Resenha: Através do Vazio

Ficha técnica:

Nome: Através do Vazio

Autor: S. K. Vaughn

Tradutor: Renato Marques

Páginas: 376

Editora: Suma

 

Em Através do Vazio, ficção científica e suspense se misturam, construindo uma trama complexa e emocionante que mantém o leitor envolvido até a última página.

É Natal de 2067. Os acordes de uma música natalina ecoam pelas ruínas de uma espaçonave que flutua pela escuridão. Lá dentro, May desperta lentamente ― a única sobrevivente de um acidente desastroso na primeira viagem tripulada a Europa, a lua de Júpiter. Sozinha no vazio do espaço, em uma nave caindo aos pedaços, May tenta desesperadamente reencontrar o caminho para a Terra. A única pessoa capaz de ajudá-la é Stephen Knox, um cientista brilhante da Nasa… e um homem que ela magoou profundamente antes de partir.

Enquanto ela batalha pela própria sobrevivência e sinais de sabotagem começam a vir à tona, a voz de Stephen parece ser a única coisa capaz de atravessar o vazio insondável do espaço e levá-la de volta para casa em segurança. (Fonte)

A comandante Maryam Knox, mais conhecida como May, acorda debilitada e sozinha em uma nave à deriva no espaço. E pra piorar tudo, ela está com amnésia. O que fazer?

Aos poucos ela vai se lembrando de quem é e onde está. E a partir daí começa a tentar voltar para a Terra.

May está na primeira expedição feita a Europa, uma das luas de Saturno, para realizar pesquisas no solo de Europa graças à tecnologia criada pelo Dr. Stephen Knox, seu (ex)marido. Mas algo aconteceu com toda a tripulação da espaçonave e May precisa descobrir se foi um acidente ou simplesmente um massacre. Mas quem poderia ter acabado com toda a tripulação?

May tem a ajuda da Inteligência Artificial (IA) da nave, a quem May dá o nome de Eve, em homenagem a sua mãe, uma mulher durona que foi piloto de avião e que não foi das mães mais carinhosas, mas que moldou May para se tornar a mulher forte, determinada e capaz que ela é.

Quando Eve consegue finalmente contato com a Terra, começam os preparativos para uma tentativa de resgate. E é aí que conhecemos Robert, o poderoso manda-chuva da NASA que não fica muito feliz com a notícia de que May está viva.

Com altos e baixos nos preparativos para o resgate, Stephen não desiste e luta como pode para salvar May.

O primeiro um terço do livro é incrível e prende o leitor com todo o mistério envolvendo o coma de May, sua amnésia, o desaparecimento da tripulação. Há momentos de tensão real que deixam o leitor em estado de alerta.

Um ponto bastante interessante no livro é a  relação entre May e Eve, a IA,  que se torna uma amizade e cuidado entre a humana e a máquina.

Depois disso o  livro perde força ao se dividir entre a situação real de May, o passado com Stephen, a situação atual do relacionamento deles, o estado da espaçonave, os riscos que ela corre, as tentativas de contato e resgate, o chefão que atrapalha tudo. Claro que o leitor precisa de uma visão geral das personagens e estas personagens precisam ser bem construídas para que a história não seja rasa, superficial demais. Mas mesmo com os recursos de construção, achei as personagens bem rasas, exceto por May.

Acho que ando muito exigente ultimamente! hehe Mas este foi mais um livro que me deixou com a impressão que algumas coisas poderiam ser desenvolvidas de outra forma. O mistério do que aconteceu com a tripulação, a traição, os planos contra May, são quase um anticlímax.

Aí você me pergunta: “Mas, Drika, então nem vale a pena ler, né?”
Vale sim! Apesar de tudo, mereceu até 4 estrelinhas, porque é um bom passatempo.
Se você curte SciFi e não está podendo ler um daqueles livros que você não consegue largar, não importa o tanto de coisas que tem pra fazer, este é uma boa pedida. Alguns poucos capítulos por vez são o suficiente para uma viagem básica pelo espaço acompanhado de uma IA.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela editora Companhia das Letras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Uau, esse livro parece ser muito bom! Não é o tipo de história que eu costumo ler, mas fiquei bem curiosa. É uma pena que a obra tenha te decepcionado em alguns pontos, mas infelizmente acontece, né?

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Carolina Trigo disse:

    Oi, Drika!
    Eu não conhecia esse livro, mas fiquei primeiramente interessada por causa da capa, que achei lindíssima.
    Ultimamente, estou tentando ler mais ficção científica e já li algumas coisas muito boas. Além dos clássicos (no qual, o próximo que irei ler é Eu, Robô), sempre estou interessada em livros do gênero mais contemporâneos e foi o caso com esse.
    Histórias na qual o protagonista está sozinho no espaço ou em um planeta diferente sempre me deixa curiosa, pois são tramas repletas de tensão.
    Muito obrigada pela dica, mesmo a segunda parte sendo um pouco mais fraca.
    Bjss

  • Diane Ramos disse:

    Olá..
    Adorei a sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas pelos seus comentários pude perceber que com certeza é um livro que me agradaria. A premissa é bem legal e, é claro, já anotei a sua dica!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

  • Joanice Oliveira disse:

    Olá

    Amo demais ficção científica e já li muitos clássicos desse gênero.
    Não gosto muito quando misturam ele com romance ou outro gênero porque a chance de dar erro é muito grande.

    Me interessei demais por esse.

    Beijos

  • Ivi Campos disse:

    Eu ainda não conhecia o livro e já fiquei curiosa com o enredo. A capa também está muito instigante. Já quero ler

  • Antonia Isadora de Araújo Rodrigues disse:

    Olá Drika!!!
    Eu não sou a maior fã de SciFi e isso meio que é triste porque dispenso muitos livros do gênero, no caso desse ele me lembra alguns livros do gênero que já li resenhas e que já foi adaptado.
    Pena que ele não lhe fisgou tanto.

    lereliterario.blogspot.com

  • Pollyanna Campos disse:

    Olá, tudo bom?
    Não sou muito de ler SciFi, no entanto, este me chamou a atenção. Foi bom saber que o primeiro terço do livro é o que mais prende e sobre a falta de profundidade de alguns personagens – é bom saber disso para diminuir as expectativas!
    Adorei sua resenha ♥
    Beijos!

  • Beatriz Andrade disse:

    Sua resenha está ótima, muito sincera e isso é o mais importante! Eu ainda não li esse livro e gosto bastante do gênero, estou curiosa com ele e espero poder ler em breve, acho que eu posso gostar da leitura

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem