churrasco. Três casais – com três crianças, sendo que um dos casais não tem filhos e isso é importante para a trama – se reúnem para um churrasco no jardim, em uma bela tarde de domingo. Porém, algo terrível acontece. Algo que muda a vida de todos eles para sempre.

Narrado em capítulos que ocorrem antes do churrasco e depois do churrasco, a história vai fisgando o leitor aos poucos. No começo, conhecemos os personagens, especialmente Erika Clementine, duas amigas de infância que têm um relacionamento extremamente conturbado e repleto de palavras não ditas; além disso, elas são o oposto da outra e aos poucos vamos percebendo como, em vários momentos, as duas chegam a invejar a vida da outra. Mas aí você pensa: que espécie de amizade é essa? Existem todo tipo de amizades, e algumas amizades, como essa, também são amizades e também são importantes. Há, no livro, um capítulo belíssimo entre as duas, no qual Clementine compara sua amizade com Erika à nota lobo em seu violoncelo, uma nota dissonante.

“Talvez Erika fosse sua nota lobo. Talvez algo sutil porém essencial tivesse faltado na vida de Clementine sem ela: certa riqueza, certa profundidade.” Página 380

A obra tem um ritmo lento, porém crescente, até que – BUM – temos uma queda vertiginosa, no sentido bom da palavra, como em uma montanha russa. O começo parece morno, mas talvez isso se deva apenas ao fato de que ainda estamos nos acostumando e nos apegando aos personagens. A partir de algum momento ficamos íntimos deles, na ponta da cadeira tentando adivinhar que acontecimento terrível ocorreu no churrasco e causou toda aquela tristeza, culpa e separação.

Todos os personagens são riquíssimos, até mesmo os que aparecem pouco, e Liane Moriarty traz camadas complexas para cada um deles. Você sente que aquelas são pessoas reais, poderiam representar qualquer eu; impossível não se identificar em algum nível. A escrita é apaixonante e, mesmo quando você adivinha (ou descobre) o que aconteceu no churrasco, o livro não perde o brilho, pelo contrário, torna-se ainda mais consistente e você se vê torcendo para que aquelas pessoas consigam superar a mudança terrível e repentina em suas vidas comuns.

A edição é simples, porém competente. Não gostei muito da capa, achei que poderia ser mais elaborada, apesar de fazer sentido em relação à história. Mas, é como dizem, não julguem um livro pela capa, e esse é um belo exemplo, trata-se de uma leitura enriquecedora e maravilhosa. Liane Moriarty é daquelas autoras que conseguem resgatar histórias extraordinárias de vidas e pessoas extremamente comuns. Vale a pena.

Este livro foi gentilmente cedido pela editora Intrínseca para resenha.

Ficha técnica:

Nome: Até que a culpa nos separe
Autor: Liane Moriarty
Páginas: 464
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Livraria Cultura / SaraivaAmazon / Submarino / Shoptime / Livraria da Folha / Livraria da TravessaAmericanas
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Anne disse:

    Ahhhhh peguei pra ler essa semana esse livro. Os livros da Liane tem que ter paciência, mas logo fica bom. Esse é o terceiro que leio dela é espero não me decepcionar.

    Beijos
    http://www.literaturaestrangeira.com.br

  • Fabrica Dos Convites disse:

    Ganhei este livro e estou curiosa com a história dele, mas confesso que este começo mais lento tem me deixado com o pé um pouco atrás.
    Bjs, Rose

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Preciso confessar que não li muito da sua resenha pois to com esse livro no gatinho pra realizar a leitura.
    Espero que mesmo com o início mais arrastado depois a trama seja envolvente. Adoro esses suspenses nas histórias.
    Beijos!

  • Torradas com Chá disse:

    Cara, Liane Moriarty manja dos caqueado viu! Eu li O Segredo do Meu Marido e fiquei arrasada! aquele livro abala a gente viu! e Esse pelo jeito vai pelo mesmo caminho, to doida ler. Muito boa sua resenha viu, me deu ainda mais vontade de ler. E você tem rasão, o forte dessa autora é a construção dos personagens, são sempre complexos.
    Até!

  • Lavínia Carvalho disse:

    Eu não conhecia a história, mas gostei bastante do enredo. E eu até que gostei da capa, sabia? e olha que eu sou muito chata com essas coisas de design kkk achei bonita :) Gostei da sua resenha. Beijos

  • Mayara Nascimento disse:

    Olá, como vai? Gostei da premissa do livro, e com certeza vou querer conferir de perto cada detalhe da narrativa! Ótima resenha! Parabéns! Beijos

  • Juliana disse:

    Oieee
    Quando vi essa obra imaginei uma história bem diferente porém lendo sua resenha eu me surpreendi bastante
    Dica anotada e espero ler em breve

  • Jessica Eliana disse:

    Eu não conhecia a história, mas gostei bastante do enredo. quero muito esse livro deve ser daqueles livros que prendem na leitura eu nunca li nenhum livro dessa altora mais quero muito ler ele

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem