Resenha: Biblioteca de Almas


A série de Ransom Riggs me conquistou. Muito mais que belas edições da Intrínseca, esses livros possuem uma história emocionante, com personagens sólidos, complexos, únicos, que nos levam em uma viagem fantástica pela história. Desde o primeiro livro, O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (resenha aqui), passeando entre o passado remoto ou nosso passado recente – como a Segunda Guerra Mundial, chegando até nosso presente, com sua tecnologia e alienação, somos convidados a conhecer o mundo dos peculiares, que nos são apresentados de maneira tão natural que chegamos a acreditar que eles realmente existem. E será que não?

Em Biblioteca de Almas, o autor conclui a série de forma brilhante, em uma aventura de tirar o fôlego. Talvez eu tenha achado o segundo livro – Cidade dos Etéreos (resenha aqui) – melhor? Talvez. Mas isso não tira o brilho desse encerramento, uma viagem incrível e inesquecível.

Cuidado: essa resenha pode conter spoilers dos volumes anteriores da série.

bibliotecaalmas“Biblioteca de Almas é o último volume da celebrada trilogia iniciada com O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Neste terceiro livro, depois de sofrer com a morte do avô, conhecer crianças com habilidades peculiares em uma fenda temporal e partir pelo mar em uma busca desesperada para curar a srta. Peregrine, Jacob vai finalmente enfrentar a inevitável conclusão dessa turbulenta jornada.
Jacob descobre uma poderosa habilidade e não demora a explorá-la para resgatar os amigos peculiares e as ymbrynes da fortaleza dos acólitos. Junto com ele vai Emma Bloom, uma menina capaz de produzir fogo com as mãos, e Addison MacHenry, um cão com faro especial para encontrar crianças perdidas.
Partindo da Londres dos dias atuais, o grupo vai percorrer as ruelas labirínticas do chamado Recanto do Demônio, uma complexa fenda temporal que abriga todo tipo de vícios e perversões. É ali que o destino de peculiares de toda parte será decidido de uma vez por todas. Tal como os volumes anteriores da série, Biblioteca de Almas une fantasia, aventura e sombrias fotografias de época para criar uma experiência de leitura única.” Fonte

Nós encontramos Jacob Emma no mesmo ponto da história que os deixamos em Cidade dos Etéreos: encurralados por um etéreo, junto ao peculiar cão Addison, em uma estação de metrô da Londres do presente, após um ataque de acólitos que levaram sequestrados seus amigos e as ymbrynes. E é aí que Jacob descobre um novo poder: ele pode controlar os etéreos. Bem, pelo menos aquele da estação, e isso será muito, muito importante para o resto da história.

A partir daí eles tentam elaborar um plano para resgatar as ymbrynes e seus amigos, mas a verdade é que uma situação leva a outra e eles apenas seguem com a maré, em uma corrida desesperada para salvar tanto seus amigos quanto o mundo peculiar. E nós os acompanhamos nessa aventura, em meio a novas e aterrorizantes descobertas – tanto de si mesmos quanto do mundo peculiar – e sequências eletrizantes de ação e tensão. É como se não houvesse tempo para respirar – e talvez não haja mesmo.

biblioteca_almas_insta

Como nos outros livros da série, Ransom Riggs conseguiu encontrar o equilíbrio certo entre fantasia, história e as tão curiosas fotos que acompanham a obra. É interessante como ele consegue fazer críticas à nossa sociedade de maneira natural, como no momento que os personagens encontram um lugar terrível onde as habilidades dos peculiares são vendidas como mercadoria e eles – adultos ou crianças – são escravizados (e tudo isso pelos próprios peculiares). É uma crítica dura ao nosso estilo de vida que oprime minorias, às vezes até por elas mesmas. O autor até explica fatos históricos pela visão dos peculiares, guerras e catástrofes que ocorreram porque eles mesmos estavam em guerra.

O final foi extremamente criativo e adequado ao livro, tudo se encaixou perfeitamente, sem pontas soltas. Toda a história da Biblioteca de Almas é, ao mesmo tempo, intrigante e aterrorizante, responsável aliás por uma das melhores sequências do livro, perdendo apenas para a batalha épica que também ocorre na obra.

Mas se tudo isso foi tão bom, por que você gostou mais do segundo livro? Assim como no primeiro livro da série, apesar deste ser brilhante, parece que faltou alguma coisa. Talvez um pouco mais sentimento, de emoção, algo que tivemos em abundância no segundo livro, quando conhecemos a fundo os personagens, sua história, seus sentimentos mais profundos, quando, ao mesmo tempo que precisavam se unir para sobreviver, os personagens também se encontravam em conflito uns com os outros e revelaram o melhor e o pior de si. Em Cidade dos Etéreos foi quando também se utilizou muito o tema da Segunda Guerra Mundial, e todas as sequências passadas nesse momento histórico foram extremamente impactantes, e houveram momentos de partir o coração. Foi também na segunda obra da série que tivemos mais a participação das outras crianças, que deram um brilho especial à história, enriqueceram-na de uma maneira que Jacob e Emma, sozinhos – apesar de serem ótimos personagens, não conseguiram.

trilogia_peculiar

Biblioteca de Almas é o fechamento cheio de aventura e ação de uma trilogia incrível, que merece ser lida. Foi um final fantástico, apenas talvez tenha faltado um pouquinho mais de sentimento em meio a toda aquela ação. Mas isso não muda o fato de que a série é uma leitura excepcional e extremamente divertida, que vai ficar guardada com carinho na estante e no coração.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Intrínseca.

Ficha Técnica:

Título: Biblioteca de Almas
Autor: Ransom Riggs
Editora: Intrínseca
Páginas: 416
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon / Saraiva / Livraria da Folha / Livraria da Travessa / Submarino / Shoptime
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Milena Soares disse:

    Ainda não li nenhum livro dessa série, quero muito amei o filme, curto muito fantasia, suspense, aventura, cada resenha que leio doa livros me deixa ainda mais curiosa em conferi isso tudo que dizem dessa série.

  • Diana Batista disse:

    Concordo com você Karen: o segundo livro foi melhor. Mas a história toda é surpreendente e vale muito a leitura. Adorei e recomendo.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem