Resenha: Beleza Perdida

BELEZA_PERDIDABeleza Perdida – Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar.

Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido.

Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós. Fonte


Nós recebemos um exemplar desse livro pela Verus e eu logo me interessei. Achei que seria uma história bem bacana bem no estilo A Bela e a Fera. O que encontrei foi uma história que vai além do tipo “soldado que vai para a guerra e volta destroçado, mas encontra redenção nos braços de alguém”.

O livro é do ponto de vista principalmente de Ambrose e Fern, mas quem rouba a cena no livro inteiro é Bailey, o primo de Fern. Ele foi diagnosticado na infância com distrofia muscular de Duchenne, uma doença degenerativa que faz com que seus movimentos sejam limitados. Bailey e Fern cresceram juntos e Bailey sabia da fascinação que Fern sentia por Ambrose desde os dez anos.

Ambrose era o garoto de ouro da cidade: o mais bonito, mais forte. Era como se toda a cidade colocasse suas expectativas de que ele fora criado para ser um vencedor. Não sei quanto a vocês, mas odeio quando as pessoas começam a criar expectativas sobre mim, porque sempre vai ter uma característica minha que elas não gostam e acabam se decepcionando – e parecia que o mesmo acontecia com Ambrose. Então, contrariando todas as expectativas, ele negou a bolsa para a faculdade e se alistou no exército, acompanhado por  seus quatro melhores amigos, partindo para o Afeganistão pós 11 de setembro.

Algum tempo depois, Ambrose está de volta. Mas nada será o mesmo em sua vida. Seus amigos estão mortos e ele está desfigurado. É como se o rosto desfigurado representasse a dor da perda e culpa que ele sentia por dentro. Ele passa a evitar sair em público, até que em uma noite ele esbarra com Fern, que voltava de seu emprego. Os dois começam a conviver novamente, dessa vez mais do que na época da escola, e aos poucos e com a ajuda de Bailey, Ambrose vai redescobrindo o gosto pela vida.

É uma versão de A Bela e a Fera tanto para Fern quanto para Ambrose. Nós vemos os papéis se inverter quando Fern, que era o “patinho feio” da escola desabrochar e virando uma jovem encantadora, enquanto Ambrose, que era um adônis do ponto de vista de Fern, acaba perdendo boa parte de sua beleza por conta da guerra, além de alimentar a amargura pela culpa que sente pela vida dos amigos.

Mas, assim como “A bela e a Fera”, a história vai muito além da beleza ou a falta dela, é uma história  de superação, amizade, lealdade e amor, claro. Retrata bem a vida com seus altos e baixos, perdas e ganhos. Também é uma história que fala sobre a fé, de uma forma bem sutil, que mesmo que você não acredite em nada, talvez faça você pelo menos ter mais fé em você mesmo e nas pessoas ao redor.

Os personagens são bem construídos, mas confesso que a Fern me irritava um pouco. Ela parecia muito dependente de Ambrose, não no sentido “princesa que precisa ser salva”, mas tudo girava em torno de Ambrose, quase como uma obsessão. Ambrose, com toda a carga de culpa pela morte dos amigos, no começo é bem esquivo e bastante rude, mas vai cedendo aos poucos, quebrando os muros que ele mesmo construiu. Baylei é de longe o personagem mais carismático do livro. Uma vez que ele está ciente que não terá uma vida longa, ele se conforma sem nunca sentir pena de si mesmo, sendo um exemplo de otimismo e de vivacidade.

Sim, recomendo a leitura do livro. Não é tão excepcional quanto vocês esperam, mas vocês vão se apaixonar e também se emocionar pela história mesmo assim.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pelo Grupo Editorial Record.

record

Ficha Técnica:

Nome: Beleza Perdida
Autor: Amy Harmon
Páginas: 336
Editora: Verus
Onde comprar: Saraiva / Saraiva digital / Submarino /Amazon
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Daniela disse:

    Meu Deus!
    Como assim não é tão excepcional??
    Hahaha!
    Prova mesmo de que gosto não se discute e que gostos literários são individuais! É por isso que eu amo os livros e as reações diversas que eles provocam nas pessoas!

    “Beleza Perdida” foi a minha melhor leitura até o momento. O livro que me fez ficar de ressaca literária e virar madrugadas! Todo mundo que eu conheço sofreu dos mesmos sintomas que eu e estou super empolgada com a editora por ter comprado os direitos autorais para os próximos meses!

    Pode até não ser um enredo original, mas a forma como o livro foi escrita e seus personagens são apaixonantes!

    Vale super a pena a leitura

  • Lucy disse:

    Oi, Daniela!
    Realmente, algumas características da Fern não me convenceram e me irritaram. Foi uma boa leitura, mas não exatamente a melhor do ano. rsrs
    Em compensação, lerei o próximo livro da autora que será lançado no Brasil. Gostei muito da escrita e do estilo dela e concordo com vc, é apaixonante. ^^
    Bjos!

  • Douglas F disse:

    Gostei da resenha, estou precisando ler alguns livros desse gênero, livros que dê pra fazer uma reflexão sobre superação, amizade, lealdade, amor, fé, enfim já faz um bom tempo que nao leio um livro assim.. hahaha

  • Lucy disse:

    Oi, Douglas! Recomendo a leitura, espero que vc goste também!
    Bjs

  • Fran Ferreira disse:

    Oi Lucy.
    Eu já havia me apaixonado por esse livro desde seu lançamento e resenhas lidas, mas preciso confessar que essa foi a primeira que me mostrou um lado mais profundo sobre a historia, e que me fez perceber mais uma vez o quão vulneravel somos. Ele acabou de subir alguns degraus em minha lista; uma coisa tenho certeza, eu vou chorar lendo esse livro.

    Bjsss

  • Lucy disse:

    Oi, Fran! Obrigada! :D
    Olha, eu confesso que… sim, você vai chorar com esse livro! rsrs
    Mas acho que você vai gostar muito também. ^^
    Bjos!

  • Marília Sena disse:

    Gostei da sua sinceridade, pois até agora tudo o que li a respeito dizia que é realmente excepcional. A minha vontade de ler esse livro está imensa e ele já está aqui na minha estante apenas esperando a sua vez! Só por ser releitura (e uma boa releitura) de A Bela e a Fera é motivo suficiente para lê-lo hahahaha.
    Beijos!!

  • Lucy disse:

    Oi, Marília!
    Talvez vc nem sinta que é uma versão de A Bela e a Fera, mas com certeza vai conquistar seu coração!
    Bjos!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem